O novo modelo de Sedan da categoria médio chega ao mercado de automóveis do Brasil numa versão mais simples, porém, sem perder o sofisticado estilo tão característico da marca que já conquistou os consumidores europeus por mais de duas décadas.

Com o ano de 2018 chegando ao fim, é comum as montadoras apostarem em grandes novidades para seus veículos numa tentativa de atrair cada vez mais clientes e assim pode alavancar mais clientes no país inteiro.

Para a Volkswagen, não poderia ser diferente e, neste final de ano, ela resolveu inovar e decidiu colocar nas concessionárias de todo o Brasil uma versão mais barata de um dos seus maiores sucessos de vendas na Europa: O novo Jettta 2019.

O novo modelo de Sedan da categoria médio chega ao mercado de automóveis do Brasil numa versão mais simples, porém, sem perder o sofisticado estilo tão característico da marca que já conquistou os consumidores europeus por mais de duas décadas.

Os consumidores brasileiros que já estão acostumados com as altas e baixas do mercado automotivo já devem notado que algumas marcas não conseguem emplacar um volume de vendas que seria o esperado. Este é o caso do Jetta no cenário nacional.

Numa estratégia de tentar espantar de vez o “fantasma” das baixas vendas, a montadora alemã resolveu baratear a versão luxuosa de um seu mais famoso ícone da categoria.

Quando falamos em baixar os preços, podemos esperar que os futuros consumidores vão deixar de desfrutar de alguns opcionais que seriam oferecidos em relação ao modelo original.

Com o novo Jetta 2019 não poderia ser diferente. Para começar, a Volkswagen resolveu mexer em alguns itens que seriam diferenciais de conforto e sofisticação da marca.

Para começar, os futuros consumidores vão deixar de levar para casa um modelo de luxo com bancos de couro. A nova versão traz os assentos do carro no estilo tradicional de tecido.

Assim como os bancos, a direção do novo Jetta perde o seu revestimento também de couro, só que, ao invés, de tecido, ela volta para os revestimentos tradicionais emborrachados.

No aspecto interno, o novo modelo vai deixar de lado alguns itens que prometiam facilitar a vida de muitos motoristas nas grandes cidades.

A nova versão deixa de oferecer a câmera de ré, o sistema de GPS e chave presencial e opcionais interessantes e funcionais como o sistema de iluminação para os pés do condutor e o retrovisor com o modo antiofuscante. Além disto, para quem gosta de um som ambiente vai ter que contentar com um sistema de quatro alto-falantes contra os seis da versão original.

No aspecto externo, a montadora também resolveu mudar e trocou os aros originais pelo tamanho de 16 polegadas em material convencional.

Apesar das modificações para torná-lo uma versão mais acessível, ele não perdeu alguns itens que o mantém no topo dos Sedãs mais equipados do mercado. Sendo assim, a nova versão mantém o seu sistema de ar condicionado digital, faróis e lanternas em sistema de LED, sensores de estacionamento e seus seis air-bags de fábrica.

Mesmo com as alterações, um dos itens que permanecem o mesmo em relação ao modelo original é o seu sistema mecânico.

O novo Jetta 2019 permanece com o motor 1.4 do tipo Turbo com 150 cavalos de força e câmbio automático de seis marchas, um dos diferenciais que chama a atenção para o modelo.

Com relação ao preço, o novo Jetta 2019 chega ao mercado brasileiro custando cerca de R$ 99.000,00, quase R$ 10.000,00 mais barato em relação ao modelo original.

Neste sentido, a fabricante alemã tenta minimizar o insucesso das vendas do seu modelo que no ano de 2018 vendeu apenas 4.000 unidades, segundo dados da FEBRABAN, ficam do bem atrás dos modelos mais tradicionais para a categoria média como o Corolla da Toyota, o Civic da Honda, o Cruze da Chevrolet, o Sentra da Nissan e o Focus Fastback da Ford.

Para se ter uma ideia, o Corolla foi o líder de vendas da categoria, chegando neste final de 2018 com mais de 50.000 unidades comercializadas em todo o Brasil e representando um total quase no mesmo valor de vendas em relação ao modelo da Volkswagen.

Por Emmanoel Gomes

Volkswagen Jetta 2019

Volkswagen Jetta 2019


A linha 2019 do modelo Hyundai Azera chegará ao mercado brasileiro no primeiro semestre de 2019.

O Hyundai Azera 2019 chega ao mercado brasileiro ainda no primeiro semestre de 2019. Ele será o segundo modelo da sexta geração do carro que foi lançado em 1986, ainda como Hyundai Grandeur.

Design e Visual

Desde a introdução da sexta geração em 2017 para os modelos 2018, o Azera está com um estilo mais sério, mas sem perder a elegância. Remetendo a uma aparência mais conservadora, o modelo sul-coreano ganhou uma nova grade na parte dianteira no estilo cascata, que o torna mais robusto visualmente.

As rodas de liga leve de 19 polegadas e faróis em LED, a parte externa ainda tem muitos detalhes. A parte externa tem destaques estilizados em vinco das laterais. Desde seu lançamento, há mais de 30 anos, as lanternas traseiras têm um padrão interligado entre si, tornando o sedan um carro com personalidade e guardando a tradição dessa estilização.

O sedan chegará ao Brasil em uma única versão, já vindo de fábrica com uma central multimídia de 8 polegadas (20,3 cm de diagonal), painel de instrumentos chamado de “SuperVision LED” de 4,2 polegadas (10,6 cm), tecnologia para carregamento sem fio de celulares (Wireless Charger), com abertura do porta-malas dotado de sensores de presença.

Além de tudo isso, o veículo é equipado com aquecimento nos bancos dianteiros e traseiros, controles eletrônicos de estabilidade e tração, cortina retrátil elétrica no vidro traseiro e cortinas retráteis manuais nos vidros laterais.

Como itens de segurança aliado à tecnologia, o veículo conta com seletor de modo de condução e sistemas de monitoramento de ponto cego. Ainda aliado à tecnologia temos o sistema de som “Infinity” e teto solar panorâmico.

Interior

Cheio de modernidade, o Hyundai Azera 2019, assim como o do ano anterior, tem uma interação da parte externa com o interior. O acabamento continua de altíssima qualidade, utilizando um mix de alumínio, madeira e couro.

O Azera tem itens de série de cair o queixo: teto solar panorâmico, retrovisores que têm a capacidade de eliminar pontos cegos, bancos em couro com memória e dotados de ajustes elétricos e volante com aquecimento.

Motores e Potência

Embaixo do capô encontramos no Azera o motor 3.0 V6 abastecido à gasolina com 250 cavalos de potência (186 quilowatts) acompanhados de uma transmissão automática de 6 velocidades.

Tecnologia e Segurança

O próprio nome da marca sul-coreana já revela sua paixão por tecnologia. A palavra “Hyudai” significa “moderno”. Portanto, como era de se esperar, a tecnologia se mantém como um dos pontos altos da Hyundai.

Em 2018 o Azera já tinha sido equipado com recursos que garantem ainda mais a segurança do Sedan coreano. O Azera vem equipado com o sistema Lane Assist, que auxilia o motorista para que ele mantenha o veículo nas faixas corretas, sendo capaz de corrigir pequenas alterações no volante.

O Sedan também conta com o piloto automático inteligente, alerta de atenção do motorista e Sistema Advanced Smart Cruise Control, que é responsável por manter o veículo sempre a uma distância segura do veículo da frente. Além de tudo isso ainda conta com câmeras e radares em torno do automóvel, que são capazes de detectar os pontos cegos.

A Hyundai

A Hyundai é uma empresa coreana fabricante de automóveis. Foi fundada em 1967 e opera a maior fábrica de automóveis do mundo, com capacidade de fabricação de 1,6 milhão de automóveis por ano. A empresa tem uma fábrica no Brasil há 6 anos, na cidade de Piracicaba, interior do estado de São Paulo. Essa fábrica tem a capacidade de produzir 150.000 veículos todos os anos.

Para mais informações sobre os carros que a Hyundai disponibiliza no Brasil clique aqui www.hyundai.com.br/servicos/hyundaisempre.html e selecione "showroom". Depois clique em "carros".

Por Bruno Rafael da Silva

Hyundai Azera 2019

Hyundai Azera 2019


Além do cupê padrão 488, há um Spider com capota retrátil e o novo para 2019, mais duro, já a versão Pista produz 710 CV e eleva seriamente o volume no V-8.

A visão global deste surpreendente modelo de automóvel é a seguinte:

Com um motor V8 semi-turbo de 3,9 litros, o 488 GTB gera um lamento sonoro e uma aceleração feroz até 8000 RPM, chegando a 661 HP. Um automático de sete velocidades de dupla embreagem é a única transmissão; estimamos um tempo de zero a 60 MPH de 3,0 segundos. A suspensão adaptativa da Ferrari é relativamente compatível sem sacrificar o manuseio. Além do cupê padrão 488, há um Spider com capota retrátil e o novo para 2019, mais duro, já a versão Pista produz 710 CV e eleva seriamente o volume no V-8.

As gerações do modelo Ferrari 488 GTB explicadas:

Os grandes designs novos ocorrem a cada cinco anos ou mais. Não há muita mudança no meio. Dividi-los em gerações proporciona distinções mais significativas no processo de compra.

A Spider FERRARI 488 consiste no último capítulo da história em termos de carros desportivos tipo OPEN-TOP V8, sendo que a saga iniciou com uma versão tipo TARGA-TOP DO 308 GTB.

Começando com o RHT (Top Rígido Retrátil) em torno do qual todo o carro foi desenvolvido, cada área do modelo 488 Spider foi projetada para estabelecer novos padrões tecnológicos para o setor.

Os valores dos consumos de combustível e das emissões de CO2 apresentados foram determinados de acordo com o Regulamento Europeu (CE) n.º 715/2007, na versão aplicável no momento da homologação.

Os valores de consumo de combustível e de emissões de CO2 referem-se ao ciclo NEDC e à configuração do veículo com o sistema HELE.

O novo procedimento WLTP é caracterizado por um perfil de condução mais dinâmico com aceleração mais significativa. A velocidade máxima aumenta de 120 para 131,3 km / h, a velocidade média é de 46,5 km / h, sendo o tempo total do ciclo é de 30 minutos, 10 minutos a mais que o NEDC anterior. A distância percorrida dobra de 11 a 23,25 quilômetros. O teste WLTP consiste em quatro partes, dependendo da velocidade máxima: Baixa (até 56,5 km / h), Média (até 76,6 km / h), Alta (até 97,4 km / h), Extra alta (até 131,3 km / h). Estas partes do ciclo simulam a condução urbana e suburbana e a condução em estradas e autoestradas extra urbanas. O procedimento também leva em consideração todos os conteúdos opcionais do veículo que afetam a aerodinâmica, a resistência ao rolamento e a massa do veículo, resultando em um valor de CO2 que reflete as características do veículo único.

Os valores estão todos atualizados e são os seguintes:

O preço atual, para o mês de Novembro de 2018: R$ 2.750.000,00;

O preço anterior, no mês passado: R$ 2.750.000,00;

O preço anterior, registrado há 3 meses: R$ 2.750.033,00;

O preço anterior, registrado há 6 meses: R$ 2.680.000,00;

O preço anterior; registrado há um ano: R$ 2.700.000,00;

O preço anterior; registrado há 2 anos: R$ 2.600.000,00.

Todos estes valores estão atualizados.

Estruturalmente, o automóvel da linha Ferrari 488 GTB consiste em um modelo esportivo produzido pela companhia Ferrari. Este tipo de veículo estreou, oficialmente, no dia 3 de fevereiro do ano de 2015, que ocorreu antes de sua grande estreia mundial no Salão Internacional do Automóvel em Genebra. A Ferrari 488 GTB consubstanciou-se em uma substituta da Ferrari 458, compartilhando com a mesma várias características de design e chassis.

Esta é uma das grandes novidades da companhia, a qual está emplacando o comércio há três anos.

Para mais informações a atualizações, todos os interessados poderão consultar o site: https://auto.ferrari.com/en_EN/sports-cars-models/car-range/488-spider.

Há muitos outros sies que estão noticiando as últimas informações sobre este modelo, alguns com maior precisão que outros.

Por Paulo Henrique dos Santos

Ferrari 488GTB 2019

Ferrari 488GTB 2019


O modelo i8 Roadster da BMW será comercializado no Brasil, sendo uma versão conversível do esportivo híbrido i8.

A montadora BMW já tinha confirmando ainda no dia 8 de outubro que o modelo i8 Roadster da marca iria dar o ar da graça no Salão Internacional do Automóvel na cidade de São Paulo, evento que aconteceu de 8 a 18 deste mês. Ele foi uma das sensações do salão, chamando muita atenção dos admiradores que transitaram por lá. O veículo é uma versão conversível do BMW esportivo híbrido i8. É a primeira vez que o carro é apresentado sem teto e com uma opção bem descolada, ao ser comparado com o cupê. O esportivo ecológico já é comercializado há um bom tempo no mercado brasileiro, tendo a sugestão no valor de R$ 799.950.

De acordo com a Diretora de Marketing e Produto da marca aqui no Brasil, Nina Dragone, a empresa está muito entusiasmada para realizar o lançamento do BMW i8 Roadster. Isto porque o modelo simboliza em somente um automóvel toda a esportividade que a montadora germânica possui, tendo um desenho multipremiado e visionário do grupo BMW, além de haver o pioneirismo de uma submarca, batizada de BMW i, nos quesitos de conectividade e também em eletrificação, os quais foram estabelecidos por meio de uma estratégia da empresa, que atualmente se encontra presente na gama atual gama de veículos eletrificados da companhia.

Da mesma forma que a versão cupê, o modelo i8 Roadster possui em sua estrutura um chassi confeccionado em alumínio. Esta arquitetura, que levou o nome de LifeDrive, foi projetada de forma especifica para veículos híbridos e elétricos.

O BMW i8 Roadster possui um sistema híbrido conhecido como plug-in, isto é, o veículo pode e precisa ser conectado em uma fonte de energia quando suas baterias internas se encontrarem descarregadas. O carro esportivo é alimentado por dois propulsores, sendo um motor movido a gasolina de 1.5 litros, dotado de somente três cilindros. O outro é um propulsor elétrico em seu eixo dianteiro. O conjunto possui a capacidade de gerar uma potência de 374 cavalos.

Para o propulsor a combustão conta com um conjunto de transmissão automático com seis marchas, enquanto para o motor elétrico é outro com duas velocidades, automático também. O ecológico i8 Roadster pode trabalhar apenas no modo elétrico, porém não irá funcionar por uma grande quantidade de tempo. Com este motor, o conversível conta com uma autonomia para trafegar somente entre 24 e 29 quilômetros, atuando com 120 quilômetros por hora de velocidade máxima.

O carro híbrido, em sua configuração conversível, tem a capacidade somente para duas pessoas. Além do BMW i8 contar com uma tecnologia híbrida, dispõe também de um desenho bem exótico, sendo um diferencial do veículo. A sua carroceria possui recortes em formatos bem arrojados e com contornos bem marcados em preto.

Na parte frontal do híbrido, seus faróis ainda lembram o familiar e famoso desenho da BMW, ainda que agora conte com um design mais arrojado e moderno, além de suas linhas retas.

A expectativa da marca alemã era a de que o conversível BMW i8 Roadster iniciasse suas vendas aqui no mercado brasileiro logo após a sua aparição no Salão do automóvel que ocorreu em São Paulo (SP). Portanto, espera-se que muito em breve o nosso mercado já possua mais uma opção de veículo híbrido ou elétrico, o qual vai estar juntamente com outros carros anunciados para um futuro muito próximo, como por exemplo, o Nissan elétrico Leaf. Como dito, aqui em terras tupiniquins a versão cupê é comercializada pelo preço de R$ 799.950, este que não deverá ser mais baixo quando se tratar deste novo conversível alemão.

Por Filipe Silva

BMW i8 Roadster 2019

BMW i8 Roadster 2019


Modelo conta com motor 1.6 e custa R$ 83 mil.

Nos últimos anos, os carros da Hyundai estão entre os preferidos dos brasileiros. Isso pode ser comprovado pelo fato de que os automóveis da marca asiática estão presentes na lista dos mais vendidos do país. E para 2019, a montadora prepara surpresas para o mercado nacional. E uma das primeiras novidades é o lançamento do Smart 1.6 automático, novo Hyundai Creta. O Smart é um dos automóveis que compõem a família Creta. Este automóvel apresenta uma ficha técnica bem interessante e capaz de atender a qualquer consumidor. Para conhecer os principais detalhes deste veículo, veja as informações que foram dispostas no texto abaixo.

A respeito da nova família Creta da Hyundai e o preço do Smart

É comum que as montadoras coloquem no mercado, novos automóveis que pertençam a uma linha de produção ou uma família. E com o Smart isso não é diferente. Juntamente a este automóvel, a Hyundai lançou mais quatro automóveis. Conheça agora toda a família Creta e o preço de cada um deles:

-Creta Prestige 2.0 AT. Valor: R$ 103.990,00.

-Creta Sport 2.0 AT. Valor: R$ 97.890,00.

-Creta Pulse Plus 1.6 AT. Valor: R$ R$ 91.890,00.

-Creta Smart 1.6 AT. Valor: R$ 83.490,00.

-Creta Attitude 1.6 MT. Valor: R$ 77.890,00.

Os automóveis foram apresentados na ordem dos que possuem mais cilindradas e consequentemente apresentam o maior preço.

Informações acerca da aparência e sensores do Smart da Hyundai de 2019

Pode-se definir o Smart como um carro imponente, devido ao seu tamanho. Na parte da frente do veículo, nota-se uma grade posicionada de forma mais centralizada e não tão espaçada como em outros carros da marca asiática. Além disso, as linhas e a diferença entre elas estão maior também. Aliás, as linhas não formam aquele desenho escama de peixe. Os faróis deste veículo foram alongados e ao final deste objeto observa-se que ele foi diminuído. Além disso, os faróis frontais foram integrados ao capô.

O parachoque do Smart segue a linha da grade frontal. Ele também é mais centralizado e menor. Nota-se também a diminuição no número de linhas no parachoque. Ao lado do parachoque há também um par de lanternas. Elas estão inseridas dentro do veículo. E isso é perceptível, uma vez que consegue enxergar um bom espaço entre a lanterna e o restante dos objetos frontais do veículo.

Este veículo é de quatro portas. E na lateral tem-se a presença de linhas que criam um relevo. Essa linha é estendida até próximo a lanterna traseira. Já na parte de trás, o bagageiro deste veículo é maior. Sobre as cores de fabricação, alguns rumores dão conta que ele foi produzido em cores como: vermelho, branco, verde, preto, bronze, cinza e prata. Todas as cores são metálicas. A escolha da cor pode interferir no preço final do veículo. Assim como a inclusão ou retirada de alguns itens.

Por dentro do veículo se tem um painel em couro, o já tradicional volante multiuso, os bancos ganharam mais posições para reclinar e todos possuem encosto para a cabeça. Além disso, no Smart os bancos contam com o cinto de segurança com três pontos. A chave do veículo é aquela em formato de canivete. Não se tem tela LCD neste carro, mas o rádio conta com sistema de Bluetooth e graças à conectividade pode ser ligado a aparelhos eletrônicos como smartphones. Todos os vidros são elétricos. As rodas são aro 16 e de liga leve. Por fim, este carro ainda conta com diferentes setores como aqueles que auxiliam no momento de estacionar o veículo.

Informações sobre o motor e a chegada do Smart no mercado nacional

Este carro tem 130 cavalos e como mencionado anteriormente, ele é 1.6 com câmbio automático. Não se tem informações sobre a quantidade de combustível gasto por quilômetro rodado ou os tipos de combustíveis usados neste veículo. Já sobre a chegada do Smart 1.6 automático, também não se tem informações precisas.

Para mais dados acesse: https://www.hyundai.com.br/.

Isabela Castro.


O novo BMW Z4 conta com alta tecnologia. O conversível possui um painel digital de instrumentos, um display bem largo usado como central multimídia, além de uma tela pequena, a qual irá controlar o ar condicionado.

Depois de uma interminável espera, várias fotos capturadas ao de correr dos testes do veículo e uma grande lista de rumores sobre a linha 2019 do novo BMW Z4, até que enfim o mesmo foi apresentado na Califórnia na pequena comunidade de Pebble Beach há alguns meses atrás. A versão exibida foi a top de linha, batizada como M40i que possui um propulsor de 6 cilindros, em sua edição especial conhecida como First Edition. Embora esse seja o nome, a configuração não será a primeira a ser comercializada. Ainda no segundo trimestre do próximo ano, o Z4 30i iniciará suas vendas, já o M40i deverá ser comercializado somente a partir do segundo semestre de 2019.

O BMW Z4 em sua versão M40i possui um motor turbo com 3 mil cilindradas e seis cilindros dispostos em linha, o que torna o conversível capaz de atingir de 0 a 100 km por hora em simples 4,5 segundos. Para o mercado europeu, este mesmo modelo conseguirá gerar uma potência de 339 cavalos, devido ao a um sistema novo que realizar testes sobre as emissões de poluentes, que agora conta com regras ainda mais duras. Já para outros mercados a variante pode ter ainda mais potência que a citada acima. A versão First Edition conta ainda com novos amortecedores adaptativos, diferencial traseiro com controle eletrônico e freios M Sport.

Certo tempo atrás algumas fotos do modelo vazaram na internet e para a felicidade dos amantes de carros, o novo Z4 de produção apresentar um design melhor do que as exibidas nessas imagens. A parte dianteira do modelo é bem complexa, onde o conversível acaba realizando uma mistura entre entradas ar e suas grades, buscando dar um aspecto ainda mais esportivo. Em toda a parte frontal é encontrada a sua icônica grade que possui o formato de rim, além de seus faróis possuírem um diferenciado desenho interno, se comparado com os outros modelos comercializados pela marca germânica. E o capô por sua vez faz uso de alguns vincos, criando assim duas partes mais baixas.

Em sua parte lateral, o novo BMW Z4 foi equipado com algumas saídas de ar, localizadas logo na parte posterior de suas rodas dianteiras, que possuem como foco a melhoria da ventilação nos discos de freio. De maneira contraria ao seu antecessor, o novo Z4 faz uso de uma capota em tecido. Suas rodas de 19 polegadas e de liga leve são pintadas na cor preta e possuem cinco hastes duplas. Na traseira, o pequeno balanço acabou incorporando um spoiler muito discreto localizado na tampa do porta-malas. Para completar o desenho da traseira o carro ainda conta com duas de saídas de escapamento trapezoidais.

Já em sua parte interna, o novo BMW Z4 conta com alta tecnologia. O conversível possui um painel digital de instrumentos, um display bem largo usado como central multimídia, além de uma tela pequena, a qual irá controlar o ar condicionado. O seu console central possui botões que permitem ao condutor alteram os tipos de condução, um controle giratório da multimídia e por fim a alavanca de câmbio para troca de marcha. Os ocupantes que adentrarem no BMW Z4 irão sentar em assentos esportivos que conta com um excelente acabamento de luxo. Para o entretenimento dos ocupantes o som é da marca Harman Kardon, o qual é especialmente desenvolvido para oferecer uma boa a qualidade de som, fazendo uso da capota ou não.

O lançamento será produzido em Graz, uma cidade da Áustria, e estará disponível para os clientes em nove cores de carroçaria ao todo e preta e cinzenta escura serão as opções para sua capota.

Por Filipe Silva

BMW Z4 2019

BMW Z4 2019


Modelo anda muito bem, mas custa caro.

Antes de citar motivos e a justificativa real do preço, é necessário entender qual a importância especificamente deste modelo aqui no Brasil, já que é muito conhecido por toda a população, até por ser um popular que circula por muito tempo aqui. Conhecido principalmente por seu modelo hatch estar atuando há muito tempo, o Ka, agora em seu modelo Sedan, está presente no Brasil há quase quatro anos. Este modelo tomou conta do cenário desde sua entrada, já que por ser um popular, teve uma boa quantidade de compra e aparição.

A discussão em relação ao seu preço é exatamente isso, um popular custar R$ 70.990, mas existe um equívoco nesta parte, por um olhar precipitado, não justificando seu preço, mas talvez seja necessário um novo olhar para o carro, e deixar essa caminho de carro "muito popular" para um carro com características um pouco mais avançadas, tendo como exemplo seu motor, desempenho na pista, tamanho, estrutura aerodinâmica e as outras características que compõem um carro, que é direcionado tanto para família quanto para outro público, e isso será explicado mais detalhadamente em outro tópico.

Mas enfim, quais são suas características para deixá-lo caro ?

O carro, já de início, ao ser imaginado por alguém que não entende muito da área de automóveis, vem talvez com um certo "desprezo" por não imaginar a quantidade de tecnologia que lhe foi empregada, por exemplo, sua parte interior conta com um grande design tecnológico, principalmente em seu painel, isso mostra seu kit multimídia, composto por um grande conector de veículo x condutor, e ainda mais coisas como ar-condicionado e possibilidade de conectividade com a central multimídia diretamente do volante, coisa que hoje em dia é um grande diferencial e isso não apenas nesse modelo.

Outra coisa, agora citando a parte exterior do veículo, são seus traçados, esses que têm características não apenas para design, mas que também contribuem para a parte aerodinâmica, pois pela lógica, um objeto que corte mais facilmente o ar tem mais facilidade de locomoção, tanto em cidade quanto na pista, pensando nisso, ao analisar imagens do modelo podemos ver o quanto foi investido nesta característica particular do modelo.

Ainda citando a parte aerodinâmica, podemos ter como base sua grade frontal, que a princípio pode parecer apenas mais um detalhe de fábrica para deixá-lo mais atraente, mas o maior deles é sua importância para a entrada de ar intraveicular, ou seja, para dentro, o que contribui para o resfriamento e melhor rendimento seja lá onde for.

Mais uma coisa que mostra a sua opção elevada de preço é seu modelo, não é um carro 1.0 qualquer, pois o modelo que custa os R$ 70.990 começa por ser 1.5 e outra coisa que diferencia o mesmo é seu método de transmissão de marcha, sendo automático, ou seja, mais um ponto que contribui para um preço talvez mais elevado.

O carro também atinge um público muito variado e pode ser sim comprado em sua versão mais simples, 1.0, que sai em torno de 40 mil reais. O público atingido pode ser tanto pais de família em busca de um carro mais simples, quanto para jovens que estão em busca de um primeiro carro que não seja tão ostentador, porém, que possua características de um bom carro, tanto em desempenho, como em tecnologia, e o Ka, sim, atende estas expectativas.

Conclusão

Portanto, este tópico não é justificando o valor, mas sim mostrando o provável motivo de ser um carro com um custo tão alto, e podemos ver talvez o seu distanciamento de ser um popular comum, mais especificamente na versão de motor 1.5.

Gustavo Martins


A nova linha do Ford Ka vem com maior sofisticação e tecnologia. Seu visual foi alterado e agora adota o câmbio automático, tornando o carro um destaque em sua categoria.

Antes mesmo de 2019 chegar, a Ford sai na frente e mais uma vez inova em sofisticação e tecnologia.

Estamos falando do novo Ford Ka 2019, que deverá chegar às concessionárias de todo o país até o final do ano de 2018 e que vem com grandes mudanças para agradar a um público cativo e sempre ansioso por novidades na sua nova versão.

Depois de assumir um novo design, cada vez mais sofisticado, a montadora vem inovando a cada geração e depois de lançar também a sua versão sedan, ela aposta nas inovações tecnológicas para tornar o Ford Ka cada vez mais competitivo também na sua modalidade compacta.

Uma das maiores mudanças é no próprio visual. Depois de incorporar o atual estilo, mais sofisticado e também adotado nos outros veículos da marca, a Ford vai incorporando novos detalhes externos que começam a chamar a atenção de seus usuários.

Para quem gosta de detalhes, o novo Ford Ka recebeu novos modelos de para-choques, lanternas e nos seus faróis, com frisos prateados e um novo desenho mais alongado. Além disso, novos desenhos de seus aros contribuem para um visual mais sofisticado.

Além das pequenas inovações externas, o Ford Ka 2019 traz grandes novidades em termos de segurança para os seus usuários e uma maior potência em seu motor, além de modificações em sua mecânica de transmissão.

Para começar, o novo modelo traz novas modificações em seu sistema de suspensão, com um sistema mais rígido. O efeito é uma maior estabilidade do veículo nas curvas, o que traz mais segurança aos seus ocupantes.

Ainda com relação à segurança, o novo Ka recebeu colunas reforçadas em sua carroceria, o que adiciona pontos favoráveis na hora da compra do novo veículo.

Os consumidores que gostam de escolher um veículo pensando na potência do motor, então não vai se decepcionar com a nova versão. Ela traz agora um sistema de motorização do tipo 1.5 e com três cilindros.

De acordo com a própria Ford, o novo modelo quando abastecido com gasolina é capaz de acelerar de 0 a 100 Km/h em apenas 10 segundos e com apenas um litro do combustível, o motorista pode rodar até 18,5 Km.

De acordo com os sites especializados, este tipo de sistema é capaz de proporcionar até 137 cvs de potência. Um detalhe: se o tanque do veículo estiver abastecido apenas com o etanol.

Mas uma das grandes novidades para esta categoria está no seu sistema de transmissão. A nova geração 2019 traz umcâmbio automático com cinco machas e a vantagem deste novo tipo de sistema seria uma maior leveza na hora do uso em relação ao anterior que pesaria cerca de 40 Kg a mais.

Além da nova caixa de marcha, este mesmo sistema já vem com uma marcha ré sincronizada e as três primeiras também adotam o mesmo sistema com funcionamento duplo, o que é responsável por um engate mais rápido e preciso, além de uma redução bastante significativa dos níveis de ruído.

Para o interior de veículo, a Ford resolveu adotar também o mesmo sistema multimídia do EcoSport, o SYNC3 com tela de 6,5 polegadas e com propriedade de sensibilidade ao toque.

Ele também incorporou várias entradas do tipo USB e também disponibiliza os sistemas Apple Car Play e Android, tudo para facilitar a vida de usuários tanto de aparelhos da Apple quanto Android.

Se você gostou das novidades para o novo Ford Ka, então vai gostar também do preço. Segundo a montadora, o novo veículo já está disponível nas concessionárias por cerca de R$ 48.000,00 na versão compacta, um preço mais baixo em relação à sua versão anterior e o modelo do tipo sedan chega ao mercado com o valor de R$ 71.000,00, considerando a versão ‘Top’ da categoria.

Por Emmanoel Freire Gomes

Ford Ka 2019

Ford Ka 2019

Ford Ka 2019


Novo Honda HR-V 2019 tem muitos detalhes surpreendentes.

O novo Honda HR-V 2019 é um carro muito bonito e com detalhes que não passam despercebidos. Seu design externo é bem esportivo e moderno ao mesmo tempo. Uma mistura que pode agradar ou não a maioria dos consumidores de carro. Além desses detalhes, ele possui espaço e conforto, o que funciona muito bem na prática. O seu valor de mercado está dentro do esperado e as análises de suas funções estão bem positivas entre os usuários brasileiros. Esse resultado é bem positivo para um carro que ainda não chegou ao Brasil. Então vamos falar um pouco mais sobre as características do Honda HR-V 2019.

Carro com itens de segurança bem significativos

Muitas pessoas que estão em busca de um novo carro procuram muitas informações sobre ele até chegar a decisão de compra. E uma dessas informações é sobre a segurança do carro. Ela é realmente importante para o dia a dia de qualquer condutor e seus respectivos ocupantes do carro. Nesse modelo especificamente falando vamos encontrar:

– Piloto automático

– Reconhecimento de placa de trânsito

– Assistente de permanência em faixa

– Detecção de pedestres

– Frenagem pós-colisão

Com essas funções o motorista se sente mais confiante ao pilotar o carro e consequentemente as viagens irão ocorrer sem grandes problemas.

Tecnologia avançada na parte interna do carro

Outra informação que vem agradando a muitas pessoas que estão pesquisando sobre o novo modelo da Honda. É a tecnologia que existe no carro. Lá dentro o usuário vai encontrar: Tela TFT de 4,2 polegadas, painel de instrumentos com duas telas iniciais, central multimídia Display Áudio com botão físico para volume e compatível com smartphones Apple e Android.

Informações sobre o motor desse carro

O motor do Honda HR-V 2019 é o 1.8 i-VTE que pode ser abastecido com gasolina. Sua potência máxima é de 143 cv e seu torque máximo é de 17,5 kgfm. O câmbio é automático CVT que ajuda a diminuir as vibrações de transmissões e ruídos. A indícios que as versões do Brasil vão ter tração integral.

Valor desse carro no Brasil

O valor em real do novo lançamento da Honda não foi anunciado, mas se avaliarmos pelo Dólar, vamos chegar ao preço inicial de R$ 74.000,00. Esse valor pode variar para mais ou menos, depende da cotação da moeda. Mas já tem como ter uma base de quanto pode custar esse modelo no Brasil.

Veja detalhes da parte externa desse modelo

Alguns detalhes desse carro são bem chamativos e se tornam pontos atrativos para possíveis vendas. Entre eles estão: Faróis com formatos novos, Faróis de neblina em LED, para-choque dianteiro com formato novo, detalhes externos no tom preto brilhante e rodas de 17 polegadas em tom escuro. Esses detalhes mostram que a marcar vai trazer um modelo para concorrer com seus maiores concorrentes não só na parte funcional do carro, mas também com seu designe.

Carro espaçoso

Tudo indica que a versão que vai ser vendida no Brasil será muito espaçosa. Pois em diferentes pesquisas de mercado, fica explícito que a maioria dos consumidores de carro precisam de espaço interno. Isso traz conforto e bem-estar para todos os usuários. E como a Honda é uma marca que pensa muito em seus consumidores, ela não vai errar nesse detalhe. O ideal é aguardar o lançamento do carro aqui no País.

A versão brasileira será a mesma da que foi lançada no EUA?

Infelizmente não tem como afirmar ou negar essa informação. Mas a indícios que se houver alguma mudança de estilo, será mínima. E como a versão americana agradou em cheio, isso já é um grande motivo para os usuários brasileiros comemorarem.

Vamos torcer para o Honda HR-V 2019 ser lançado logo aqui no Brasil!

Escrito por Cristiane Amaral


Novo modelo do Hyundai Creta traz diversas novidades em suas versões.

Sediada em Seoul, na Coreia do Sul, a Hyundai é uma das empresas mais modernas e influentes no ramo automobilístico, sempre trazendo veículos que aliam inteligência e design, gerando produtos que apresentam muita eficiência e performance. Sem deixar o lado estético de lado, também apresentam veículos com visual bem atraente. Para quem já gosta e busca acompanhar seus lançamentos, o ano de 2018 traz as novas versões de um de seus modelos mais versáteis e robustos, o Hyundai Creta 2019. Confira!

A nova linha do Hyundai Creta 2019 chega com ótimas novidades para os amantes das quatro rodas, a começar pelas versões Sport, Pulse Plus e Prestige, equipadas com central multimídia com TV digital e detalhe moldurado na tampa do porta-malas. O Hyundai Creta tem um visual moderno, que se sai muito bem, tanto para gostos mais discretos, como também para consumidores mais adeptos da estética de carros esportivos. Apresenta bom desempenho em diferentes ambientes, seja no asfalto das estradas e ruas, ou em caminhos de terra.

O Hyundai Creta Sport, lançado no mês de novembro do ano passado, tem um novo design, com emblema do nome de sua versão nas portas dianteiras, também equipado com suspensões de acerto mais consistente. Esta configuração, que é vendida com itens como câmbio automático (seis marchas), motor 2.0 de 166 cv e 20,5 mkgf, ainda apresenta interior todo preto, moldura inferior no para-choque, também com grade frontal, além do desenho de faixas pretas brilhantes, spoiler traseiro e rodas diamantadas de liga leve com 17 polegadas específicas. Entretanto, a versão Pulse 1.6 do Creta, com transmissão (câmbio) manual e automática não estará mais disponível, o que dá mais espaço para que se aproveite a versão Pulse Plus 1.6, que apresenta, além dos itens da opção anterior, sensor de luminosidade, câmera traseira (que auxilia nas balizas), ar-condicionado de controle automático, central multimídia blueNAV junto a espelhamento, com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto. Atualmente, se trata da versão do Hyundai Creta mais vendida no mercado.

O Hyundai Creta em sua versão Attitude 1.6 automático, custa em média R$ 69.990, apresentando exclusividade para PcD, trazendo rodas de aço com calotas, diferente das rodas aro 16 de liga leve. Sua configuração engloba controle de estabilidade, controle de tração, Isofix, direção elétrica, ar-condicionado e também um assistente de partida quando o carro estiver em rampas. Porém, faltam tanto monitoramento de pressão dos pneus, volante com funções múltiplas, sistema de som e tampão para o porta-malas. A versão top de linha Prestige se encontra ao preço de aproximadamente R$ 103.990.

Quando se trata de cores, o Hyundai Creta foi disponibilizado nas seguintes oito cores:

  • Preto Onix;
  • Branco polar;

Cores metálicas:

  • Prata areia;
  • Bronze terra;
  • Prata metal;
  • Cinza titânio;

E também cores perolizadas, como:

  • Vermelho chilli;
  • Verde Floresta.

Dentre outras características, o Creta 2019 também apresenta:

  • Sistema Start Stop & Go;
  • Amplo espaço em seu interior;
  • Chave presencial Smart Key;
  • Faróis em LED;
  • Tempo 0-100 (s) – 9.7;
  • Proteção de carroceria;
  • Controle eletrônico de estabilidade e tração;
  • Velocidade Máxima: 188 Km/h.

Dimensões

  • Comprimento: 4270 mm;
  • Largura: 1780 mm;
  • Altura: 1635 mm;
  • Entre-eixos: 2590 mm;
  • Peso: 1296 kg.

Capacidades

  • 5 ocupantes;
  • Tanque: 55 litros;
  • Porta-malas: 431 litros.

Em contrapartida, o custo das versões 2019 do Hyundai Creta aumentou seu preço, ficando em valor aproximado de 1.900 reais a mais que suas versões anteriores. Confira a seguir a sequência de preços previstos para o lançamento dos modelos 2019, em comparação ao Creta 2018, e os respectivos aumentos em seus valores:

  • Hyundai Creta Pulse Plus 1.6 6AT: 2018 (R$ 89.990 ) / 2019 (R$ 91.890 ) / Aumento de R$ 1.900
  • Hyundai Creta Attitude 1.6 6MT: 2018 (R$ 76.350) / 2019 (R$ 77.890) / Aumento de R$ 1.540
  • Hyundai Creta Prestige 2.0 6AT: 2018 (R$ 102.580) / 2019 (R$ 103.990) / Aumento de R$ 1.410
  • Hyundai Creta Sport 2.0 6AT: 2018 (R$ 96.350) / 2019 (R$ 97.890) / Aumento de R$ 360

Por Douglas Ribeiro

Hyundai Creta 2019

Hyundai Creta 2019


O Ford Endeavour 2019 é um carro que ainda está sendo apresentado de forma mais aprofundada no mercado internacional e surgem alguns rumores sobre suas características.

Com mais de um século de história, a Ford é uma das mais antigas e uma das principais montadoras de carro de todo o mundo. No próximo ano, a companhia norte-americana completa 100 anos de atividades em território nacional. Desde então, o Brasil se tornou um dos principais mercados da empresa, que sempre tenta trazer suas principais novidades para o país. Visto que o consumidor brasileiro é um dos mais apaixonados no mundo automotivo e sempre está em busca dos principais lançamentos do setor automobilístico. E uma das principais apostas da companhia americana é o Ford Endeavour 2019. Ainda sem tantas informações divulgadas, o veículo pode ser vendido no Brasil no próximo ano. Veja agora as principais características deste modelo.

Informação inicial e muito importante sobre o Ford Endeavour 2019

O Ford Endeavour 2019 também pode ser chamado e encontrando em alguns casos como Ford Everest. Dessa forma, em algumas fotos se tem o nome Everest. Mas, trata-se do mesmo veículo.

O valor deste SUV em território nacional

O Ford Endeavour 2019 é um carro que ainda está sendo apresentado de forma mais aprofundada no mercado internacional. E todas as suas informações ainda não são de total conhecimento, pois a empresa também está trabalhando nos lançamentos de outros modelos como o EcoSport 2019, o Ford Edge 2019 e outros. Mas, tratando-se de um SUV e sabendo de toda a tecnologia que esse carro deve trazer aos consumidores, a expectativa é que ele chegue ao Brasil com um valor a partir de R$ 100.000,00.

Como é de conhecimento da grande maioria das pessoas, o valor final de um veículo depende de consumidor para consumidor. Uma vez, que cada pessoa inclui ou retira acessórios. Escolhe determinada pintura, determina uma forma de pagamento. Enfim, são diferentes variáveis que influenciam muito no custo total do veículo.

As primeiras informações a respeito do motor do Ford Endeavour 2019

O que se tem ainda são muitas especulações e expectativas a respeito do Ford Endeavour 2019. Sobre o motor, a previsão é que ele conte de 180 a 215 cavalos, com marchas e câmbio automático. Além disso, devido aos últimos lançamentos da Ford neste segmento de SUV, acredita-se também que ele chegue a 100 km por hora em menos de 10 segundos. Tratando-se de um SUV, ele deve também contar com tração nas quatro rodas. Não se tem informações a respeito de qual tipo de combustível ele aceita, se será apenas gasolina ou se também vai permitir outro tipo.

A aparência externa e interna do Endeavour

Algumas imagens do Ford Endeavour 2019 estão circulando pela internet em sites que tratam sobre o mundo de carros. Através dessas imagens conseguimos reparar as características externas e internas do Endeavour. Por exemplo, a grade frontal deste veículo foi desenhada em uma figura geométrica hexagonal. E uma diferença é que as linhas que compõem a grade frontal estão mais grossas e também mais separadas uma das outras.

O Endeavour conta com dois pares de faróis na frente. O primeiro par está diretamente ligado à grade frontal, se tem a impressão que a mesma borda da grade é a linha que se começa o farol. Além disso, o farol em sua extensão usa um desenho mais tradicional. Acredita-se que ambos os faróis contam com luz em LED.

A respeito do para-choque um ponto que chama atenção é que em uma das imagens que se tem na internet, é que ele foi pintado de um tom abaixo do restante do carro. A mesma cor, só que uma tonalidade mais clara. Ainda não se tem mais informações se esse fato foi adotado em todos os veículos.

Já sobre a parte interna do Ford Endeavour 2019, seguindo alguns padrões de SUV da Ford. Ele deve ter um computador de bordo com mais tecnologia, os bancos serem forrados de couro e diferentes níveis para ajustar. Uma tela LCD também deve estar no carro, para que dispositivos eletrônicos possam ser ligados. E, claro, o famoso volante funcional. A porta do motorista também deve contar com recursos para acionar algumas funções. E este carro também deve ter itens de segurança como um bom sistema de airbags e freios. Além de outras funções que devem ainda ser divulgadas.

Para mais informações acesse: https://www.ford.com.br.

Por Isabela Castro

Ford Endeavour 2019

Ford Endeavour 2019


Hyundai lançou a versão da Copa do Mundo 2018 para os modelos HB20 hatch e sedan em uma produção limitada a 4,2 mil exemplares.

Fazendo uma alusão à Copa do Mundo da Fifa que está sendo realizada no país da Rússia em 2018, o Hyundai HB20 e também o Hyundai HB20S ganharam uma nova edição muito especial para o mercado brasileiro.

As versões hatch e sedan estão sendo vendidas nessa nova variante de “Copa do Mundo Fifa 2018” desde o dia 15 de abril, tendo como certa base a configuração do Comfort Plus e com motor 1.0 e 1.6 com direito a nova decoração diferenciada no seu visual e no seu interior. A sua produção será limitada a uma média de 4,2 mil exemplares.

“Neste ano que mais uma Copa do Mundo está sendo realizada, a montadora da Hyundai, como uma das patrocinadoras oficiais da FIFA, une as duas maiores paixões dos brasileiros: carro e futebol. Sendo assim como fizemos no ano de 2014, trazendo para a família HB20 uma nova versão totalmente cheia de estilo e com um toque a mais muito oportuno com TV Digital integrada à sua central de multimídia. Naquela ocasião, a série foi especial e esgotou-se muito rapidamente, antes do início da Copa já havia acabado, e marcou uma nova era dessa sequência de sucesso em Séries Especiais do modelo HB20, que contêm um elevado valor agregado e também um preço final muito competitivo”, declara Angel Martinez, um dos diretores-executivos de Vendas e Marketing em Pós-venda da montadora Hyundai Motor no Brasil.

No seu novo visual, há uma espécie grade dianteira e uma borda na cor Cinza tipo Titanium, faróis possuindo uma máscara negra, as lanternas de Clear Type exclusivas do modelo topo de linha o Premium, seus retrovisores também na cor Cinza Titanium e repetidores de seta, suas maçanetas são cromadas, os logotipos da competição em seus para-lamas da frente e suas rodas de liga leve possuindo 15 polegadas em tonalidade grafite as mesmas do primeiro HB20 Premium.

Já o seu interior oferece os bancos em couro e um tecido na cor preta possuindo uma costura dupla na cor branca, grafismos em baixo relevo, emblema da Copa bordado em seus apoios de cabeça dos bancos da frente e seus tapetes são de carpete estampados o nome da nova versão.

A sua lista de equipamentos desses novos modelos Hyundai HB20 HB20S na versão Copa do Mundo 2018 inclui também airbags duplos; seus freios ABS possuindo EBD; vidros com um one touch e seu antiesmagamento, suas travas e seus retrovisores são elétricos; direção hidráulica; ar-condicionado; alarme perimétrico; retrovisores com uma luz indicadora na direção; chave canivete e sensores de estacionamento na parte traseira acoplado.

Também possui faróis com um acendimento automático; o banco do motorista possui ajuste de altura; um banco traseiro totalmente rebatível; apoios para o pé esquerdo no acento do motorista; um sistema multimídia com uma tela sensível ao seu toque com sete polegadas, ainda possui TV digital com Android Auto e os Apple CarPlay e OnCar, além de Bluetooth e uma tela de boas-vindas totalmente personalizada; um volante multifuncional e ainda ajuste à sua altura e profundidade; suas lanternas são Clear Type, entre outras vantagens.

O seu motor é um 1.0 e possui até 80 cavalos, com um câmbio manual possuindo cinco marchas, ou na versão 1.6 sendo flex e até 128 cv, com uma transmissão automática acoplada de seis velocidades.

Os dois modelos comemorativos da montadora serão oferecidos nas três opções de cores: sendo uma sólida no Branco Polar e duas versões metálicas a Prata Sand e a Prata Metal. Os preços até o certo momento ainda não foram divulgados.

Com certeza será uma ótima opção de compra. Corra a uma concessionária Hyundai para saber mais informações sobre esse novo modelo.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Hyundai HB20 Copa do Mundo Fifa 2018

Hyundai HB20 Copa do Mundo Fifa 2018


Modelo 2019 da Chevrolet Spin será lançada no Brasil em julho de 2018.

A nova Chevrolet Spin acaba de ser revelada através de um flagra realizado por um site argentino. O modelo foi fotografado na gravação de um comercial para aquele país, na sua versão aventureira, a Activ. As imagens acabam mostrando seu novo design, possuindo a mesma frente do Cobalt e uma traseira totalmente nova com lanternas horizontais. Outra grande modificação na Spin Activ é que ela não possui o estepe pendurado na sua traseira. A estreia está prevista para julho.

O novo design do modelo é basicamente uma versão melhorada do Cobalt, com as lanternas longas, a entrada de ar menor e o para-choque dianteiro totalmente inovador.

Sua traseira ganha novo modelo de farol, invadindo o porta-malas e um novo modelo muito mais charmoso.

Sua versão terá um número 7 em seu emblema, especula-se que seja uma indicação de que possuirá sete lugares. Ele também possuirá um novo sistema de rack no seu teto e um pequeno spoiler na tampa do porta malas. Seu interior ainda não foi divulgado, e não há dados sobre seu motor.

Mas com certeza essa nova versão de SUV, será um carro muito espaçoso e aconchegante ideal para passeios familiares. A cada dia que passa as montadoras tem investido mais pesado em carros que possam oferecer mais conforto e tecnologia para seus clientes.

Por isso, a Chevrolet não quer ficar para trás e vem com esse novo modelo da Spin, para ganhar o coração dos amantes por carros em todo o mundo. O lançamento no Brasil já está sendo muito aguardado e muitos curiosos estão ansiosos para conferir esse novo modelo.

Se você está pensando em trocar de carro esses meses vale muito a pena esperar esse modelo chegar ao Brasil, pois será uma ótima opção de compra. Não deixe de procurar uma concessionária mais próxima de você para conferir mais novidades sobre esse lindo modelo que está prestes a sair.

Para quem se interessou fique atento nas novas novidades, provavelmente novos detalhes serão divulgados muito em breve.

Esse modelo chegará para competir com as maravilhosas SUVs que temos já no mercado nacional, espera-se que ele chegue para brigar de igual para igual com os modelos espetaculares que já temos no mercado atual.

Ou seja, ele terá que vir com muitas novidades, para ganhar a concorrência. Vamos aguardar para ver suas especificações sobre sua potencia, sua tecnologia de bordo, e sobre o sistema de câmbio que será adotado.

O que sabemos é que ele é montado em cima do Cobalt, então podemos basear que sua linha será do patamar para cima em relação ao modelo. Então podemos esperar que muita coisa boa virá por conta da Chevrolet.

Não deixe de pesquisar sobre o novo Spin e não compre outro modelo até fazer um test-drive em um desse modelo antes.

O que sabemos também é sobre seu estofado, que terá bancos corrediços e muito mais refinados, trazendo um charme especial e um toque de carro luxuoso ao modelo.

Portanto, se você gosta de carro luxuoso, espaçoso e ao mesmo tempo confortável essa é uma grande opção para comprar.

O lançamento no Brasil está previsto para o mês de julho e as vendas começarão logo a seguir. Creio que até a segunda quinzena do mês que vem vocês já poderão fazer o test-drive nesse novo modelo.

Por isso não faça nenhum negócio antecipadamente, aguarde até essa data para escolher, não deixe de testar um Chevrolet Spin antes de comprar seu novo veículo para não se arrepender depois.

As opções de carros hoje em dia são muito grandes, por isso experimentar o máximo de opções antes de decidir qual comprar é muito importante para evitar frustrações futuras.

Por Ricardo Ferreira Rodrigues

Chevrolet Spin 2019

Chevrolet Spin 2019


A quarta geração do Sportage traz muita modernidade e luxo.

Como já percebido atualmente nos modelos mais novos produzidos, os carros vêm cada vez mais com uma aparência mais agressiva, moderna e futurística com característica da época em que vivemos, pensando nisso, nenhuma marca gosta de ficar para trás neste sentido, no caso da Kia, todo esse estilo novo e moderno foi adotado, não só no Sportage que é o lançamento em que estamos citando, mas sim em todos os lançamentos da empresa, isso nem sempre ligado apenas à estética, mas também com grande ajuda na parte aerodinâmica do carro que talvez para muitos seja a parte mais importante em seu desenvolvimento.

O novo Kia apesar de adotar esse estilo moderno, ainda traz consigo um modelo mais redondo deixando a marca da Kia registrada como em seus outros veículos, pois é o tipo particular de estética da empresa. O preço do carro não é acessível como o de um carro popular, porém para a categoria é considerado barato. O carro chega ao Brasil com preços diferentes levando em conta as suas versões, alguns mais completos outros menos e isso diferencia o preço, por exemplo, podendo variar de R$112.990,00 até o valor de R$139.990,00.

Novidades e características

O modelo de motor adotado para este carro é o 2.0, isso por que um SUV grande precisa de uma força maior, peso grande exige essa característica, além disso evitando problemas aos condutores, que sentem mais leveza no carro, que mais especificamente é 2.0 Nu.

Na versão anterior da quarta geração do Sportage que está sendo citado agora, o carro era um pouco menor, mas nada de muito significativo que interfira no seu desempenho.
Algo que também chama muito a atenção é o tipo de uso que se pode fazer do motor no carro, começando pela sua transmissão de marcha, que é automática e possui 6 velocidades, e a coisa mais curiosa e surpreendente para um SUV foi a adoção dos sistemas de condução, podendo ser EcoDrive, Sport e Normal, isso vai variar da necessidade de uso do condutor. O motivo dessa característica ser tão interessante é que nem sempre são adotados estas tecnologias a SUV's, pois são mais para esportivos, então um ponto positivo para a compra do carro.

O que chama a atenção no visual do Sportage é sua frente robusta, forte, com um grande volume, o que lhe diferencia da maioria dos outros produzidos atualmente, mas não só isso, a parte traseira do veículo também é rica em detalhes e linhas bem expressivas, como, por exemplo, a localizada acima da placa, sendo cromada chama muito a atenção de quem vê. Os faróis dianteiros trazem um design interessante e que entram em harmonia com os outros traços, com o estilo bumerangue fica ainda mais moderno, com LED's tanto na frente quanto atrás. Suas partes que também possuem detalhes são as prateadas adotadas inteligentemente, por exemplo, em suas maçanetas, retrovisores e em algumas outras partes.

Na versão EX o interior do veículo é bem valorizado, sendo todo revestido em couro a ideia da ostentação fica viva e traz um grande glamour para o carro, provando que é um SUV moderno, com opções de pilotagem ótimas e muito bom para a compra.

Preços e versões

  • Disponível na versão um pouco mais simples que não tem, por exemplo, o banco de couro o Kia Sportage LX 2018 quarta geração sai pelo valor de R$ 112.990;
  • Já na versão mais completa e consequentemente mais cara podemos encontrar o Kia Sportage EX 2018 custando R$ 138.990.

Ficha técnica

  • Motor – 2.0 Nu;
  • Transmissão – Automática de 6 marchas;
  • Cilindros – 4 em linha;
  • Válvulas – 16V;
  • Injeção – Eletrônica multiponto;
  • Taxa de compressão – 12:1.

Por Gustavo Martins

Kia Sportage 2019


Especulações afirmam que a nova Duster 2019 estará carregada de melhorias em seus equipamentos tendo em foco o conforto do seu interior, além da renovação do seu acabamento interno.

A Renault já anunciou sobre as novidades e mudanças na nova Duster 2019. Se você é fã de carros acompanhe esse artigo até o final e fique por dentro de tudo sobre a previsão de lançamento no Brasil e as expectativas para o novo lançamento da marca.

Conheça mais sobre o Renault Duster 2019

O Renault Duster é um SUV muito bem aceito no mercado brasileiro, já que o seu custo-benefício foi pensado para atingir os mercados emergentes, sendo assim o curso de sua produção é bem mais baixo do que o dos seus concorrentes bem como a quantidade de peças.

Esses detalhes fizeram com que a Renault conseguisse colocar o SUV como um dos mais comprados no mercado brasileiro, oferecendo o menor preço da categoria unido a um design atraente que conquista seus compradores.

Saiba quais são as expectativas para a Nova Duster 2019

A Renault continua apostando na linha Duster para subir ainda mais no mercado, já que graças a ela conseguiu alcançar no Brasil a marca de 36% de participação nas vendas da categoria SUV’s do país. Esse fato, com toda a certeza, é um grande marco já que a categoria é uma das mais concorridas no mercado.

A última vez que a Renault Duster sofreu mudanças foi no ano de 2016, período relativamente curto para o novo lançamento que vai ser em 2019. Porém, em 2016 ocorreram apenas pequenas mudanças na estética do carro, por isso a expectativa para que o carro seja totalmente renovado no ano de 2019 é grande.

Especulações afirmam que a nova Duster 2019 estará carregada de melhorias em seus equipamentos tendo em foco o conforto do seu interior, além da renovação do seu acabamento interno. A marca promete trazer uma experiência nova para quem adquirir a nova Duster 2019.

De acordo com algumas imagens publicadas pela marca, haverá algumas mudanças externas também, como os faróis de LED e uma lanterna traseira parecida com a do Jeep Renegade, tendo um desenho em forma de X e, além disso, também será equipado com uma nova grade dianteira, tendo uma aparência mais moderna mantendo o seu padrão europeu.

Já na parte interna do carro o foco foi no conforto. Será reajustado o acabamento, ganhando um requinte, tendo como principal aposta o seu volante interativo, já existente na versão anterior, porém agora mais moderno e possuindo ainda mais funções, as outras novidades internas é que o volante trabalhara em conjunto com o painel de instrumentos e o ar-condicionado será digital.

Tratando da parte mecânica do SUV ele deverá continuar com o motor 2.0 litros e contará com a novidade do câmbio CVT para melhorar o desempenho e a eficácia do motor. A marca pretende com essa novidade atrair ainda mais a atenção dos seus compradores e dar uma experiência totalmente nova para quem dirigir a nova Duster 2019.

Com todas essas informações podemos concluir que a nova Duster 2019 irá chegar ao mercado preparada para uma nova geração que opta por carros modernos atualizados. Além de estar com visual totalmente renovado, terá equipamentos novos que visam a segurança e o conforto do motorista. O principal objetivo da marca é fidelizar e atrair compradores novos.

Previsão de lançamento da nova Duster 2019

A data para da nova Duster 2019 ser lançada ainda não foi revelada pela marca, porém segundo alguns estudiosos automobilísticos as novidades devem ser apresentadas até 2019.

Possivelmente, a nova Duster 2019 contará com 10 versões, assim como a Duster 2016.

O preço ainda não foi divulgado, porém ele poderá seguir a mesma linha do modelo anterior onde o mais barato custa cerca de R$ 67.990,00 e o Duster (top de linha) chega a custar R$ 87.220,00.

Então se você é um adepto e amante da linha SUV, fique atento às novidades. Pois as expectativas para esse carro são as maiores e as melhores possíveis, já que a marca pretende subir no ranking de vendas da categoria com esse novo modelo.

Por Isabela Pierini dos Santos

Renault Duster 2019

Renault Duster 2019


Novo modelo conta com novidades em suas versões Hatch, Sedan e Aventureira.

A Hyundai lançou a versão 2019 do seu sucesso de vendas com mais equipamentos, o HB20 2019, uma nova versão de entrada e retoques tanto no visual externo e como interno.

Composta pela família Hatch, Sedan e uma Versão Aventureira, a montadora sul-coreana adotou uma nova versão de entrada denominada Unique em substituição da antiga Comfort presente nos modelos Hatch.

Fora isso, a parte frontal dos modelos conta com uma nova grade, do tipo Mesh Type, englobando um novo desenho e com o seu contorno cromado, as lanternas traseiras estão com um visual mais sofisticado através do escurecimento de sua superfície e as versões mais sofisticadas e especiais adotaram novas rodas de liga-leve de 15 e 16 polegadas dependendo da modelo.

No interior, a principal novidade é adoção da TV Digital conjugada com a já consagrada central multimídia, que a Hyundai denomina blueMedia, o painel interno também adotou elementos novos, uma nova iluminação e uma bela tela LCD em seu conjunto, o consumidor que escolher qualquer versão com a central multimídia também terá a disposição um volante com múltiplas funções e requintes como comandos para reconhecimento de voz.

Versões e preços da gama HB20 para 2019

Os preços variam, começam a partir dos R$ 43.990,00 podendo chegar até os R$ 72.990,00, para facilitar e principalmente comparar todos os modelos da família HB20, listamos abaixo as novas versões disponibilizadas pela Hyundai e seus respectivos preços iniciais:

Hatch HB20

  • Modelo Unique, com motor 1.0 MT5, versão 2019, preços a partir de R$ 43.990,00
  • Modelo Unique, com motor 1.0 MT5, versão 2019, com Central Multimídia, preços a partir de R$ 45.790,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 MT5, versão 2019, preços a partir de R$ 47.590,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 MT5, versão 2019, com Central Multimídia, preços a partir de R$ 49.390,00
  • Modelo Especial Copa do Mundo Fifa, com motor 1.0 MT5, versão 2019, preços a partir de R$ 49.990,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 com Turbo MT6, versão 2019, preços a partir de R$ 51.790,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 com Turbo MT6, versão 2019, com Central Multimídia, preços a partir de R$ 53.590,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.6 MT6, versão 2019, preços a partir de R$ 54.550,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 58.950,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.6 AT6, versão 2019, com Central Multimídia, preços a partir de R$ 60.850,00
  • Modelo Especial Copa do Mundo Fifa, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 61.990,00
  • Modelo R spec, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 63.690,00
  • Modelo Premium, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 66.790,00
  • Modelo Premium, com motor 1.6 AT6, versão 2019, já com Bancos de Couro preços a partir de R$ 68.390,00

Sedan HB20S

  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 MT5, versão 2019, preços a partir de R$ 51.590,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.0 MT5, versão 2019, com Central Multimídia, preços a partir de R$ 53.390,00
  • Modelo Turbo, com motor 1.0 MT6, versão 2019, preços a partir de R$ 57.590,00
  • Modelo Comfort Plus, com motor 1.6 MT6, versão 2019, preços a partir de R$ 60.150,00
  • Modelo Style, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 66.090,00
  • Modelo Premium, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 70.690,00
  • Modelo Premium, com motor 1.6 AT6, versão 2019, incluindo Bancos de Couro preços a partir de R$ 72.290,00

Hatch HB20X (Aventureira)

  • Modelo Style, com motor 1.6 MT6, versão 2019, preços a partir de R$ 63.100,00
  • Modelo Style, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 67.600,00
  • Modelo Premium, com motor 1.6 AT6, versão 2019, preços a partir de R$ 71.700,00

Todas as informações das novas versões 2019 do HB20, assim com fotos e configurações podem ser conferidas diretamente na página especial do site da Hyundai: https://www.hyundai.com.br/blog/hyundai-renova-visual-do-hb20-2019-e-amplia-oferta-de-tv-digital.html?utm_uptracs=null.

Convidamos a todos a visitar não só este link como também uma concessionária mais próxima de sua região para conferir de perto todas estas novidades.

Por C. B.

Hyundai HB20 2019

Hyundai HB20S 2019


Sem perder o luxo e a sofisticação da marca Honda na sua linha do Civic, o novo modelo Si aproveita a mesma carroceria dos seus primos Sedans e traz uma carroceria com duas portas.

De nada adiantou a Honda manter em segredo o lançamento da nova versão 2019 do Honda Civic. O fato é que os internautas foram presenteados com as imagens do novo modelo que inundaram os sites relacionados com o mundo automobilístico pelo mundo afora, inclusive o Brasil.

Antes de falar sobre as características da nova versão, é bom salientar que este modelo vem com muitas novidades que devem encantar os fãs da marca.

Se quem já conhece o Honda Civic por que é dono de um, está pensando em comprar um novo modelo ou quer trocar o seu, então é bom ir preparando o bolso. Além das imagens vazadas da versão 2019, os especialistas conseguiram adiantar para o consumidor brasileiro quanto vai custar o novo carro: não deve sair por menos de R$ 160.000,00.

Para quem não sabe, o novo modelo já está nas concessionárias brasileiras desde o mês de março deste ano e vem atender a uma demanda exclusiva de um público-alvo que deseja a esportividade com uma alta performance característica dos carros da Honda.

Sem perder o luxo e a sofisticação da marca Honda na sua linha do Civic, o novo modelo Si aproveita a mesma carroceria dos seus primos Sedans e traz uma carroceria com duas portas.

Se quem não viu ainda, um Civic de duas portas pode ainda assustar muita gente neste ano. Não deveria, pois segundo as informações divulgadas pela própria Honda, o modelo esportivo já deveria estar rodando nas estradas e avenidas brasileiras desde 2017.

As primeiras imagens do novo modelo chamam muito a atenção dos consumidores, principalmente, pelo fato de que esta nova versão assumiu um caráter esportivo bem peculiar, o que o coloca em pé de igualdade com outros modelos esportivos da concorrência. No caso aqui o Golf GTI que está no mercado com um preço de R$ 135.000,00.

Motor e Câmbio do novo Honda Civic Si 2019

Realmente para quem procura um bom esportivo de uma marca diferente, certamente vai encontrar boas novidades.

A versão esportiva do Honda Civic tradicional vem de fábrica com um motor do tipo turbo na versão 1.5 e com exatos 208 cv de força e um torque de 26,5Kgfm.

Toda esta potência deverá ser comandada por uma transmissão do tipo manual de seis marchas. Um detalhe que chama a atenção para o sistema de caixa de marcha do veículo é o encurtamento dos engates de cada tempo, o que facilita a troca e o carro não perde muito em desempenho, principalmente nas arrancadas e saídas rápidas, onde se exige um pouco mais do motor.

O motorista ainda deve contar com uma novidade: além do tipo de motor, suspensão e direção, ele conta com um sistema do tipo Sport que pode ser acionado através de um simples botão no painel e que altera toda a configuração dos itens descritos anteriormente.

O novo Honda Civic Si 2019 vem com aros esportivos e com design exclusivo da fabricante e no tamanho de 18 polegadas, faróis do tipo LED com detalhes próprios, assistente de faixa e bancos em estilo esportivo.

O interior do veículo conservou todo o luxo e sofisticação da linha Civic e um dos destaques é o seu grande aerofólio traseiro e que consegue cobrir toda a extensão do desenho das lanternas traseiras.

Para quem procura um estilo mais arrojado, mais esportivo, porém não quer abrir mão da sofisticação e do conforto de dirigir um Civic, então vai encontrar nesta versão todas estas qualidades reunidas em um único veículo.

Se você não conhece o novo modelo de perto, então por que não agendar uma visita a uma concessionária mais próxima de sua casa?

Por Emmanoel Gomes

Honda Civic Si 2019


A CNH Digital já está disponível e sendo aceita em todo o território nacional.

Há pouco tempo foi divulgado o e-título (título de eleitor digital) para ser utilizado nas próximas eleições.

Agora é a vez da CNH Digital que desde meados de março já está disponível para os motoristas. O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estabeleceu um prazo para que todos os estados aderissem à nova carteira de habilitação até dia 1º de Julho.

No entanto, a CNH Digital já está disponível e sendo aceita em todo o território nacional. O estado do Rio de Janeiro era o único que faltava para aderir a esta nova fase de digitalização eletrônica de CNH.

Motoristas com CNH Digital

Os motoristas brasileiros, aos poucos, vão começando a se adaptar a essa nova tecnologia digital e a adesão segundo a Serpro está em uma crescente. Conforme foi anunciado, cerca de pouco mais de 110 mil motoristas já possuem esta nova versão digitalizada.

Os três estados que possuem o maior número de motoristas com a CNH Digital são Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo, respectivamente.

Como receber a Carteira Nacional de Habilitação Digital?

Se você é motorista habilitado com a CNH, independente da sua categoria e tem interesse em digitalizar seu documento e não ter mais preocupações com esquecimento ou perda, veja o que precisa fazer para aderir ao digital.

Primeiramente, verifique no verso de sua CNH se existe o código QR ou QR Code como é popularmente chamado. Este código já está sendo implantado desde maio de 2017, caso tenha renovado após este período é bem possível que sua habilitação já tenha este código.

Se possuir o código impresso, basta apenas cadastrar no site do Denatran do seu estado e confirmar o QR. Caso não tenha na sua CNH, você deverá verificar junto ao Detran e fazer a solicitação pessoalmente.

É obrigatório ou opcional?

Ainda não se tornou obrigatório o uso da CNH Digital, no entanto, é uma opção adicional para agilizar todo o processo. A vantagem em possuir a CNH digitalizada é que você pode consultar diretamente no celular, a economia de impressão para o estado e a agilidade para apresentar a documentação, além disso, será mais um passo para o uso da tecnologia e unificação dos documentos emitidos no Brasil em um só local.

O risco de perdas ou desgastes do material impresso é muito menor, além de não precisar mais emitir uma segunda via e ter que pagar taxas.

Não tenho a CNH Digital, vou ter que pagar alguma taxa?

Sim, porém esta taxa não é fixa, cada estado determina o valor a ser cobrado dos motoristas. Por este motivo, antes de solicitar a CNH, verifique junto ao Detran do seu estado os valores das taxas para a emissão do documento digital.

CNH digital será mais segura?

Sim, todos os documentos que são digitalizados possuem certificados de autenticidade e possuem todos os requisitos de segurança que seu documento impresso tem atualmente.

A CNH vai facilitar a vida dos motoristas?

Se não tomar mais multas por esquecimento, perda ou roubo do documento é uma vantagem?

Sim, vai facilitar a vida de muitos motoristas em todo o país. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em seu artigo 162 diz: que conduzir o veículo sem o documento da CNH é passível de multa, a infração é gravíssima, onde receberá 7 pontos em sua carteira e a multa a ser paga é de R$ 880,41.

A partir de agora com a CNH Digital estes riscos acabaram. Caso for surpreendido em uma blitz da polícia rodoviária basta apenas mostrar a CNH digital direto do seu aparelho celular.

A carteira é mais fácil de esquecer do que o celular, não é mesmo?

Achou interessante este artigo, conhece algum motorista esquecido? Compartilhe e mostre essa novidade para ele!

Por Marcio Ferraz

CNH Digital


Confira aqui mais detalhes sobre o Novo Recall do Toyota Corolla.

Nesta última terça-feira, dia 03 do mês de abril, a Toyota anunciou no Brasil mais um recall. Dessa vez é o modelo Corolla com ano de fabricação a partir de 2013 que está com um problema de fábrica que é considerado bastante sério.

Essa não é a primeira vez que o Corolla anuncia um recall. Aliás, esse desde o ano de 2013 já é o sétimo recall que envolve um problema bastante sério localizado no airbag do passageiro e já denominado como “airbags mortais”, que são fabricados pela empresa Takata.

O nome “airbags mortais”, que é bastante sugestivo, só comprova a gravidade do problema. A falha está localizada no insuflador do airbag, que em caso de alguma colisão, ao ser acionado para proteção do ocupante, pode romper e assim destroços podem ser lançados em direção aos ocupantes do veículos, causando graves danos físicos e ainda podendo causar a morte.

Veja abaixo os chassis e códigos alfanuméricos que estão sendo convocados para o recall:

– Chassis: D26020000 a E2642203 e código alfanumérico: 9BRBD48E**;

– Chassis: D4759577 a E4789205 e código alfanumérico: 9BRBL42E*;

De acordo com a Toyota, são 53.635 unidades a terem que passar pelo reparo, que é a substituição da bolsa do airbag. Esses modelos foram produzidos entre os meses de janeiro e dezembro do ano de 2013.

Desse modo, se você possui um Corolla com essas características, entre em contato o mais rápido possível com uma concessionária da marca e faça o agendamento do reparo. O recall deste problema será realizado a partir desta quarta-feira, dia 04 do mês de abril e só termina quando todos os veículos forem apresentados.

Já a segunda convocação do Corolla é da versão GLi 1.8 automático CVT, que se deu pelo motivo de existir uma falha no sistema de transmissão CVT. O mau funcionamento de uma válvula presente no sistema pode levar com que uma luz de advertência se acenda no painel de instrumentos e assim que o sistema detecta esse alerta automaticamente, a velocidade do veículo é limitada em até 60 km por hora. Estão sendo convocadas para este recall o total de 65.963 unidades cuja fabricação se deu entre o dia 7 do mês de outubro do ano de 2013 e o dia 11 de agosto do ano de 2017.

Veja abaixo os chassis convocados para o recall assim como os códigos alfanuméricos:

– Chassis: J0104446 a J0125110; Código alfanumérico: 9BRBL3HE*;

– Chassis: F0001003 a H0104445; Código alfanumérico: 9BRBLWHE*;

A Toyota tranquiliza os proprietários de veículos com este problema, que ele não coloca em risco a segurança, nem a vida de seus ocupantes. Por isso, o reparo começará a ser realizado no dia 16 do mês de abril em concessionárias da marca.

De toda forma, se seu Corolla GLi 1.8 está entre os convocados, não deixe de ligar para fazer o agendamento.

A Toyota disponibiliza uma central de atendimento para que as pessoas possam estar tirando suas dúvidas e fazendo os agendamentos. Para isso basta ligar para o SAC no telefone 0800 703 0206. Quem preferir pode acessar o site da Toyota e ficar por dentro de todas as informações.

O recall será realizado de forma gratuita. Por isso, se você é proprietário de um Corolla que está convocado, não deixe de fazer o seu agendamento com uma concessionária. Embora no Brasil nenhum acidente em decorrência dos “airbags fatais” tenha sido registrado, é um risco que se corre. No exterior já foram registrados um total de 22 mortes relacionadas ao defeito.

Todo recall tem sua importância e é um direito que os proprietários de veículos envolvidos possuem, afinal, quem compra um carro novo espera ficar um bom tempo sem problemas, principalmente no que se relaciona a segurança.

Sirlene Montes


Problema atinge veículos produzidos entre os anos de 2016 e 2018.

Devido a um problema nos freios, a Hyundai Motor Brasil informou e convocou no dia 29 de março de 2018 (quinta-feira) um recall de 6.737 veículos dos modelos HB20 e HB20S que haviam sido fabricados entre os anos de 2016 (janeiro) e 2018 (fevereiro).

Estão envolvidos nessa campanha apenas modelos que possuem o motor 1.0 Turbo e que o câmbio é de transmissão manual de 6 marchas. Os 6 últimos dígitos dos Chassis que estão envolvidos são de 561697 a 870541.

A empresa informou que em alguns casos pode ocorrer um certo ressecamento da válvula de contr. de vácuo do servo freio, caso seja exposto a altas temperaturas de um componente próximo.

Os carros que estiverem com esse problema podem estar fazendo um barulho parecido com de um assovio, vindo do motor, além desse barulho o motorista pode notar ainda uma oscilação de marcha lenta, que será percebida através da indicação mostrada no ponteiro do RPM localizado no painel, no momento em que o motorista estiver conduzindo o veículo, além de um certo endurecimento do pedal do freio por conta da redução do vácuo do sistema de asst. de frenagem. Esse endurecimento pode causar um aumento do tempo e de distâncias das frenagens e decorrente desse aumento, podem acontecer acidentes com danos físicos e com danos materiais ao motorista, aos passageiros e a terceiros.

O que foi dito pela montadora é que o freio vai continuar funcionando, mesmo com esse problema, porém, nesses casos o condutor vai precisar fazer um esforço extra para conseguir parar totalmente o carro.

Por conta desse problema a Hyundai solicitou que fosse interrompido o uso do veículo imediatamente e que os condutores o levem até a concessionaria mais próxima, caso perceba o ruído, a oscilação na marcha ou o endurecimento dos pedais.

Caso o condutor perceba algum desses problemas e precise levar até uma concessionária, a inspeção e substituição das peças, caso seja necessário, deverá durar mais ou menos 30 minutos. Caso não seja preciso trocar a peça, será aplicado um isolante térmico sobre ela.

Os proprietários do veículo devem realizar o agendamento do serviço gratuito em alguma concessionária Hyundai Motors Brasil.

Caso o condutor tenha alguma dúvida em relação a como proceder, ele deverá entrar em contato através do telefone 0800 7703355, no período das 8 horas até às 20 horas, de segunda a sexta feira e aos sábados entre 9 e 15 horas.

Para obter mais informações, além de entrar em contato pelo telefone, o proprietário também poderá acessar o site, através do link https://www.hyundai.com.br/servicos/recalls.html.

Esse ano, as versões dos dois veículos ficaram cerca de R$ 1.965,00 mais caros. A montadora reajustou os valores de toda a linha do HB20 e de seus derivados. Além disso, as duas versões terão Edição especial em comemoração à copa do mundo de 2018.

A edição especial ainda não tem preço definido, mas já se sabe que ele será disponibilizado em 4 versões diferentes e todas elas serão baseadas na configuração da versão Comfort Plus. A carroceria será sedã ou hatch e o motor será 1.0 com câmbio manual ou 1.6 com câmbio automático.

Os diferencias dessa versão especial será a oferta multimídia blueMedia que virá com TV Digital, uma opção que não é oferecida nas versões comuns.

Também virá com itens como vidro elétrico, chave tipo canivete c/ acionamento para abrir e fechar os vidros, sensor traseiro, volante com acendimento automático, regulagem de altura e regulagem de profundidade.

No design não mudou muita coisa, as novidades ficam por conta de um logotipo da copa localizado no para-lamas, bancos em couro, rodas de liga leve com aro de 15” de diâmetro na cor grafite e alguns itens presentes na versão premium.

Rosângela Rodrigues


Confira dicas para manter seu carro usado sempre valorizado no momento de uma venda.

Quando compramos um carro não pensamos de cara que um dia ele poderá ser vendido, porém, essa é uma opção bem comum entre os consumidores de carro. Uma hora desejamos ter um outro carro porque enjoamos do atual, ou simplesmente queremos um carro melhor e que supere nossas expectativas. E, obviamente, o consumidor vai vender o seu carro usado para comprar o outro modelo, e dependendo do estado do carro, é possível conseguir um valor bom e justo. Se você vai vender seu carro usado, fique de olho nas instruções que serão dadas aqui nesse texto. Veja as dicas de como manter a valorização do seu carro usado.

Mantenha sempre o carro limpo na parte interna

Se você está pensando em vender seu carro e mostra-lo para um possível comprador, saiba que ele não deve estar sujo na parte externa. Nada mais desanimador que olhar um carro com sujeira e mau cheiro, pois essa é a primeira impressão e, na maioria das vezes, é a que fica. A limpeza da parte interna do carro deve ser um hábito constante. Pois assim você mantém os bancos e as outras partes do carro bem apresentáveis. Pode parecer bobeira, mais um carro higienizado pode valorizar muito seu carro na hora da venda.

Evite customizar seu carro

Não são todas as pessoas que acham um carro customizado bonito e interessante, e sim, apenas uma pequena quantidade de usuários. Se você deseja vender seu carro mais rapidamente, retire todo tipo de customização dele. Pesquisas revelam que os carros customizados demoram bem mais a ser vendidos que os carros sem muitos detalhes.

Deixe seu carro sempre com peças originais

Os carros que possuem suas peças originais são bem mais valorizados no mercado. Inclusive o vendedor pode até mesmo subir um pouco o valor de venda se o carro possuir muitas ou todas as peças originais. Caso precise trocar alguma peça do seu carro, priorize comprar a original e não a genérica, essa escolha só vai te beneficiar no momento em que for vender seu carro.

Não pinte seu carro somente para vender

Um dos erros mais comuns cometidos por quem vai vender seu carro usado é fazer pinturas de reparos para mostrar um mais apresentável ao futuro comprador. Esses pequenos detalhes não vão atrapalhar sua venda e você ainda não vai gastar seu orçamento desnecessariamente.

Não jogue fora nenhum comprovante de manutenção feito no carro

Se seu carro passar por algum tipo de manutenção, o ideal é guardar todos os comprovantes. Pois na hora da venda essas informações precisam ser passadas para o futuro dono do carro, e se você puder comprovar tudo que fez, seu carro será mais valorizado. Se a manutenção foi feita para deixar o carro melhor, isso pode ser favorável para manter o preço do carro um pouco mais elevado.

Mantenha a chave reserva e manual do carro guardado em local seguro

É bem comum que a maioria das pessoas que tem carro, percam esses dois itens. E no caso de uma futura venda do carro, não ter esses objetos pode dar dor de cabeça. A chave reserva é um item que pode sair caro para quem vai comprar seu carro, e talvez seja será necessário diminuir o valor pedido na venda por esse detalhe, por isso esses itens precisam ser guardados m local bem seguro.

Tenha cuidado com seu carro de modo geral

A última dica é manter o seu carro sempre bem cuidado, evite colocar ele em locais que pode causar danos como: Arranhões, amassados entre outros. Sempre que puder deixe ele com uma capa protetora, para evitar a exposição ao sol, vento e chuva.

Siga essas dicas e seu carro será muito valorizado.

Por Cristiane Amaral

Carro usado


Decisão ocorre devido a possibilidade de aumento de motoristas dirigindo irregularmente.

Na última semana motoristas de todo o país foram surpreendidos pela notícia de uma nova resolução que envolvia a questão da renovação da CNH. Segundo A nova resolução, os motoristas para renovarem seus documentos de habilitação teriam que realizar um curso de aperfeiçoamento. Contudo, a resolução acaba de ser cancelada.

É isso mesmo, no dia 08 do mês de março o Contran, que é o Conselho Nacional de Trânsito, publicou no Diário Oficial da União uma resolução de nº 726/2018, que determinava que a partir do mês de junho deste ano, aqueles motoristas que estivessem com suas habilitações vencidas, para renová-las teriam que realizar um curso de aperfeiçoamento, em seguida uma prova escrita e ainda exames de aptidão.

E diante dessa novidade muitos motoristas começaram a discutir, fazendo vários levantamentos sobre esta questão.

De acordo com a nova resolução, o curso teria a duração de 10 horas/aula, sendo cada aula de 50 minutos e que em um período mínimo de 5 dias seria possível realizá-lo. O curso seria oferecido para realização em autoescolas credenciadas nos órgãos de trânsito do país, mas o condutor poderia contar com a opção de realizá-lo à distância.

Assim, ao término do curso o motorista deveria fazer uma prova escrita de múltipla escolha composta por 30 questões, de modo que para ter o documento renovado seria necessário um total mínimo de 21 acertos. Como podemos ver, o mesmo que é necessário para se obter a primeira habilitação.

Diante disso, muitos motoristas se perguntavam quanto seria o valor cobrado pela realização do curso de aperfeiçoamento, que até então seria obrigatório para a renovação da CNH. A princípio não foi revelado nada em relação à valores, porém, diante de tanta repercussão, na última sexta-feira o presidente do Contran anunciou que os condutores não teriam que pagar nada pela realização do curso, já que este seria oferecido em parceria entre o Denatran, Contran e os Detrans do país.

Porém, mesmo com esse pronunciamento sobre a gratuidade do curso, Alexandre Baldy, que é Ministro das Cidades, decidiu que a nova resolução fosse revogada, o que ocorreu na última segunda-feira, dia 19 de março.

O diretor do Denatran, que é o Conselho Nacional de Trânsito, bem como o presidente do Contran, foram comunicados sobre a decisão do Ministro.

Assim, através de uma nota oficial emitida pelo Ministério das Cidades, o cancelamento da resolução foi justificado e de acordo com essa justificativa ela se deve ao fato de que a criação de uma lei que obrigue o brasileiro a realizar um curso vai contra a gestão atual que preza pelo atendimento às expectativas que a população possui, o que inclui redução e gastos e menos processos burocráticos.

Um curso obrigatório, por menor que possa ser para alguns condutores, será algo muito difícil de ser feito, uma vez que suas rotinas já são determinadas e intensas e muitos não contariam com a disponibilidade de tempo para realizá-lo, mesmo à distancia, considerando o fato de que muitos habilitados que o Brasil possui não têm facilidade para estudar o conteúdo sem uma orientação e tampouco realizar uma prova sobre o conteúdo.

Ao criar a resolução o Contran teve a intenção de promover um efetivo aperfeiçoamento desses condutores, considerando o fato de que as leis de trânsito e outras questões que o envolvem estão sempre se modificando e é imprescindível que todos os motoristas habilitados do país estejam atualizadas, para que haja mais segurança no trânsito.

Porém, a resolução foi cancelada. Os motoristas que precisarem renovar suas CNHs não terão mais a obrigação de realizar o curso. Por enquanto os procedimentos para renovação da carteira de habilitação que deve ser feita a cada 5 anos, continuam os mesmos.

Sirlene Montes


Decreto pode aumentar para 40% o percentual de Etanol na Gasolina.

Muitas são as medidas aguardadas para que se busque as melhores formas de reduzir os custos finais da gasolina. E em meio a essa realidade, o presidente Michel Temer está preparando um decreto que, em contrapartida, poderá aumentar gradualmente o preço do litro em até R$ 0,06.

Essa medida vem embasada na regulamentação do programa voltado para os biocombustíveis, o RenovaBio, que foi sancionado no final do ano passado. Essa nova política prevê uma redução considerável dos poluentes nos derivados de petróleo, como é o caso da gasolina, aumentando assim a participação dos combustíveis que são menos prejudiciais ao meio ambiente, como o etanol.

Atualmente, a cada litro de gasolina, encontramos um total de 27% de álcool anidro. Com o novo decreto, esse índice na mistura subirá para os 30% até o ano de 2022 e chegará aos 40% em 2030. É importante salientar que tal realidade somente será possível se Temer mantiver a aprovação e números no Congresso.

Porque aumentar o álcool na gasolina?

Como já falado anteriormente, aumentar o álcool na gasolina terá um efeito positivo na produção de etanol, reduzindo assim os índices de carbono no meio ambiente. Sendo assim, o presidente sancionou a lei que prevê o aumento de forma escalonada de uma mistura de álcool anidro na gasolina.

Porém, ainda não se sabe os detalhes sobre como será realizado o processo. Esses deverão constar na própria regulamentação da lei através do decreto presidencial.

Impacto para o consumidor

Conforme alguns cálculos realizados por consultorias especializadas na área e não identificadas, constatou-se que haverá um aumento de R$ 0,06 a cada litro de gasolina diretamente na bomba até o ano de 2030, pressionando a inflação. Esse acréscimo se dá devido à mudança total nos tributos e pelo aumento nos preços totais dos novos padrões identificados na mistura.

Não bastasse isso, esses consideram o impacto econômico grande, já que haveria uma perda de aproximadamente R$ 4 bilhões por ano em arrecadação de tributos. Sobre a gasolina recaem Cide, Cofins e PIS.

Para as distribuidoras, essa conta também seria afetada uma vez que haveria a falta de etanol de forma a atender toda a demanda que consta na legislação. Nesse caso, haverá sérias punições a todos os distribuidores que serão, por direito, obrigados a adquirir certificados para compensação dos produtores.

Na sequência…

Para essa semana, o governo aguarda os cálculos finais realizados pela Secretaria da Fazenda para que possa decidir sobre os índices de anidro na gasolina. Tanto os produtores rurais como a Casa Civil defendem os 40%. Porém, o Presidente busca cautela para não decidir sobre uma medida que, a longo prazo, acarrete em uma alta exorbitante de preços.

As projeções do governo indicam que, com os 30% de anidro na gasolina, a produção da cana irá passar dos atuais 668 milhões de toneladas para os 820 milhões de toneladas no ano de 2026. No período, a participação total da cana que é destinada para o etanol também saltará dos 55% para os 61%, elevando assim a produção de álcool no país de 18 bilhões para 31 bilhões de litros. Isso, por outro lado, irá comprometer a produção do açúcar.

Governo e a popularidade

O movimento de Temer para encontrar uma saída perfeita para os aumentos no preço da gasolina, mesmo com a queda da cotação do petróleo, é uma das estratégias de um pacote que busca melhorar a popularidade do presidente. Com forte avaliação do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, esses buscam a criação de mecanismos tributários que tirasse as alíquotas fixas do Cofins e PIS sobre o preço da gasolina. Outras ideias cercam outros pontos importantes, como o aumento do gás de cozinha, que vem pesando no bolso do consumidor.

Para o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o governo busca alterar as tributações, de forma a reduzir o valor nas bombas. Porém, a declaração não foi bem recebida no Palácio do Planalto, já que o próprio Meirelles anunciou há oito meses um aumento em alíquotas sobre combustíveis, dobrando assim o valor cobrado na gasolina.

Kellen Kunz


No que tange à potência de motores e trações, este inédito Fiat Toro está disponível para vendas em 7 versões essenciais e uma edição extra limitada, batizada de Opening Edition.

Na atualidade, o mercado de caminhonetes cresceu de modo vertiginoso, abrindo espaço para a competição entre as melhores companhias automobilísticas. Nessa linha de produção entra um dos modelos de picapes mais bem sucedidos do mercado brasileiro, ou seja, o Fiat Toro 2018, uma das mais cobiçadas no segmento.

Entretanto, levando em conta as significativas alterações realizadas nas versões mais recentes, estes veículos estão sendo comercializados por valores mais elevados. Nas concessionárias este utilitário, atualmente, será encontrado pelo consumidor no valor inicial de até R$91.990, ou mesmo por mil reais a mais do que o valor cobrado na tabela anterior. Com relação à versão top de linha, equipada com motor movido a turbo-diesel; com transmissão automática em nove marchas, além de um sistema de tração nas quatro rodas, a mesma estará disponível pelo valor de R$136.190, sendo que esse preço aumenta para R$157,4 mil na inclusão dos acessórios opcionais disponíveis.

Dentro da linha Fiat Toro 2018, em sua totalidade, a configuração mais repaginada, em todos os sentidos, foi a da versão especial Blackjack, que está equipada com um feroz motor 2.4 litros Flex; também munida de câmbio automático com nove velocidades e capacidade de tração integral. Hoje, esta versão será comercializada pelo valor de R$115.290, desprovido de acessórios opcionais.

De acordo com informações angariadas do Grupo FCA, a decisão foi a de se utilizar a plataforma do Toro para lançar diversas outras versões. Isto se confirma pela criação da versão de cabine simples, sendo ideal para caminhonetes utilizadas exclusivamente para o trabalho, elevando o potencial de capacidade de carga na caçamba. Portanto, a companhia está promovendo uma série de ajustes e alterações positivas, que vão beneficiar o consumidor final.

Entre as mudanças mais significativas e os atributos desta série, Fiat Toro 2018, é possível relacionar os seguintes itens de série: possui direção elétrica; sistema de ar condicionado; munido de setes resistentes airbags duplos; sistema de freios em ABS; vidros elétricos; computador de bordo e piloto automático; tração 4×4 4WD; teto solar elétrico; faróis em LED; espelho retrovisor elétrico com memória; as rodas são de liga e aro raio 17; o volante tem diversas funções e está todo revestido em couro; sensor de estacionamento e central multimídia com tela LCD Touchscreen de 5 polegadas; estruturada em cabine simples e aparelhada com motor 2.0 a Diesel Recalibrado.

No que tange à potência de motores e trações, este inédito Fiat Toro estará disponível para vendas em sete versões essenciais, com valores acrescidos e uma edição extra limitada, batizada de “Opening Edition”, seguem os atributos:

A versão Toro Freedom 1.8 Flex AT6 4×2, no valor de R$91.990, acrescido de R$1.000;

A versão Toro Freedom 2.4 Flex AT9 4×2, no valor de R$101.690, acrescido de R$1.420;

A versão Toro Blackjack 2.4 Flex AT9 4×2, no valor de R$115.290, acrescido de R$2.300;

A versão Toro Freedom 2.0 Diesel MT6 4×2, no valor de R$108.490, acrescido de R$1.500;

A versão Toro Freedom 2.0 Diesel MT6 4×4, na valor de R$117.390, acrescido de R$1.700;

A versão Toro Freedom 2.0 Diesel AT9 4×4, no valor de R$122.590, acrescido de R$1.700;

A versão Toro Volcano 2.0 Diesel AT9 4×4, no valor de R$136.190, acrescido de R$1.800;

Além da edição limitada Opening Edition, automática de motor 1.8 flex 4×2.

Por Paulo Henrique dos Santos

Fiat Toro 2018


Design, conectividade, espaço, segurança, tecnologia, performance e custo benefício são os diferenciais desse novo modelo da Fiat.

A montadora Fiat divulgou no final de 2017 algumas informações sobre seu novo modelo de sedan, o Fiat Cronos 2019. O lançamento oficial, incluindo valores que serão praticados de acordo com suas versões, ocorreu na segunda quinzena de fevereiro deste ano.

O modelo, quando foi apresentado, aparentava inicialmente detalhes de outro carro da montadora, o Argo, porém em versão sedan. Especialistas do segmento automotivo compararam e avaliaram que o Fiat Cronos 2019 chegou para ser um concorrente direto do Virtus, mais um lançamento na linha sedan da Volkswagen.

Com diversos diferenciais, entre eles um preço mais competitivo, sua versão básica inicial com motor 1.3 já está sendo vendido por R$53.990. O valor é R$1.000 a menos que o preço do Fiat Argo com mesmo motor, porém com câmbio manual.

Ainda sobre os preços praticados, o Fiat Cronos chega em cinco versões, com motores e câmbios distintos para cada um deles como:

  • 1.3 Flex manual – a partir de R$52.990;
  • 1.3 Flex manual (inclui central multimídia) – a partir de R$55.990;
  • 1.3 GRS Flex automatizado – a partir de R$60.990;
  • 1.8 Flex manual – a partir de R$62.990;
  • 1.8 Flex automático – a partir de R$69.990.

Design, conectividade, espaço, segurança, tecnologia, performance e custo benefício são os pilares que apoiam os diferenciais desse lançamento da Fiat.

Novidades no segmento de sedan

Tal qual sua aparência externa possui formas alongadas, o Fiat Cronos consegue se apresentar clássico e esportivo ao mesmo tempo. Já correspondente ao seu aspecto interno, ele possuiu algumas inspirações de design italiano alinhado a modernidade urbana, o que faz a união dessas características manter a elegância que um sedan oferece.

Com exceção do modelo básico, a central multimídia vem como item de série para facilitar a vida do usuário a bordo. A conectividade do Fiat Cronos inclui o Android Auto e o Apple Car Play que interagem com o celular do motorista oferecendo através da central multimídia acesso a mapas, teclado virtual do telefone, aplicativo de música como o Spotify, Whatsapp entre outros.

O espaço interno conta com acabamento superior e distância confortável tanto para motoristas quanto para passageiros do banco frontal e traseiro. O porta-malas tem 525 litros de capacidade, sendo o maior da categoria.

Uma das novidades sobre os itens de segurança do Fiat Cronos 2019 está relacionada à instalação do bebê conforto. No novo sedan da Fiat existe um dispositivo de nome Isofix. Trata-se de uma trava de segurança que prende de maneira rápida e fácil o bebê conforto à estrutura do banco do carro.

Especificações técnicas

Todas as cinco versões oferecidas possuem quatro portas, podem ser abastecidas com etanol ou gasolina, apresentam ar condicionado, chave canivete, computador de bordo (distância percorrida, consumo médio, autonomia, tempo de percurso e velocidade média), desembaçador para vidro traseiro, espelho no para-sol no lado do passageiro e também do motorista e mais uma série de itens.

Além dessas características, os modelos apresentam as seguintes especificações técnicas:

  • Capacidade do porta-malas: 525 litros;
  • Cilindrada total: 1.332(versões 1.3) e 1747(versões 1.8);
  • Tanque de combustível: 48 litros;
  • Largura do veículo: 1980 mm;
  • Comprimento do veículo: 4364mm;
  • Altura do solo: 165mm;
  • Altura do veículo: 1516mm.

Para quem não dispensa uma característica externa, o Fiat Cronos 2019 possui versões nas cores de pintura sólida (preto, vermelho, branco e cinza); pintura metálica (preto, prata e cinza) e na pintura perolada (vermelho e branco).

Pelo link https://cronos.fiat.com.br/?monte é possível montar, dentro das opções disponíveis, itens como cor, opcionais, acessórios, serviços e cuidados. Neste link também é permitido consultar todos os itens de série de cada versão.

Por Ana Beatriz de Oliveira

Fiat Cronos 2019


Confira os cuidados que deve ter para manter seu carro em bom estado no verão.

O nosso veículo é uma das coisas mais valiosas, não é mesmo? Como todas as coisas importantes e valiosas, você deve ter cuidados especiais para com o seu carro em todas as épocas do ano, principalmente no verão. Sabe quais são os motivos para cuidar mais do seu carro no verão? Quer saber quais atitudes tomar em relação a essa calorosa estação? Para essas e outras respostas, confira esse post que preparamos especialmente para você e seu carro!

Confira os principais cuidados para se ter com o seu carro durante o verão

Com o início dessa estação tão quente, o seu veículo tende a precisar de ainda mais cuidados cotidianos. Maresia, sol forte, calor e os riscos de enchentes são os pontos que mais devem preocupar o dono do carro. Porém, outros pontos também merecem atenção, muitas vezes antes dessa divertida estação chegar.

Manchas na lataria

Uma maneira importante para proteger o seu carro dos possíveis danos causados pelas temperaturas é aplicar cera automotiva pelo menos uma vez por mês, assim seu carro terá uma camada super protetora. Outro ponto para se atentar são as possíveis manchas na lataria causadas por árvores frutíferas e fezes de passarinho, tenha sempre em mãos uma garrafinha de água para livrar-se das sujeiras e, consequentemente, dessas possíveis dores de cabeça.

Possíveis amassados na lataria

Quando estiver frequentando locais movimentados, como praias e clubes de piscina, atente-se ao lugar que for estacionar. Procure locais com menos fluxo de pessoas e carros para garantir que ninguém encoste no veículo e provoque um amassado na lataria.

Danos causados pela maresia

Se você mora na praia, ou já passou um tempo em lugares praieiros sabe quais são os efeitos causados pela maresia. Para se precaver de corrosão no motor e no carro em si, é importante fazer uma lavagem com produto anti-óxido, dando uma atenção especial a parte de baixo do carro, que é onde os efeitos da maresia se agravam. Também deve-se deixar de lado produtos que tenham em sua composição óleos, materiais alcalinos e outros materiais que tenham petróleo na composição.

Bancos do carro

Há maneiras inteligentes e práticas para cuidar dos bancos do seu veículo. Não é apenas o sol que pode causar danos aos assentos, pessoas com areia no corpo, por exemplo, podem acabar danificando os bancos do carro. Uma maneira de precaver esses acontecimentos é a utilização de capas de proteção durante esse período de calor e férias.

Caso os bancos do seu automóvel sejam de tecido, um dos principais cuidados para manutenção é a limpeza dos bancos: passe aspirador de pó nos bancos, sempre de dentro para fora e com as portas abertas a fim de circular o ar e dispensar a sujeira para fora do carro.

Após aspirar os bancos, utilize produtos específicos para limpeza completa, outra forma é utilizar detergente de roupas em uma esponja macia e úmida. Após esses procedimentos, mantenha as portas do carro abertas por, no mínimo, 30 minutos.

Manutenção no ar-condicionado do carro

É praticamente impossível deixar de utilizar o ar-condicionado durante o verão. Mas para que o seu uso não prejudique quem está o utilizando, é importante trocar o filtro do aparelho. Tente fazer essa troca em média a cada 20.000 quilômetros corridos mais ou menos, dependendo da utilização do carro e do ar-condicionado.

Manutenção dos pneus

Em decorrência do calor, os pneus tendem a murchar e se desgastar ainda mais depressa. Por isso, para garantir a sua segurança e a de quem está no seu carro, calibre semanalmente os pneus de acordo com as orientações do fabricante do veículo.

Por Carolina B.

Carro e sol


O ranking foi feito pela Focus2move, sendo verificados 28 países da América Latina, onde o Chevrolet Onix ficou em 1º lugar, com 186.902 unidades vendidas.

Recentemente, o noticiário nos envolveu com boas notícias do setor automobilístico, não é para menos, após anos sofríveis em 2015 e 2016, o ano de 2017 se mostra em franca recuperação com uma indústria mais produtiva e principalmente mais exportadora.

Um recente relatório de consultoria internacional Focus2move (http://focus2move.com/) vem comprovar isto, sua lista enumera os 10 carros mais vendidos na América Latina, foram verificados 28 países, do México a gelada Terra do Fogo, apesar do mercado consumidor brasileiro ser líder e um ótimo termômetro de região, os méritos são visíveis para nossa recuperação, com exceção do último colocado na lista, a maioria dos veículos são produzidos ou importados para o solo brasileiro.

O relatório é com base nas vendas de Janeiro a Outubro deste ano e tem algumas peculiaridades bem interessantes, uma delas é o Chevrolet Onix, produzido na planta gaúcha da cidade de Gravataí, no estado do Rio Grande do Sul, o sucessor do Chevrolet Corsa e Celta soma mais unidades vendidas por aqui que no resto dos outros países, foram precisamente 152.538 veículos comercializados em território brasileiro, contra 186.902 em todo continente latino-americano, uma diferença expressiva de 35 mil unidades. Não é a toa que se firmou líder isolado no mercado nacional nos últimos meses, aliás, a Chevrolet não fez feio na lista, emplacando três carros, o hatch Onix, o sedan Prisma e o subcompacto Spark.

Outro dado interessante é o do Volkswagen Gol, com 61.575 de unidades comercializadas em território nacional, ele não passa da quarta colocação no volume total de vendas no mesmo período no mercado brasileiro, porém na lista da Focus2move, ele assume a segunda posição com expressivos 133.431 unidades, provando mais uma vez que o Volkswagen Gol foi e sempre será um dos carros mais exportados do Brasil, muito mais do que já foi vendido em nosso mercado. Mais um veículo com posição de destaque no ranking é o Nissan Versa, assumindo o quinto lugar com 102.691 unidades comercializadas, um número alto em comparação ao ranking nacional, aonde se coloca no 35º lugar apenas, a provável justificativa é sua produção combinada entre Brasil, na planta da Nissan na cidade de Resende, no estado do Rio de Janeiro, e no México, aonde as quantidades devem estar divididas. A Nissan ainda emplacou o Nissan March em penúltimo com 69.783 unidades.

A lista ainda tem velhos conhecidos nossos, como o Ford Ka, já em sua terceira geração, aonde são somadas as versões sedan e hatch nos números apresentados, o Hyundai HB20, vice líder do mercado de vendas, fabricado na planta da Hyundai no interior do estado de São Paulo e o Toyota Corolla como um sedan médio com mais que 88 mil unidades. Os franceses também não fizeram feio com o Renault Sandero na quarta posição geral e bons números de venda no mercado nacional também.

Por último vale ressaltar um ‘’intruso’’, o subcompacto Chevrolet Spark na décima colocação, seu porte é menor do que seus irmãos maiores (Onix e Prisma, porém suas unidades comercializadas não passam das 65 mil unidades, com 66.830 produtos).

Ranking Geral

O ranking geral divulgado segue abaixo:

1º posição para o Chevrolet Onix, com 186.902 unidades vendidas

2º posição para o Volkswagen Gol, com 133.431 unidades

3º posição para o Ford Ka, com 123.720 unidades

4º posição para o Renault Sandero, com 108.939 unidades

5º posição para o Nissan Versa, com 102.691 unidades

6º posição para o Hyundai HB20, com 88.945 unidades

7º posição para o Toyota Corolla, com 88.403 unidades

8º posição para o Chevrolet Prisma, com 82.128 unidades

9º posição para o Nissan March, com 69.783 unidades

10º posição para o Chevrolet Spark, com 66.830 unidades

Por C. B.

Onix 2018


A quarta geração do Ford Focus irá surpreender a todos, pois irá ser submetida a uma evolução de estilo e design.

A quarta versão deste magnífico carro está para nascer e rodar já neste ano de 2018. Ele irá substituir a versão do Ford Focus 2.0, que para muitos foi ineficiente e deixou a desejar.

O que esperar deste próximo lançamento da montadora Ford que está dando o que falar? Confira mais informações no post que preparamos exclusivamente para você sobre a nova geração do Ford Focus e decida: ele será, ou não o carro do ano de 2018? Dá uma olhada nas informações e descrições no artigo abaixo.

Não foi apenas o Ford Focus que mudou

A terceira geração do automóvel Fiesta já está rodando nas estradas do exterior, assim como a super equipada versão reestilizada do EcoSport, um belo trabalho da Ford que em breve encantará os brasileiros que estão pensando em trocar de carro. A Ford também está desenvolvendo mudanças para o modelo "queridinho" da marca, o hatch médio Ford Focus que está cada vez mais potente. Ele será provavelmente revelado no Salão de Detroit em janeiro e estreará no comércio brasileiro até o fim de 2018, fazendo parte da linha de automóveis Ford 2019.

Evolução no design do modelo

O Ford Focus irá ser submetido a uma "evolução" de estilo e design, ou seja, não será uma repaginada total, a plataforma será a mesma (Global C), que já é um tanto ultrapassada, mas obtém assim uma grande maturidade. Essa "antiga" Global C trará belas novidades: o Focus não terá suas básicas dimensões mudadas, mas, segundo sites oficiais, o hatch médio inovado possuirá maior espaço interno, pois seus espaços entre-eixos foram aumentados. Ou seja, para você que tem ou já entrou em um Ford Focus e se sentir apertado e desconfortável, não sofrerá mais desse problema a partir desta renovada quarta geração do Ford Focus.

Um carro aerodinâmico e realmente leve: Ford Focus está por vir!

Sim! A montadora Ford irá resolver um dos maiores problemas do Focus: o gasto. Segundo as fontes oficiais, o novo Ford Focus trará consigo uma bela e grande eficiência quando se fala em energia, precisamos admitir que a versão 2.0 gasta bastante.

A boa notícia é que essa "antiga" versão 2.0 será deixada pra lá. O Ford Focus que será comercializado no Brasil (e que é fabricado na Argentina) irá adotar a família EcoBoost da Europa, ou seja, serão 3 cilindros 1.0 de 125 cavalos cada um, como o modelo Fiesta daqui do Brasil, e no modelo esporte ST serão 3 cilindros 1.5 correspondendo a 150 cavalos e 4 cilindros 2.0. O modelo esporte, provavelmente, não será comercializado aqui no Brasil.

O que dá para saber é que a quarta geração do Ford Focus que vier a ser comercializada por aqui será mais econômica que a versão antiga 2.0.

Não é só a economia que virá com o modelo repaginado! Confira o que vem acoplado ao modelo Ford Focus quarta geração!

Terá muita coisa junto com o carro, o conjunto de acoplados do Ford Focus chama atenção dos interessados em carros.

Confira a lista:

As já conhecidas no mercado nacional e estrangeiro: transmissões, o Focus receberá a versão manual equipada com cinco marchas, ou seis, e possuirá também a versão automática com duas embreagens e seis marchas. Calma! Os problemas antigos nessa última versão citada estão resolvidos!

Na Europa a versão elétrica estará disponível para comércio, com algumas melhorias, e com certeza na Europa e trazendo boatos que chegará ao Brasil, uma versão híbrida.

Você compraria a quarta geração do Ford Focus?

Por David Ferreira

Ford Focus

Ford Focus


A Toyota já deixou claro a intenção de usar o etanol nos seus modelos híbridos brasileiros.

De olho na tendência mundial que cada vez mais busca fontes alternativas para reduzir a emissão de gases poluentes para a atmosfera, a Toyota já partiu na frente e anunciou, mesmo que ainda não oficialmente, o lançamento de um modelo híbrido que poderá rodar nas ruas brasileiras usando o velho etanol.

O anúncio de intenções de se fabricar um modelo que use dois sistemas de fornecimento de combustível foi anunciado pelo próprio presidente da empresa na América Latina, Steve St. Angelo. A declaração feita no último dia 24 mostra a tendência da empresa em apostar cada vez mais neste tipo de veículo.

O sistema híbrido de fornecimento de combustível para os motores que trabalham através do sistema de combustão funcionam com o fornecimento elétrico para que o motor seja acionado.

Segundo a concepção desenvolvida atualmente para este tipo de motor, inclusive o que é adotado pela própria Toyota, ele pode trabalhar sozinho ou poderá também ser acionado e trabalhar em conjunto com o motor de combustão.

Com este sistema, além de contribuir para que a emissão de gases para a atmosfera seja menor, ele contribui também para se reduzir o consumo de combustível tradicional, o que no final das contas, também vai ajudar a reduzir a emissão de poluentes.

Para quem ainda não sabe, a montadora já fabrica atualmente um modelo híbrido e que pode ser visto rodando em algumas capitais brasileiras, é o Prius. O automóvel que já é comercializado nas concessionárias da marca no Brasil pode ir para a garagem de qualquer consumidor com um preço a partir de R$ 120.000,00.

Sem querer dar maiores detalhes, o presidente da Toyota já deixou bem claro que este não deverá ser o único modelo que usará este tipo de sistema de alimentação para o seu funcionamento.

A montadora faz grande mistério sobre o uso deste tipo de tecnologia e deixou no ar a impressão de que novos modelos poderão surgir com o sistema híbrido. Talvez os que já são bastante conhecidos do público brasileiro possam vir a usar este tipo de sistema. Mas, por enquanto, fica somente a dúvida.

A Toyota já deixou claro a intenção de usar o etanol nos seus híbridos brasileiros.

Aproveitando a tecnologia híbrida do Prius e levando em consideração o potencial de mercado para este tipo de carro, a empresa já iniciou os testes no país com utilização não somente da gasolina, mas também do etanol brasileiro.

Nesse sentido, já existe uma intensa movimentação entre os técnicos da empresa para que este tipo de combustível, considerado bem mais limpo, seja adotado pelos novos modelos que deverão ser fabricados no Brasil.

Apostando neste tipo de tecnologia, os fabricantes brasileiros do etanol já iniciaram uma espécie de parceria com a montadora.

O uso do etanol como o combustível principal para os novos modelos híbridos desponta atualmente como uma das mais rápidas soluções que a indústria automobilística vem descobrindo para que as suas metas reduzidas de emissão de poluentes sejam alcançadas.

Além do esforço crescente da Toyota para adotar uma tecnologia ecologicamente correta com o uso do etanol, outras montadoras já pegaram carona nesta tendência.

Neste sentido, a japonesa fabricante dos carros da marca Nissan já anunciou os testes de um protótipo de carro considerado ‘ mais limpo’ com o usado etanol.

O novo modelo utilizaria um sistema de ‘Células de Combustível’ que utilizariam Óxido sólido. Esta recente tecnologia que está sendo desenvolvida para o Brasil se baseia em usar o etanol brasileiro para que ele possa ser capaz de fornecer energia suficiente para que um conjunto de baterias sejam continuamente carregadas e possa fazer funcionar o sistema de combustão do veículo.

Por Liana Gifoni

Toyota Prius


O Logan, da Renault, possui um amplo espaço interno e tecnologias que atraem os usuários.

Com espaço interno generoso o Renault Logan se destaca como ótima opção entre os sedans médios vendidos no Brasil, originalmente concebido pelo fabricante europeu Dacia posteriormente adquirida pela Renault, o Dacia Logan tinha proposta de ser um carro de baixo custo (popular), seu sucesso de vendas fez com que os franceses melhorassem o carro em sua forma, acabamento e refino, tornando o que era bom, melhor ainda.

Logan no Brasil

O início de produção do Renault Logan no Brasil foi em 2007 juntamente com seu ‘’irmão‘’ menor o Renault Sandero, desde então a trajetória deste sedan vem sendo permeada por aprimoramentos, a geração atual estreou em 2013 com vários melhoramentos em comparação às anteriores. Em 2017 a Renault disponibilizou novos motores 1.6 16v de 118cv além do 1.0 12v de 82cv, todos flex, o consumidor pode contar também com câmbios manual ou automatizado se preferir em algumas versões.

O Renault Logan oferece ainda 510 generosos litros de porta-malas, isso significa espaço de sobra para bagagem de todos seus ocupantes, além de grande quantidade de porta-objetos nas portas e painel, central multimídia de sete polegadas, além de ABS, ar-condicionado e recursos mais sofisticados como sensor de estacionamento, câmera de ré e piloto automático com limitador de velocidade numa enorme variedade de acessórios internos e externos para o gosto de seu consumidor.

Suas versões, preços sugeridos e características estão resumidos abaixo:

Renault Logan Authentique

Preço inicial sugerido de R$ 44.700,00

Motorização: 1.0 12v de 82cv de 3 cilindros, flex

Câmbio: Manual

Principais Equipamentos de série:

Ar-condicionado, direção elétrica, vidros e travas elétricas, desembaçador do vidro traseiro, ABS, Airbag para passageiro e motorista, rodas de aço de 15”,acabamento interno em preto.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, e Branco.

Renault Logan Expression

Preço inicial sugerido de R$ 48.050,00

Motorização: 1.0 12v de 82cv de 3 cilindros ou 1.6 16v de 118cv, flex

Câmbio: Manual

Principais Equipamentos de série:

Ar-condicionado, computador de bordo, direção elétrica, vidros e travas elétricas, desembaçador do vidro traseiro, ABS, Airbag para passageiro e motorista, alarme, luz do painel e central, rodas de aço de 15”,acabamento interno em cinza, retrovisores e maçanetas na cor do veículo.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, e Branco.

Renault Logan Expression Advantage

Preço inicial sugerido de R$ 50.900,00

Motorização: 1.0 12v de 82cv de 3 cilindros ou 1.6 16v de 118cv, flex

Câmbio: Manual

Principais Equipamentos de série:

Ar-condicionado, Central Multimídia, computador de bordo, câmera de sensor de ré, direção elétrica, vidros, retrovisores e travas elétricas, desembaçador do vidro traseiro, ABS, Airbag para passageiro e motorista, sistema start&stop, alarme, luz do painel e central, rodas de liga leve de 15”, acabamento interno em cinza, retrovisores e maçanetas na cor do veículo.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, e Branco.

Renault Logan Dynamique

Preço inicial sugerido de R$ 58.200,00

Motorização: 1.6 16v de 118cv, flex.

Câmbio: Manual e Automatizado

Principais Equipamentos de série:

Ar-condicionado, Central Multimídia, computador de bordo, direção elétrica, vidros, retrovisores e travas elétricas, desembaçador do vidro traseiro, ABS, Airbag para passageiro e motorista, sistema start&stop, alarme, luz do painel e central, rodas de liga leve de 15”, acabamento interno em cinza, retrovisores e maçanetas na cor do veículo.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, e Branco.

A Renault disponibiliza um pacote de acessórios para as três versões principais: Authentique, Expression e Dynamique, no link: www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/logan/acessorios.html.

Além disso, o configurador da Renault Logan é bem completo com possibilidade de fazer inúmeras combinações de cores e acessórios e acabamentos internos, dando a oportunidade ao potencial consumidor visualizar em fotos e modelos 360°, o modelo que deseja adquirir, maiores detalhes confira no link: https://conf.renault.com.br/disco/logan#/configurator.

Por Carlos B.

Renault Logan

Renault Logan

Fotos: Divulgação


O modelo alia um amplo espaço e conforto com beleza e tecnologia.

A versão aventureira do Renault Sandero, o Renault Sandero Stepway, não deve ser confundida como uma simples versão mais requintada do hatch francês, muito pelo contrário, com seus 190mm de altura livre do solo é referência na sua categoria, tanto que um dos slogans que a montadora francesa utiliza é: Á altura da sua aventura (www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/sandero-stepway.html).

Design aventureiro com conforto e beleza

Umas das principais vantagens do Renault Sandero Stepway, fora toda sua carroceria exterior com linhas marcantes e detalhes off-road, é combinar um ótimo espaço interno, isso se traduz num porta-malas de 320 litros disponível para os seus cinco ocupantes, e seus mais de 2 metros de entre-eixos disponibilizando um habitáculo confortável para diferentes estaturas.

Todo este conforto é acompanhando de conveniências, como a central multimídia Media Nav com tela de 7 polegadas, piloto automático com limitador de velocidade, ar-condicionado dentre outros itens.

Os novos motores disponibilizados pela Renault acompanham as versões Stepway também, agora ela conta com o 1.6 16v de 118cv, a Renault ressalta que utiliza tecnologia de ponta para sua fabricação, presente inclusive na Fórmula 1. Para comandar toda esta tecnologia é disponibilizado um câmbio automatizado de cinco velocidades com exclusivo sistema de economia, além do manual já utilizado como opção para o seu consumidor.

Todas as versões, preços e principais características são descritas a seguir:

Renault Sandero Stepway

Partindo inicialmente dos R$ 61.300,00

Motores: 1.6 16v de 04 cilindros e 118cv (gasolina e álcool)

Tipo de Câmbio: Manual de cinco velocidades

A lista de equipamentos de série é bem completa que acompanham esta versão:

– Volante de couro, maçanetas e retrovisores na cor da carroceria, barras de proteção longitudinal, ar-condicionado, direção elétrica, volante com regulagem em altura e comandos, iluminação central e no porta-malas, faróis de neblina, retrovisores elétricos com repetidores, vidros e retrovisores elétricos, computador de bordo, sistema de economia de combustível stop and start, central multimídia de 7” com GPS integrado, chave com sistema de fechamento central, alarme, air-bag para o passageiro e motorista, freios com sistema ABS, acabamento interno em cinza carbono, bancos exclusivos da versão, rodas de liga leve de 16’’, banco traseiro rebatível, indicador de troca da marcha na condução, sensor de estacionamento traseiro, alerta de não uso do cinto de segurança para o motorista, barras longitudinais de proteção, dentro muitos outros itens.

As cores disponíveis para esta versão são: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, Branco e Laranja.

Renault Sandero Stepway Easy-R

Partindo inicialmente dos R$ 64.750,00

Motores: 1.6 16v de 04 cilindros e 118cv (gasolina e álcool)

Tipo de Câmbio: Automatizado com cinco velocidades

A lista de equipamentos de série é bem completa que acompanham esta versão:

– Volante de couro, maçanetas e retrovisores na cor da carroceria, barras de proteção longitudinal, ar-condicionado, direção elétrica, volante com regulagem em altura e comandos, iluminação central e no porta-malas, faróis de neblina, retrovisores elétricos com repetidores, vidros e retrovisores elétricos, computador de bordo, sistema de economia de combustível stop and start, central multimídia de 7” com GPS integrado, chave com sistema de fechamento central, alarme, air-bag para o passageiro e motorista, freios com sistema ABS, acabamento interno em cinza carbono, bancos exclusivos da versão, rodas de liga leve de 16’’, banco traseiro rebatível, indicador de troca da marcha na condução, sensor de estacionamento traseiro, alerta de não uso do cinto de segurança para o motorista, barras longitudinais de proteção, dentro muitos outros itens.

As cores disponíveis para esta versão são: Vermelho, Preto, Prata, Cinza, Branco e Laranja.

Caso necessite de mais detalhes, acesse o configurador no site da Renault e faça todas as combinações que desejar com as duas versões disponíveis: https://conf.renault.com.br/disco/sandero-stepway#/configurator.

Por Carlos B.

Renault Sandero Stepway


Confira as versões e características do Renault Kwid.

Lançado em 2015, o Renault Kwid recebeu uma resposta irresistível dos compradores de carros mundiais. Em uma tentativa de cobrar a popularidade da Kwid, a empresa introduziu várias novas variantes deste pequeno carro, e edições especiais nos últimos 2 anos. Graças a estas novas versões, o Renault Kwid 2017 conseguiu manter suas vendas crescendo nos últimos dois anos.

Além de bons preços, o que mais chamou atenção em favor do veículo foi o seu estilo contemporâneo e a melhor eficiência de combustível da classe. Este carro também tem uma contribuição importante nas vendas totais da empresa. Também ajudou a Renault a aumentar sua participação de mercado de 2,3 por cento para 4,5 por cento em 2016.

Seguindo em frente, o Renault Kwid América Latina é construído sobre a CMF-A Plataforma de Aliança Renault Nissan, com 80% de peças específicas personalizadas por Renault Tecnologias Américas para o Brasil e América Latina .O novo modelo possui uma segurança reforçada, incorporando uma estrutura mais sólida, quatro airbags e ISOFIX em todas as versões.

O motor corresponde à nova família SCE, com 1 litro de três cilindros, capaz de fornecer 66 cavalos de potência e 92 Nm de torque, acoplado a uma caixa de velocidades manual de cinco velocidades. O espaço interior do Renault KWID traz o mesmo estilo audaz do lado de fora. As linhas horizontais e não arrumadas do painel mostram uma impressão de largura e refinamento. O painel de instrumentos digitais e a fachada do centro preto do piano com cromo rodeiam harmoniosamente o sistema MediaNAV centralmente posicionado, criando uma sensação contemporânea e de alta qualidade que combina estilo e praticidade. Usa um design semelhante ao Logan e Sandero atual, rádio convencional ou sistema de mídia Nav 2.0.

O novo Kwid tem uma altura de 18 cm elevado ao solo, semelhantes aos SUVs mais altos, com um ângulo de entrada de 24 graus e saída de 40 graus. Seu comprimento é de 3,68 metros, a distância entre eixos de 2,42 metros e capacidade de carga no porta-malas é de 290 litros.

Versões e equipamentos

Os níveis de acabamento disponíveis no Brasil são o Life, Zen e Intense. As cores que estão disponíveis para a nova versão são: laranja ocre, vermelho fogo, branco marfim, branco neige, prata etoile e preto.

A primeira versão, Renault Kwid Life, versão de entrada, incorpora rodas de 14 polegadas com três pinos e copos, quatro airbags, Isofix e mudança de marcha indicadoras (GSI). O acabamento Zen acrescenta direção hidráulica, ar condicionado, fecho centralizado, vidros eléctricos dianteiros e um rádio com Bluetooth e reprodução de áudio via USB e entrada auxiliar.

Por fim, a versão Intense tem espelhos eléctricos, faróis garimpeiros, sistema de Infotainment mídia Nav 2.0, câmara de marcha, abertura tronco elétrica, chave tipo de luxo e rodas tipo Flexwheel.

Os preços previstos para o Brasil variam entre R$ 29.990 (US $ 9.143) para a versão Life, atingindo R$ 39.990 (US $ 12.191) para a versão Intense.

Definido pela marca como um sofisticado compacto urbano foi apresentado no salão de Buenos Aires, e logo em seguida no Brasil, onde é produzido, deixando os outros países latino-americanos na lista de espera para lançamento.

A marca francesa, Kwid, toma o lugar do Clio como modelo de entrada Renault, mas não vai substituir diretamente a um conceito mais aventureiro, além de ter sido projetado desde o início como um carro popular para mercados de países emergentes, chegou primeiro na América Latina e em seguida, após dois anos, na Índia. O lançamento deste veículo em outros países da América Latina, como na Colômbia, está previsto para o final deste ano ou início de 2018.

Por Samuel Perpétuo

Renault Kwid


Confira as características das versões do Renault Captur.

Fabricado na Europa desde 2013 e compartilhando algumas características e componentes mecânicos do irmão Duster, o Renault CAPTUR chegou ao Brasil com forte apelo ao seu Design. Com linhas modernas, fluidas e suaves sem parecer “fracote”, o SUV (Utilitário Esportivo) da Renault quer ganhar terreno em uma briga que envolve concorrentes difíceis de serem ultrapassados (pelo menos no que diz respeito à aceitação de mercado). A empreitada tem pela frente os interessantes e bem sucedidos Creta (Hyundai), Renegade (Jeep), Kicks (Nissan) e HR-V (Honda).

Das quatro versões disponíveis, apenas uma possui motor 2.0 16v e câmbio automático “tradicional” – que difere do CVT X-TRONIC. É a Intense 2.0 Automático. Esta versão topo de linha tem valor inicial de R$ 93.490 na configuração “padrão”, mas que pode chegar aos R$ 97.890 apenas com uma mudança de cor (biton) e a inclusão de bancos revestidos parcialmente em couro. As versões abaixo do Intense 2.0 têm valores a partir de R$ 80.000 (Zen 1.6 Manual), R$ 86.000 (Zen 1.6 CVT X-TRONIC), e R$ 89.590 (Intense 1.6 CVT X-TRONIC).

Apesar da forte concorrência o Renault CAPTUR aproveita um mercado aquecido para o segmento de SUVs (tanto que a concorrente chinesa JAC Motors anunciou recentemente que vai focar unicamente em SUVs no Brasil e descontinuar seus modelos tradicionais) e seu design se beneficia de uma gama que tem 13 opções de cores, das quais “nove são biton” nas palavras do fabricante. Vale o destaque para a elegante combinação Preto Nacré com teto marfim e as chamativas Laranja Ocre com teto preto e Vermelho Fogo com teto preto. No CAPTUR o Design pode vir acompanhado de rodas 17 com acabamento diamantado nas versões Intense.

Apesar de ser topo de linha e a mais potente (com 148cv) a versão Intense 2.0 recebeu algumas críticas por conta do seu câmbio automático, já considerado ultrapassado, e as versões Zen e Intense com transmissão CVT X-TRONIC devem ganhar fatias de mercado por apresentarem uma boa relação entre tecnologia, desempenho e consumo. A caixa de mudanças é a mesma utilizada no Nissan Kicks (já que falamos de veículos do mesmo grupo Renault-Nissan) e possui as características comuns a este tipo de câmbio – suavidade nas acelerações e praticamente ausência de trancos nas trocas de marchas. No caso do CAPTUR há a opção de troca sequencial de 6 velocidades.

O conforto disponibilizado pelas trocas suaves na hora de conduzir também é complementado por itens adicionais como porta-malas de 437 litros, espaço interno graças a uma boa distância entre-eixos, diversos “porta-trecos” e bancos R-Confort em formato concha com forração de duas densidades e foco na ergonomia. A fabricante autointitula o SUV como tendo a "posição de direção mais elevada e a maior área envidraçada do segmento". Na estrada, o Captur promete maior altura do solo do segmento também, com 212mm de altura livre e ângulos de ataque e saída de 23° e 31° respectivamente. Talvez faça falta uma versão 4×4 para o SUV francês. Por enquanto, estão disponíveis apenas modelos com tração 4×2, mas pelo menos todos são bi-combustível. Clique aqui www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/captur/conforto.html para ver mais especificações do CAPTUR.

Quando o assunto é Segurança o veículo vem de fábrica com quatro airbags, controle de estabilidade ESP e tração, assistente de partida em rampas e sistema de fixação para duas cadeirinhas infantis no banco traseiro, chamada de Isofix. O pacote tecnológico é amplo: farol de neblina com sistema Cornering Light (apenas nas versões Intense) que acende automaticamente para o lado em que o volante é esterçado iluminando assim a curva e melhorando sua visibilidade; sensores de estacionamento, chuva, luminosidade (crespuscular); indicador/limitador de velocidade (piloto automático); ar-condicionado automático que altera o fluxo e a temperatura das saídas de ar (também apenas para a versão Intense); espelhos retrovisores rebatíveis eletricamente de forma automática; e painel digital com computador de bordo com seis funções. Com o acirramento da concorrência em 2018 com a ampliação da linha de SUVs da JAC e a chegada de SUVs “menores” como o WR-V da Honda, por exemplo, o CAPTUR tem uma missão árdua pela frente. Mas se depender de sua beleza e bom conjunto mecânico, já começou bem.

RENAULT CAPTUR

Zen 1.6 16v Manual

Potência: 120cv

Preço: R$ 80.000

Zen 1.6 CVT X-TRONIC

Potência: 120cv

Preço: R$ 86.000

Intense 1.6 CVT X-TRONIC

Potência: 120cv

Preço: R$ 89.590

Intense 2.0 Automático

Potência: 148cv

Preço: R$ 93.490

Por Uirá Fernando Lopes Fernandes

Renault Captur


O Fluence é vendido em 2 versões no Brasil, a Dynamique e a Privilège.

O sedan Fluence da Renault é repleto de qualidades, itens de segurança e conforto, boa motorização, e câmbio automático – o CVT X-TRONIC – que também equipa alguns carros da parceira Nissan, e tem um design atual, detalhe que não pode ser ignorado em tempos de mudanças rápidas como os de hoje. Mas, ele tem um problema: está em um dos segmentos mais concorridos da atualidade no mercado automotivo brasileiro – o dos Sedans Médios – que só perde em disputa e novidades para o dos SUVs.

Concorrentes com mais tempo de mercado, e maior volume de vendas prometem não dar trégua para o francês. O novo Corolla da Toyota e sua fama de "inquebrável", o Honda Civic com seu design incrível, o Ford Focus Fastback e sua renomada dirigibilidade, o Chevrolet Cruze, que carrega a admiração por boa parte do público brasileiro pela marca GM, o Nissan Sentra, que depois de reestilizado passou a chamar a atenção nas ruas, e o Jetta da Volkswagen, que sempre marcou presença desde seu propulsor cinco cilindros de ronco inconfundível e hoje segue entre os líderes com versões TSi e o elogiado câmbio automático DSG são apenas alguns exemplos do tamanho da briga que o Fluence precisa enfrentar para ganhar mercado.

Há esperança, pois os veículos da Renault possuem uma aceitação crescente, ainda que discreta (no melhor estilo francês), no País, graças a sua confiabilidade mecânica. E o Fluence mantém tais características. Disponível apenas em duas versões atualmente, pode ser comprado por R$ 99.350 na versão Dynamique, ou por R$ 108.300 na Privilège. A motorização é a mesma para ambas – o 2.0 16v Hi-Flex de 143cv no etanol (e 140cv na gasolina), potência máxima designada pelo fabricante, e atingida aos 6.000rpm.

A versão top de linha do sedan francês supera em número itens de segurança e conforto se comparada à versão Dynamique. No Fluence Privilège são seis airbags no total (dois a mais, inclusive com formato cortina nas laterais), rodas 17 polegadas, controle eletrônico de estabilidade e tração, teto solar com sistema antiesmagamento, faróis de Xénon, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro com câmera de ré, rebatimento elétrico dos retrovisores, entre outros mimos. Onde a diferença ganha importância é no recurso de controle de estabilidade (ESP), tecnologia que amplia a segurança em situações adversas durante a condução do veículo. Os faróis de Xénon possuem regulagem automática de altura, outro item indisponível na versão mais "humilde".

Com uma lista extensa de itens de segurança e conforto, as duas versões do Fluence merecem uma avaliação criteriosa antes da decisão de compra. O que pode parecer irrelevante para um cliente, pode ser a decisão de outro. Teto solar ou rodas 16 polegadas ao invés de rodas 17, podem parecer detalhes de pouca importância, mas mudam a aparência do sedan médio, o que pode representar maior ou menor desvalorização no mercado de seminovos. A diferença de preço nas duas versões, na formatação "padrão" de cada uma, é de R$ 8.950. Talvez compense o investimento adicional para sair rodando com um carro mais completo e bonito. De qualquer maneira é uma decisão muito pessoal.

Veja aqui www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/fluence.html mais detalhes do sedan, no site oficial do fabricante.

Fato é que ao rodar com um Fluence, o conforto estará sempre presente. Sensores de luz e chuva fazem o trabalho automaticamente, colocando os limpadores do parabrisa em ação quando começa a chuva e acendendo os faróis quando escurece. O regulador e limitador de velocidade, mais conhecido como Piloto Automático também está lá, à disposição do motorista, e convenhamos, é um ótimo recurso para as estradas.

Ainda temos muitos recursos: painel digital nas duas versões, cinto de segurança de três pontos central no banco traseiro, que também possui três encostos de cabeça, Ar-condicionado digital Dual Zone, Chave-cartão "hands free" com walk away closing (fechamento do veículo quando você se distancia dele com a chave-cartão), alerta do uso de cinto de segurança para motorista e passageiro e volante com revestimento em couro natural e sintético.

Saúde para brigar no segmento dos sedans médios não falta ao Fluence, e a Renault com certeza sabe disso. Que vença o melhor.

Versões

Dynamique CVT Plus

Motor: 2.0 16v Hi-Flex

Potência: 143cv (etanol) a 6.000rpm

Preço: R$ 99.350

Privilège

Motor: 2.0 16v Hi-Flex

Potência: 143cv (etanol) a 6.000rpm

Preço: R$ 108.300

Por Uirá Fernando Lopes Fernandes

Renault Fluence


A Renault disponibiliza hoje a Duster em três versões principais: Expression, Dynamique e Dakar II. Confira suas configurações e preços.

O Renault Duster é hoje o principal SUV (Sport Utility Vehicle) em vendas da marca francesa no Brasil. Segundo a Fenabrave (www.fenabrave.com.br) mais de 10.000 unidades foram vendidas até o mês passado (Julho de 2017), isto além de significar um sucesso de vendas neste concorrido e cada vez mais recheado segmento, a aposta em um projeto europeu lançado em 2009 e muito bem adaptado ao gosto e ao bolso do consumidor brasileiro.

Sua produção se iniciou em 2011 na fábrica da Renault no Paraná e reforça o fato do Brasil ser hoje o segundo maior mercado da Renault no mundo, maiores detalhes destes e outros fatos históricos da montadora francesa, podem ser conferidos em: www.renault.com.br/universo-renault/renault-no-brasil/numeros-e-datas.html.

A Renault disponibiliza hoje o Renault Duster em três versões principais: Expression, Dynamique e Dakar II, todas podem ser equipadas com motor de 1.6 16cv de 120cv ou 2.0 16v de 148cv com tração 4×2 ou 4×4. Sua suspensão é Multilink garantindo estabilidade em terrenos mais difíceis e comportamento de carro de passeio na cidade.

O Renault Duster possui ótimos ângulos de entrada e saída (30° e 34.5° respectivamente) com altura do solo de 210mm, fazendo o carro estar muito bem preparado para terrenos off-road.

Em sua versão mais sofisticada, a Dakar II, a Renault procurou conjugar muita sofisticação a sua personalidade aventureira com um pacote exclusivo de acessórios Outsider personalizando externamente e internamente o veículo.

Excelente espaço interno e o melhor porta-malas da categoria

O Renault Duster tem um ótimo espaço interno com porta-malas de 475 de litros (segundo a Renault o maior da categoria), fora isto pode ser equipado com o câmbio CVT X-Tronic aumentando o prazer ao dirigir e com opção de seis marchas sequenciais, o espaço interno é farto com encostos rebatíveis, muitos compartimentos práticos para guardar objetos e comodidade e tecnologia com o Media Nav, tela sensível ao toque de 7’’ com GPS integrado compatível com iPod® e USB, além da função rádio AM/FM.

Preços sugeridos, versões e características

Renault Dynamique

Preço inicial sugerido de R$ 73.490,00

Motorização: 1.6 16v de 120cv ou 2.0 16v de 148cv

Câmbio: Manual, CVT X-Tronic, Automático, 4×2 e 4×4

Principais Equipamentos:

Central Multimídia, Comandos de celular e áudio no volante, repetidores na lateral, faróis de neblina, ar-condicionado, computador de bordo, direção elétrica, vidros, travas e retrovisores elétricos, alarme, ABS, Airbag para passageiro e motorista, rodas de liga-leve de 16”,painel com detalhes em preto.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Branco, Cinza, Marrom e Prata

Renault Expression

Preço inicial sugerido de R$ 67.990,00

Motorização: 1.6 16v de 120cv

Câmbio: Manual, CVT X-Tronic 4×2

Principais Equipamentos:

Central Multimídia, Comandos de celular e áudio no volante, ar-condicionado, computador de bordo, direção elétrica, vidros e travas elétricos, alarme, ABS, Airbag para passageiro e motorista, rodas aro 16”,painel com detalhes em preto.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Branco, Cinza, Marrom e Prata

Renault Dakar II

Preço inicial sugerido de R$ 74.090,00

Motorização: 1.6 16v de 120cv e 2.0 16v de 148cv

Câmbio: Manual e Automático de 4×2 e 4×4

Principais Equipamentos:

Central Multimídia, Comandos de celular e áudio no volante, repetidores na lateral, faróis de neblina, ar-condicionado, computador de bordo, direção elétrica, vidros, travas e retrovisores elétricos, alarme, ABS, câmera de ré, piloto automático, Airbag para passageiro e motorista, rodas de liga-leve diamantadas de 16”, acabamento interno e painel Dakar II.

Disponível nas Cores Sólidas ou Metálicas: Vermelho, Preto, Branco, Cinza, Marrom e Prata

A Renault disponibilizou um simulado com ampla variedade de combinações, motores, cores e acabamentos, além de uma visão 360° do carro para o consumidor conhecer todos os detalhes no link: www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/duster/configurator.html#configure/. Vale a pena conferir.

Por Carlos B.

Renault Duster 2017


O compacto Volkswagen Up! tem 4 versões disponíveis com itens e preços variados.

O compacto Volkswagen Up! foi um sucesso de crítica europeia desde seu lançamento em 2011 em uma das mais importantes exposições automobilísticas do mundo, o Salão de Frankfurt, na Alemanha.

Em sua atual comercialização no Brasil, a Volkswagen oferece quatro versões (Take, Move, Cross e Pepeer), o Volkswagen Up! sofreu uma recente atualização estilística e conta com o novo motor 1.0 TSI turbo com três cilindros e injeção direta de combustível, tanta tecnologia é apresentada para consumidores que não dispensam mais potência sem abrir mão da economia de combustível, o compacto também é oferecido com o câmbio I-Motion garantindo conforto na condução, tanto na cidade como na estrada.

Versão aventureira e esportiva completam a gama Up!

Além de ter uma versão aventureira, denominada “Cross”, o Volkswagen lançou o Vokswagen Up! Pepper, uma versão esportiva inspirada no sucesso de público conseguido em seus outros modelos da marca.

Apesar das duas versões contarem com o mesmo motor TSI de 105cv, o principal diferencial da “Pepper” é o acabamento preto presente no teto, aerofólio e tampa traseira além das saias laterais. Rodas de liga leve de 15 polegadas completam o belo visual, além de estarem presentes na versão Cross também, o interior do veículo é todo preto com pequenos detalhes em vermelho, o proprietário irá encontrar o emblema “Pepper” no interior da soleira das portas, dando um toque de exclusividade e requinte nesta versão mais apimentada da gama.

Preços, versões e equipamentos

O consumidor tem a disposição um configurador da montadora para conferir as quatro versões do compacto no link: (http://app.volkswagen.com.br/ihdcc/pt/configurator.html#30301), nele também é possível configurar as cores da carroceria e os acabamentos internos.

Para facilitar o entendimento, abaixo descrevemos um resumo de todas as versões:

Move Up!

Move Up!, motor 1.0, partindo inicialmente dos R$ 48.790,00

Move Up!, motor 1.0 e câmbio I-Motion, partindo inicialmente dos R$ 51.190,00

Move Up!, motor 1.6, partindo inicialmente dos R$ 53.990,00

Equipamentos e cores principais:

Carroceria: rodas de liga leve aro 14”

Segurança: 2 airbags no veículo, freios com sistema anti-travamento (ABS)

Conforto: Ar-condicionado, chave tipo canivete com controle, direção elétrica e computador de bordo

Cores Sólidas: Branco, Preto e Vermelho

Cores Metálicas: Azul, Cinza, Laranja e Prata

Versão Take Up!

Take Up!, motor 1.0, partindo inicialmente dos R$ 37.990,00

Equipamentos e cores principais:

Carroceria: antena no Teto, máscara escurecida nos faróis, vidro traseiro com desembaçador, limpador e lavador.

Segurança: 2 airbags no veículo, freios com sistema Anti-Travamento (ABS)

Conforto: chave tipo canivete, encosto do banco traseiro, partida a frio do motor sem auxilio do tanque de gasolina, sistema de fixação da cadeirinha da criança.

Cores Metálicas: Azul, Cinza, Laranja e Prata

Cores Sólidas: Branco, Preto e Vermelho

Up! Pepper

Up Pepper, motor 1.0 TSI, partindo inicialmente dos R$ 57.900,00

Equipamentos e cores principais:

Carroceria: Espelhos retrovisores com luzes indicadoras de direção, rodas de liga leve aro 15”.

Segurança: 2 airbags no veículo, freios com sistema Anti-Travamento (ABS).

Conforto: Computador de Bordo, Ar-condicionado, direção elétrica, alarme e chave com controle remoto, painel com aplique 3D, sistema de fixação de cadeirinha de criança, sensor de chuva e crepuscular.

Cores Metálicas: Prata

Cores Sólidas: Branco, Preto e Vermelho

Cross Up!

Cross Up!, motor 1.6 TSI, partindo inicialmente dos R$ 56.990,00

Equipamentos e cores principais:

Carroceria: Faróis de neblina, espelhos retrovisores com ajuste elétrico, frisos laterais com inscrição “cross” além de alarme com controle remoto, rodas de liga leve aro 15”.

Segurança: 2 airbags no veículo, freios com sistema Anti-Travamento (ABS).

Conforto: Ar-condicionado, acabamento da alavanca de freio de mão em couro, direção elétrica, iluminação ambiente e do porta-malas, sistema de fixação de cadeirinha de criança.

Cores Metálicas: Azul, Cinza, Laranja e Prata

Cores Sólidas: Branco, Preto e Vermelho

Fora o simulador de configuração, vale a pena conferir o hot site do modelo disponibilizado pela montadora alemã também no link: http://up.vw.com.br.

Mais detalhes: www.volkswagen.com.br.

Por Carlos B.

Volkswagen Up

Volkswagen Up

Fotos: Divulgação


Confira a ficha técnica e as configurações completas do Jetta, da Volkswagen.

A linha de sedans médios no mercado brasileiro há um tempo conta com cinco modelos. O Honda Civic e o Toyota Corolla são absolutos na parte alta da lista, já o Volkswagen Jetta, continua discreto em quantidade de vendas e nem está dentre os veículos mais comercializados, de acordo com o levantamento da Fenabrave. Isso porque o carro foi nacionalizado recentemente e é o segundo modelo com maior número de vendas da marca.

Com o objetivo de mudar esse cenário, a Volkswagen trouxe para as configurações Comfortline e Trendline, o motor 1.4 TSI turbo.

A configuração Highline, topo de linha, ainda é importada diretamente do México sendo o 2.0 turbo que gera 211 cavalos. Este downsizing também é o marco da finalização do uso do descontinuado 2.0 com potência de 120 cavalos utilizado no Jetta, por anos. O valor inicia em R$ 78.230 na configuração Trendline manual e salta, no automático, para R$ 83.630. A versão Comfortline alcança o valor de R$ 89.750, onde não está incluso o pack Exclusive, pelo valor de R$ 6.470 ou então o teto-solar por R$ 4.130.

No mercado brasileiro, o motor utilizado no Golf, o 1.4 TSI terá os 150 cavalos somente ao se tornar flex. O Jetta novo Comfortline 1.4 TSI vem somente a gasolina e possui potência igual o Golf Variant do México. No tal ajuste, este motor 1.4 TSI à gasolina com injeção direta e turbo gera uma potência de 150 cv em 5.000 giros e torque de 25,6 kgfm em 1.500 rpm. A configuração Comfortline possui somente câmbio automático com seis velocidades Tiptronic. A Trendline, por sua vez, que é a versão de entrada também pode ter transmissão manual com seis marchas, já a Highline é ofertada apenas com transmissão automático DSG com dupla embreagem e seis marchas.

Na parte interna, o Comfortline possui volante multifuncional com base reta revestido em couro, ar-condicionado digital, manopla do câmbio de couro e alumínio, painel inferior, painéis de porta, bancos de couro bege (tendo alternativa de ser preto), sensores de estacionamento traseiro e dianteiro e aletas no volante. A distância entre-eixos é de 2,65 metros, desta forma o espaço traseiro, para dois adultos, é bom, entretanto há encostos de cabeça e cintos para todos, mesinha com porta-copos e saída de ar-condicionado. O passageiro do meio é prejudicado pela elevação do túnel no assoalho, dificultando a acomodação dos pés. Por fora, não ocorreram alterações estéticas.

O pacote Exclusive conta com sensor de chuva, multimídia Discover Media, rodas 16 polegadas com pneus 225/45, ar-condicionado digital dual zone e chave presencial. Se equipar com teto solar, os itens opcionais acabam por elevar o valor da versão Comfortline para R$ 100.350, ficando bem próximo do preço cobrado pelo Highiline 2.0 TSI, com menos itens.

Esta central multimídia (Composition Media) também é utilizada no Passat. O aparelho é fácil de operar e intuitivo, além de trazer uma tela touchscreen com 6,3 polegadas, Bluetooth, Rádio, entrada SD e ainda função de espelhamento para três diferentes plataformas (Android Auto, Mirror Link e Apple Carplay). O equipamento não possui navegação GPS e nem permite espelhamento do app Waze na tela, porém replica o Maps da Apple e o Maps do Google. Como opcional, a central Discover Media conta com duas entradas para cartão SD, leitor de CD, conexão USB e AUX. Sem falar da possibilidade de parear dois smarthpones ao mesmo tempo.

Ficha técnica

Cilindrada: 1.395cm³

Motor: Transversal, dianteiro, 4 cilindros em linha, comando duplo, 16V, injeção direta de gasolina.

Torque: 25,5 kgfm em 1.500 giros

Potência: 150 cv em 5.000 rotações

Direção: Elétrica

Câmbio: Automático com seis velocidades, tração dianteira

Suspensão: dianteira – Independente McPherson. Traseira – multilink

Pneus: 205/55 raio 16

Freios: Dianteira – Discos ventilados – Traseira – discos sólidos

Dimensões: entre-eixos 2,65 m, Largura 1,77 m, comprimento 4,65 m, altura 1,47 m.

Porta malas: 510 litros

Tanque: 55 litros

Peso: 1.298 kg

Por Filipe Silva

Volkswagen Jetta 2018

Volkswagen Jetta 2018

Fotos: Divulgação


Confira as Especificações Técnicas Completas do Renault Sandero.

A montadora francesa Renault resolveu melhorar seus motores 1.0 e 1.6, apresentando dois novos propulsores destinados aos modelos Logan e Sandero, sendo o 1.0 3 cilindros 12V SCe e o outro 1.6 4 cilindros 16V SCe.

O motor 1.0 tricilíndrico SCe do modelo faz parte das versões Expression Especial (vendida por R$ 44.950), Vibe (vendida por R$ 47.100) e Authentique Especial (vendida por R$ 42.400)

De acordo com a Renault, o novo propulsor SCe fez com que o Sandero chegasse a ser o veículo mais econômico do segmento. Antigamente, o Sandero batia 11,9 km/l na cidade, à gasolina; atualmente, utilizando o 12V novo, o rendimento urbano chegou em 14,2 km/l. Estas informações foram aferidas pelo Inmetro. Além de atingir, no consumo de combustível, uma queda de 19%, o modelo também ficou mais ágil. O consumo do Sandero na estrada é 14,1 km/l à gasolina e com etanol 9,6 km/l.

Já a potência foi dos 77 cv para 79 cavalos à gasolina e no etanol de 80 cv para 82 cv, entretanto em giros mais alto (Sendo 6.300 giros, diante dos 5.750 rpm anteriores). Nos valores de torque, não houve mudança (sendo 10,5 com etanol e 10,2 kgfm com gasolina), porém o aproveitamento desta força do propulsor aparece bem mais, sendo de 3.500 giros agora, o que antes era de 4.250 rpm. Segundo engenheiros da marca 90% do torque do moro já se encontra disponível aos 2 mil rpm.

FICHA TÉCNICA

Sandero 1.0 SCe 12V

Motor: 1.0, 12V, 3 cilindros em linha, start-stop

Preço básico: R$ 46.300

Cilindrada: 999 cm3

Potência: 79 cv a 6.300 rpm (g) e 82 cv a 6.300 rpm (e)

Combustível: flex

Torque: Gasolina: 10,2 kgfm em 3.500 rpm – Etanol: 10,5 kgfm em 3.500 rpm

Direção: eletro-hidráulica

Câmbio: manual, 5 velocidades

Suspensões: Dianteira: McPherson – Traserio: eixo de torção

Freios: Dianteira: disco ventilado – Traseiro – disco sólido

Dimensões: 1,733 m (l), 4,060 m (c) e 1,536 m (a)

Tração: dianteira

Entre-eixos: 2,590 metros

Porta-malas: 320 L

Pneus: 185/65 raio 15

Tanque: 50 L

0-100 km/h: Gasolina: 13s1 e Etanol: 13s0

Peso: 1.011 Kg

Velocidade máxima: Etanol 163 km/h – Gasolina: 160 km/h

Emissão de CO2: 93 g/km

Consumo estrada: Etanol: 9,6 km/l – Gasolina: 14,1 km/l

Consumo cidade: Etanol: 9,5 km/l – Gasolina: 14,2 km/l

Por Filipe Silva

Renault Sandero


Uma resolução do Contran firmou que qualquer usuário poderá usar a sua CNH vencida como documento oficial para a sua identificação.

Sabe aquela carteira de motorista que venceu, mas que você tem guardada na sua casa em alguma gaveta? Pois saiba que a partir de agora, a sua carteira nacional de habilitação, conhecida pelas abreviações de CNH, já tem uma nova utilidade para você.

Isso porque foi decidido, em ofício enviado no último dia 29 de junho, que qualquer usuário poderá usar a sua CNH como documento oficial para a sua identificação. Sendo assim, por uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito, o Contran, um órgão que é ligado Ministério das cidades, todas as instituições, seja de administração pública municipal, estadual ou federal deverão aceitar o documento vencido para comprovação de pessoa, bem como aeroportos, bancos, e muito mais.

A decisão foi tomada pelo próprio conselho, que entendeu que a data vigente na validade da carteira de habilitação somente se refere ao prazo em que está vigente o exame de aptidão mental e física de cada motorista. Com isso, em nada interfere ou altera esse vencimento naquilo que diz respeito aos dados pessoas de cada pessoa.

Mas as novidades não param por aí…

Apesar de ser uma grande novidade e que tem gerado polêmicas e chamado a atenção das autoridades e pessoas envolvidas, essa não é a primeira surpresa que está envolvendo as carteiras de habilitação durante as últimas semanas. No último dia 22 de junho, houve uma outra aprovação na Câmara pela Comissão de Constituição e Justiça, a CCJ.

Essa colocava um fim às multas aos motoristas que não estivessem com o seu documento de habilitação ou, ainda, com a sua licença de veículo logo no momento de uma abordagem. Porém, quanto a esse projeto, ainda é preciso esperar por um resultado final, já que ele passará pelo Senado para aprovação nas próximas semanas ou meses.

Para que haja organização quanto a esse projeto de lei 8022/14, de autoria da ex deputada Sandra Rosado, com parceria com a deputada Keiko Ota, é necessário que o agente de trânsito tenha condições de obter as suas informações sobre a documentação.

Como possibilidade, essa consulta poderá ser feita em bancos de dados oficiais, por exemplo. Em caso de não possibilidade de realização e verificação dos dados de forma online, haverá o cancelamento do auto de infração, desde que o condutor apresente ao órgão de trânsito sob responsabilidade da autuação, em no máximo 30 dias, o seu documento.

Atualmente e pelas regras vigentes, quem for pego dirigindo sem carteira de motorista ou licenciamento do veículo, poderá ser multado. Além disso, é retido o veículo, até a apresentação de toda a documentação.

Por Kellen Kunz

CNH Vencida


Nova versão do Polo será produzida no Brasil a partir de setembro deste ano.

Assim como se esperava, a Volkswagen no dia 22 de junho, anunciou a produção da última geração do Polo no Brasil. A partir de setembro, o veículo será produzido na cidade de São Bernardo do Campo (SP), tendo previsão de iniciar as vendas em novembro ou dezembro de 2017.

A montadora confirmou também a produção do modelo Virtus, um sedan que utiliza da plataforma do Polo. A montagem de ambos os modelos está no cronograma de investimentos da marca no mercado nacional, que até 2020 pretende injetar R$ 7 bilhões.

A planta localizada na região metropolitana de São Paulo foi bem modernizada, agora conta com equipamentos e robôs de última geração. O espaço na linha de produção, deixado pelo Jetta deve ser preenchido, atualmente o modelo é trazido do México.

Na semana passada o modelo foi apresentado mundialmente e agora o Polo terá uma versão compacta da MQB, usada em vários modelos da VW. A partir desta também serão produzidos o Virtus, que será um sedan situado entre o Voyage e Jetta, e mais dois veículos, provavelmente uma picape intermediaria e um utilitário esportivo com base no T-Cross.

Em relação ao antecessor (lembrando que a quinta geração não foi comercializada por aqui), o Polo é maior tendo um comprimento de 4,05 m, sendo 7 cm maior, de largura tem 1,75 m também 7 cm maior, 1,44 m de altura e 2,56 cm de distância entre-eixos.

O desenho foi inspirado nos lançamentos recentes da montadora, como o Arteon, dando a impressão da grade dianteira emular uma extensão do capô. Na parte interna, se destaca o painel digital parecido com o utilizado nos modelos da Audi, o qual será oferecido também no Polo brasileiro.

O Polo, na Europa contará com propulsores a gasolina e a diesel, tendo versão com 1.0 TSI de 120 cv, 2.0 TSI com 200 cv e 1.5 TSI com 150 cv. Enquanto por aqui, os propulsores serão 1.0 MPI com 82 cv, o 1.0 TSI com 125 cv, o 1.6 MSI com 120 cv e o 1.4 TSI com 150 cv.

Por Filipe Silva

Volkswagen Polo


Nova geração do modelo traz mudanças no visual e motores.

A montadora alemã BMW apresentou na última segunda-feira, dia 26 de junho, a última geração do modelo SUV X3, sendo a terceira de sua história.

O modelo, além de novo visual, foi dotado também de algumas variações de motores, que iniciam em uma potência de 184 cavalos chega a até 360 cv. Segundo informações da montadora, o veículo irá chegar no mercado brasileiro no ano que vem.

É fácil perceber modificações em toda sua parte visual, embora ainda mantenha sua tradicional identidade. Na parte dianteira, o design dos faróis ficou mais compacto e moderno, já as suas grades centrais foram aumentadas e o formato redondo do farol de neblina foi abandonado, para ser trocada por uma lâmpada de LED na horizontal.

Na parte traseira do veículo, a lanterna foi aumentada e a sua saída do escapamento passou a ser um pouco maior. A resistência aerodinâmica do veículo, de acordo com informações da companhia, foi melhorada e ainda recebeu uma linha na parte lateral um pouco menos inclinada.

As rodas que agora são disponibilizadas em raio de 19 e 21 polegadas recebem o peso distribuído em 50% para cada uma das mesmas, que agora disponíveis de 19 a 21 polegadas.

No seu interior, o modelo também foi todo redesenhado, recebeu um painel com 12,3 polegadas de tamanhão e um display no multimídia com 10,2 polegadas. O tamanho de seu porta-malas é de 550 litros, os quais podem ser aumentados para 1.600 litros, ao rebater os bancos.

Sobre os motores do BMW X3

O X3, na Europa, conta com 5 diferentes opções de propulsores, onde três deles são movidos à gasolina e os outros dois, a diesel. Segundo informações da própria fabricante, as potências oscilam entre 184 cavalos e 360 cavalos. Todas as versões conta com transmissão automática de 8 marchas.

O veículo também tem vários assistentes de condução, que facilitam a vida do motorista, como por exemplo, assistente para mudança de faixa, assistente para manter o veículo na faixa e também controle de distância do veículo situado à sua frente.

Por Filipe Silva

BMW X3 2018

BMW X3 2018


O modelo foi desenvolvido para substituir os populares Palio Fire e Uno Fire, que deixaram de ser produzidos.

Todo brasileiro é realmente apaixonado por carros e quando o assunto é algum lançamento automobilístico logo já se deseja saber todos os detalhes do possante.

Se você se inclui nesse grupo de brasileiros que adora saber tudo sobre os zero quilômetros do momento, continue lendo este artigo e conheça o Fiat Mobi do ano de 2018.

O modelo foi desenvolvido para substituir os populares Palio Fire e Uno Fire, que deixaram de ser produzidos. A proposta inicial era de que ele tivesse um preço acessível, como o de seus antecessores, porém para ter um lado mais moderno, o preço final acabou saindo mais alto, o que desagradou a muitos.

Contudo, aos poucos o Mobi tem ganhado a preferência dos brasileiros, uma vez que se inclui entre os mais baratos da marca e com bastante qualidade.

O objetivo da Fiat é fazer com que o Mobi alcance o lugar dos compactos mais vendidos do país e tem trabalhado para isso, pois desde o seu lançamento tem feito diversas modificações para que seu valor saia mais em conta no Mobi 2018.

O Fiat Mobi 2018 será disponibilizado em quatro versões, sendo elas:

– Versão Easy 1.0 Fire;

– Versão Like 1.0 Fire;

– Versão Way 1.0 Fire;

– Versão Drive 1.0 Firefly.

Apesar de ter subtraído vários itens que o encarecia, a versão de entrada ainda sofre um aumento no preço.

Veja abaixo os preços de todas as versões:

  • Easy 1.0 Fire: vendido por R$ 33.700;
  • Like 1.0 Fire vendido por R$ 39.190;
  • Way 1.0 Fire: vendido por R$ 40.650;
  • Drive 1.0 Firefly: vendido por R$ 40.650.

O Mobi da Fiat possui fabricação brasileira na cidade de Betim, no estado de Minas Gerais.

A versão de entrada, o Mobi Easy é constituída de airbag duplo frontal, Freios ABS, banco traseiro bipartido, calotas integrais e rodas de aço de 13”. Além disso, há um moderno quadro de instrumentos iluminado com LED e um display de 3,5 polegadas.

Conforme as versões são acrescentados novos equipamentos como ar condicionado, vidros elétricos, regulagem de altura para o volante, entre outros.

O Fiat Mobi é um compacto que aos poucos irá conquistar um grande público brasileiro, pois oferece a já renomada qualidade dos veículos da marca.

Por Sirlene Montes

Fiat Mobi 2018


Modelo chega às concessionários neste mês de abril e custará a partir de R$37 mil.

A Volkswagen anunciou em evento realizado no dia 17 de abril, a linha 2018 do Up!. Nesse caso, chamou a atenção de todos o fato de que o valor inicial para vendas do veículo será de R$ 37.990 (Take Up), podendo chegar a R$ 57.100 (High Up). A fabricante resolveu mudar suas estratégias de mercado, para oferecimento do modelo, provavelmente devido aos seus baixos números de venda no Brasil. Assim, agora o modelo voltará a fazer parte da linha principal, com apelo mais popular da marca.

O que o Volkswagen Up 2018 trará de série

De série, a versão básica do Take Up! trará:

· Freios ABS/EBD

· Airbags frontais

· Rodas de aço aro 14’’

· Chave tipo canivete

· Lavador

· Limpador e desembaçador de vidro

· Alerta sonoro de faróis, quando estiverem acesos

· Porta-malas com iluminação

· Entrada USB, para carregar celular.

· Suporte para celular.

Para obter opções, como: direção elétrica, vidros dianteiros com acionamento elétrico, travamento elétrico das portas e ar-condicionado, será necessário adquirir o pacote “Take completo”, com valor adicional de R$4.900.

Preço pode mudar público interessado no veículo

Em 2014, quando o automóvel da linha Volkswagen Take Up foi lançado, seu preço de venda era de R$28.900. Por esse motivo, a versão 2018 pode causar certo espanto, devido ao seu novo valor, em quem gostava do modelo ou desejava adquiri-lo. Com as mudanças de posicionamento de venda do modelo, a Volkswagen deve passar a considerá-lo como parte do padrão “premium”, mudando sua proposta de carro popular, como no momento de seu primeiro lançamento.

Ficha técnica do Volkswagen Up 2018

  • Dimensões: 3.605mm (comprimento), 1.914mm (largura), 2.421mm (distância entre eixos) e 1.504mm (altura).
  • Peso: 902kg (em ordem de marcha).
  • Motor: 999 cm3 cilindradas, 82 CV, com torque líquido máximo de 10,4 kgfm (E) – 9,7 kgfm (G).
  • Desempenho: 164 km/h, com aceleração máxima de 12,5 s.
  • Freios: disco ventilado (dianteiros) e tambor (traseiros).
  • Compartimento de carga: 285 litros.
  • Direção: elétrica.
  • Combustível: capacidade de 50 litros.
  • Capacidade: máxima de 5 passageiros.

Os modelos da linha Volkswagen Up 2018 podem ser solicitados em pré-venda no site oficial da fabricante no Brasil. No local, através de fotos e vídeos é também possível visualizar diversos detalhes (interior e exterior) da nova versão do automóvel.

O que acha da nova linha do Up? Você pretende adquirir o modelo?

Camilla Silva


Modelo foi apresentado no Salão de Genebra 2017.

Para os fiéis consumidores e fãs da marca Kia no Brasil e em especial aqueles que adoram o modelo Picanto, uma grande novidade acaba de se revelada em Genebra, Suíça, no último salão do automóvel: o modelo vai estrear em todo o mundo agora com um visual totalmente repaginado, ou melhor, ele estará mais rejuvenescido e atualizado. Para os brasileiros, a novidade promete estar nas lojas a partir do segundo semestre de 2017.

Com o novo visual, a nova geração do Kia Picanto 2017 chega à sua terceira geração e promete continuar a briga com seus antigos rivais desde quando estreou em terras brasileiras: o Up! da Volkswagen, o Peugeot 108 e o Hyundai i10. Considerado o filho mais novo da família coreana, a partir de agora ele assume um visual mais esportivo, marca principal de sua inovação. Além disto, ele promete oferecer maior espaço interno e itens exclusivos de conforto e segurança .

Quais as mudanças que podem ser notadas no seu aspecto físico ?

Além do visual, considerado também mais agressivo (versão GT Line), ele incorporou novos conceitos de conforto, estabilidade e segurança:

1 – Cabine em estilo mais refinado;

2 – Possibilidade do motorista recarregar seu celular em sistema sem fio;

3 – Maior controle de estabilidade;

4 – Sistema de frenagem automática de emergência (opcional);

5 – Maior porta malas da categoria (255 litros);

6 – Equipado com motor 1.0 T-GDI (turbo com injeção direta), de 100 cv e 17,5 kgfm de torque. As demais versões vem com motor a gasolina 1.0 com 3 cilindros. Ele promete fazer de 0 a 100Km/h em 10 segundos, com uma velocidade máxima de 180Km/h;

7 – Sistema de redução de ruídos (pode se considerado o mais silencioso de sua classe);

8- Sistema de câmbio manual com cinco marchas, sendo que câmbio automático de 4 velocidades pode ser comprado na versão 1.2; Todas estas versões vem o sistema Start/Stop.

As primeiras vendas deverão ocorrer na Europa a partir do segundo trimestre deste ano. No Brasil, o novo e mais jovial Kia Picanto tem previsão de chegada confirmada no país ainda ao longo de todo 2017, sem uma data definida ainda pela montadora.

Emmanoel Gomes


Confira aqui o preço e as principais novidades presentes no novo Hyundai Tucson 2017.

Desde a sua fase de ressureição da Hyundai em meados de 2007 aqui no Brasil, o aumento das vendas do seus veículos vem crescendo assustadoramente, mesmo em épocas de crise e aperto financeiro.

Depois do sucesso de vendas dos bem sucedidos New Azera e do grandalhão Grand Santa Fe, chegou a vez da Hyundai do Brasil inovar e lançar o seu mais novo carro: o New Tucson 2017, que vem totalmente reestilizado e não se parece em nada com sua versão anterior.

A própria montadora diz que o carro é a verdadeira revolução do SUV e não poderia deixar de ser, pois o New Tuson vem equipado com motor 1.6 com injeção direta de gasolina e 177 cv, câmbio automático de 7 velocidades, ar condicionado dual zone, central de entretenimento, teto solar panorâmico que proporciona experiência única para motorista e passageiros e rodas de liga leve com aro 18".

O New Tucson chega ao mercado totalmente remodelado e com um design totalmente inovador, tem a intenção de ser um dos carros mais admirados do planeta. A promessa da Hyundai é que o New Tucson vai ser uma revolução no segmento dos SUV´s aqui no Brasil, pois o modelo vem com uma moderna tecnologia que vai impressionar a todos. A montadora sul coreana, que tem a tradição de produzir carros beberrões, promete acabar com isso e lançou a New Tucson com um moderno e econômico motor 1.6 com desempenho surpreendente e 30% a mais de economia de gasolina.

O conforto também é outro ponto forte desse Hyundai, pois o carro conta com um enorme porta-malas com capacidade para 513 litros e abertura por aproximação, além de banco revestidos em couro com opção de escolha de duas cores, aquecimento e resfriamento do ambiente interno.

O espaço interno é muito grande e cabe, seguramente, três adultos com folga no banco de trás com amplo espaço para as pernas.

A tranquilidade de quem compra um carro zero km da Hyundai é a garantia de 5 anos que a montadora oferece, sem limite de quilometragem, além de assistência 24 horas durante 1 ano e totalmente grátis.

Quem quiser um super carro desses e tiver a coragem de desembolsar salgados R$ 147.900,00, pode se dirigir até uma concessionária Hyundai mais próxima e fechar negócio.

Rodrigo Souza de Jesus


O Chevrolet Prisma foi o destaque em vendas no mês de fevereiro de 2017, seguido do VW Voyage e do Hyundai HB20S.

O maior destaque de vendas no mês de fevereiro entre os veículos sedans de entrada foi um modelo bem conhecido. Tendo uma alta de 11% ao comparar com o mesmo período do ano de 2016, o veterano Voyage totalizou 2.442 exemplares emplacados e assim assumiu a segunda colocação no ranking do segmento. Sendo o 3º pódio seguido do modelo da marca alemã.

A ascensão do Voyage está relacionada também com o baixo desempenho do HB20S. O veículo da Hyundai somou 2.105 unidades emplacadas e acabou tendo seu pior resultado desde o mês de abril de 2013, com 967 exemplares, quando teve iniciou suas vendas no país.

O topo ainda se manteve com o Prisma, tendo 3.368 unidades emplacadas, que representa um recuou de cerca de 24% nos 12 últimos meses, entretanto a vantagem que o modelo da Chevrolet teve sobre o rival mais perto caiu para um pouco menos de mil unidades. No mês de janeiro, a vantagem tinha batido a marca de aproximadamente 1,9 mil unidades.

Em dois meses participando das análises da categoria, o modelo sedan do Toyota Etios manteve a mesma quarta colocação, com 2.054 emplacamentos, tendo números quase 16% acima aos de 2016. No entanto, a diferença com relação ao Siena foi de somente 39 unidades, emplacando assim 2015 unidades.

A marca italiana Fiat, aliás, contou com seu segundo pior resultado no ranking desde o mês de janeiro de 2002, período esse sendo o mais antigo com dados ainda disponíveis por meio dos arquivos da Fenabrave. Ainda sem contar o modelo Siena, o Forda Ka+ com 1.128 emplacamentos foi outro que teve um destaque negativo. Outra vez sendo ultrapassado pelo Renault Logan, com 1.427, o carro da montadora americana não comercializava uma quantidade tão baixa desde o mês de outubro de 2014, que atingiu 881, quando começou a ser comercializado de forma oficial.

O mês não foi bom também para o modelo Versa, que vendeu somente 964 unidades. Ao considerar que o modelo Chevrolet Classic, que emplacou 9 unidades já saiu de linha, o Nissan ocupou a posição de lanterna neste ranking devido ao seu pior mês desde março do ano de 2015, com 240 emplacamentos.

Então o top três do ranking foram: Chevrolet Prisma com 3.368 unidades emplacadas nestes mês, em segunda o VW Voyage com 2.442 e o Hyundai HB20S com 2.105 unidades na terceira posição.

Por Filipe Silva

Chevrolet Prisma 2017

VW Voyge 2017

Hyundai HB20S 2017

Fotos: Divulgação


De protetor de unhas para quem rói as unhas, até um desembaçador para espelhos de banheiro, ele afirma ter mais de 800 ideias na cuca para serem peneiradas, patenteadas e desenvolvidas.

Protetor de unhas

Hoje na Blogolândia vamos entrevistar o inventor Paulo Gannam, que vai falar sobre duas de suas criações voltadas para o setor automotivo e para as quais está à procura de parceiros.

São elas: Um Sensor Auxiliar de Estacionamento para proteger pneus, rodas e calotas do contato com o meio-fio e um Sistema de Comunicação entre Motoristas que promete criar um clima amistoso e de cooperação no trânsito – prevenindo acidentes.

Blogolândia: Como surgiu a ideia de criar um sistema específico para proteger pneus, rodas e calotas junto ao meio-fio?

Gannam: Foi mais ou menos no final de 2010. Tinha acabado de tomar um cafezinho numa lanchonete. Subindo a pé uma das ruas de minha cidade, ouvi um estrondo. Olho para trás. Tratava-se de uma pessoa que tinha sensor de para-choque em seu carro, mas que, ao encostar o veículo, chocou fortemente as rodas na calçada. Olhei para aquilo e me lembrei de minhas “periódicas barbeiragens”, e das de minha mãe também, e do quanto aquilo gerava tensão, prejuízos estéticos, etc.

Roda de liga leve

Blogolândia: Quais foram suas maiores dificuldades ao levar esta ideia adiante?

Gannam:

  1. encontrar uma boa assessoria jurídica capaz de formatar o pedido de patente com qualidade, com maiores chances de receber a carta-patente
  2. encontrar um desenvolvedor capaz de me ajudar a desenvolver as primeiras provas de conceito do produto a preços acessíveis (procurei sem cessar por uns 3 anos até encontrar)
  3. encontrar espaço em parte da mídia geral e da mídia automotiva para mostrar às pessoas o que eu tinha criado
  4. ter de aceitar o fato de que os programas públicos de apoio a inventores independentes são péssimos e de que teria de encontrar outros caminhos, não importasse o quanto isto demoraria
  5. ter de aceitar a irredutível visão high-tech de algumas pessoas que, ao invés de enxergarem este projeto como uma ótima oportunidade de negócios, consideram o produto um retrocesso pelo simples fato de já existir um carro-autônomo rodando aqui e ali. Não são capazes de entender que inovação e modelos de negócio lucrativos nascem muitas vezes de soluções muito simples. Estão esquecendo de que relatórios recentes dão conta de que só 4% dos 2 bilhões de carros no mundo em 2035 será autônomo. Isto quer dizer que mais de 95% dos carros estarão sem recursos autônomos quase 20 anos a partir de agora. E mesmo as empresas que tentarem lançar estas funções semiautônomas no mercado de reposição terão um problema de aceitação no preço nos países em desenvolvimento.

Blogolândia: Quanto gastou em média nessa invenção?

Gannam: Incluindo pagamento de advogados, de taxas, anuidades, exames ao INPI e aos demais órgãos de propriedade intelectual, desenvolvimento de prova de conceito, e todo o tempo e esforço pessoal que uso até hoje com divulgação, negociação, melhorias, etc, por baixo, uns 50 mil reais ao longo dos anos. Lembrando que tive esta ideia mais ou menos no final de 2010.

Blogolândia: Você já testou em algum automóvel? Como foi a experiência?

Gannam: Sim, testamos a prova de conceito desenvolvida instalando um sensorzinho próximo de uma das rodas e funcionou bem. Veja:

Este sensor pode, por exemplo, comunicar-se com um app, cluster, painel do veículo com display ou central multimídia, de acordo com o gosto do freguês e das formas de fazer da empresa que inserir o produto no mercado. Só que para ser compatível com a maioria dos veículos de passeio e para a maioria das calçadas de nosso país, temos de pensar que no Brasil não existe padrão. Cada calçada é de um jeito e cada chassi tem uma altura.

Então, para realizar leitura precisa em 100% das situações ou na maior parte dos modelos de veículos, o projeto pode exigir um desenvolvimento mecânico e de design. Assim, uma alternativa será adotar um dispositivo para posicionar estes sensores no local adequado para a leitura precisa.

Estes mesmos detectores de distância poderão ser embutidos e colocados abaixo da lataria lateral, cada qual o mais próximo possível de uma das rodas, totalizando, à primeira vista, 4 sensores.

Detector de distância

Blogolândia: Já apresentou essa ideia a alguém? Se sim, o que acharam?

Gannam: Sim, já apresentei a vários sistemistas e montadoras e continuo apresentando. Em parte, pelo fato de o momento econômico não ser bom, investidores estão ainda um pouco receosos, pois as classes principais a que inicialmente se destinaria este produto estão com outras prioridades. Mas consideram que o projeto teria boa vazão no aftermarket e, possivelmente, num espectro específico de veículos em montadoras.

E eu concordo. Mas as montadoras também tem suas prioridades. Estão focadas em redução de CO2 nos veículos, em carros elétricos, conectados, autônomos, enfim, projetos que consideram mais urgentes e-ou de longo prazo. O cenário é complexo, resta-me ser o oposto – simples. Ou seja, continuar perseverando, fazendo a minha parte, pois estou certo de que o produto tem diferenciais competitivos importantes, tanto no preço, quanto na utilidade.

Ele salva nossas rodas, poupa-nos de micos, e nos ajuda a estacionar, sendo muito mais barato por ser dotado de componentes mais acessíveis. Já os ADAS ( Advanced Driver Assistance Systems) atolam o carro com sensores, câmeras e softwares que esvaziam sua carteira, não protegem suas rodas dianteiras, e nos irritam com a leitura e movimentos demorados para estacionar o carro numa simples vaga.

A ideia central é de que você não precisa necessariamente de uma função semiautônoma para poder fazer um estacionamento seguro e preciso e também de que não precisará gastar horrores com aquela parafernália de câmeras que calculam a distância. É você, com o auxílio de 4 sensores, quem vai manobrar com liberdade e precisão – e sem esvaziar o bolso! Vai estar pagando por um produto mais eficiente e mais barato.

Blogolândia: Quanto custaria para uma pessoa instalar esse sensor no seu automóvel?

Gannam: Isto dependeria também das margens de lucro com as quais trabalharem os fabricantes, distribuidores e varejistas. O custo médio de fabricação, por ponto, está em torno de 13 dólares. Imaginando uma pessoa que deseje colocar 4 sensores, um para cada roda, 13X4 sensores = 52 dólares. Convertendo em reais = R$ 173,00. No varejo/aftermarket, eu estimo um valor em torno de R$ 900,00 (versões simples) a 1.300 (verões Premium). Lembrando que se poderia dar a opção de o consumidor instalar quantos sensores quiser (só na frente, só atrás, próximo só daquela roda que costuma bater com mais frequência, etc).

Comunicador entre motoristas

Blogolândia: No sistema tradicional de estacionamento, os sensores são colocados nos para-choques. Como eles são de plástico, é fácil cortar. No seu invento, como os sensores são colocados na lateral? Eles são acoplados nos aros? Se sim, como evitar roubos?

Gannam: Em carros de passeio, em princípio, não seria nos aros. Os sensores deverão ser colocados abaixo da lataria lateral, cada qual o mais próximo possível de uma das rodas, totalizando 4 sensores. Para minimizar o risco de roubos, pode se criar uma embalagem diferenciada, que se transformaria numa extensão da região lateral do veículo, ou outras formas de fazer, como circuitos autodestrutivos (se a pessoa roubar, não funciona mais).

Blogolândia: O seu sistema se comunica com o dos sensores frontais e traseiros, de forma que o usuário veja e ouça os avisos através dos dispositivos já existentes no carro? Se sim, como o usuário identifica se o aviso diz respeito a um obstáculo frontal/traseiro ou lateral?

Gannam: Isto vai depender de em que modelos de veículos será lançado o produto e sobre se o motorista irá querer ter tanto sensores de para-choque como sensores de roda em seu veículo. A programação do produto e sua conexão com demais produtos dependerá de uma configuração adotada pelo sistemista ou pela montadora que se interessar em fabricá-lo e lança-lo no mercado.

Mas vamos supor que uma pessoa adquira um veículo no qual já haja sensor de ré vindo de fábrica. Então, ou o display fabricado pela montadora já estará configurado a receber novas leituras, ou o sistema somente poderá sair de fábrica. Outra opção é combinar o uso dos novos sensores laterais com um App em cuja visualização da distância fosse feita no smartphone ou na própria central multimídia. Saída técnica tem, é uma questão de estudar o caso concreto na hora do planejamento do produto.

Blogolândia: Sobre o sistema eletrônico de comunicação entre motoristas, como  funciona? Seria um acessório, a ser comprado pelo motorista, ou incluso em centrais multimídia pelas próprias montadoras? Você diz que não precisa de internet. De que forma acontece a comunicação?

Gannam: Ambos os caminhos são possíveis. Estamos falando de um dispositivo eletrônico de comunicação imediata que congrega várias tecnologias de envio e recebimento de mensagem. Ele avisa, com frases bem curtinhas, qualquer problema/situação identificável em um veículo ou nas estradas. Cada mensagem contará com uma numeração/desenho, identificados no painel, na central multimídia, ou no próprio volante do carro.

Esses botões, com um único clique do motorista, acionam a mensagem exata que se deseja enviar a outro motorista ou central, não tirando a atenção por ser de fácil de manusear.

Neste caso especial de comunicação entre um novo hardware e outro, a tecnologia não depende de internet e oferece a possibilidade de comunicação entre gestores do trânsito e motoristas, campanhas de educação no trânsito. A ideia é criar um clima amigável e solidário à medida que os motoristas forem se habituando a apertar o botãozinho. O mais livre de intermediários possíveis, sem ter de procurar o recurso de comunicação entre tantos outros nos aplicativos num momento tão delicado quanto é o da direção. Usou o dedinho e pronto: mensagem enviada.Sem entortar a coluna, virar o pescoço ou fazer algum movimento mais comprometedor dos olhos.

Blogolândia: Mas que tipos de mensagens poderiam ser trocadas?

Gannam: Algumas possibilidades: “luz queimada”, “pneu murcho”, “emergência”, “farol alto!” (quando o cara cola na sua traseira e esquece o farol alto acionado), “pessoa doente no carro” (às vezes o motorista está em baixa velocidade por isso), animal/deslizamento à frente”, “incêndios”,”aquaplanagem”, “desculpe”, “obrigado”  e assim por diante.

Blogolândia: Além da comunicação entre dois hardwares será possível alguém participar sem ter o aparelhinho instalado no veículo?

Gannam: Com certeza. Depois que concluímos o primeiro protótipo, comecei a me fazer novas perguntas. Como os todos carros terão o sistema de uma só vez? Impossível. Um sistemista, ou vários deles, precisariam convencer todas as montadoras a adotar o projeto em localidades selecionadas com muita pesquisa e planejamento para testes.

O que proponho é que algumas montadoras adotem o sistema. E que empresários do aftermarket automotivo encontrem um modelo de negócio lucrativo para o aparelhinho. Só que, nesse caso, os primeiros adotantes ficariam ilhados na participação da comunicação, pois a maior parte dos veículos ainda não teria o Comunicador instalado e, sem um planejamento/validação mais profundo, é difícil compreender a escalabilidade que o Comunicador teria isoladamente, se é que teria.

Por isso, desenvolvemos um aplicativo voltado especificamente para a comunicação rápida e segura que já pode interagir com os Comunicadores.  Com isso vamos incluir o maior número possível de pessoas neste conceito inventivo especializado na comunicação segura no trânsito.

Veja: https://www.dropbox.com/sc/qbzon5vmaiv09ff/AACh3twXcwefXh_XRNABs1u7a

Blogolândia: Algumas montadoras vêm falando sobre essa possibilidade de troca de informações entre veículos como uma coisa para o futuro.  Sua invenção estaria pronta para ser executada em larga escala hoje? Qual o custo dela?

Gannam: Eu costumo dizer que se carros autônomos e tecnologias V2V são o futuro, o Comunicador Gannam é o presente! Meu projeto não diz respeito à comunicação entre veículos, mas sim a um tipo de comunicação muito especializada e segura entre motoristas!

Sua implementação comercial tem menos barreiras legais e necessidade de homologações, é acessível ao grande público, e com custo de fabricação de 20 dólares por unidade.

Além disso, quando um motorista pode conversar com o outro que está próximo, e este próximo pode conversar com um terceiro condutor, todos vão ser capazes de substituir o excesso de dados compartilhados por meio da única coisa que os robôs e tecnologias V2V não possuem: intuição.

Os recursos de conectividade que algumas montadoras estão implementando acarretam, em média, um custo de 500 dólares a mais por veículo na fabricação – uma porção descomunal do valor do veículo nas mentes dos consumidores.

Segundo uma pesquisa do Autotrader.com 56% dos proprietários de veículos disse que iria mudar para uma marca de veículo diferente para obter os recursos digitais que eles querem. Mas acredito que os consumidores não devem tentar controlar totalmente o processo de design para recursos de informação e entretenimento.

Até mesmo os motoristas que estão clamando por novas tecnologias consideram sua segurança fundamental. Esse mesmo levantamento constatou que 84% dos proprietários de veículo dão maior valor às características de segurança, em detrimento das de informação e entretenimento. Nesse contexto, meu sistema pode ser uma alternativa interessante e complementar aos sistemas que estão sendo projetados.

Gostou da entrevista? Conheça um pouco mais sobre o trabalho do Paulo Gannam aqui:
 

A expectativa é que o carro seja lançado no mercado em 2017 e a produção deve ser em Piracicaba, interior de São Paulo.

O Hyundai Creta já teve a sua confirmação de fabricação no País, de acordo com a marca. Entre algumas novidades, o objetivo do novo carro é concorrer com os líderes do segmento dos SUV’S compactos. A expectativa é que o carro seja lançado no mercado em 2017 e a produção deve ser em Piracicaba, interior de São Paulo. Na cidade, também, é produzido um dos carros líderes de venda da Hyundai, como, por exemplo, o HB20.

Entre alguns rumores, a base do Elantra servirá para montagem do Creta e o modelo do motor é o denominado Nu, tendo 2.0 e um excelente desempenho, uma vez que tem a capacidade de alcançar cerca de 166 cavalos.

Entretanto, algumas novidades já foram divulgadas pela marca em relação ao Creta como, por exemplo, mudanças no design externo e interno, como grade frontal em formato maior, faróis de neblina que tem um desenho reformulado, além do para-choque, que foi redesenhado, deixando o carro mais estiloso.

Além disso, o novo Hyundai Creta deve ter 4,27 m de comprimento, 1,63 m de altura, 400 litros de capacidade para o porta-malas, além de 1,78m de largura. O preço ainda não foi revelado, mas a estimativa é que o carro custe cerca de R$ 80 mil a versão mais simples, e a mais completa cerca de R$ 100 mil.

O carro foi apresentado no Salão de São Paulo em novembro e deve chegar ao mercado na segunda quinzena do mês de janeiro. Entre outros detalhes, o Cetra conta com um excelente isolamento acústico e na versão mais completa o usuário poderá contar com banco de couro, quadro de instrumento com computador de bordo colorido multimídia. Porém, todas as versões podem ser encontradas com rádio convencional.

A expectativa é que o novo carro possa concorrer com líderes de mercado como, por exemplo, o HR-V e o Renegade, e o novo Hyundai Creta tem um bom potencial para ganhar espaço no mercado e conquistar os usuários, sobretudo na versão mais completa. Desta forma, a marca soube investir de forma estratégica nas versões e nos possíveis preços.

Qual a sua opinião sobre o novo Hyundai Creta? Compartilhe com a gente!

Por Babi

Hyundai Creta 2017

Hyundai Creta 2017

Fotos: Divulgação


Veja aqui um comparativo entre o Audi Q7 e o Volvo XC90 e descubra qual é melhor.

A sueca Volvo e a alemã Audi lançaram duas SUV’s que são vanguarda no mercado de automóveis. Como toda nova tecnologia, existe um preço a mais para ser pago por causa da inovação. O modelo Ambition da Audi Q7 sai por R$ 399.990, já a Volvo anuncia a versão completa da SUV XC90 por R$ 403.900. Com esses preços, as duas camionetes são acessíveis a menos de 1% da população brasileira.

Dentre as novidades, as duas SUV’s contam com bancos de regulagem elétrica e memorização. Esse sistema lê qual o condutor está entrando no carro e já posiciona os bancos de acordo com as preferências dele.

Tanto a Audi Q7 como a Volvo XC90 possuem computadores de bordo, que exercem controle total sobre o carro. Através do computador pode-se alterar ventilação, ligar e desligar sistema de som, ar, motor, entre outros. Também, as camionetes contam com projetores de informações no para-brisa dianteiro – a tecnologia é vanguarda entre as SUV’s.

Em termos de número de passageiros, ambas acomodam confortavelmente sete pessoas, no entanto, a Audi Q7 cobra cerca de R$ 20 mil além do valor normal para acrescentar os dois bancos extras.

Levando em conta a dirigibilidade, as duas SUV’s oferecem uma experiência impecável. Cabe, contudo, ressaltar um ponto positivo para Volvo em relação a Audi. A XC90 propõe um sistema semiautônomo para o veículo, ou seja, existe a possibilidade de o motorista delegar tarefas da dirigibilidade para o computador do carro. Em resposta a essa característica, a Q7 proporciona a virada das rodas traseiras – o que facilita para estacionar naquelas vagas apertadas e manobrar a camionete.

O sistema de som é outro ponto que merece destaque. Segundo a montadora sueca, os passageiros terão uma experiência sonora dentro da XC90 equivalente a Ópera de Gotemburbo. A Q7 também não fica atrás, oferece sistema 3D de áudio da marca Grife Bose.

E quem não queria dirigir uma dessas duas topo de categoria? A verdade é que o consumidor que está disposto a pagar R$ 400 mil no seu próximo carro já tem em mente qual que irá comprar. Tanto a Q7 quanto a XC90 são para uma parcela bem minoritária da população brasileira.

Matheus Griebeler


Confira as principais novidades e o preço do Hyundai Creta no Brasil.

Nesta segunda-feira, 05 de dezembro, a Hyundai lançou oficialmente o Creta no mercado brasileiro. Vale ressaltar que havia uma grande expectativa em relação a este lançamento, haja vista o automóvel ter sido apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro. Com preço sugerido a partir de R$ 72.990, o SUV da Hyundai é uma das grandes apostas da montadora para o mercado de automóveis brasileiro. O mesmo terá suas vendas iniciadas no mês de janeiro.

Um dos principais destaques deste lançamento é, sem sombra de dúvidas, as duas opções de motores: 1.6 e 2.0. O motor 1.6 tem como principal referência o propulsor do conhecido HB20, além de ter ganhado diversas melhorias, sendo que a potência passou de 128 cavalos para 130 cavalos, quando o mesmo é abastecido com etanol. O motor 2.0, por sua vez, é o mesmo encontrado na carroceria do Elantra e dispõe de 166 cavalos.

A transmissão também dispõe de duas opções, sendo que ambas são de seis marchas. Uma delas é a manual, que está disponível apenas para o motor 1.6, e a outra é automática e se encontra nas duas opções de motores.

Um detalhe bastante interessante é a tecnologia "start-stop", que está presente nas duas opções de motores. Caso não saiba, tal tecnologia é capaz de desligar automaticamente o motor em paradas longas, além de ligar o mesmo em frações de segundos para que o carro possa se locomover.

Segundo a montadora, o Creta também é uma ótima opção quando o assunto é o consumo. O motor 2.0 (câmbio automático) roda em média 6,9 km/l (etanol) e 10 km/l (gasolina) na cidade, enquanto que 8,2 km/l (etanol) e 11,4 km/l (gasolina) são as médias na estrada.

Já o 1.6 (câmbio manual) roda 8,2 km/l (etanol) e 11,7 km/l (gasolina) na estrada, sendo que na cidade a média é de 7,6 km/l (etanol) e 10,4 km/l (gasolina).

As versões mais completas do Hyundai Creta terão como itens de série: bancos de couro acompanhados de ventilação para o motorista, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado digital, sensor de estacionamento, central multimídia com espalhamento de aparelhos através de Android Auto e Apple CarPlay, fixação Isofix, além de outros itens.

Confira abaixo o preço de todas as versões:

  • Attitude 1.6 manual: R$ 72.990
  • Pulse 1.6 manual: R$ 78.290
  • Pulse 1.6 automático: R$ 85.240
  • Pulse 2.0 automático: R$ 92.490
  • Prestige 2.0 automático: R$ 99.490

Por Bruno Henrique


Modelo passou por mudanças no design, mecânica e eletrônica.

A notícia de hoje é para aqueles que são fãs de um dos modelos mais conhecidos da Chevrolet, o Camaro. A Chevrolet apresentou recentemente para o mercado a sexta geração do carro, um de seus garotos propaganda, com reestilizações no design, na mecânica e eletrônica do automóvel. Este conjunto de mudanças tornou a sexta geração bem diferente da anterior.

O novo Camaro está mais leve e mais rígido, o que só foi possível graças ao uso de metais nobres extensivos dando 28% mais rigidez e 83 kg a menos no veículo se comparado com a quinta geração.

Outro diferencial do Muscle Car é a compactação de suas medidas. São 4.784 mm no comprimento (sendo 52mm menor que o modelo da quinta geração) e a altura também perdeu 31 mm desse para o modelo anterior.

Se já não bastasse, o motor V8 6.2 aspirado com injeção direta de gasolina, do Corvette, está presente no Camaro. Diante desta combinação, é possível alcançar os 461cv de potência com um torque de 62,9 kgfm tracionados para as rodas traseiras através de um câmbio em formato borboleta no volante, de oito marchas com trocas manuais.

O seletor de modo de condução permite uma condução mais segura e com mais velocidade, proporcionando quatro diferentes personalizações. Ele mantém sempre os freios Brembo com o intuito de garantir a segurança em qualquer passeio.

No interior do veículo a conectividade também fala mais alto, sendo possível o espelhamento de smartphones via Apple Car Play e Android Auto. Existem também outros equipamentos , como o carregador por indução, ar-condicionado de duas zonas , tela customizável com computador de bordo e manômetros indicando a pressão do óleo e de força G.

Na comemoração de 50 anos do modelo, a Chevrolet fabricou apenas 100 unidades do coupé. No Salão de São Paulo houve a entrega de veículos da sexta geração do Camaro saindo pelo valor de R$ 297.000,00. Sendo todos os modelos na cor cinza e faixas no capô. Rodas aro 20" exclusivas, logos especiais e uma plaqueta indicando a versão numerada. Em 2017 é previsto a chegada de modelos Conversível e o SS Coupé, ainda sem valores definidos.

Por Denisson Soares


O Renault Captur já começou a ser produzido no Paraná e será lançado no mês de fevereiro.

A montadora Renault deu uma maior importância para os crossovers no Salão do Automóvel. A francesa colocou três novos modelos no evento, onde dois são nacionais. O Renault Captur é a grande aposta da empresa para rivalizar a altura do Jeep Renegade e do Honda HR-V. A marca ainda conta com o Kwid e o crossover Koleos.

Segundo Olivier Murguet, o presidente da montadora na América Latina, o Renault Captur já começou a ser produzido no Paraná, na cidade de São José dos Pinhais e será lançado no mês de fevereiro. Ainda esta semana se iniciam as pré-vendas, provavelmente no dia, 09, quarta-feira o mesmo já esteja no site da montadora.

Muitas revistas especializadas em carros já haviam antecipado o Captur ainda no ano de 2013, antes mesmo do Kaptur russo aparecido e era previsto que o crossover seria lançado até o mês de março de 2017, sendo o maior nome da francesa. O fato é que a fabricante percebeu que o Captur original era um pouco pequeno. Baseado na mesma plataforma do Duster, divide também o eixo de torção e a suspensão traseira.

A parte interna possui um ótimo espaço para comportar cinco adultos e porta-malas com boa litragem. Já quando se trata do acabamento fica faltando um pouco de refinamento no revestimento do painel e também pelo volante não contar com ajuste de profundidade, somente de altura. Um pouco de sofisticação ficam por conta do quadro de instrumentos originado no Clio e também os bancos bem desenhados.

O modelo Captur Zen possui um 1.6 SCe, da Nissan e tem câmbio manual de cinco velocidades, podendo ser CVT. Conta com 1220 cavalos de potência que está acima dos 114 cavalos do Kicks que possui o mesmo propulsor. As versões mais top de linhas terão como opcionais os motores que podem ser 1.6 CVT ou então 2.0 16V com 148 cavalos, com câmbio automático de quatro velocidades do Duster. Todas as versões contarão com rodas de liga leve de 17 polegadas, hill-holder e ESP. Aproximadamente 75% receberão teto em outra cor, nos tons branco ou preto. O seu comprimento é pouca coisa maior que o Duster, contando com 4,32 m, possui 437 litros de porta malas e tem espaço confortável para 5 pessoas. Os valores variam entre R$ 75 mil e R$ 90 mil.

Por Filipe Silva

Novo Renault Captur


Confira as principais novidades e o preço da nova Chevrolet S10 Advantage.

A versão Advantage retorna à série da pick-up Chevrolet S10, depois de algum tempo fora de linha (desde de maio deste ano), por causa do lançamento da linha S10 2017. A previsão de apresentação no mercado, durante a Adventure Sport Fair (maior feira de esporte de turismo de aventura do continente americano). O modelo estará disponível a partir de novembro deste ano. Os valores da caminhonete giram em volta dos R$ 90.000,00, preço bastante competitivo segundo a Chevrolet, que visa este item como diferencial para conquistar clientes.

Algumas funções da versão Advantage da S10 são: Sistema OnStar (pacote de proteção veicular por 3 meses); Sistema multimídia MyLink com touchscreen de 7 polegadas; direção elétrica progressiva; alerta de pressão dos pneus; ar condicionado; vidros elétricos; capota marítima; travas elétricas; airbags frontais; Freios ABS com EBD (auxiliar complementar do freio ABS); comando com controle remoto; Apple CarPlay / Android Auto; Rodas de liga-leve de 16 polegadas; farois de neblina; chave tipo canivete; Bancos com revestimento em tecido escuro; adesivos “Advantage” nas portas dianteiras; motor 2.5 litros flex; 197/206 cavalos de potência (gasolina/álcool, respectivamente); Torque de 26,3/27,3 kgfm (gasolina/álcool, respectivamente); câmbio manual de 6 marchas; tração 4×2; Velocidade: até 163 km/h; Garantia de 3 anos; cores disponíveis: Azul Blue Eyes, Cinza Graphite, Branco Summit, Prata Switchblade, Preto Ouro Negro e Vermelho Chili; Painel interno remodelado; além da tampa traseira com trancas.

Com relação ao pacote de proteção veicular OnStar, vale a pena destacar alguns ítens interessantes do plano:

  • Bloqueio do veículo;
  • Acionamento de emergência;
  • Transferência de ligação para Chevrolet Road Service em caso de pane elétrica/mecânica;
  • Informações em tempo real por meio de aplicativo;
  • Alerta de velocidade;
  • Travamento/destravamento remoto das portas;
  • Monitoramento em rotas

Avaliações de consumidores. Alguns consumidores gostaram da nova versão, especialmente se o objetivo do veículo é para trabalho, e concordam no tocante ao número de itens fornecidos pela pick-up, além do motor flex – muitos comentaram que esse é o melhor motor flex da categoria. Outros, no entanto, argumentam que a versão poderia ter incluídos alguns itens, como câmbio automático. Também sentiram falta da função de controle de estabilidade.

Cristiane Magalhaes


A expectativa de chegada deste modelo ao mercado é para ocorrer entre os anos de 2017 e 2018, sendo que a principal missão dele será a de concorrer diretamente com o Audi modelo Q2.

Com o grande número de modelos de veículos automotores no mundo sendo lançados no mundo, as fabricantes adotam diversas estratégias para conseguir chamar atenção dos consumidores, contudo algumas marcas já conhecidas e renomadas, quando lançam novos modelos já atraem a atenção não só dos consumidores, mas também de todo mercado automobilístico. É neste contexto que a grandiosa BMW está trabalhando a todo vapor no seu mais novo lançamento que será o BMW X2 Concept por meio de fotos e vídeo-teasers. O modelo foi mostrado inteiramente no decorrer da abertura do Salão de Paris.

Esse novo veículo da empresa foi desenvolvido com base na segunda geração do BMW X1, pelo que já foi divulgado pela própria fabricante a expectativa de chegada deste modelo ao mercado é para ocorrer entre os anos de 2017 e 2018, sendo que a principal missão dele será a de concorrer diretamente com o Audi modelo Q2.

A plataforma que deu base a BMW X2 Concept foi a mesma utilizada no MINI dotado de tração dianteira, em resumo o modelo X2 nada mais é do que o modelo X1, porém com um design ainda mais jovem que possui o tamanho um pouco menor, teto com caimento mais baixo, estilo esportivo, bem como característica de um veículo hatchback de porte mediano.

O revestimento da parte lateral escolhido pela fabricante foi o plástico, detalhe este que acabou dando uma sensação de maior robustez, principalmente em conjunto com as rodas no tamanho 21 polegadas que utilizam pneus de uso diferenciado.

De um modo geral, os traços visualizados neste protótipo serão mantidos na versão de produção do veículo e ao que tudo indica a BMW irá ofertar o modelo tanto com tração integral como com tração dianteira. Com relação à motorização, os motores que serão disponibilizados serão compartilhados com o X1.

Este é um modelo que sem sombra de dúvidas irá chamar atenção dos diversos apaixonados pela BMW espalhados pelo mundo ainda mais devido ao fato de este veículo reforçar a concepção de um verdadeiro aventureiro esportivo urbano compacto. Em breve teremos maiores notícias e detalhes sobre este modelo que foi desenvolvido para atrair a atenção de pessoas exigentes e que desejam combinar a praticidade e o prazer de conduzir um BMW.

Por Adriano Oliveira

BMW X Concept

BMW X Concept

Fotos: Divulgação


Teste realizado pelo Latin NCAP mostra que modelo da Fiat oferece mais segurança em caso de colisões laterais.

O Latin NCAP, que é um órgão responsável por realizar avaliações com relação à segurança de veículos na América Latina, alterou as regras em seus testes e agora está mais rigoroso, sendo que desde o começo do ano está realizando o teste de impacto lateral e reavaliando os carros comercializados no Brasil. Na última semana, a empresa publicou um comunicado diferenciando estruturalmente os modelos que foram avaliados recentemente, o Peugeot 208 e o Fiat Palio.

No caso do modelo Peugeot 208, que antes contava com quatro estrelas no quesito proteção para adultos, agora passou a ter duas em sua reavaliação. E na proteção de crianças foi de quatro estrelas para três.

Com o modelo Palio da marca italiana Fiat, que antes tinha sido atribuído três estrelas para o passageiro infantil e quatro estrelas para os ocupantes adultos, no último teste foi classificado com somente uma estrela ao tratar da proteção de adultos e a proteção para crianças continuou com as mesmas três estrelas.

O órgão fez uma comparação dos testes de impacto lateral dos dois modelos e concluiu que houve uma intrusão maior na cabine do Peugeot 208, se comparado com o Fiat Palio.

O teste foi inserido no ano de 2016 e foi revelado que o modelo da Peugeot não possui barras de impacto em sua portas. Já o veículo fabricado pela montadora italiana, na cidade de Betim (MG), é equipada com um reforço na sua estrutura, consequentemente tendo uma maior segurança. Na conclusão do Latin NCAP, é visível que a Fiat fabricou o Palio com o objetivo de dar uma proteção bem maior aos seus ocupantes, caso venha sofrer impactos em suas portas.

O secretário Geral do Latin NCAP, Alejandro Furas, disse que a proteção lateral, infelizmente, ainda não é obrigatória em países latino-americanos, exceto no Equador. Vale lembrar que atualmente são poucos mercados que exigem a implementação deste recurso. Tal tipo de impacto, o lateral, para os ocupantes, representa um grande risco, visto que não há muito espaço nas laterais dos carros para que a energia de um impacto fosse absorvido.

FILIPE R SILVA


Investimento das empresas foi de US$ 150 milhões. Previsão é de que até 2021 sejam lançados os primeiros carros sem volante e pedais.

A montadora Ford, juntamente com o Baidu, que é uma grande empresa de busca famosa na China, fizeram um investimento de US$ 150 milhões numa empresa do vale do silício, chamada Velodyne, a qual produz um dos principais elementos em veículos autônomos. De acordo com a fabricante de veículos, estarão nas ruas no ano de 2021, modelos que não possuem pedais e nem volante.

De acordo com o presidente da montadora, Mark Fields, os próximos dez anos serão conhecidos pelos veículos com direção autônoma e que o impacto destes veículos será muito importante, chegou até a compara-la com a linha de montagem criada pela Ford a 100 anos atrás.

A montadora também diz que em até cinco anos os veículos sem condutores já poderão ser fabricados em grande escala e serão utilizados para o compartilhamento da mesma forma que "robô-táxis".

Raj Nair, diretor técnico da montadora, falou que muito provavelmente a empresa não irá oferecer carros semelhantes, sem pedais e sem volante, para os clientes até o ano de 2025.

Fields também completou dizendo que eles estão se dedicando para levar as ruas os veículos autônomos, que poderão dar uma melhora no quesito segurança, além de solucionar alguns problemas ambientais e sociais para diversos indivíduos e não apenas para os que podem comprar carros luxuosos.

Para que este objetivo seja atingindo, a empresa do logotipo ovalado investe em mapeamento 3D, pesquisa, sensores e radares baseados em laser.

Terça-feira, dia 16, foi anunciado um investimento que pretende acelerar o desenvolvimento de alguns dispositivos e aumentar a utilização em sistemas avançados de assistência. Foi dito também que a montadora irá dobrar o tamanho da equipe que trabalha na pesquisa, em Palo Alto, no Vale do Silício, para cerca de 300 pessoas. O executivo também não quis dizer se a montadora pretende realizar algum tipo de parceria com o Lyft e o Uber, para compartilhar os referidos veículos.

No mês de abril, o Baidu informou que tinha formado uma equipe de veículos autônomos perto de Sunnyvale, na Califórnia, focando na produção dessas tecnologias facilitadoras como robótica, aprendizagem automática e visão computacional.

FILIPE R SILVA


Pesquisa servirá para identificar principais problemas e os principais locais que precisam de melhorias.

Para o coordenador-geral de Planejamento e Programação de Investimentos, André Nunes, uma das funções do Plano Nacional de Contagem de Tráfego é “oferecer à sociedade condições ótimas de trafegabilidade, em consonância com os princípios de otimização dos recursos públicos”.

Significa dizer que, além de garantir a qualidade do serviço, é dever do Estado fazer com que os recursos públicos sejam bem direcionados.

Essa seria a principal razão da criação da Campanha de Pesquisa de Origem e Destino, projeto vinculado ao Plano Nacional de Contagem de Tráfego, que busca fazer uma análise socioeconômica das rodovias federais (especificamente as que estão sob o controle do DNIT, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), do ponto de vista da sua demanda, tipos de veículos, necessidades de sinalização, horário de pico desse tráfego de veículos e tudo o mais que possa gerar um mapa que revele as condições das rodovias federais brasileiras e onde exatamente deverão ser injetados os recursos públicos liberados pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

Durante a campanha, realizada entre os dias 2 e 8 de julho de 2016, soldados das forças armadas se incumbiram de abordar os passageiros de veículos, em postos especificamente instalados para esse fim, com questões sobre o seu destino, origem, impressões sobre as rodovias e tipos de cargas transportadas (quando era o caso), a fim de criar um mapa com as rodovias federais preferidas e que, por isso, deverão ter atenção especial.

Foram cerca de 3.549.768 veículos abordados, 210.984 motoristas entrevistados nos estados do Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais.

A previsão é que essa coleta de dados sobre o tráfego de veículos nas rodovias federais se estenda até 2017 em quase 300 postos oficiais; realizada por soldados munidos de modernos equipamentos (tablets, Ipads, aplicativos, etc) para o adequado registro de dados.

Com esse registro do volume do tráfego de veículos em algumas rodovias federais, bem como informações socioeconômicas e de hábitos dos condutores, a expectativa é que, segundo especialistas, possam ser melhor avaliadas as necessidades de aperfeiçoamento viário, inclusive no que se refere a transportes coletivos em regiões marginais.

Dados da CNT (Confederação Nacional do Transporte), após análise de mais de 100 mil km de rodovias federais e estaduais, apontaram a inferioridade das rodovias administradas pela união e pelos estados em relação às administradas por concessionárias, que demonstraram superioridade em relação à sinalização, pavimentação asfáltica, engenharia viária, entre outros.

O que significa dizer que, apesar de o Brasil ter uma das quatro mais extensas malhas rodoviárias do planeta, possui apenas 13% de estradas com pavimento asfáltico, o que mostra a urgência em investimentos por onde passam boa parte da riqueza do país.

Vivaldo Pereira da Silva


Modelos apresentados contam com motorização flex.

No dia 03 de agosto de 2016, a Toyota apresentou as novas versões da Hilux e da SW4, ambas com motorização flex. É importante destacar que os dois automóveis já eram disponibilizados com opções de motor diesel, sendo que o utilitário esportivo também era acompanhado do V6 4.0 a gasolina. Confira outros detalhes na continuação desta matéria.

Um dos principais destaques fica por conta da Hilux flex, que será acompanhada de nada menos que três versões, todas com motor 2.7 e câmbio automático de seis marchas. A versão SR conta com tração 4×2 e possui preço sugerido de R$ 111,7 mil. Já a versão SRV ainda possui mais duas variações, uma com tração 4×2 no valor de R$ 120,8 mil e outra com tração 4×4 com preço sugerido de R$ 131,2 mil. Em relação à versão flex da geração anterior, podemos destacar um aumento médio no preço de R$ 6.650.

A Toyota SW4, por sua vez, também vem acompanhada do motor 2.7 que roda a gasolina ou etanol. A mesma só possui uma versão, a SR, que dispõe de três configurações diferentes. A configuração mais básica possui câmbio manual e tem como objetivo a venda direta. A mesma não sai por menos de R$ 146.550. Já para o público considerando comum, a opção é a configuração com câmbio automático, sendo ela de 5 lugares (R$ 159,6 mil) ou 7 lugares (R$ 164,9 mil).

Apesar da Hilux e da SW4 contarem com o mesmo motor flex da geração anterior, é importante destacar as melhorias encontradas na motorização desta nova geração. A grande novidade fica por conta do duplo comando de válvulas, capaz de funcionar tanto na admissão como no escape.

Segundo Roger Armellini, gerente de produto e marketing, o grande objetivo deste lançamento e das melhorias no motor foi a otimização do consumo de combustível. Além disso, ainda podemos destacar o novo sistema de partida a frio, bem como a redução no atrito de partes móveis. A fabricante afirma que o consumo ficou até 7% melhor.

Os itens de série comuns a todas as versões são: controle de velocidade de cruzeiro, ar-condicionado, vidros e travas elétricas, central multimídia com TV digital e GPS, direção hidráulica e airbag de joelho para motorista.

Por Bruno Henrique

Toyota Hilux flex 2017

Toyota SW4 flex

Fotos: Divulgação


Montadora irá gerar oportunidades de trabalho para produzir carro elétrico.

A montadora germânica Porsche irá aumentar a quantidade de vagas de empregos relacionadas ao projeto de produção do seu primeiro carro completamente elétrico. Se comparado com as ante metas anteriores, como fração de um esforço realizado pelo grupo Volkswagen para passar por cima daquele escândalo de fraude em teste de emissão de gases poluentes, em que a montadora se envolveu recentemente.

A montadora Porsche, que é a vice líder quando o tema é contribuição para o lucro do grupo Volkswagen, tem um plano de gerar pelo menos 1400 vagas de emprego para vender, construir e desenvolver o veículo modelo Mission E, que será um grande concorrente do Model S da montadora americana Tesla e que irá estar pronto na linha de montagem na Alemanha, na cidade de Zuffenhausen, em 2019.

Além dessas vagas de emprego, deverão ser contratados também outros 350 especialistas digitais para uma unidade da Porsche, a qual foi criada especificamente para que fossem descobertas novas áreas de negócios e desenvolvidos conceitos de mobilidade, segundo a empresa, o que reflete uma transformação que já se encontra em curso na montadora Audi, uma marca de luxo do mesmo grupo.

A companhia alemã já tinha estipulado anteriormente mais de mil novas vagas de empregos para o desenvolvimento do Mission E, na unidade da cidade de Zuffenhausen. A marca de veículos esportivos está dispondo de cerca de 1 bilhão de euros, o equivalente a 1,1 bilhão de dólares, no modelo elétrico.

O modelo elétrico Misson E traz uma grande mudança na Porsche, que tradicionalmente é conhecida por veículos esportivos de alto nível e movidos por propulsores a combustão, informou Uwe Hueck, o chefe de trabalho da Porsche, a alguns repórteres na última terça-feira. O executivo também disse que a empresa deve participar das mudanças digitais ou então sairá perdendo.

Hueck ainda falou sobre as metas, apesar de não ter apresentado muitos detalhes com relação à produção para o modelo Mission E, porém, afirmou que para a montadora obter lucro com este novo projeto será necessário comercializar no mínimo 10 mil unidades do veículo a cada ano.

FILIPE R SILVA


Edição especial do HB20 traz novidades e custa a partir de R$ 49.755.

A Hyundai anunciou oficialmente na segunda metade do mês de julho a série limitada batizada de Ocean para o HB20 e também para o HB20 S (sedã). De acordo com as informações divulgadas pela montadora, a produção será restrita a seis mil unidades, tendo como base a configuração conhecida na opção intermediária, a Comfort Plus.

O HB20 Ocean vai sair da fábrica trazendo câmera de ré e com os bancos de couro seguindo as configurações “padrões” do modelo. No caso da câmera de ré, é interessante observar que ela é oferecida como um acessório e por isso mesmo deverá ser montada e instalada pela concessionária autorizada.

A versão é equipada com o motor 1.6. Além disso, essa série limitada da Hyundai irá disponibilizar também a opção para o 1.0. No entanto, neste último caso apenas para a versão hatch.

Os modelos que forem equipados com o 1.6 serão combinados para trabalharem com transmissão tanto manual quanto automática.

Para o caso das cores da carroceira, a montadora informa que irá disponibilizar nas opções azul perolado, branco sólido e duas cores de prata metálico. Uma curiosidade é que o branco sólido será a única alternativa de pintura na qual não será cobrado do cliente nenhum adicional.

Voltando um pouco para a câmera de ré, a informação da Hyundai é que ela será integrada a BlueMedia, a central de entretenimento do carro. Lembrando que fora da série limitada essa central só é oferecida como item opcional para as versões Premium. Sobre os detalhes do equipamento ele conta com a função de espelhamento para smartphones da LG e da Samsung. O sistema ainda possui compatibilidade com Apple CarPlay, que traz os recursos do iPhone para a tela de 7 polegadas da central.

Em termos visuais a série HB20 Ocean optou por uma nova grade, apresentando uma borda cromada. O acabamento foi feito na cor preto brilhante. No paralama da versão vamos encontrar um emblema exclusivo criado para a edição especial.

Entre as versões e os preços das mesmas vamos ver algumas:

O HB20 Ocean 1.0 câmbio manual sai por R$ 49.755. A pintura pode ficar entre R$ 500 e R$ 1.100.

O HB20 Ocean 1.6 automático fica na faixa dos R$ 61.055.

E o HB20 S Ocean 1.6 automático por R$ 64.685.

Por Denisson Soares


Modelo terá valores a partir de R$ 87.900, e podem chegar a R$ 124.900 na versão top.

A Honda apresentou oficialmente ao mercado brasileiro o Honda Civic 2017. O modelo chega para brigar com o Audi A3 Sedan na versão Civic Touring, com mais potência e motor turbo. O novo Honda Civic começa a ser comercializado em agosto com valores a partir de R$ 87.900, e podem chegar a R$ 124.900 na versão top.

Serão oferecidas 5 versões do modelo para 2017. Nas versões Sport MT6, Sport CVT, EX CVT e EXL CVT, o motor será de 2.0, e os itens e equipamentos disponíveis variam de versão para versão. Já o Civic Touring possui motor de 1.5 turbo, e mais de 170 cavalos.

O modelo de entrada, Sport, possui câmbio manual de seis marchas e 155 cavalos, e também será oferecido na versão com transmissão automática CVT. A versão possui ar-condicionado digital, direção e vidros elétricos, freio de estacionamento eletrônico, 6 airbags, faróis de neblina, central multimídia com Bluetooth, câmera de ré, e outros itens.

As versões EX e EXL deverão competir com os modelos da Toyota Corolla XEi e Altis e com o novo Cruze LTZ1 e LTZ 2. Nestas versões, a Honda oferece apenas a opção de motor 2.0 e câmbio CVT. Entre os itens de série do EX estão os mesmos equipamentos da versão Sport acrescidos de bancos em couro, painel de instrumentos digital, acabamento cromado, e outros itens. Para a EXL, o pacote inclui, além dos itens da versão anterior, central multimídia de 7 polegadas sensível ao toque, navegador e compatibilidade com os aplicativos CarPlay, da Apple, e Android Auto, do Google.

Já a versão topo de linha, que deve competir com modelo Audi A3 Sedan, o Civic Touring traz 173 cv de potência e uma lista de equipamentos extensa, incluindo câmera sob o retrovisor direito, alerta de saída de faixa de rolamento, controle de cruzeiro adaptativo, partida por botão, ajuste elétrico para os bancos dianteiros com 8 opções, sensor de chuva, teto solar elétrico, faróis full LED, e outros.

Confira os valores de cada versão do Honda Civic 2017:

– Sport 2.0 MT6: R$ 87.900

– Sport 2.0 CVT: R$ 94.900

– EX 2.0 CVT: R$ 98.400

– EXL 2.0 CVT: R$ 105.900

– Touring 1.5 Turbo CVT: R$ 124.900

Por André Barbirato

Honda Civic 2017

Honda Civic 2017

Fotos: Divulgação


Além do Bravo, os modelos Linea e Idea também pararam de ser produzidos no Brasil.

A montadora Fiat deve encerrar, até o final de julho, a produção do modelo Bravo em todo território brasileiro. Além do encerramento da produção Bravo neste mês, também deverão sumir das lojas nos próximos meses o sedan Linea e o Idea, que deixaram de ser produzidos pela Fiat no mês passado.

A Fiat não confirma oficialmente o encerramento da produção dos 3 modelos, porém especialistas em mercado automotivo e a imprensa dão como certo o término da produção. A confirmação deverá ser oficializada pela montadora apenas no final de agosto, quando deverá terminar o estoque dos modelos nas lojas brasileiras.

Os modelos Bravo, Linea e Idea nunca foram grandes sucessos de venda da Fiat. Porém, a decisão de descontinuar os modelos vai ao encontro da tendência do mercado nacional, que tem apresentado pouca procura por peruas e monovolumes nos últimos anos. O valor dos carros também pesava na escolha por parte dos consumidores: em 2016, o Bravo é oferecido a partir de R$ 72.120 nas lojas, Idea partindo de R$ 54.660 e o Linea, por R$ 65.860 na versão de entrada.

Lançado no mercado em 2008 com proposta de brigar com Honda Civic, Toyota Corolla e outros queridinhos dos consumidores, o Linea oferecia preço abaixo dos seus concorrentes e um programa de benefícios para os proprietários, mas nunca chegou a deslanchar no mercado nacional. Já o Idea teve lançamento 3 anos antes, em 2005, e chegou a ser bastante comercializado em 2010, quando recebeu reestilização da montadora. Porém, o ritmo das vendas caiu em 2014 e permaneceram em baixa nos anos seguintes. Já o Fiat Bravo, famoso pelo criticado motor 1.8, por conta do alto consumo, viu suas vendas despencarem no ano passado.

O novo projeto da Fiat para o Brasil é lançar e produzir o hatch X6H, que deverá chegar ao mercado com arquitetura inédita, e poderá ocupar boa parte das linhas de produção da montadora em Betim, na região Metropolitana de Belo Horizonte. O projeto do X6H chega no ano em que a montadora comemora 40 anos de atividades no Brasil; desde o lançamento do famoso Fiat 147, que inaugurou a linha de produção da Fiat no país, foram produzidos e lançados pela marca mais de 50 modelos de veículos automotores. O lançamento da nova linha X6H da Fiat deverá ocorrer apenas no primeiro semestre de 2017.

Por André Barbirato

Fiat Bravo

Foto: Divulgação


Acidente com carro autônomo pode ter ocorrido por falhas no sistema Autopilot.

Esta já é a segunda vez em que um Tesla se envolve em um típico acidente de trânsito nos Estados Unidos. A fama da companhia veio justamente por projetos inovadores no setor de desenvolvimento de carros autônomos. E como não poderia ser diferente, é justamente sobre esse tipo de sistema autônomo para condução que recaíram as suspeitas. Vamos aos fatos do aconteceu e entender melhor a situação.

Bom, como apontamos antes, este vem a ser o segundo acidente que pode (ainda sob suspeita) estar ligado ao chamado sistema Autopilot, nome dado pela Tesla para o mesmo. De acordo com as informações divulgadas, o acidente em si ocorreu ainda na primeira semana deste mês. Porém, as investigações se encontram meio que estagnadas uma vez que até agora não foi achada pelos analistas nenhuma espécie de evidência que aponte para que algo errado possa ter acontecido com o dispositivo responsável pela direção autônoma do veículo.

Segundo o noticiário internacional, no momento do acidente o motorista Albert Scaglione dirigia seu veículo em uma estrada na Pensilvânia (EUA), um Tesla Modelo X Autopilot e foi aí que o acidente ocorreu.

Conforme o que foi relatado sobre o ocorrido, o crossover do motorista acabou por atingir o guard-rail que ficava situado no lado direito da rodovia pela qual seguia o motorista. Após atingi-lo o automóvel ainda atravessou a pista e terminou por acertar a barreira de concreto que tinha a finalidade de dividir as duas mãos da estrada.

Mesmo que à primeira vista o acidente pareça ter sido um pouco grave, a imprensa internacional informou que tanto o motorista quanto o seu enteado, Tim Yabke, que o acompanhava como passageiro, saíram ilesos da ocorrência dramática.

A Tesla, por sua vez, também comentou sobre o ocorrido afirmando que até o momento não haviam sido encontradas nenhuma evidência de que no momento do acidente o motorista estivesse fazendo uso do sistema de condução autônoma disponibilizado pela empresa. Além disso, a Tesla também divulgou um comunicado no qual aponta e ressalta a questão de que o sistema Autopilot não estaria sendo usado na hora da colisão.

A montadora informou ainda que sempre que ocorre um acidente em que o sistema esteja envolvido automaticamente ela recebe um alerta a respeito. E diz que quando isso ocorre logo entra em contato com o cliente para verificar sua situação e ver se está bem.

No caso do acidente ocorrido com Scaglione, existe a suspeita de que as condições no momento do ocorrido eram bem diferentes daquelas encontradas por ocasião da outra colisão que envolveu um Tesla Modelo S e que, infelizmente, terminou por ocasionar a morte do motorista do carro.

O acidente que matou o motorista Joshua Brown ocorreu simplesmente porque o sistema Autopilot do carro fez confusão entendendo que a claridade do dia ensolarado à época era a lateral branca de um caminhão que poderia estar cruzando a pista. O carro bateu sem sequer acionar os freios.

Por Denisson Soares


Modelo tem previsão de ser lançado no Brasil em 2018, após o início da produção na Argentina.

Foi lançada recentemente a Alaskan, um automóvel bastante importante na história da Renault, haja vista ser a primeira picape média da montadora francesa. O visual da picape é bastante semelhante ao conceito apresentado pela Renault em 2015. O modelo já se encontra disponível em alguns mercados latino-americanos, como é o caso da Colômbia. No Brasil, no entanto, a Alaskan só deve chegar em 2018, após o início da produção na Argentina.

Vale ressaltar que a Alaskan é o segundo lançamento deste segmento, pois a Renault já havia apresentado à compacta Duster Oroch no final de 2015. O grande objetivo da montadora francesa é tornar-se um forte concorrente global nesta área.

Um detalhe bastante interessante é que a Alaskan foi desenvolvida através de uma parceria com a Nissan. Com isso, a nova picape da Renault apresenta a mesma arquitetura da nova geração da Nissan Frontier.

Como trata-se de uma picape média, a Alaskan é capaz de carregar 1,2 tonelada. Outro destaque deste lançamento é a sua versatilidade, pois a mesma foi desenvolvida tanto para o trabalho quanto para a cidade. Dessa forma, o automóvel dispõe de suspensão traseira de eixo rígido com cinco pontos de ancoragem e seletor para configuração da tração entre 4×4 e 4×2.

A parte interna da Alaskan é bastante semelhante ao Nissan Frontier, sendo que as diferenças ficam por conta apenas do painel de instrumentos e volante. Além disso, saiba que este lançamento também possui um pacote de itens recheados de tecnologia, dentre os quais: sistema multimídia com tela sensível ao toque de sete polegadas, bancos dianteiros com tecnologia para aquecimento, botão de partida, computador de bordo com tela digital, ar-condicionado digital de duas zonas, volante multifuncional e GPS integrado.

Um grande destaque da Alaska é a visão em 360º que visa auxiliar o motorista durante as manobras e balizas. Tal visão é possível graças às quatro câmeras que foram posicionadas ao redor do veículo. Além disso, saiba que a segurança também foi uma das prioridades da Alaska: o automóvel possui controles eletrônicos de tração e estabilidade, assistente de partida em campa e decida, além de piloto automático.

O motor, por sua vez, é o 2.3 dCi movido a diesel e acompanhado de quatro cilindros com dois turbocompressores. Trata-se da mesma motorização utilizada na nova geração da Frontier. A picape da Renault contará com opções com 160 cv e 190 cv. O câmbio é manual de seis marchas ou automático com sete marchas.

Por Bruno Henrique

Renault Alaskan

Renault Alaskan

Fotos: Divulgação


Confira aqui o preço e as principais novidades do Novo Ford New Fiesta 2017.

A montadora Ford informou no dia 27 de junho o preço do Fiesta com motor turbo 1.0, que será comercializado por R$ 71.990. O propulsor conta com 3 cilindros e turbocompressor, o motor Ecoboost gera uma potência de 125 cavalos, movido a gasolina, lembrando que não chegará na versão flex.

O modelo turbo 1.0 será o mais potente a ser vendido em território brasileiro, bate até mesmo o Hyundai HB20 Turbo e Volkswagen Up! TSI, com 105 cv de potência, com motores flex.

O motor 1.0 turbo Ecoboost equipará a versão topo de linha, a Titanium, que é equipada com câmbio automático de dupla embreagem. O 1.6 Sigma, que é o motor sem turbo, de 128 cavalos e 4 cilindros, continuará sendo oferecido normalmente.

O modelo Ford Fiesta 2017 Turbo tem sua pré-venda programada para iniciar na quinta-feira, dia 30 de junho e a partir da segunda quinzena do mês de julho será disponibilizado a todos.

Abaixo serão apresentados os valores do novo Fiesta:

New Fiesta SE Motor 1.6 com transmissão manual por R$ 51.990: Equipado com itens como direção elétrica, ar-condicionado, vidros dianteiros, alarme volumétrico, travas e espelhos elétricos, computador de bordo e som MyConnection 3ª geração.

New Fiesta SEL 1.6 com transmissão manual por R$ 58.790: Vem adicionado com AdvanceTrac (um controle eletrônico de estabilidade e tração), sensor de estacionamento traseiro, assistente de partida em rampa, faróis de neblina, sistema de conectividade Sync com comandos de voz, rodas de liga leve aro 15 polegadas, Assistência de Emergência e AppLink, vidros elétricos dianteiros e traseiros, ar-condicionado digital e chave de segurança MyKey.

New Fiesta SEL 1.6 com transmissão automática de dupla embreagem – R$ 64.990: É o mesmo pacote do SEL manual.

New Fiesta Titanium 1.6 com transmissão automática por R$ 70.690: Somado com sistema de partida sem chave, 7 airbags, bancos de couro, chave com sensor de presença, rodas de liga leve com 16 polegadas, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, espelho retrovisor eletrocrômico, ar-condicionado digital, piloto automático, sistema de conectividade Sync com comandos de voz, Assistência de Emergência e AppLink para acesso de smartphones.

New Fiesta Titanium 1.0 Ecoboost com transmissão automática por R$ 71.990: Possui configuração idêntica do Titanium 1.6.

FILIPE R SILVA


Nova SUV da Kia chega ao Brasil para brigar com Audi Q3, Hyundai IX35 e Honda CR-V.

Os fãs dos carros da Kia têm mais um motivo para comemorar. O Kia Sportage chega ao mercado brasileiro para competir com as SUVs mais vendidas do mercado.

À primeira vista, o Kia Sportage lembra em muito o Porsche Cayenne, principalmente no que diz respeito ao seu aspecto frontal.

Com relação à sua competitividade com os demais SUVs, é importante destacar que a faixa de preço do Kia Sportage varia entre R$ 109.990,00 (LX) e R$ 134.990,00 (EX), em sua versão topo de linha.

No que diz respeito às versões, a topo de linha é a que mais chama atenção por seu custo benefício e acessórios que foram implementados. Entre os acessórios é possível encontrar airbags, sistema de partida sem utilização das chaves, sensor que permite ao motorista ter maior atenção aos pontos cegos, que foi empregado nos retrovisores, entre outros.

As rodas também destacam-se no Kia Sportage, haja vista sua grande dimensão. As atuais contam com 19 polegadas, o que dão mais charme e estabilidade ao SUV.

Com relação ao design, luzes auxiliares de LED, que já são usadas em vários SUVs, dão um ar de esportividade e modernidade ao carro da Kia.

Com relação ao conforto, que nesse caso está diretamente ligado ao comprimento do veículo, o Kia Sportage passou por um aumento de três centímetros entre os eixos, o que consequentemente permite maior conforto para os usuários dos bancos traseiros, que podem se assentar e perceber uma boa distância entre seus joelhos e o encosto dos bancos dianteiros. Porém, ainda não houve uma melhoria expressiva em relação à largura do Kia Sportage, haja vista transportar com conforto dois adultos e uma criança.

Entre os principais rivais do Kia Sportage estão o Audi Q3, o Hyundai IX35 e o Honda CR-V.

Sem dúvidas, o Kia Sportage agrada em seu design e preço. Alguns intens da versão EX, topo de linha do modelo, agradam os usuários que, na atualidade, estão acostumados com o grande conforto que é prioridade nos SUVs.

Após análise de todos os itens, preço, conforto, segurança e custo benefício, cabe ao comprador avaliar a vantagem ou desvantagem em adquirir esse carro para fazer parte de suas idas e vindas diárias, seja para o dia a dia ou para viagens.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Mudanças e novidades do novo Volvo S90.

Logo de cara o Sedan Volvo S90 chega ao mercado para bater de frente com modelos já conhecidos como o Mercedes-Benz Classe E, BMW Série 5 e o Audi A6.

A novidade vem pouco depois do utilitário-esportivo XC90 aparecer. Agora a Volvo decidiu lançar os outros dois modelos que têm como base a mesma plataforma. A curiosidade nesse ponto é que a montadora sueca decidiu apresentar tanto o sedan S90 quanto a perua V90. Os dois chegam ao mercado com o objetivo de concorrer em um nicho tido por muitos especialistas com sofisticado e exclusivo. Ou seja, o campo é para poucos.

João Oliveira, o diretor comercial da Volvo Cars aqui no Brasil reafirmou à imprensa que o S90 deverá mesmo trabalhar para dividir espaço com a chamada trinca alemã, aqueles três modelos que citamos no início dessa matéria.

De acordo com as informações dadas por Oliveira o segmento é bem restrito a ponto de que as expectativas de vendas não devam passar da faixa de 1.000 unidades por ano. A Volvo, por sua vez quer “meter a mão” em cerca de 10% da fatia do mercado. Ou seja, 100 carros por ano.

De acordo com as informações divulgadas até o momento a previsão de chegada da novidade aqui no Brasil está marcada ainda para o primeiro semestre de 2017.

Ainda assim, alguns especialistas já fizeram seus testes e divulgaram o que acharam. Então vamos a uma síntese dom o que saiu na mídia.

A primeira coisa a chamar a atenção foi o tamanho e o peso do sedan. Afinal, são 4,96 metros de comprimento e 1.900 quilos. Olhando assim dava para suspeitar que seria muita carga para o bloco 2.0 de quatro cilindros. Mesmo assim há a combinação de turbo com o compressor mecânico que faz com que o carro se comporte bem. Apesar de não ter o mesmo “jeitão” esportivo do BMW os 320 cv de potência aliados ao torque de 40,8 mkgf que ficam disponíveis a partir de 2.200 rpm é possível obter respostas satisfatórias do carro.

O carro também ganha velocidade de uma forma rápida. A sonoridade não chega a ser um incômodo.

Já na parte interna o S90 chama muito a atenção pelo luxo apresentado juntamente com um bom acabamento. A marca se orgulha do design seguindo os padrões escandinavos presentes no carro.

O S90 também apresenta uma boa dose de autonomia. Ele consegue andar um bom pedaço sem que o motorista precise interferir. Em termos comparativos o XC90 que saiu no ano passado, nesse sentido de automação, era capaz de ficar nos limites da faixa por um trajeto de até 50 km/h. Os seus irmãos caçulas conseguem fazer a mesma coisa só que com até 130 km/h.

Bom, já sobre os preços e demais detalhes técnicos ainda vamos ter que esperar um pouco até que fabricante defina alguns questões a respeito.

Por Denisson Soares

 

Volvo S90

Volvo S90

Fotos: Divulgação


Modelo deverá chegar às concessionárias em outubro deste ano.

A FCA fez um grande anúncio recentemente: o conglomerado decidiu por adiantar a data de chegada ao mercado brasileiro de seu mais novo SUV nacional, o Jeep Compass. Dessa forma, o automóvel deve chegar às lojas antes do Salão do Automóvel de São Paulo, evento que ocorrerá entre os dias 10 e 20 de novembro. Com isso, é esperado que o Jeep Compass esteja nas concessionárias de todo o país ainda em outubro.

Vale ressaltar que esta não foi a primeira vez que o lançamento da FCA sofreu alteração em sua data de estreia. A previsão inicial, por exemplo, era de que o automóvel fosse apresentado oficialmente no Salão de Genebra, que ocorreu em março deste ano. No entanto, o CEO do grupo Fiat Chrysler, Sergio Marchionne, decidiu adiar a apresentação.

O novo SUV nacional da FCA é recheado de mistérios, sendo que nem o próprio nome do automóvel ainda está confirmado. O que se sabe é que o terceiro modelo, que deve sair da linha de produção de Goiana (em Pernambuco), deverá manter o nome Compass, que é o mesmo nome de um SUV montado sobre outra plataforma. Porém, não há confirmação por parte do fabricante. Um detalhe importante é que boatos circulam a respeito do nome Patriot ou até mesmo uma terceira opção, sendo está última inédita.

É importante destacar a grande expectativa em relação ao lançamento deste automóvel. O mesmo faz parte da estratégia do grupo FCA de trazer para o mercado de automóveis modelos SUVs urbanos, com isso, tendo grande inspiração no sucesso de venda que é o Renegade.

O que já se sabe sobre este automóvel é que o motor das versões de entrada será o 2.0 16V Tigershark Flex, que possui 159 cv de potência a 6.200 rpm com gasolina e 164cv a 6.000 rpm quando abastecido com etanol.

As versões top de linha, por sua vez, devem contar com motor 2.0 turbodiesel, com 170 cv e 35,7 kgfm de torque, mesma motorização do Jeep Renegade. A expectativa é que o câmbio seja automático de nove velocidades, sendo que a tração de configurações mais completas será integral adaptativa.

Apesar da inspiração, é importante destacar que o Compass deverá ter um grande diferencial em relação ao Renegade: sua suspensão terá o multilink na parte traseira no lugar do já conhecido McPherson.

Por Bruno Henrique


Algumas montadoras estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro.

Quem nunca sonhou em ter um carro clássico dos anos 50, mas já se pegou pensando na quantidade de dinheiro que irá gastar só em manutenção e para restaurar o veículo? Pois as montadoras tem uma boa notícia para os amantes deste tipo de veículo.

Isso porque algumas já divulgaram que estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro. Ou seja, aliando assim a beleza do passado com a tecnologia do presente, os veículos que fizeram história têm voltado com tudo.

É o caso, por exemplo, do Jaguar XKSS D-Type, um carro luxuoso de 1957, que terá produção de nove unidades de forma artesanal. É claro que a brincadeira não sairá barata e, já se especula que a comercialização destes, a partir de 2017, será em torno de 1 milhão de libras, o equivalente a R$ 5,2 milhões. Porém, a montadora reafirma que os carros, apesar de mais recentes, ainda terão as mesmas especificações mecânicas e o mesmo visual das demais produzidas há cinquenta anos atrás.

Talvez poucos saibam, mas o Jaguar XKSS D-Type foi um dos mais famosos carros de corrida de todos os tempos, nos anos de 1955, 1956 e 1957. Com um peso de 914 quilos, sua capacidade de aceleração era extremamente potente, chegando do 0 a 100 km/h em um tempo de até cinco segundos.

Além deste, em abril deste ano, a Land Rover divulgou a venda de 25 unidades do Série 1, que foi lançado em 1948. Esta contará com as peças e design original, bem como todas as demais características foram preservadas. Quem quiser adquirir um dos veículos, poderá personaliza-lo, inclusive com a pintura que preferir. O valor ficará entre 60 mil a 80 mil libras, o que equivale a R$ 312 mil a R$ 416 mil.

A própria Ford, em 2003, homenageou os cem anos da marca, fabricando unidades do T 1947 Touring. A fabricação foi artesanal e realizada por engenheiros, vendida exclusivamente para colecionadores fissurados.

A prática tem sido muito visada e, provavelmente, não terá seu final com estes modelos. A estratégia é que cada vez mais estes carros estejam novamente circulando nas ruas. Porém, sabe-se que, uma vez que a produção é muito mais artesanal e detalhada, não será realizada em grande escala ou em fabricação em série, como é realizada nos dias de hoje, refletindo inclusive no valor deste no mercado.

Por Kellen Kunz

Jaguar XKSS D-Type

Foto: Divulgação


Lista dos carros hatches médios de até R$ 100 mil mais vendidos no Brasil.

Para quem gosta de velocidade, mas não quer abrir mão da segurança, do conforto e do estilo, essa matéria é boa! No Brasil, os carros mais rápidos no segmento dos modelos hatches médios das marcas tradicionais e os da linha premium conhecidas dos brasileiros que custam até cem mil reais compõem a lista de “dez mais” a seguir, que incluem não aqueles veículos com maior potência da categoria, mas os com melhor performance de zero a cem quilômetros por hora.

Vale ressaltar que os dados analisados são os fornecidos pelos próprios fabricantes dos carros, no qual se considerou os menores preços, claro. As versões com câmbios manuais foram suplantadas pelos automáticos, e alguns casos, uma vez que seu desempenho é notadamente superior, especialmente do caso do mecanismo da dupla embreagem. Os modelos esportivos não foram excluídos da lista.

O primeiro lugar entre os carros hatches médios de até cem mil reais que são mais vendidos do Brasil, encontra-se o Volkswagen Golf 2.0 GTI, que vai de zero a cem em 6,5 segundos e custa em torno de R$ 98.990; o segundo lugar fico com o Peugeot 308 THP, cujo tempo para chegar cem quilômetros por hora foi de 8,3 segundos e custa novinho na loja o valor de R$ 75.990; já o modelo Volkswagen Golf 1.4 TSI DSG, com cronômetro marcando 8,4 segundo e com valor de investimento de R$ 73.990, alcançou o terceiro lugar da lista. Em quarto lugar entre os dez mais velozes, temos o modelo Fiat Bravo 1.4 T-Jet, que foi de zero a cem em 8,7 segundos e sai da loja a R$ 70.970. O quinto lugar ficou com o hatch médio Ford Focus 2.0, cujo tempo de performance marcou 9,2 segundos e seu valor é R$ 74.790.

O modelo Audi A3 Sportback 1.4 TFSI segue a lista, ocupando o sexto lugar, já que o tempo de alcance aos cem quilômetros desse carro é de 9,3 segundos e seu valor direto da concessionária é de R$ 91.700. Em sétimo lugar, temos o carro Peugeot 308 2.0, com tempo de 10,2 segundos e valor desembolsado para ter ele novinho da loja é de R$ 54.990. O Chevrolet Cruze Sport6 1.8 MT, com tempo de alcance a cem quilômetros de 10,7 segundos no cronômetro e valor de R$ 68.996, ocupa o oitavo lugar da lista. Em penúltimo ligar, está o Citroën C4 2.0 AT, com 11,0 de segundos de alcance e valor de R$ 58.690 e na última colocação, encontramos o Hyundai i30 1.8 AT, cujo tempo para chegar aos cem quilômetros é de 12,0 segundos e seu valor é de R$ 71.900.

E aí, qual deles é o seu?

Por Flávia Alves Figueirêdo Souza

Volkswagen Golf 2.0 GTI

Peugeot 308 THP

Volkswagen Golf 1.4 TSI DSG

Fotos: Divulgação


Modelo chega equipado com um motor 3.0 e custa cerca de R$ 380 mil.

Se você perguntar aos apaixonados por carros se já sonhou em possuir um BMW, com certeza nenhum apresentará uma negativa para esse questionamento. Pois bem, não bastasse o sucesso dos seus carros mais básicos, a montadora alemã é mestre em mexer com as emoções de seus consumidores.

É possível que, ao andar pelas ruas, ultimamente você tenha reparado a quantidade crescente de veículos da marca. Não é para menos, haja vista que nas últimas décadas o poder de compra dos brasileiros está crescendo de forma galopante, apesar de que, nos últimos anos a crise atacou a saúde de nossa economia. Contudo, mais possível ainda é que, poucas vezes você tenha visto um modelo Coupé da BMW.

A fim de atrair os amantes de esportividade, a BMW lança o M2 Coupé, que foge aos padrões de “sedã tiozão” da marca. Não que isso seja um ponto negativo, pois os “sedãs tiozão” são sonho de consumo de milhares de jovens de todo o mundo, devido ao design atraente dos carros produzidos pela montadora alemã.

Voltando ao M2 Coupé, o carro chega ao Brasil com um preço inicial de R$ 380.000,00 e um motor 3.0 que gera uma potência máxima de 370 cv e 51 kgfm de torque.

Outro aspecto interessante é a tração traseira, fator que proporciona ao Coupé alcançar a velocidade de 100 Km/h em apenas 4,3 segundos e velocidade máxima de 250 Km/h.

Outro fator interessante do M2 Coupé é seu câmbio automático com sete marchas e embreagem duplicada. Não é novidade que há uma tendência do mercado mundial de automotores em empregar câmbios automáticos em seus modelos, porém, em um veículo Coupé fica de certa forma “diferente”. A emoção de passar marchas em um Coupé faz parte da emoção em dirigir. Contudo, o M2 Coupé da BMW conta com “borboletas” que proporcionam, ainda, uma certa emoção em jogar marchas no motor potente do carro.

As primeiras impressões do Coupé da BMW são de boas para ótima. O prazer em se andar em um BMW e, além disso, esse BMW ser um modelo Coupé, em muito atrai. Tende a ser um veículo de grande aceitação entre os amantes de esportividade e velocidade.

RAQUEL ALICE MOREIRA


Novo projeto de lei busca autorizar a fabricação e a venda de carros leves a diesel no Brasil.

Essa semana pode ser decisiva para o setor de automóveis. Isso porque está em tramitação e, ao que tudo indica, vai à votação nesta semana, um projeto de lei que autoriza a fabricação e venda de carros leves a diesel no Brasil. Após inúmeros anos de tentativas, pareceres negativos em comissões técnicas e muitas opiniões contrárias da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, e de alguns empresários, citando a Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, a ideia voltou à tona. Dessa forma, o combustível, tido como poluente, seria utilizado por veículos leves.

Segundo alguns especialistas ambientalistas, os utilizadores do diesel, até o momento, são caminhões, ônibus e carros comerciais. Somente pela utilização deste, poderia-se observar uma grande poluição do ar. Com a aprovação do projeto, o número de doenças poderia aumentar, causando a morte precoce de pessoas pelo material.

O óleo diesel é derivado do refinamento do petróleo, sendo uma fonte limitada e não renovável. Constituído de hidrocarbonetos de carbono, este possui incontáveis impurezas de enxofre, nitrogênio e oxigênio. O tema sobre a sua utilização voltou à pauta em 2015, em reunião da Câmara criada pelo presidente da Casa na época, Eduardo Cunha. Se aprovado, o projeto de lei vai para plenário no Senado.

Em audiências públicas que ocorreram entre outubro de 2015 e março de 2016, especialistas da fabricação de automóveis e peças, produtores de combustíveis, pesquisadores de saúde, além dos Ministérios do Meio Ambiente e Minas e Energia, Agência Nacional de Petróleo (ANP), Petrobrás e fabricantes de etanol e biodiesel se posicionaram sobre a questão. De maneira geral, estes foram contra o projeto devido aos problemas que ele poderá causar, como doenças respiratórias e cardíacas. Além disso, por sermos um país importador de diesel, o aumento de sua utilização geraria um desequilíbrio na balança do Brasil, gerando altos custos.

O relator, deputado Evandro Romam (PSD-PR), porém, pediu a aprovação da Lei, alegando ser favorável, uma vez que “o consumidor tem que ter a opção de escolher um destes veículos, pois os números são surpreendentes. Se você gasta hoje em torno de R$ 0,40 ou R$ 0,50 no Brasil para rodar com um carro movido a gasolina ou etanol, você gastaria em torno de R$ 0,15 para rodar com um carro a diesel”.

Em contrapartida, para Bruno Covas (PSDB-SP), “O único argumento favorável se limita à escolha do consumidor, quando há repercussões negativas econômicas, energéticas, ambientais”. Além disso, este ressalta que a Europa está discutindo a abolição destes carros, culpando estes pela poluição nas regiões metropolitanas. “E nós vamos receber o lixo tecnológico que vai ser proibido lá?", completa.  

A votação será, provavelmente, nesta terça ou quarta-feira. As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

Por Kellen Kunz

Carro a diesel

Foto: Divulgação


Carro sofreu uma repaginada e estará presente no novo filme dos Transformers.

Chevrolet Camaro continuará sendo o personagem Bumblebee no novo filme do Transformers. O carro traz a carroceria amarela com uma faixa preta, uma foto do Camaro fantasiado de Bumblebee foi tuitado no início de junho acidentalmente pelo diretor do filme Michael Bay.

O acordo comercial entre a General Motors e os produtores da franquia servirá para promover a sexta geração do cupê esportivo lançada como ano-modelo 2016, porém, o filme só será lançado em 2017, com o nome de "The Last Knight" (literalmente, "o último cavaleiro").

Alguns vídeos amadores já começaram a surgir mostrando trechos das gravações do filme. Em um deles o Camaro/Bumblebee puxa uma fila de veículos que costura entre outros que vão à contra mão. No vídeo original, os carros se movimentam lentamente – a aceleração da cena acontecerá na mesa de edição.

O filme anterior da sequência Transformers “A Era da Extinção” é de 2014. O lançamento do quinto da franquia ganhará o reforço do veterano ator Anthony Hopkins.

O primeiro filme da franquia foi lançado em 2007, mesmo para quem não gosta do filme, é impossível não se impressionar com os carros de Transformers. O filme conta a história de robôs alienígenas que se transformam em supercarros, um mais incrível que o outro.

Na trama de 2014, “A Era da Extinção”, o Autobot Bumblebee é um Chevrolet Camaro SS dos anos 70. O modelo conta com um motor que varia de 350 a 360 cv de potência. Usando seu poder de copiar a forma de outros carros, o Bumblebee faz uma reestilização – no decorrer do filme – e se transforma em um Camaro Concept.

O vilão Andean, dos Deceptcons, se transforma em um Pagani Huayara, um dos modelos mais inovadores do mundo automotivo. O esportivo conta com motor Mercedes-AMG M158 V12 turbo de 730 cv e 1.000 nm de torque.

O chefe da turma do mal, Lockdown, assume a forma de um Lamborghini Aventador, na cor preta com aspecto fosco. O esportivo possui um dos designs mais inovadores do mundo e esconde, embaixo do capô, um motor de 700 cv e 690 nm de torque.

O mais ranzinza dos Autobots, Crosshairs, muda sua forma para um Chevrolet Corvette Stingray. O modelo de alto desempenho conta com um motor V8 de 460 cv de potência e transmissão manual de 7 marchas – ou automática de 6 velocidades.

O samurai Drift, dos Autobots, se converte em um Bugatti Veyron, o carro mais rápido do mundo. O esportivo é fabricado pelo Grupo Volkswagen e chega a uma velocidade máxima de 431,072 km/h, graças ao motor de 1.001 cv de potência – quase 13 vezes mais potente do que um Fiat Uno Vivace 1.0.

O líder os Autobots, Optimus Prime, se transforma em um caminhão Peterbilt 379 personalizado, com o bico mais arredondado do que o tradicional e faróis mais modernos. Esta versão tem motor de aproximadamente 500 cv de potência.

Agora é só aguardar a estreia do novo filme pra se surpreender e “babar” pelos novos modelos dos supercarros de Transformers "o último cavaleiro".

Por Dany Bueno


SUV chega ao país para disputar espaço com o Porsche Macan e BMW X4.

A fabricante de automóveis de luxo da empresa indiana Tata Motors, a Jaguar, anunciou o lançamento do F-Pace para o mercado brasileiro. Ele é esperado para começar a ser vendido em setembro com preço inicial de R$ 309.300. O modelo SUV da fabricante já está em pré-venda. Há uma versão limitada a 19 unidades com a cor azul Caesium Blue, que custará R$ 416.400.

A Jaguar desembarcará o F-Pace em três modelos de motorização. O primeiro será equipado com um motor diesel 2.0 Ingenium, com 182 cv e 43,8 kgfm. A segunda opção de motor, muito mais potente, é um 3.0 V6 movido a gasolina, com 344 cv e 45,8 kgfm. O terceiro modelo também conta com um V6 com 385 cv e 45,8 kgfm. De acordo com a Jaguar, o F-Pace em sua versão mais potente consegue chegar a 100 km/h em apenas 5,1 segundos. Em todos os modelos o câmbio é automático e há oito velocidades com trocas realizadas no volante. A tração do veículo é integral.

O Jaguar F-Pace Prestige 2.0 180 cv diesel custará R$ 309.300. Nesta versão haverá sistema de navegação via GPS, farol de xenon, rodas aro 18", teto solar panorâmico e bancos dianteiros de couro com ajuste elétrico.

Outro modelo que será comercializado é o Jaguar F-Pace R-Sport 3.0 V6 340 cv gasolina. Esta versão sairá por R$ 360.500. Os clientes que adquirirem o veículo contarão com rodas aro 20", bancos esportivos, teto solar elétrico, faróis em LED, sistema multimídia inTouch Control Pro, painel de instrumentos com tela TFT, tampa do porta-malas acionável por gestos e sistema de som Meridian de 380 W.

O modelo Jaguar F-Pace S 3.0 V6 380 cv gasolina custará R$ 405.900. Ele oferece bancos de couro esportivos, sistema Adaptative Dynamics, pinças de freio esportivas, banco dianteiro elétrico com 14 ajustes, kit visual "S" e sistema de som Meridian de 825.

Por último, o modelo mais caro e com versão limitada a 19 unidades custará R$ 416.400. Ele é o Jaguar F-Pace First Edition 3.0 V6 380 cv gasolina. Além da cor azul Caesium Blue, ele oferece bancos esportivos em couro Windsor, luz ambiente interior configurável, acabamento exclusivo e soleiras iluminadas. O F-Pace oferece de série a tração integral, faróis com assinatura LED, vetorização de torque, sistema multimídia com tela touchscreen, start-stop, sensores de estacionamento, ar-condicionado, bancos dianteiros com ajustes elétricos e 8 airbags.

Nos modelos mais completos, haverá o Activity Key, uma pulseira que funciona como a chave do veículo.

Com o lançamento no Brasil, a Jaguar pretende inserir o F-Pace para brigar com o Porsche Macan e o BMW X4, que são vendidos a gasolina. Em sua versão em diesel, o modelo deverá ser uma boa alternativa para os clientes de carros de luxo.

Por William Nascimento


Modelo será lançado em julho e custará até R$ 107 mil.

Após ter sido lançada oficialmente no Brasil, a nova geração do Chevrolet Cruze chegou com um visual inteiramente renovado, muita tecnologia embarcada, bem como motorização turbo. Essa nova geração desse famoso sedã chegará ao Brasil vindo importada da Argentina, sendo que o veículo será disponibilizado em três versões distintas, aqui no mercado nacional elas custarão a partir de R$ 89.990 e chegarão a R$ 107.450. Segundo as expectativas da empresa, as primeiras unidades irão chegar às lojas ainda neste mês de junho, contudo as entregas dos veículos comercializados só acontecerão no mês de julho.

O design mais esportivo é o grande destaque trazido por este novo Cruze, muitos ao visualizarem o veículo disseram que o desenho dele ficou bastante semelhante aos dos seus principais rivais que são o Civic e o Elantra. Com relação à configuração das versões, a fabricante preferiu manter as mesmas, sendo estas a LT e a LTZ, todavia a versão mais cara terá um pacote extra de acessórios.

Com os valores variando entre R$ 89.990 e R$ 107.450, valores estes que representam um aumento considerável em relação à versão anterior, a qual tinha valor fixado entre R$ 81.190 e R$ 90.290. A principal justificativa da fabricante para este reajuste dos preços foi o fato de que esta nova versão chega ao mercado muito mais seguro, rápido, moderno, bem como econômico. Ao que tudo indica, a nova geração do principal concorrente do Cruze, que é o famoso Honda Civic, deverá chegar ao mercado brasileiro também com reajuste nos preços.

As três configurações disponibilizadas serão a LT, a LTZ e a LTZ equipada com pacote plus ou chamada também de LTZ 2, a qual será a topo de linha do veículo. Todas as configurações terão o propulsor 1.4 turbo com sistema de injeção direta, este motor possui um grau elevado de tecnologia, haja vista que ele além de injeção direta de combustível, o bloco confeccionado em alumínio contribui para que o Cruze tenha uma redução de peso de 113 Kg, detalhe este que fez com que o veículo obtivesse uma significativa melhora no seu desempenho. A 5.600 rpm, a potência desse motor é de 155 cavalos e o torque é de 24,5 mkgf. Este propulsor trabalhará em conjunto com a transmissão automática de seis marchas.

Por Adriano Oliveira


Novo veículo custará 9.850 euros e contará com novos acessórios.

Com a concorrência acirrada no mercado automotivo, a solução para as empresas do ramo para tentar ganhar dos seus principais concorrentes é lançar novos modelos no mercado ou reestilizar aqueles modelos que já estão no mercado e estão atendendo às expectativas das fabricantes. É nesse contexto que a Volkswagen, após apresentar o Up! No Salão de Genebra no mês de março deste ano, irá iniciar a venda do modelo esta semana no continente europeu. Algumas modificações foram feitas no veículo, haja vista que além das mudanças no design, o carro também ganhou novos acessórios, bem como melhorias na sua parte interna. Os preços iniciais de comercialização deste modelo na Alemanha iniciam a partir de 9.850 euros, valor este que feita a conversão em moeda nacional daria em torno de R$ 39.500.

No mercado europeu o UP! não é nenhuma novidade, pois por lá o modelo começou a ser comercializado no ano de 2011, ocasião em que o modelo chegou a proposta de veículo urbano. Com essa reestilização, a Volkswagen tem como principal objetivo maximizar o seu público, uma vez que nessa nova versão o veículo chega com uma cabine com detalhes ainda mais refinados. O principal atrativo desse novo Up! será a disponibilização do propulsor 1.0 TSI, o qual fez a sua estreia oficial no ano de 2015 no Up! brasileiro.

Na parte externa, as principais modificações trazidas pelo veículo estão localizadas nos faróis, que possuem a presença de LEDs diurnos, para-choque remodelados, repetidores de seta integrados nos retrovisores, bem como lanternas com novos desenhos.

Já na parte interna, o modelo oferta aos consumidores central multimídia Composition composta por um display de cinco polegadas com tecnologia de conectividade com smartphones e sistema de som premium Beats, bem como ar-condicionado automático. Outra grande novidade que muitos consumidores irão aplaudir foi a inserção do volante do Golf no modelo.

Com relação às motorizações que serão ofertadas por lá, elas serão idênticas às oferecidas no mercado brasileiro, todavia, propulsionados por gasolina e com potências menores. No caso do propulsor 1.0 MPI aspirado, há variantes com potência máxima de 60 cavalos ou 75 cavalos. Já a versão turbinada 1.0 TSI, de forma distinta da versão brasileira (que consegue produzir uma potência de 105 cavalos quando abastecido com etanol), na Europa ela entregará apenas 95 cavalos de potência. No mercado europeu, o Up! contará com câmbio manual de cinco velocidades.

Por Adriano Oliveira


Toyota Prius é o principal responsável pela marca obtida pela montadora.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Toyota continua fazendo bastante sucesso e a prova desse sucesso são marcas históricas que vem sendo atingidas pela empresa, sendo que a última delas foi atingida no último dia 30 de abril deste ano, ocasião em que a empresa conseguiu superar a marca de 9 milhões de veículos híbridos comercializados em todo o mundo. Um fator interessante é que a empresa atingiu essa surpreendente marca apenas nove meses depois de ela ter comemorado o registro de 8 milhões de veículos movidos por esta tecnologia. O grande destaque da marca nesse setor é o Toyota Prius, modelo este que, atualmente, já ultrapassou a incrível marca de 5,7 milhões de unidades comercializadas em todo o mundo. Para termos uma noção, esse quantitativo representa nada mais nada menos que 63% do total mencionado acima.

Além de serem uma nova tendência para o mercado automotivo mundial, os veículos híbridos vêm ganhado cada vez mais espaço nos mercados. Com essa marca de mais de 9 milhões de veículos híbridos comercializados, a Toyota estima que nada mais nada menos que 67 milhões de toneladas de dióxido de carbono deixaram de ser emitidas na atmosfera. Outra estimativa positiva da empresa é de que estes veículos economizaram aproximadamente 25 bilhões de litros de gasolina, quantitativo este feito por meio da mensuração da quantidade de gasolina consumida nos veículos convencionais.

Todo esse resultado que a Toyota vem obtendo em relação ao comércio de veículos híbridos no mundo é oriundo do programa de Desafio Ambiental da empresa, que foi anunciado oficialmente no mês de outubro do ano de 2014, o qual tem como objetivo primordial definir os desafios a serem desenvolvidos para minimizar os impactos causados pela utilização de automóveis na saúde do meio ambiente no mundo inteiro. Esse é um dos passos que a Toyota está utilizando para contribuir com o surgimento de uma sociedade cada vez mais sustentável.

O primeiro veículo híbrido a ser comercializado pela marca foi o Coaster Hybrid EV, o qual foi apresentado no mês de agosto de 1997, sendo que em dezembro deste mesmo ano o Prius foi lançado aqui no mercado nacional. Aqui no Brasil, a Toyota passou a vender o Prius no mês de janeiro de 2013, sendo que do lançamento até o presente momento 783 unidades foram vendidas no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Ousadia, inovação e criatividade fazem parte do jeito francês de conceber carros

Quem conhece ao menos um pouco da mecânica dos automóveis franceses sabe que eles são fabricados de maneira única e exótica. Tanto que, é comum afirmar que os engenheiros franceses não têm medo de ousar na produção de seus veículos.

É exatamente essa característica que instiga a busca por novos design e tecnologias, desvencilhando-se do comum e dos padrões já estabelecidos.

O Citroën 2CV é um bom exemplo disso. Fabricado entre 1948 e 1990, o modelo foi um sucesso de vendas, alcançando a incrível meta de 5 milhões de unidades vendidas. O diferencial do modelo? Todo o chassi e carroceria estavam unidos em um único bloco, enquanto a suspensão era independente.

Hoje a solução utilizada no modelo pode parecer banal, pois foi muito explorada nos últimos anos. No entanto, durante a época houve certa agitação entre a mídia e as demais fabricantes que utilizavam um sistema onde a lataria e chassi eram independentes, enquanto a suspensão era ligada por um eixo rígido.

O 2CV dividiu opiniões, mas acabou surpreendendo por se tratar de um veículo bastante estável em altas velocidades, o que lhe rendeu o título de “impossível de capotar”. Isso se deve graças à suspensão, que mantinha o veículo sempre em contato com o solo, independente do movimento realizado pela lataria. O modelo contava com um propulsor de dois cilindros e refrigerado a ar, com 345cc e 9 cv de potência, que atingia incríveis 115 km/h.

Outro veículo da montadora que chamou a atenção foi o Traction Avant, o qual foi o comercializado durante 1934 a 1957. Vale lembrar, que o automóvel foi o primeiro a contar com a suspensão monobloco e tração nas rodas dianteiras.

Os modelos franceses contam com soluções inovadoras em seu design, como o Peugeot 402, onde as portas abrem no sentindo contrário e a capota dobradiça em aço pode ser acionada eletricamente. O primeiro modelo a utilizar essa tecnologia foi o Peugeot 401, lançado em 1934.

É impossível falar em veículos sem citar a Renault, que revolucionou o mercado ao lançar o modelo R-16, em 1965. O veículo contava com design moderno e inovador, tendo como diferencial o seu imenso porta-malas.

Outros modelos franceses também auxiliaram no desenvolvimento de novas tecnologias, como: Citroen DS e o Alpine A110. Não há dúvidas que as fabricantes francesas são responsáveis por importantes tecnologias utilizadas em veículos atuais e revolucionaram o mercado automobilístico.

Por Wendel George Peripato


Por causa de um embargo econômico ordenado pelos Estados Unidos da América no ano de 1962, o país de Cuba possui uma frota uma frota majoritária de veículos norte-americano, mas este carros são bastante antigos, sendo que na sua maioria eles são da década de 50, porém, até hoje, estão rodando no país, mesmo tendo passado por adaptações mecânicas para suportar todo este lapso temporal. No entanto, o contexto está mudando, haja vista que o país será o primeiro da América Latina aonde chegará a mais nova geração do tecnológico Mercedes-Benz Classe E, veículo este que foi lançado no começo deste ano no continente europeu.

Nessa renovação de frota as primeiras unidades que chegarão à Cuba serão destinadas a uma empresa ligada ao Ministério do Turismo, no total foram adquiridas 64 unidades deste sedã, inicialmente eles irão compor a frota de carros de alugueis que são disponibilizados para turistas. Além dos 64 exemplares mencionados acima, neste lote de aquisições do governo cubano estão incluídos outros 135 exemplares do modelo C200 CGI.

Tantos os modelos Classe C e Classe E chegarão ao mercado cubano equipados com o propulsor tetra cilíndrico 2.0 litros turbo, o qual é capaz de gerar um a potência máxima de 184 cavalos. Todos estes veículos serão movidos à gasolina e virão com câmbio automático de nove velocidades. Uma grande inovação tecnológica trazida por estes veículos adquiridos pelo governo cubano são os faróis denominados MULTIBEAM os quais são compostos por 84 LEDs, os quais cumprem a função de iluminar a via, porém fazendo a adequação do facho de luz de forma automática sem ofuscar a visão dos demais condutores que se deslocam no sentido contrário.

Este mesmo Classe E que chegará em Cuba está previsto para ser lançado aqui no Brasil no mês de novembro, sendo que a sua apresentação oficial ocorrerá durante o Salão do Automóvel de São Paulo, porém por enquanto, a fabricante não divulgou quais as versões deste veículo serão disponibilizadas para o comércio por aqui, mas ao que tudo indica o sedã será ofertado aos consumidores brasileiros somente nas versões E300 e E 400, sendo que no primeiro momento este veículos chegarão com o propulsor 2.0 turbo, o qual é capaz de gerar uma potência máxima de 245 cavalos e com tração traseira.Para os consumidores mais exigentes, a versão topo de linha virá equipada com o motor 3.0 V6 com capacidade de gerar uma potência de 333 cavalos e um torque de 48 kgfm e dotado de tração integral.

Por Adriano Oliveira


Modelo conta com freios ABS de série e é capaz de rodar tanto na cidade como em trechos off-road.

Na sexta-feira do dia 5 de maio de 2016, a Honda lançou a XRE 190, principal aposta da montadora para este ano, contando com ABS de série e custando algo em torno de R$ 13.300 em uma única versão.

A empresa espera que no período de um ano sejam vendidas cerca de 32 mil unidades, a motocicleta aposta no conforto para rodar dentro da cidade, porém, também pode encarar trechos off-road.

Segundo o engenheiro da Honda, Alfredo Guedes, o modelo é praticamente urbano, só que possui suspensões apropriadas para qualquer tipo de obstáculo.

Essa capacidade para rodar fora da estrada vem de sua linhagem, pois a mesma segue a linha da XRE, que possuia até o momento só o modelo de 300 cc.

A XRE 190 possui 3 anos de garantia e terá suas vendas iniciadas no mês de junho, com as opções de cores: verde, preto e vermelho, onde todas são perolizadas.

De acordo com a montadora, a moto foi feita do zero e está sendo produzida na cidade de Manaus. O motor é flex e gera uma potência de 16,4 cavalos a 8.500 giros, além de um torque de 1,66 kgfm a 6.000 rpm.

A Honda focou no consumo do motor, embora não tenha divulgado seus números. A moto pesa 127 Kg sem fluídos e possui um tanque de 13,5 litros.

Uma das grandes novidades do modelo que apareceu na XRE 190 é o freio ABS, que para essa faixa de cilindrada é série de 1 canal, já se adaptando as regras exigidas futuramente para todas as motos no Brasil, onde deverão possuir ABS ou CBS. Até o momento, nessa faixa de cilindrada somente a scooter Yamaha Nmax 160 possuía ABS de série.

A XRE 190 tem ABS na roda dianteira, porém, na traseira é a disco, mas com sistema simples. Além disso, a moto lançada conta com roda de 19 polegadas na dianteira e de 17 polegadas na traseira, com pneus de uso misto.

As suspensões são alongadas, se comparados a modelos totalmente urbanos. Na parte da frente, o modelo conta com amortecedores de 180 mm e com amortecedor de 150 mm na traseira.

FILIPE R SILVA


Novo Cruze traz um visual mais agressivo e um porta-malas maior. Modelo deverá começar a ser vendido no próximo ano.

A cada mês que se passa mais próximo vai ficando o início do São do Automóvel de São Paulo, evento que ocorrerá entre os dias 10 e 20 de novembro deste ano de 2016. E os profissionais do ramo da automobilística, bem como os apaixonados por carro, já começam a especular a respeito dos novos modelos que serão apresentados pelas fabricantes neste evento. O certo é que algumas fabricantes aproveitam este momento para ir divulgando aos poucos quais serão as suas principais novidades e com a Chevrolet não ocorre de forma diferente, haja vista que a empresa já fez a divulgação oficial que irá apresentar o novo Cruze Hatch neste evento.

O Cruze Hatch foi apresentado no mercado exterior na última versão do Salão de Detroit, a qual foi realizada no mês de janeiro, sendo que no mercado norte-americano o modelo começará a ser comercializado já no mês de outubro ainda deste ano. Se formos comparar este modelo que será mostrado aqui no Brasil, o Cruze Hatch, ao já conhecido e comercializado por aqui e em diversos outros países, o Cruze Sport 6, este novo hatch que será lançado no mercado nacional traz consigo um visual muito mais agressivo, principalmente na sua parte traseira, uma vez que foram inseridos alguns apliques a fim de simular entradas de ar no para-choque.

Já na parte interna, o principal destaque do veículo ficou por conta do seu porta-malas, que teve a sua capacidade aumentada e passará a contar com nada mais nada menos que 524 litros. Para termos uma noção do quanto o compartimento ficou espaçoso, o porta-malas de um VW Golf, por exemplo, possui exatos 338 litros apenas.

Do mesmo modo que o Cruze sedã, este modelo também será importado da Argentina e será lançado no mercado nacional no segundo semestre. Essa nova versão do hatch do Cruze deverá ser lançada com o novo propulsor 1.4 16V turbo, o qual na Argentina possui um potência máxima de 155 cavalos, porém, por lá o motor é fabricado para ser movido somente por gasolina.

Aqui no Brasil, a tendência é que a Chevrolet adapte este motor à tecnologia flex, detalhe este que fará com que este propulsor fique ainda mais potente quando abastecido com etanol. Ao que tudo indica, o Cruze Hatch deverá ser fabricado na unidade argentina, localizada em Rosário, e poderá começar a ser comercializado aqui no Brasil ao longo do ano de 2017.

Por Adriano Oliveira


Tecnologia está disponível na Europa mas deve chegar ao Brasil em breve.

A nova geração do Ford Edge vem com uma grande inovação da montadora: o controle inteligente de velocidade. Mas calma, isso ainda está lá pelo mercado europeu. Mas é claro que logo estará certamente pintando por aqui.

Mas o que exatamente é esse novo recurso, você deve estar se perguntando. Esse recurso chegou para ajudar os motoristas a trafegarem em segurança nas vias públicas, obedecendo as condições regulamentadas, evitando ser multado por infrações e é claro, evitando acidentes.

O novo recurso funciona por meio de um sistema de câmeras que conseguem identificar a sinalização de trânsito e também ajustar a velocidade do automóvel, fazendo com que o motorista respeite os limites de velocidade e qualquer outra peculiaridade da rua, avenida ou estrada.

O controle inteligente de velocidade foi introduzido pela primeira vez em 2015, no Galaxy e S-MAX, tendo conquistado muitos simpatizantes, tanto que a opção pelo equipamento aumentou 95% nesses modelos. O modelo reformulado traz duas tecnologias da montadora combinadas: o limitador de velocidade (que é ajustável e que pode ser configurado manualmente) e a tecnologia que reconhece os sinais de trânsito, mostrando no painel do veículo o último limite de velocidade que foi identificado e sinais como conversões ou trechos onde é proibido ultrapassar.

Acionado por controles no volante, esse equipamento pode ser ajustado à velocidade máxima local, de forma manual. Há alguns modelos – os equipados com navegação – que tem a sua precisão aumentada, por conta da utilização de dados de mapas. Os sinais de trânsito são monitorados por meio de uma câmera situada no para-brisa e quando é identificado um limite menor de velocidade, o carro é desacelerado automaticamente. Quando esse limite é aumentado, há a "permissão" para acelerar.

Ainda não há previsão da vinda dessa tecnologia para o Brasil, mas se formos considerar o grande número de acidentes que acontecem diariamente tanto em estradas quanto em vias urbanas, seria uma ótima solução para ajudar a abrandar e diminuir a incidência de excessos no trânsito, seja por descuido ou por irresponsabilidade. A montadora certamente deu um passo importante com relação a buscar um tráfego melhor e garantir mais segurança no trânsito.

Elma de Fátima Morales Jacinto


Modelo passou por mudanças no visual e ganhou novos itens. Picape custará entre R$ 72 mil e R$ 160 mil.

Uma das grandes novidades do mercado de automóveis é, sem sombra de dúvidas, a chegada da linha 2017 da Chevrolet S10. Trata-se de uma linha reestilizada e que promete fazer bastante sucesso. É importante destacar que seu novo visual possui a frente fortemente baseada na picape Colorado, que é comercializada nos EUA. O preço da versão mais barata custa R$ 72.350, enquanto que nas versões top de linha o preço ultrapassa a casa dos R$ 160.000.

A nova S10 não vem recheada de novidades apenas no visual, a linha 2017 também ganhou: direção elétrica, melhoras nas tecnologias dos sistemas de controle de vibrações, novos conjuntos de suspensão e de freios, além do aperfeiçoamento no isolamento acústico. Outro grande destaques da nova S10 é o alerta de colisão e de mudança involuntárias de faixa, sendo que esses dois itens prometem trazer ainda mais segurança. Além disso, ainda podemos destacar outras novidades: acionamento da ignição a distância, multimídia acompanhada de Android Auto e Apple CarPlay, luzes diurnas de led e sistema Onstar.

Levando em consideração o grande aumento do apelo urbano, a Chevrolet também investiu pesado em alertas de colisão frontal, desvio de faixa, além de sensor de ré de estacionamento.

Apesar das mudanças no design e dos novos itens que compõem a Chevrolet S10 2017, é importante destacar que sob o capô do automóvel não houve mudanças. Dessa forma, permanece o motor 2.8 turbodiesel de 200 cv a 3.600 rpm e 51 kgfm a 2.000 giros. O referido motor é acompanhado de câmbio automático com seis velocidades. Esse câmbio tem como principais características as trocas rápidas e suaves.

Como já destacado, a parte visual é uma dos destaques da nova S10. Saiba que as mudanças foram muito bem feitas. O capô passou a contar com uma cavidade em sua área central posterior, a grade recebeu um alongamento até os faróis (que foram redesenhados) e o para-choque dispõe de novo design.

As mudanças no interior, por sua vez, procuraram organizar ainda mais a parte interna do automóvel. O painel dispõe de aparência e tecnologia mais agradáveis. A nova central multimídia também chama bastante atenção, haja vista a tela de oito polegadas capacitiva.

Por Bruno Henrique


Confira aqui o preço e as principais novidades da nova versão do Audi A4.

A fim de manter a sua colocação de liderança entre as marcas premium aqui no mercado brasileiro, a Audi demonstra que deseja muito mais do que simplesmente produzir veículos automotores por aqui, haja vista que o plano da fabricante é não desacelerar a sua produção, mesmo diante da crise que assola o setor no Brasil.

Pra continuar no mesmo ritmo, a fabricante alemã quer disponibilizar para os consumidores do Brasil toda a sua gama de produtos ofertados em outros países. E como prova de ousadia, ela acaba de fazer, aqui no Brasil, o lançamento oficial do novo Audi A4,o qual manteve o estilo sóbrio, porém, traz consigo avanços tanto tecnológicos quanto estruturais.

O novo Audi A4 é um sedã de médio porte que chama atenção por causa da grande qualidade que foi utilizada nos acabamentos, outro aspecto em que o veículo não deixa a desejar é na dirigibilidade, porém, a única notícia desanimadora é que o veículo possui preço salgado.

Com relação ao visual, o design do veículo ainda continua bem discreto, sem a presença de muita ousadia e pouco grau de esportividade. Na parte frontal, o destaque fica para a grade de elementos paralelos que é cromada, bem como para os faróis full-LED que possuem tecnologia para se adaptar a desníveis e curvas, desse modo não ofuscando a visão dos condutores que deslocam em sentido oposto. Já as lanternas traseiras também foram contempladas com um novo design tridimensional e a tampa do porta-malas deste carro vem com um difusor de ar discreto.

O novo Audi A4 ganhou novas medidas e nessa nova edição ficou um pouco maior que na versão anterior, nessa nova configuração o carro possui 4,73m de comprimento e 2,82 m de distância entre-eixos, dimensões estas que proporcionaram com que o veículo obtivesse um aumento no seu espaço interior.

Com relação ao interior do veículo, os acabamentos mantiveram o mesmo padrão tecnológico e de sofisticação que dispensam comentários. Nessa nova versão o sedã tem como novo propulsor o motor 2.0 TSFI, que possui a capacidade de produzir uma potência de 190 cavalos e um torque de 32,6 Kgfm, este novo motor trabalha com um sistema de dupla injeção de combustível, sendo que a sua taxa de compressão mais elevada é de 11,6:6. Todo este conjunto mecânico trabalha em conjunto com a transmissão S Tronic, que é dotada de um sistema de dupla embreagem e com câmbio de sete velocidades.

Os valores de comercialização desse carrão por aqui é de R$ 159.990 para a versão Attraction (que é a versão de entrada) e de R$ 182.990 para a versão topo de linha, que é a Ambiente.

Por Adriano Oliveira


Modelo chega com motor turbo em todas as versões. Preços partem de R$ 509 mil.

Após ter sido apresentado oficialmente no final do ano passado no Salão de Frankfurt, evento ocorrido na Alemanha, o novo Porsche 911 foi lançado aqui no Brasil. O veículo chegou ao mercado nacional com algumas mudanças, nessas mudanças foram feitas algumas pequenas alterações no visual externo do carro, as quais contemplaram o redesenhamento dos faróis e lanternas traseiras. A principal novidade trazida por este modelo ficou por conta da adoção do novo propulsor turbo, que será utilizado em quase todas as versões, exceção feita a edição limitada 911 R, que será lançada no segundo semestre e virá com um propulsor de seis cilindros opostos horizontalmente naturalmente aspirado de quatro litros e com capacidade de produzir uma potência de 500 cavalos, este motor trabalhará em conjunto com um câmbio manual de seis velocidades.

Nas outras configurações, a fabricante preferiu manter o tradicional propulsor de seis cilindros opostos, porém, sobrealimentado por turbina e sempre com acoplamento à transmissão com tecnologia robotizada de duas embreagens e de sete velocidades do modelo PDK. Outra novidade trazida pelo Porsche 911 é a tração integral nos modelos que são denominados pelo numeral “4”. A montadora, nesse início de venda, está fazendo uma oferta de carroceria cupê, targa e conversível (cabriolet).

Os preços sugeridos para comercialização deste lançamento vão de R$ 509 mil para o modelo Carrera até R$ 1,277 milhão para o modelo Turbo S Cabriolet, que é o topo de linha.

A versão de entrada, Carrera, vem dotada de um motor de três litros que possui tamanho reduzido em comparação com o modelo 3.4, que era utilizado na versão anterior. Para ajudar na potência o propulsor tem a ajuda de dois turbos, os quais conseguem produzir uma potência de 370 cavalos, ou seja, 20 cavalos a mais.

Por outro lado, os modelos Turbo e Turbo S, que são os topo de linha e que anteriormente eram os únicos que contavam com a presença da turbina na família 911, tiveram a cilindradas de 3,8 litros mantida, contudo, as turbinas ganharam um acréscimo de pressão, assim acrescentando a potência dos modelos mais 20 cavalos, de modo que com estas alterações os modelos passaram a produzir uma potência de 540 e 580 cavalos, respectivamente.

Para termos uma ideia do quanto essas máquinas são velozes, segundo os dados da fabricante, o modelo 911 Turbo S possui a capacidade de acelerar de 0 a 100 Km/h em incríveis 2,9 segundos.

Por Adriano Oliveira


Modelo também deve chegar ao Brasil, mas ainda não tem data confirmada.

Após ser submetido a uma última reestilização, o veículo Nissan GT-R ganhou uma força a mais para antecipar a chegada de sua nova geração, que está prevista para ser lançada daqui dois anos. O lançamento deste modelo ocorreu no ano de 2007, sendo que o seu primeiro facelift foi realizado no ano de 2011 e, dessa vez, passou por novas alterações não somente de cunho visual, mas também no seu propulsor e no seu pacote tecnológico. A fabricante japonesa já confirmou oficialmente que este modelo será comercializado aqui no Brasil, apesar de que ainda não há previsão.

A parte frontal deste veículo foi totalmente remodelada e os principais destaques ficaram por conta da presença de uma charmosa grade cromada com acabamento do tipo “V-Motion”, conforme a atual assinatura de design que está sendo utilizada pela marca. Segundo as informações obtidas por meio da própria fabricante, a grade foi desenvolvida apenas pensando em padrões estéticos e aerodinâmicos, pois o seu formato contribui para que haja um melhor arrefecimento do propulsor. Afim de aumentar a estabilidade do veículo, o capô também foi reforçado, do mesmo modo que o novo aerofólio dianteiro e para-choque ficaram ainda mais robustos.

O perfil desse cupê superesportivo é totalmente definido pelo seu design, contudo, as soleiras laterais foram alargadas. Na parte de trás do veículo, os quatro faróis em formato de anéis foram mantidos. Já o desenvolvimento da nova carroceria foi feito para maximizar o fluxo de ar das saídas de ar laterais que ocorre ao lado das ponteiras do escapamento que é quádruplo. O design ainda mais agressivo deste carro é favorecido pelo acréscimo de tamanho que foi feito na linha de cintura, que foi projetado para separar a seção preta inferior do painel de corpo.

O propulsor utilizado no veículo é o V6 3.8 litros dotado de 24 válvulas biturbo, que é capaz de produzir uma potência máxima de 572 cavalos a 6.800 rpm e 64,5 Kgfm de torque, ou seja, 20 cavalos a mais do que a última versão do GT-R.

Outro quesito que foi melhorado nessa nova versão do GT-R foi a arrancada, pois com a presença do controle de ignição por tempo individual dos cilindros e impulso extra dado pelos turbocompressores a arrancada melhorou significativamente.

Por Adriano Oliveira


Modelo foi redesenhado pela primeira vez e ganhou duas novas opções de motor.

A montadora Peugeot, na última segunda-feira, dia 4, na cidade de Fortaleza, apresentou a linha 2017 do modelo 208. A linha será redesenhada pela primeira vez, o modelo agora possui duas novas opções de motorização, uma focada na parte mais esportiva e outro com foco no desempenho. No total são 7 versões, com 3 transmissões e 3 motores.

O motor que era de 1.5 e 4 cilindros passou a ser de 1.2 com 3 cilindros. Ele é um pouco menos potente e vem com o objetivo de ser o mais econômico do país, tendo um consumo médio de 10,9 km/l com etanol, rodando na cidade. O outro é um motor 1.6 com 122 cv e conta também com o 1.6 THP (turbo) de 173 cavalos.

O visual do Peugeot 208 passa por pequenas reestilizações, que foram mostradas no modelo apresentado no Salão de Genebra no ano passado. Na frente, o para-choque conta com um formato levemente diferenciado, já a grade tem um novo local.

Os faróis de neblina passaram a contar com uma moldura maior. Na parte traseira, a novidade fica por conta da disposição das luzes. Na parte interna foram modificadas somente as cores e as texturas.

Se comparado com outras versões, o comportamento dinâmico teve um reajuste. A suspensão vem com uma regulagem especifica para a esportividade, os pneus possuem um perfil mais baixo, as rodas traseiras ganharam discos sólidos, os freios foram redimensionados tanto no diâmetro como na espessura, além da direção também estar mais direta.

A montadora resolveu também apostar num incremento do visual do novo 208 GT. O qual vem com rodas de 17 polegadas em alumínio com acabamento diamantado, retrovisor com acabamento na cor preto brilhante, aerofólio, escapamento com dupla saída e ponteiras cromadas, além da grade com detalhes em vermelho. Internamente, o modelo possui pedaleiras esportivas, volante revestido em couro com detalhes vermelhos e bancos com costuras na mesma cor.

Para os que desejam esportividade somente no visual, há a versão Sport, que possui uma aparência esportiva, porém, conta com um propulsor de 1.6 com 16V e potência de 122 cavalos, somado ao câmbio manual de cinco velocidades. A grade é em preto brilhante e com detalhes vermelhos, os retrovisores e o aerofólio também são em preto brilhante.

FILIPE R SILVA


Novo veículo deve se chamar I-Type ou I-Pace. Carro deve ser lançado em 2018.

As empresas dos mais diversos setores há algum tempo investem no mercado sustentável, por vários motivos, como a preocupação com o meio-ambiente, passar uma boa imagem para o público ou para firmar acordos e para outros tantos.

Seguindo esse conceito, a fabricante de carros luxuosos, a inglesa Jaguar, está seguindo esse preceito ao anunciar que está trabalhando para o desenvolvimento do seu primeiro carro elétrico, com previsão de lançamento para o ano de 2018.

O grande benefício dos carros elétricos é que eles não são poluentes, não emitem nenhum tipo de gás que prejudicaria o ambiente. Além, é claro, de não emitirem nenhum tipo de som, dessa maneira evitam os ruídos, muitas vezes prejudicais à saúde das pessoas.

Faz parte do imaginário da população possuir entre seus bens um carro luxuoso e a montadora inglesa ao unir o luxo ao sustentável, dá um salto em seus negócios, pois a preocupação com vertentes sustentáveis é um quesito que muitas pessoas valorizam. Até o Governo está incentivando as pessoas a adquirirem carros classificados como verdes, que quase não agridem o meio ambiente. A prova disso é que o Governo está zerando impostos de importação para carros elétricos e a hidrogênio. Vale lembrar que com essa isenção o preço do automóvel cai em 35%.

A montadora não divulgou mais detalhes sobre o projeto, as únicas informações obtidas até o presente momento é que ela já registrou dois possíveis nomes (I-Type e I-Pace) para os automóveis. Também não se sabe se os carros serão modelos totalmente originais ou um aprimoramento de algum modelo já existente.

Quem sabe ao apostar nesse novo setor de criação a montadora inglesa não consiga ser a quarta representantes do setor automobilístico a participar da tradicional lista das “100 empresas globais mais sustentáveis” publicada pela revista canadense “Corporate Knights”. As empresas que participam desse ranking são em 6º lugar a Bayerische Motoren Werke (BMW/ montadora alemã); em 60º lugar a Daimler (empresa alemã) e em 81º lugar a Renault (fabricante francesa).

Por Isabela Castro


Veículo deverá chegar ao Brasil no 1º semestre de 2016 e custará a partir de R$ 217 mil.

E quem nunca sonhou em desfilar por aí com um Range Rover? Os carros dessa marca são extremamente conhecidos por serem utilizados pela família real britânica. O que mais impressiona é que essa marca tem ficado cada vez mais “popular” no Brasil. Ora, apesar de estarmos em crise, a versão HSE Dynamic custa entre R$ 217.500,00 e R$ 265.800,00.

Apesar dos pesares, o que mais chama atenção nessa marca é o estilo. Nesse aspecto, a Range Rover traz ao mercado o seu mais novo veículo: o Range Rover Evoque Facelift.

A princípio, a produção desse carro foi um desafio, principalmente para os designers. Como inovar em um carro que não precisa ser mudado em nada. Seria o mesmo que “mexer em um time em que se está ganhando todas as partidas, todos os campeonatos e todos os torneios”. Sendo assim, para o Range Rover Evoque Facelift, poucas mudanças visuais foram realizadas. Dentre elas se destacam a divisão dos faróis de LED, charme da marca. Tal truque foi repetido nas lanternas traseiras.

Segundo Gerry McGovern, chefe de design da Land Rover, a intenção foi evoluir o design do carro sem diminuir o caráter peculiar.

A expectativa é que o Range Rover Evoque Facelift seja lançado ainda no 1º Semestre de 2016. Segundo informações, o Range Rover Evoque Facelift deve ser fabricado em Itatiaia, RJ.

O Range Rover Evoque Facelift apresenta uma boa desenvoltura no que diz respeito a motor, além de possuir uma boa tolerância a pisos ruins.

A versão básica do Range Rover Evoque Facelift conta com rodas de 18 polegadas, ao passo que a versão top e esportiva da marca (HSE Dynamic) conta com rodas de 20 polegadas. Além disso, possui retrovisores pretos.

O interior do Range Rover Evoque Facelift não deixa a desejar. Os bancos são abraçados por couro Oxford nos tons preto e vermelho. Além disso, foi incorporada uma central multimídia de maior definição.

A versão compacta conta com um motor 2.0 de 240 cv, o que possibilita um consumo médio de combustível de 11,6 km/l na estrada e na cidade, o carrão apresenta um consumo médio de 5,4 km/l.

Para quem pode desembolsar o preço pedido estará bem servido.

Raquel Alice Moreira


Sistema será compatível com Google Maps, Google Play Music, Google Now e Spotify. Waze ainda não é compatível.

O Android Auto chegou ao Brasil por meio da Alphabet, de maneira oficial. A previsão é que todos os carros compatíveis contem já no início do mês de abril com a versão do sistema na língua portuguesa, uma vez que ela ainda se encontra bloqueada para algumas centrais de multimídia.

Algumas centrais de multimídia como é o caso da Chevrolet, Honda e Volkswagen já estão compatíveis com o sistema operacional falante do Android Auto. Outras marcas, como a Fiat, Suzuki, Ford, Mitsubishi e Hyundai devem contar com o sistema nos seus automóveis em breve.

O ecossistema também possibilitará o seu uso por meio de rádios da Pioneer, os quais também conta com o suporte de mídia Apple CarPlay.

Os aplicativos que estão compatíveis com a versão em português do Android Auto são o Google Now, Google Maps, Google Play e o Spotify. Logo será possível também que se façam chamadas através do WhatsApp e do Skype por meio do sistema de bordo dos carros.

Outro ponto interessante é que o Waze, que hoje é o GPS mais utilizado no Brasil, ainda não tem data prevista para que fique compatível com essa versão do Android Auto.

Como utilizar o Android Auto?

O motorista necessita fazer o download do app do sistema operacional e fazer a conexão com o automóvel através de um cabo USB. Depois, o usuário vai poder fazer uso de aplicativos de seu smartphone Android em seu veículo.

Uma das coisas que é possível fazer é pedir para que o sistema faça o “envio de uma mensagem para um de seus contatos” ou então que “telefone para alguém”. Aqueles que estão no app Google Play Music poderão pedir para que se toque uma determinada música ou até uma playlista completa através do comando de voz.

No momento, os aplicativos que contam com o suporte para o comando de voz ainda não são em grande quantidade. Os apps para o Android Auto são poucos e apenas os essenciais. Porém, o Google trabalha com os seus desenvolvedores para que uma maior gama de aplicativos chegue em breve para os usuários. A empresa também já disponibilizou alguns tutoriais para os motoristas aprenderem a usar o sistema.


Novo carro terá 500 unidades produzidas e custará 2,4 milhões de euros.

Você é alucinado por carros esportivos? Gosta de ficar por dentro das novidades? O novo Bugatti Chiron foi oficialmente apresentado no Salão de Genebra, na Suíça. O carro, que é o sucesso do Veyron, conta com motor de 8.0 turbocompressores, além de 1520 cavalos de potência a 6.700 rpm e 163,1 Kgfm de torque, entre 2000 e 6000 rpm. O câmbio de dupla embreagem possui sete velocidades.

Outro destaque para o esportivo, é a aceleração, que pode alcançar 0 a 100Km, e pode ser feita em até 2,5 segundos. A velocidade máxima do Bugatti é de 420 km/h, sendo 11 km/h mais rápido que o antecessor.

Inicialmente, o preço do esportivo será de 2,4 milhões de euros, o que equivale a, aproximadamente, R$ 10 milhões. Além disso, a produção será limitada em até 500 unidades. Mesmo com o valor alto, segundo a fabricante do carro, já teve 150 pedidos.

O design do Bugatti guarda algumas semelhanças com o Veyron, seu antecessor. Entretanto, a parte estrutural do automóvel apresenta boas diferenças entre ambos. Por exemplo, pela presença da fibra de carbono na construção, que deixa o carro, cerca de 155 kg mais pesado. Além disso, o automóvel esta 8,2 cm mais comprido, 4 cm mais largo e 5,3 cm mais alto.

Você conhece os principais carros mais caros do mundo?

1-      Bugatty Veyron, que tem o preço médio inicial de US$ 1,5 milhão. A velocidade média é de 407 Km/h e a aceleração é de 0 a 96Km, em 2,5 segundos.

2-      SSC Ultimate Aero, que tem o preço médio inicial de US$ 654,4 mil e velocidade média de 414 Km/h. Ele pode fazer 2,7 segundos em até 0 a 96Km.

3-      Koenigsegg CCX, que tem o preço inicial de US$ 695 mil e a velocidade máxima de 400 Km/h. Em relação à aceleração, ele pode chegar a 0 a 96Km, em apenas 3,2 segundos.

4-      Sallen S7 Twin Turo, que pode custar cerca de US$ 555 mil. A velocidade máxima é de 400 km/h e a aceleração é de 0 a 96Km, em, apenas, 3,2 segundos.

5-      Lamborghini Murciélago LP64, que pode custar até US$ 430 mil. A velocidade máxima é de 343 Km/h e a aceleração é de 0 a 96 Km, em até 3,3 segundos. 

Por Babi

Bugatti Chiron

Bugatti Chiron

Fotos: Divulgação


Edição Limitada celebra os 40 anos do modelo e chega com motor mais potente.

Nesta matéria, vamos falar sobre a nova e poderosa versão de um antigo hatch da VW, o Golf GTI TCR versão comemorativa dos 40 anos do modelo, tendo sido produzido em parceria com Seat e a divisão de competição da VW.

A VW, por sua vez, sempre foi símbolo de confiança, produzindo carros resistentes, com linhas charmosas e um motor possante escondido no capô. Só que dessa vez ela foi além, criou uma fera. A versão especial do Golf teve seu motor aprimorado, rendendo 330 cavalos e 41,7 kgfm de torque, tendo 110 cavalos a mais do que sua versão normal.

O carro também vem equipado com um câmbio de 6 marchas, com trocas feitas nas aletas, que fica atrás do volante do carro, possibilitando para o motorista uma troca de marcha rápida, suave e eficiente.

Fora essa edição especial do carro, temos outras duas também, a versão 2.0 normal com 220 cavalos e a versão 1.4 turbo com 140 cavalos. É interessante ressaltar que a versão 1.4 turbo flex 2016, fabricado no Brasil, ganhou uma suspensão traseira por eixo de torção no lugar da independente do modelo mexicano, além de um novo câmbio automático. Sendo assim, a versão de aniversário do carro é a mais potente, tendo um motor 2.0 TSI (2000 cilindradas), conseguindo chegar de 0-100 em apenas 5,4 segundos, enquanto a outra versão faz em 6,5 segundos, deixando evidente logo de cara o que esses 110 cavalos a mais resultaram. Porém, a versão mais potente, tem uma velocidade final menor do que a menos potente, chegando a "apenas" nos 230 km/h, enquanto que a outra ultrapassa os 240 km/h.

Um carro, além de ter um ótimo desempenho, precisa ter bons freios também. Sendo assim, a VW teve que atualizar o conjunto de freio do carro para uso em competição e acrescentou um santantonio na estrutura do mesmo. Além disso, um aerofólio feito de fibra de carbono foi acrescentado para melhorar a aerodinâmica e dar um visual mais agradável e agressivo ao carro.

Com isso, podemos concluir que os donos das 20 unidadesproduzidas desta versão e que já foram vendidas, gastarão bastante combustível e fritarão seus pneus até toda a borracha acabar!

Anderson Henrique Fidemann


Veículo chega ao país em 3 versões e custará entre R$ 166 mil e R$ 199 mil.

Recentemente a BMW apresentou ao público em geral a nova geração de seu modelo X1 aqui no Brasil. A princípio, o modelo será importado e começará a ser vendido por aqui agora, em março, nas versões xDrive25i, sDrive20 X-Line e sDrive20i. Os preços iniciais divulgados são os seguintes: R$ 199.950, R$ 179.950 e R$ 166.950, respectivamente.

Saiba mais:

O novo X1 terá como base a nova plataforma de tração dianteira adotada pela BMW e motor transversal. É interessante destacar que a citada plataforma é a mesma que já é usada no BMW Série 2 Active Tourer e no MINI Cooper. A nova versão será maior que seu antecessor no que diz respeito a largura, bem como na altura. Um dos pontos focados no modelo foi o porta-malas, que traz uma capacidade para 505 litros e o espaço interno.

Outro aspecto apresentado no carro é a posição do condutor ao dirigir, que agora ficou mais alta. Já no que toca a arquitetura interna, pode-se dizer que o design ficou mais moderno, seguindo o mesmo estilo apresentado na linha da minivan Active Tourer.

De acordo com a fabricante, as versões do X1 chegam ao mercado portando um motor 2.0 Twinpower (com turbo de duplo fluxo). Neste caso, a 20i terá 192 cv e tração dianteira, enquanto que a 25i terá 231 cv e tração 4×4. Seja lá qual for a opção escolhida pelo consumidor, o câmbio será o mesmo: Um automático de oito marchas. Esse item teve como responsável pela sua fabricação a Aisin. Isso deixa claro que o X1 terá um câmbio diferente dos modelos BMW que possuem um motor longitudinal e que contam com a transmissão ZF de oito marchas.

Na seção de itens de série vamos encontrar os faróis full-LED, pneus RunFlat, controles de estabilidade e tração, seis airbags, sensores de estacionamento, luz e chuva, função Eco Pro para os modos de condução, borboletas nos volantes para quem quiser fazer a troca manual de câmbio e por fim, o sistema start-stop.

Já o sistema de navegação terá uma tela 6,5”. Entre os detalhes nessa parte estão os aplicativos BMW para os smartphones voltados ao Android e iOS, informações de trânsito em tempo real e os serviços de concierge.

Lá no começo falamos que o X1 seria importado. Entretanto, a partir de março passa a ter fabricação nacional, saindo da planta de Araquari, em Santa Catarina.

Por Denisson Soares


Montadora iniciou sua história como fabricante de motores para avião e hoje é uma das principais fabricantes de motos e carros de luxo.

É inegável o fato de que a BMW, com o passar dos anos, foi se tornando cada vez mais conhecida entre as principais fabricantes de carros de luxo do mundo. Em março deste ano a montadora completou seu primeiro século de existência. Entretanto, tão interessante e emocionante quanto os modelos da fabricante, é também a sua história.

A BMW foi profundamente marcada pela história Alemã. Pouca gente conhece esse fato, mas a fabricante de carros de luxo iniciou sua história com a produção de motores para aeronaves.

A trajetória da BMW teve seu início mais precisamente no dia 07 de março de 1916, data de seu “nascimento”. E aqui temos mais um pouco de história: O surgimento da marca se deu exatamente enquanto acontecia a Primeira Guerra Mundial. Na época, o nome passava longe do conhecido BMW. Chamava-se curiosamente de "Fábrica Bávara de Aviões".

Pouco depois de sua fundação, a Alemanha sofreu sua derrota na guerra. Posteriormente com a realização do Tratado de Versalhes, em 1919, o país ficou completamente proibido de continuar com a fabricação de aviões. Esse, fundamentalmente foi um dos principais motivos que obrigaram a marca a se reinventar e tomar outros rumos.

No ano de 1922, a BMW foi então refundada. Agora sob o nome de Fábrica Bávara de Motores. Nesse período, a marca adicionou ainda o logotipo nas cores azul e branco no formato de hélice. Esse emblema remete a dois pontos fundamentais: As cores do estado alemão (do qual era originária) e o início de sua história no setor da aviação.

Manfred Grunert, historiador da montadora, em um relato concedido a AFP, chegou a afirmar que o motivo pelo qual a marca é mais conhecida atualmente (os carros de luxo) nada mais é do que a última coisa que ocorreu na companhia para complementar o portfólio da mesma.

Nos dias atuais, a BMW se mantém firme e forte na fabricação de motos e carros de luxo. Quem nunca ouviu falar sobre o famoso Rolls-Royce ou sobre o MINI, que chegou a ganhar o status de elegante?

A BMW marca presença em mais de 14 países com atividades sendo distribuídas por cerca de 30 unidades fabris. Para dar conta de todo o trabalho, a companhia possui um contingente com mais de 100 mil funcionários. E para finalizar, em termos financeiros a companhia também é “luxuosa”: Apenas em 2014, no que diz respeito ao volume de negócios, foram 80 bilhões de euros embolsados pela fabricante.

Por Denisson Soares


JAC reafirmou que lançará o modelo compacto T5 no Brasil.

Faz cerca de um ano que conhecemos o T6 que chegava ao mercado com linhas claramente inspiradas no Hyundai ix 35. Pois bem, agora é hora de outra novidade: a JAC já havia dados sinais, porém, recentemente a fabricante tornou a reafirmar que está mesmo planejando lançar por aqui o compacto T5. Esse fato acaba contribuindo para fechar ainda mais o círculo chinês que vem crescendo cada vez mais no mercado de SUVs.

Sobre o carro em si, suas linhas lembram bastante (até porque são parecidas) com a do Ford Ecosport que, por sinal, é um dos principais concorrentes. De qualquer forma a informação é de que a estreia chegará em três versões. Todas elas serão equipadas com um motor 1.5 de 16v, os modelos contarão ainda com câmbio manual de seis marchas. Um detalhe que chama a atenção nesse ponto é que serão diferenciadas devido a presença do pacote de equipamentos, os quais, usando os termos da JAC são chamados de Packs.

Como sempre tem um porém, a JAC não quis ficar de fora disso. Um dos motivos é o fato de que o primeiro lote composto por 500 unidades será restrito e infelizmente a versão mais cara do modelo.

De acordo com as informações divulgadas pela companhia até o presente momento a expectativa é de que o T5 Pack 1 e 2 deverão chegar por aqui em dois meses no mais tardar.

A produção do modelo irá acontecer na já famosa fábrica de Camaçari, estado da Bahia. A produção somente deverá começar lá pelo primeiro trimestre do ano de 2017. Já as unidades que acabarem a sair da linha de montagem estão com previsão de serem homologados até o final deste ano.

A JAC, por sua vez, está bastante otimista sobre o modelo. A fabricante chegou a afirmar que espera efetivamente que o T5 chegue a representar a metade da cota mensal de importação. Essa por sua vez gira em torno das 400 unidades.

Saiba mais:

A versão automatizada que conta com CVT continuará sendo mantida na linha, pelo menos até o mês de agosto. Já com relação aos preços há uma ligeira alteração sendo que os valores vão de R$59,9 mil podendo chegar até R$69,9 mil. Pode parecer uma má ideia, mas anteriormente a expectativa era de que os valores ficassem entre R$59 mil e R$72 mil.

Por Denisson Soares

JAC T5

JAC T5

Fotos: Divulgação


Montadora é acusada de fraudar experimentos de emissões de poluentes em seus motores diesel.

Uma das maiores e reconhecidas marcas de carro do mundo, a Mercedes-Benz, foi alvo de acusações na última quinta-feira, dia 18 de fevereiro de 2016. A empresa alemã foi acusada de fraudar experimentos de emissões de diesel. Esses testes estavam sendo realizados em 14 modelos de carros da marca com motores à óleo diesel.

Uma empresa americana de advocacia responsável pelo processo, relata que a acusação foi feita porque esses carros emitiram entre 19 e 65 a mais de óxido de nitrogênio do que o máximo permitido no momento em que a temperatura ambiente estava à menos de 10°C.

De acordo com a empresa de advocacia, que se chama Hagens Berman, a Mercedes-Benz teria divulgado a ideia falsa de que a tecnologia BlueTech diesel da marca é a mais limpa e eficiente contra a poluição do mundo.

A Mercedes não admite que tenha divulgado isso e que os consumidores possam ter entendido de forma errada. Segundo ela própria, o BlueTech dá mais prioridade a potência quando está na temperatura abaixo de 10°C do que para as pessoas, em relação à poluição.

Dentre os modelos que participaram dos testes estão o ML320, o 350, o Classe E e os crossovers da GLE. A empresa de advocacia disse que pretende abrir uma ação na justiça contra a montadora para que ela substitua os carros de pessoas afetadas e que arque com pagamento de danos, possivelmente.

A Mercedes continua a afirmar que a acusação não tem fundamento e que deverá avaliar primeiro a queixa para se defender. Vale lembrar também que a Volkswagen passou por um cenário parecido em setembro de 2015, onde foi acusada de fraudar testes de emissões em motores diesel equipando os veículos com dispositivos que eram capazes de diminuir a emissão de gazes poluentes dos motores apenas nos momentos de testes. Os resultados desses testes davam uma porcentagem muito inferior do que o esperado. Depois do caso da Volkswagen, outras montadoras também ficaram sob a mesma suspeita, tanto que até o CEO da Volkswagen renunciou o cargo misteriosamente. Muitos outros fatores também contribuíram para isso, resultando numa crise e até ações dessas empresas chegaram a cair na bolsa. Por fim, tempo depois, a ministra da França, Ségolène Royal, relatou para a mídia que os investigadores não encontraram nenhum erro nos carros da Volkswagen.

Por Daniela Almeida da Silva


Veículo retorna ao mercado após 14 anos e chega para concorrer com BMW Série 7, Audi A8 e Mercedes Classe S.

Após 14 anos de ausência no mercado, o Continental está de volta para fazer parte da linha Lincoln, uma marca de luxo da montadora Ford. A nova geração do veículo top de linha foi apresentada na terça-feira, dia 12 de janeiro deste ano, no Salão que ocorreu na cidade de Detroit, nos Estados Unidos, e agora irá fazer frente a outros carros importantes do nicho, como por exemplo, os germânicos BMW Série 7, Audi A8 e Mercedes-Benz Classe S. Na linha da marca, este novo modelo irá entrar no local do MKS.

O visual do novo Lincoln Continental tem traços mais elegantes, possuindo um destaque para as maçanetas das portas que são integradas na linha de cintura e também para os faróis matrix com lâmpadas LED na parte da frente. Na parte traseira há um grande conjunto de lanternas LED que fazem parte de toda a tampa do porta-malas.

Na parte interna, o veículo possui um bom refinamento e enorme quantidade de equipamentos. Para entrar no sedan, o indivíduo necessita simplesmente tocar na maçaneta E-latch para que a porta seja destravada eletronicamente. O acabamento do carro alia o uso de madeira real, com couro e alumínio, estando disponível nos temas Thoroughbred, Chalet e Rhapsody. Outro quesito que chama atenção é o fato dos bancos dianteiros poderem ser ajustados em até 30 posições e são refrigerados e aquecidos.

O novo carro da marca ovalada também conta com sistema de controle ativo de ruído e vidro laminado acústico para que a cabine se torne mais silenciosa, 3 modos de audição diferentes, sistema de som Premium Revel com 19 alto-falantes e bancos traseiros reclináveis e com apoio para a lombar, com refrigeração e aquecimento, além do sistema SYNC 3 para entretenimento .

A extensa lista de acessórios possui também sistema de pré-colisão, controle de cruzeiro adaptativo, detector de pedestre, sistema dinâmico de vetorização de torque, sistema de câmera de 360 graus e três modos de condução, sendo o Comfort, Normal e Sport.

Apesar de não terem sido divulgadas muitas informações sobre a parte mecânica, é sabido que o Lincoln Continental 2017 terá um motor 3.0 V6 biturbo movido a gasolina, com potência de 405 cavalos e torque de 55,3 kgfm, com tração em todas as rodas.

Nádia Neves


Veículo vem com motor 1.4 e conta com diversos itens de entretenimento e segurança.

A GM, General Motors, apresentou recentemente a nova geração do modelo Chevrolet Cruze, o qual terá, pelo menos nos Estados Unidos, um novo motor turbo 1.4 com injeção direta e também conectividade através do Android Auto do Apple CarPlay.

Mary Barra, presidente da GM, disse na apresentação em Detroit que o novo Chevrolet Cruze traz acessórios de entretenimento e segurança, no mesmo patamar de um Mercedes-Benz Classe C, porém, pela metade do preço.

O carro possui uma central multimídia com tela de 7 polegadas, entretanto, os sistema de conectividade estarão disponíveis como um avanço, com a tela de 8 polegadas.

Com relação ao quesito segurança, o Cruze 2016 de série contará com 10 airbags e diversas novidades opcionais, como alerta de ponto cego e colisão frontal, assistente de faixa e monitoramento da pressão dos pneus.

Na parte externa do veículo, o Cruze foi totalmente redesenhado e com clara inspiração no Volt. Agora o carro está com um toque mais esportivo e teve seus números alterados, teve um acréscimo de 68 milímetros no comprimento, porém, diminuiu 25 mm em sua altura e o peso teve um decréscimo de 24 kg.

A presidente da GM também fez diversas comparações com o Mercedes-Benz Classe C, o Cruze só ficaria muito atrás no quesito entre-eixos, onde o mesmo possui distância de 2,70 metros, já o modelo alemão conta com 2,84 metros.

Mesmo renovado o carro continua competindo com o Honda Civic, Toyota Corolla, Volkswagen Jetta e Nissan Sentra.

Apesar de o modelo contar com as tecnologias de conectividade, ficou evidenciado de que o novo propulsor turbo 1.4, o qual possui uma potência de 155 cavalos e acelera o veículo de 0 a 100 km/h em aproximadamente 8 segundos, mas a triste noticia é que no momento somente os consumidores do país norte americano poderão ter essa regalia.

O sedan conta com sistema start-stop, que visa à economia de combustível e será aliado a um câmbio de seis marchas tanto na transmissão manual, quanto na automática. As quatro rodas contarão com freios a disco, câmera traseira e controle de estabilidade.

Nádia Neves


Modelo teve seu visual redesenhado e recebeu alterações no pacote de equipamentos, além da motorização 1.0 com 3 cilindros que foi fabricada de forma exclusiva para o mercado brasileiro.

Após ser lançado no Salão da cidade de São Paulo em uma versão pré-série, o Nissan Versa é um dos carros mais esperados da marca, com diversas variações de equipamentos e motorização, por valores que variam entre R$ 41.990, com motor 1.0 e R$ 54.990 com motor 1.6 Unique.

Fora o visual que foi redesenhado, o veículo está mais próximo dos sedans maiores Altima e Sentra, a grande notícia do novo sedan é a motorização de 1.0 com 3 cilindros, a qual foi fabricada de forma  exclusiva para o mercado brasileiro e acabou estreando no New March.

De acordo com a montadora, este motor, que é produzido no RJ, na cidade de Resende, gera até 77 cavalos de potência e um torque de 10 kgfm, com etanol ou gasolina. O modelo possui também uma variante com motor de 1.6 litros, com 111 cavalos, o qual deverá atrair 80% dos consumidores, na expectativa da empresa.

A marca pretende vender aproximadamente 1.500 exemplares do modelo somente nos primeiros meses, acreditando que ocorrerá um aumento, chegando em 2 mil ao chegar no seu ápice, num nicho que é liderado pelo Fiat Siena.

Os principais responsáveis pela progressão do segmento foram o Hyundai HB20 S e o Chevrolet Prisma, e acabou ficando ainda mais disputado com a entrada do Renault Logan e do Ford Ka, juntamente com o Toyota Etios, Chevrolet Classic e Volkswagen Voyage.

O veículo que teve seu visual redesenhado e também alterações no pacote de equipamentos, obviamente, teve seus valores alterados, abaixo você pode consultar os valores das versões, confira:

– 1.0 – R$ 41.990;

– 1.0S – R$ 44.990;

– 1.6 SV – R$ 46.490;

– 1.6 SL – R$ 49.490;

– 1.6 Unique – R$ 54.990.

Ao ser equipado com todos os itens na versão Unique, o valor do Versa chega bem perto de opções em uma categoria acima, como por exemplo, o Chevrolet Cobalt que inicia suas vendas em R$ 50.770 com motor 1.8 litros e Honda City que custa a partir de R$ 53.900, lógico, sem os mesmos acessórios.

Por Nádia Neves 

Nissan Versa 2016

Nissan Versa 2016

Fotos: Divulgação


Equus 2016 é um dos mais luxuosos modelos encontrados no mercado na linha dos sedans.

A montadora nascida na Coreia do Sul, Hyundai, está realizando o lançamento de mais uma versão do Hyundai Equus e consequentemente muitas novidades estão por vir, melhorando cada vez mais o veículo. O Novo Hyundai Equus 2016, assim também como as outras versões anteriores, é para quem procura por um carro de luxo.

Este carro é bem diferente dos outros modelos que a marca já desembarcou em terras brasileiras, além de ser muito bem equipado com diversos acessórios. Um ponto não tão bom assim para os amantes do veículo, é o seu custo elevado, o que acaba assustando diversos clientes da marca, porém para quem procura por sofisticação e luxo, esse é o modelo, sendo um dos mais luxuosos encontrados no mercado na linha dos sedans.

O Hyundai Equus não possui muitas vendas e seus clientes sabem que o carro não é nem um pouco econômico, ou seja, possui um consumo elevado de combustível e suas manutenções são caras.

A empresa da Coreia do Sul ainda não publicou as informações técnicas deste lançamento, portanto abaixo seguem algumas previsões:

– Motor 4.6 com 366 cv; Volante e painel em couro; Bancos também em couro; Automática A8LR1 de 8 marchas Shiftronic; ABS e EBD de quatro canais de última geração; Rodas em liga leve 7,5 J x 18″, com pneus de 245 / 50 / 18; Controle Eletrônico de Estabilidade – ESP; Conexão sem fio Bluetooth; Controle do freio em curvas – CBC.

Por essa ficha técnica é possível ver o quão luxuoso é o veículo e saber o porque do preço alto.

A Hyundai ainda não informou o valor oficial do Equus 2016,  até porque ainda levará um tempo até que a montadora traga esse veículo para o Brasil.

Apenas podemos fazer uma comparação com a última versão lançada aqui no Brasil, onde teria um valor mais elevado do que R$ 320 mil, o que pode ser considerado um preço bem salgado para os clientes do carro.

Por Nádia Neves 

Hyundai Equus

Hyundai Equus

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: