Confira as características das versões do Renault Captur.

Fabricado na Europa desde 2013 e compartilhando algumas características e componentes mecânicos do irmão Duster, o Renault CAPTUR chegou ao Brasil com forte apelo ao seu Design. Com linhas modernas, fluidas e suaves sem parecer “fracote”, o SUV (Utilitário Esportivo) da Renault quer ganhar terreno em uma briga que envolve concorrentes difíceis de serem ultrapassados (pelo menos no que diz respeito à aceitação de mercado). A empreitada tem pela frente os interessantes e bem sucedidos Creta (Hyundai), Renegade (Jeep), Kicks (Nissan) e HR-V (Honda).

Das quatro versões disponíveis, apenas uma possui motor 2.0 16v e câmbio automático “tradicional” – que difere do CVT X-TRONIC. É a Intense 2.0 Automático. Esta versão topo de linha tem valor inicial de R$ 93.490 na configuração “padrão”, mas que pode chegar aos R$ 97.890 apenas com uma mudança de cor (biton) e a inclusão de bancos revestidos parcialmente em couro. As versões abaixo do Intense 2.0 têm valores a partir de R$ 80.000 (Zen 1.6 Manual), R$ 86.000 (Zen 1.6 CVT X-TRONIC), e R$ 89.590 (Intense 1.6 CVT X-TRONIC).

Apesar da forte concorrência o Renault CAPTUR aproveita um mercado aquecido para o segmento de SUVs (tanto que a concorrente chinesa JAC Motors anunciou recentemente que vai focar unicamente em SUVs no Brasil e descontinuar seus modelos tradicionais) e seu design se beneficia de uma gama que tem 13 opções de cores, das quais “nove são biton” nas palavras do fabricante. Vale o destaque para a elegante combinação Preto Nacré com teto marfim e as chamativas Laranja Ocre com teto preto e Vermelho Fogo com teto preto. No CAPTUR o Design pode vir acompanhado de rodas 17 com acabamento diamantado nas versões Intense.

Apesar de ser topo de linha e a mais potente (com 148cv) a versão Intense 2.0 recebeu algumas críticas por conta do seu câmbio automático, já considerado ultrapassado, e as versões Zen e Intense com transmissão CVT X-TRONIC devem ganhar fatias de mercado por apresentarem uma boa relação entre tecnologia, desempenho e consumo. A caixa de mudanças é a mesma utilizada no Nissan Kicks (já que falamos de veículos do mesmo grupo Renault-Nissan) e possui as características comuns a este tipo de câmbio – suavidade nas acelerações e praticamente ausência de trancos nas trocas de marchas. No caso do CAPTUR há a opção de troca sequencial de 6 velocidades.

O conforto disponibilizado pelas trocas suaves na hora de conduzir também é complementado por itens adicionais como porta-malas de 437 litros, espaço interno graças a uma boa distância entre-eixos, diversos “porta-trecos” e bancos R-Confort em formato concha com forração de duas densidades e foco na ergonomia. A fabricante autointitula o SUV como tendo a "posição de direção mais elevada e a maior área envidraçada do segmento". Na estrada, o Captur promete maior altura do solo do segmento também, com 212mm de altura livre e ângulos de ataque e saída de 23° e 31° respectivamente. Talvez faça falta uma versão 4×4 para o SUV francês. Por enquanto, estão disponíveis apenas modelos com tração 4×2, mas pelo menos todos são bi-combustível. Clique aqui www.renault.com.br/veiculos/conheca-nossa-gama/captur/conforto.html para ver mais especificações do CAPTUR.

Quando o assunto é Segurança o veículo vem de fábrica com quatro airbags, controle de estabilidade ESP e tração, assistente de partida em rampas e sistema de fixação para duas cadeirinhas infantis no banco traseiro, chamada de Isofix. O pacote tecnológico é amplo: farol de neblina com sistema Cornering Light (apenas nas versões Intense) que acende automaticamente para o lado em que o volante é esterçado iluminando assim a curva e melhorando sua visibilidade; sensores de estacionamento, chuva, luminosidade (crespuscular); indicador/limitador de velocidade (piloto automático); ar-condicionado automático que altera o fluxo e a temperatura das saídas de ar (também apenas para a versão Intense); espelhos retrovisores rebatíveis eletricamente de forma automática; e painel digital com computador de bordo com seis funções. Com o acirramento da concorrência em 2018 com a ampliação da linha de SUVs da JAC e a chegada de SUVs “menores” como o WR-V da Honda, por exemplo, o CAPTUR tem uma missão árdua pela frente. Mas se depender de sua beleza e bom conjunto mecânico, já começou bem.

RENAULT CAPTUR

Zen 1.6 16v Manual

Potência: 120cv

Preço: R$ 80.000

Zen 1.6 CVT X-TRONIC

Potência: 120cv

Preço: R$ 86.000

Intense 1.6 CVT X-TRONIC

Potência: 120cv

Preço: R$ 89.590

Intense 2.0 Automático

Potência: 148cv

Preço: R$ 93.490

Por Uirá Fernando Lopes Fernandes

Renault Captur


O Renault Captur já começou a ser produzido no Paraná e será lançado no mês de fevereiro.

A montadora Renault deu uma maior importância para os crossovers no Salão do Automóvel. A francesa colocou três novos modelos no evento, onde dois são nacionais. O Renault Captur é a grande aposta da empresa para rivalizar a altura do Jeep Renegade e do Honda HR-V. A marca ainda conta com o Kwid e o crossover Koleos.

Segundo Olivier Murguet, o presidente da montadora na América Latina, o Renault Captur já começou a ser produzido no Paraná, na cidade de São José dos Pinhais e será lançado no mês de fevereiro. Ainda esta semana se iniciam as pré-vendas, provavelmente no dia, 09, quarta-feira o mesmo já esteja no site da montadora.

Muitas revistas especializadas em carros já haviam antecipado o Captur ainda no ano de 2013, antes mesmo do Kaptur russo aparecido e era previsto que o crossover seria lançado até o mês de março de 2017, sendo o maior nome da francesa. O fato é que a fabricante percebeu que o Captur original era um pouco pequeno. Baseado na mesma plataforma do Duster, divide também o eixo de torção e a suspensão traseira.

A parte interna possui um ótimo espaço para comportar cinco adultos e porta-malas com boa litragem. Já quando se trata do acabamento fica faltando um pouco de refinamento no revestimento do painel e também pelo volante não contar com ajuste de profundidade, somente de altura. Um pouco de sofisticação ficam por conta do quadro de instrumentos originado no Clio e também os bancos bem desenhados.

O modelo Captur Zen possui um 1.6 SCe, da Nissan e tem câmbio manual de cinco velocidades, podendo ser CVT. Conta com 1220 cavalos de potência que está acima dos 114 cavalos do Kicks que possui o mesmo propulsor. As versões mais top de linhas terão como opcionais os motores que podem ser 1.6 CVT ou então 2.0 16V com 148 cavalos, com câmbio automático de quatro velocidades do Duster. Todas as versões contarão com rodas de liga leve de 17 polegadas, hill-holder e ESP. Aproximadamente 75% receberão teto em outra cor, nos tons branco ou preto. O seu comprimento é pouca coisa maior que o Duster, contando com 4,32 m, possui 437 litros de porta malas e tem espaço confortável para 5 pessoas. Os valores variam entre R$ 75 mil e R$ 90 mil.

Por Filipe Silva

Novo Renault Captur





CONTINUE NAVEGANDO: