Montadoras trazem de volta carros clássicos dos anos 50



  

Algumas montadoras estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro.

Quem nunca sonhou em ter um carro clássico dos anos 50, mas já se pegou pensando na quantidade de dinheiro que irá gastar só em manutenção e para restaurar o veículo? Pois as montadoras tem uma boa notícia para os amantes deste tipo de veículo.

Isso porque algumas já divulgaram que estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro. Ou seja, aliando assim a beleza do passado com a tecnologia do presente, os veículos que fizeram história têm voltado com tudo.

É o caso, por exemplo, do Jaguar XKSS D-Type, um carro luxuoso de 1957, que terá produção de nove unidades de forma artesanal. É claro que a brincadeira não sairá barata e, já se especula que a comercialização destes, a partir de 2017, será em torno de 1 milhão de libras, o equivalente a R$ 5,2 milhões. Porém, a montadora reafirma que os carros, apesar de mais recentes, ainda terão as mesmas especificações mecânicas e o mesmo visual das demais produzidas há cinquenta anos atrás.

Talvez poucos saibam, mas o Jaguar XKSS D-Type foi um dos mais famosos carros de corrida de todos os tempos, nos anos de 1955, 1956 e 1957. Com um peso de 914 quilos, sua capacidade de aceleração era extremamente potente, chegando do 0 a 100 km/h em um tempo de até cinco segundos.

Além deste, em abril deste ano, a Land Rover divulgou a venda de 25 unidades do Série 1, que foi lançado em 1948. Esta contará com as peças e design original, bem como todas as demais características foram preservadas. Quem quiser adquirir um dos veículos, poderá personaliza-lo, inclusive com a pintura que preferir. O valor ficará entre 60 mil a 80 mil libras, o que equivale a R$ 312 mil a R$ 416 mil.





A própria Ford, em 2003, homenageou os cem anos da marca, fabricando unidades do T 1947 Touring. A fabricação foi artesanal e realizada por engenheiros, vendida exclusivamente para colecionadores fissurados.

A prática tem sido muito visada e, provavelmente, não terá seu final com estes modelos. A estratégia é que cada vez mais estes carros estejam novamente circulando nas ruas. Porém, sabe-se que, uma vez que a produção é muito mais artesanal e detalhada, não será realizada em grande escala ou em fabricação em série, como é realizada nos dias de hoje, refletindo inclusive no valor deste no mercado.

Por Kellen Kunz

Jaguar XKSS D-Type

Foto: Divulgação



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *