Novas placas para veículos visam facilitar a fiscalização nos países do Mercosul



  

Representantes dos países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) anunciaram em setembro deste ano a unificação do sistema de placas para automóveis que circulam no território do bloco econômico. Na época em que a alteração foi anunciada não se sabia ao certo qual o modelo de emplacamento a ser adotado pelos países, porém seria adotado um design semelhante ao utilizado nas placas de veículos que circulam pela União Europeia.

Antes de qualquer coisa é necessário saber que não será necessário trocar as placas dos veículos já em trânsito, não importando a qual classe o veículo pertença (carros, motocicletas, caminhões, etc). Em território nacional, todos os caminhões e ônibus que forem registrados a partir do dia 1º de janeiro de 2016 já receberão a nova placa.  A lei será aplicada para carros e motos apenas a partir do ano de 2018. Ou seja: a regra só se aplicará para carros recém-saídos das concessionárias. Outra informação importante é que o valor do emplacamento será mantido, independente do modelo de placa a ser utilizado.

A proposta nasceu em 2010, impulsionada pelo Brasil, a fim de facilitar a identificação e fiscalização de veículos nos Estados Partes (do Mercosul) e contribuir para a circulação e a segurança no trânsito entre os países do bloco. A mudança ocorre primeiro em ônibus e caminhões pelo fato de estes já circularem com grande frequência, cruzando fronteiras dos países, em todo o território do Mercosul e por já terem que apresentar o Certificado de Inspeção Técnica Veicular (CITV) em toda a região.

O Denatran explicou que a placa terá fundo branco e sete caracteres alfanuméricos além de uma tarja azul que contará com o emblema do Mercosul, nome do país de origem e a bandeira. O tamanho será o mesmo das placas já utilizadas no Brasil. Os caracteres serão duas letras seguidos de três números, acompanhados novamente de mais duas letras.





Por Nosf

Nova placa para ve?culos do Mercosul

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *