O setor de caminhões começa a viver uma retomada no crescimento das vendas após uma queda no comércio de 20% em agosto.

Agora, o aumento nas vendas está gerando um problema nesta área, pois as concessionárias não estão conseguindo acompanhar a intensidade dos novos pedidos.

Com isso estão ocorrendo falta de peças, produtos e os prazos para entrega estão se tornando mais largos já que as fábricas reduziram as produções de caminhões e seus acessórios pela retração que ocorreu no primeiro semestre de 2012.

A diminuição de produção recebeu incentivos do governo federal como programa de compras públicas e juros negativos e com isso houve um boom de compras no setor.

Devido a esta situação, as concessionárias de caminhões já possuem vendas fechadas para o primeiro trimestre de 2013 com alguns modelos disponíveis apenas para o mês de abril.

Para sanar este problema e atender à demanda de vendas, diversas montadoras – como a Scania – estão recontratando funcionários e interrompendo as paradas de produção realizadas anteriormente além de oferecer horas extras e convocar os trabalhadores em férias coletivas.

Por Ana Camila Neves Morais

 


Você sabe dizer por que razão o diesel é proibido em carros de passeio?

Em muitos países da América Latina, o diesel é usado livremente em carros de passeio, porém, não é o que ocorre no Brasil. Em nosso país, apenas os caminhões ou veículos de carga com peso superior a 1 tonelada, podem utilizar o diesel.

Essa restrição está em lei, e apesar de alguns deputados já terem proposto expurgar essa medida, até então não houve qualquer efeito prático. O fato é que o Brasil é muito dependente do transporte rodoviário e, dessa forma, boa parte do óleo diesel é destinado aos caminhões que cruzam de norte a sul o país.

Tendo em vista que o preço do álcool não para de subir, e praticamente não está compensando o seu uso diante da gasolina, seria até interessante que fosse liberado o uso do diesel. O único estado em que ainda vale a pena o uso do etanol é Mato Grosso. E só! Em 2009, o álcool subiu em média 29% no Brasil.





CONTINUE NAVEGANDO: