Mercedes Benz é acusada de Fraude em Testes de Motores Diesel



  

Montadora é acusada de fraudar experimentos de emissões de poluentes em seus motores diesel.

Uma das maiores e reconhecidas marcas de carro do mundo, a Mercedes-Benz, foi alvo de acusações na última quinta-feira, dia 18 de fevereiro de 2016. A empresa alemã foi acusada de fraudar experimentos de emissões de diesel. Esses testes estavam sendo realizados em 14 modelos de carros da marca com motores à óleo diesel.

Uma empresa americana de advocacia responsável pelo processo, relata que a acusação foi feita porque esses carros emitiram entre 19 e 65 a mais de óxido de nitrogênio do que o máximo permitido no momento em que a temperatura ambiente estava à menos de 10°C.

De acordo com a empresa de advocacia, que se chama Hagens Berman, a Mercedes-Benz teria divulgado a ideia falsa de que a tecnologia BlueTech diesel da marca é a mais limpa e eficiente contra a poluição do mundo.

A Mercedes não admite que tenha divulgado isso e que os consumidores possam ter entendido de forma errada. Segundo ela própria, o BlueTech dá mais prioridade a potência quando está na temperatura abaixo de 10°C do que para as pessoas, em relação à poluição.





Dentre os modelos que participaram dos testes estão o ML320, o 350, o Classe E e os crossovers da GLE. A empresa de advocacia disse que pretende abrir uma ação na justiça contra a montadora para que ela substitua os carros de pessoas afetadas e que arque com pagamento de danos, possivelmente.

A Mercedes continua a afirmar que a acusação não tem fundamento e que deverá avaliar primeiro a queixa para se defender. Vale lembrar também que a Volkswagen passou por um cenário parecido em setembro de 2015, onde foi acusada de fraudar testes de emissões em motores diesel equipando os veículos com dispositivos que eram capazes de diminuir a emissão de gazes poluentes dos motores apenas nos momentos de testes. Os resultados desses testes davam uma porcentagem muito inferior do que o esperado. Depois do caso da Volkswagen, outras montadoras também ficaram sob a mesma suspeita, tanto que até o CEO da Volkswagen renunciou o cargo misteriosamente. Muitos outros fatores também contribuíram para isso, resultando numa crise e até ações dessas empresas chegaram a cair na bolsa. Por fim, tempo depois, a ministra da França, Ségolène Royal, relatou para a mídia que os investigadores não encontraram nenhum erro nos carros da Volkswagen.

Por Daniela Almeida da Silva



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *