Volkswagen Golf GTE – Versão híbrida terá bom desempenho e autonomia



  

A busca por veículos mais eficientes no consumo de combustível cresce a cada ano, pelos menos no mercado europeu e por isso, uma das novidades que a Volkswagen irá apresentar no Salão de Genebra será o novo Golf GTE, versão plug-in híbrida que tem entre os principais destaques a autonomia.

Esteticamente, o Golf GTE tem grandes semelhanças com a versão GTI, já que, de acordo com a marca alemã, a sigla GTE está alinhada com as variantes esportivas GTI e GTD. As únicas diferenças, com relação ao GTI ficam por conta do desenho da grade frontal, a sigla GTE em azul, bem como o filete azul presente na grade, que invade os faróis. Na traseira, o nome Golf foi substituído pelo emblema da versão híbrida.

Além do visual parecido, o ajuste de suspensão e o acabamento na cabine também seguem o mesmo padrão do Golf GTi, contudo, ao invés dos detalhes em vermelho no interior a marca adotou a cor azul. A central multimídia, além de conter diversas funções, exibe informações do carro, incluindo o fluxo de energia enquanto o carro está em movimento e os dados de autonomia.

Mesmo sendo uma versão híbrida, errou quem achou que o desempenho do modelo foi comprometido. Para mover o Golf GTE a Volkswagen equipou o carro com um conjunto híbrido, dotado do bloco 1.4 TSI com 148 cv e de um propulsor elétrico de 101 cv (75kW). Os dois motores combinados são capazez de oferecer 201 cv e 35,5 kgfm de torque. Com isso, o hatchback híbrido acelera de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos, com velocidade máxima de 217 km/h.





O veículo pode ser usado no modo totalmente elétrico, com autonomia de até 50 quilômetros, chegando à velocidade máxima de até 130 km/h. A autonomia sobe para 940 quilômetros com o trabalho em conjunto dos dois motores, com consumo médio de incríveis 55,2 km/l.

Por Caio Polo

Volkswagen Golf GTE

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *