Confira dicas para manter seu carro usado sempre valorizado no momento de uma venda.

Quando compramos um carro não pensamos de cara que um dia ele poderá ser vendido, porém, essa é uma opção bem comum entre os consumidores de carro. Uma hora desejamos ter um outro carro porque enjoamos do atual, ou simplesmente queremos um carro melhor e que supere nossas expectativas. E, obviamente, o consumidor vai vender o seu carro usado para comprar o outro modelo, e dependendo do estado do carro, é possível conseguir um valor bom e justo. Se você vai vender seu carro usado, fique de olho nas instruções que serão dadas aqui nesse texto. Veja as dicas de como manter a valorização do seu carro usado.

Mantenha sempre o carro limpo na parte interna

Se você está pensando em vender seu carro e mostra-lo para um possível comprador, saiba que ele não deve estar sujo na parte externa. Nada mais desanimador que olhar um carro com sujeira e mau cheiro, pois essa é a primeira impressão e, na maioria das vezes, é a que fica. A limpeza da parte interna do carro deve ser um hábito constante. Pois assim você mantém os bancos e as outras partes do carro bem apresentáveis. Pode parecer bobeira, mais um carro higienizado pode valorizar muito seu carro na hora da venda.

Evite customizar seu carro

Não são todas as pessoas que acham um carro customizado bonito e interessante, e sim, apenas uma pequena quantidade de usuários. Se você deseja vender seu carro mais rapidamente, retire todo tipo de customização dele. Pesquisas revelam que os carros customizados demoram bem mais a ser vendidos que os carros sem muitos detalhes.

Deixe seu carro sempre com peças originais

Os carros que possuem suas peças originais são bem mais valorizados no mercado. Inclusive o vendedor pode até mesmo subir um pouco o valor de venda se o carro possuir muitas ou todas as peças originais. Caso precise trocar alguma peça do seu carro, priorize comprar a original e não a genérica, essa escolha só vai te beneficiar no momento em que for vender seu carro.

Não pinte seu carro somente para vender

Um dos erros mais comuns cometidos por quem vai vender seu carro usado é fazer pinturas de reparos para mostrar um mais apresentável ao futuro comprador. Esses pequenos detalhes não vão atrapalhar sua venda e você ainda não vai gastar seu orçamento desnecessariamente.

Não jogue fora nenhum comprovante de manutenção feito no carro

Se seu carro passar por algum tipo de manutenção, o ideal é guardar todos os comprovantes. Pois na hora da venda essas informações precisam ser passadas para o futuro dono do carro, e se você puder comprovar tudo que fez, seu carro será mais valorizado. Se a manutenção foi feita para deixar o carro melhor, isso pode ser favorável para manter o preço do carro um pouco mais elevado.

Mantenha a chave reserva e manual do carro guardado em local seguro

É bem comum que a maioria das pessoas que tem carro, percam esses dois itens. E no caso de uma futura venda do carro, não ter esses objetos pode dar dor de cabeça. A chave reserva é um item que pode sair caro para quem vai comprar seu carro, e talvez seja será necessário diminuir o valor pedido na venda por esse detalhe, por isso esses itens precisam ser guardados m local bem seguro.

Tenha cuidado com seu carro de modo geral

A última dica é manter o seu carro sempre bem cuidado, evite colocar ele em locais que pode causar danos como: Arranhões, amassados entre outros. Sempre que puder deixe ele com uma capa protetora, para evitar a exposição ao sol, vento e chuva.

Siga essas dicas e seu carro será muito valorizado.

Por Cristiane Amaral

Carro usado


Confira os cuidados que deve ter para manter seu carro em bom estado no verão.

O nosso veículo é uma das coisas mais valiosas, não é mesmo? Como todas as coisas importantes e valiosas, você deve ter cuidados especiais para com o seu carro em todas as épocas do ano, principalmente no verão. Sabe quais são os motivos para cuidar mais do seu carro no verão? Quer saber quais atitudes tomar em relação a essa calorosa estação? Para essas e outras respostas, confira esse post que preparamos especialmente para você e seu carro!

Confira os principais cuidados para se ter com o seu carro durante o verão

Com o início dessa estação tão quente, o seu veículo tende a precisar de ainda mais cuidados cotidianos. Maresia, sol forte, calor e os riscos de enchentes são os pontos que mais devem preocupar o dono do carro. Porém, outros pontos também merecem atenção, muitas vezes antes dessa divertida estação chegar.

Manchas na lataria

Uma maneira importante para proteger o seu carro dos possíveis danos causados pelas temperaturas é aplicar cera automotiva pelo menos uma vez por mês, assim seu carro terá uma camada super protetora. Outro ponto para se atentar são as possíveis manchas na lataria causadas por árvores frutíferas e fezes de passarinho, tenha sempre em mãos uma garrafinha de água para livrar-se das sujeiras e, consequentemente, dessas possíveis dores de cabeça.

Possíveis amassados na lataria

Quando estiver frequentando locais movimentados, como praias e clubes de piscina, atente-se ao lugar que for estacionar. Procure locais com menos fluxo de pessoas e carros para garantir que ninguém encoste no veículo e provoque um amassado na lataria.

Danos causados pela maresia

Se você mora na praia, ou já passou um tempo em lugares praieiros sabe quais são os efeitos causados pela maresia. Para se precaver de corrosão no motor e no carro em si, é importante fazer uma lavagem com produto anti-óxido, dando uma atenção especial a parte de baixo do carro, que é onde os efeitos da maresia se agravam. Também deve-se deixar de lado produtos que tenham em sua composição óleos, materiais alcalinos e outros materiais que tenham petróleo na composição.

Bancos do carro

Há maneiras inteligentes e práticas para cuidar dos bancos do seu veículo. Não é apenas o sol que pode causar danos aos assentos, pessoas com areia no corpo, por exemplo, podem acabar danificando os bancos do carro. Uma maneira de precaver esses acontecimentos é a utilização de capas de proteção durante esse período de calor e férias.

Caso os bancos do seu automóvel sejam de tecido, um dos principais cuidados para manutenção é a limpeza dos bancos: passe aspirador de pó nos bancos, sempre de dentro para fora e com as portas abertas a fim de circular o ar e dispensar a sujeira para fora do carro.

Após aspirar os bancos, utilize produtos específicos para limpeza completa, outra forma é utilizar detergente de roupas em uma esponja macia e úmida. Após esses procedimentos, mantenha as portas do carro abertas por, no mínimo, 30 minutos.

Manutenção no ar-condicionado do carro

É praticamente impossível deixar de utilizar o ar-condicionado durante o verão. Mas para que o seu uso não prejudique quem está o utilizando, é importante trocar o filtro do aparelho. Tente fazer essa troca em média a cada 20.000 quilômetros corridos mais ou menos, dependendo da utilização do carro e do ar-condicionado.

Manutenção dos pneus

Em decorrência do calor, os pneus tendem a murchar e se desgastar ainda mais depressa. Por isso, para garantir a sua segurança e a de quem está no seu carro, calibre semanalmente os pneus de acordo com as orientações do fabricante do veículo.

Por Carolina B.

Carro e sol


Algumas manias do motorista podem afetar a conservação do carro, por isso, algumas dicas são válidas para que o carro tenha uma vida útil maior.

O simples fato de você usar o seu carro, já resulta no desgaste do veículo: bateria, pneu, embreagem, freio e mais uma série de outras peças. Este desgaste é natural, mas o que muitos não sabem é que podemos evitar o desgaste em excesso do veículo, para isso basta tomarmos alguns cuidados simples, como veremos agora, que teremos nossocarro conservado por muito mais tempo.

Com a alta do petróleo, tem muito motorista andando por aí com o combustível na reserva e isso causa vários problemas para o veículo. A "reserva" somente poderá ser utilizada em uma situação de emergência. No dia a dia, jamais deixe a gasolina chegar a este nível, pois vai reduzir a vida útil de seu veículo.

Outro erro muito comum dos motoristas é manter o pé sobre o pedal da embreagem e muitos até alegam que não estão apoiando o pé, mas acabam apoiando sim, porque durante o percurso o carro passa por trepidações devido ao solo irregular e o pé vai forçando a embreagem de forma desnecessária. Se você tem essa mania, saiba que o desgaste da embreagem será muito grande, então se acostume a não deixar o pé sobre a embreagem, a não ser no momento da troca de marcha.

E os erros não param por aí, é só observar os motoristas passando sobre os "quebra-molas", muitos acham que passando com o veículo na diagonal, estarão reduzindo o tempo perdido, mas na verdade estão reduzindo é a vida útil do veículo, pois este movimento vai torcionar de forma excessiva toda a estrutura do carro. Ruídos, desalinhamento e outros problemas surgirão com o tempo, por isso sempre passe sobre os quebra-molas em linha reta.

E boa parte dos motoristas ainda tem o costume de deixar o carro em "ponto morto" nas descidas, achando que com isso estarão economizando combustível, mas é um grave erro porque esta atitude impede a ação do motor, sobrecarrega o sistema de freios do veículo e pode vir a causar um grave acidente!

No mais, é ficar atento à reposição da água, verificar o óleo e fazer a troca nos períodos recomendados e calibrar os pneus ao menos 1 vez por semana, assim você estará evitando o desgaste desnecessário do veículo.

Por Russel

Manutenção do carro

Foto: Divulgação


O início das fiscalizações agora ficará a partir do dia 1º de junho de 2015

Foi anunciado pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) na última quarta-feira, dia 25 de março, que a obrigatoriedade do uso do extintor veicular do tipo ABC foi prorrogada por mais 90 dias. Agora, a nova previsão do órgão para o início das fiscalizações será para o dia 1º de julho de 2015.

O motivo para tal decisão, segundo o Ministério das Cidades, foi a grande dificuldade que os proprietários de carros estão tendo em encontrar o produto disponível no mercado. O problema da falta desse equipamento nas lojas foi detectado pelo governo brasileiro desde o mês de dezembro do ano de 2014, quando foi feita a primeira previsão de cobrança do equipamento que seria a partir do dia 1ª de janeiro deste ano.

A principal justificativa para a exigência  deste novo modelo de extintor é devido ao fato de ter sido comprovado em testes que o extintor ABC é mais eficiente no combate em incêndios onde hajam materiais como tecidos e madeiras, materiais estes que são usualmente encontrados, principalmente, na estrutura interna dos veículos automotores.

Essa modificação, apesar de ter pegado muitas pessoas de surpresa, não é uma inovação, haja vista que no ano de 2004 foi estabelecido por uma resolução do Contran que todos os veículos iriam ser obrigados a sair de fábrica com o extintor do tipo ABC, contudo, o cumprimento dessa resolução foi derrubado na época.

Quando a resolução estiver efetivamente valendo, o condutor que for surpreendido sem o extintor do tipo ABC será sancionado com uma multa no valor de R$ 127,69 e o decréscimo de cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação.

Então, para os mais precavidos, agora é o momento de já ir tentando providenciar o equipamento, pois o adiamento da medida não desobriga os condutores estarem com o extintor do tipo BC com validade dentro do prazo, mas como a troca será obrigatória, vale a pena começar a pesquisar e adquirir o produto onde o preço estiver mais em conta.

Por Adriano Oliveira

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil


Pode-se dizer que carros são como estrelas de cinema. Em muitas ocasiões o melhor de todo o filme não está nos atores, não está na história, e sim nos carros que eles dirigem.

Seguem alguns filmes que contam histórias excelentes, acompanhadas de perto por algumas belas máquinas.

1-  Gran Torino

O filme de 2008 foi produzido, dirigido e interpretado por  Clint Eastwood, ator conhecido por ter sido por vários anos expoente máximo do conhecido faroeste e que, atualmente, se mostra engajado em produzir obras de qualidade para os expectadores.

Nesse filme, que concorreu a muitos prêmios e pode ser facilmente enquadrado, como um clássico do cinema, Clint Eastwood encarna Walter Kowalski, um homem que vive em profunda agonia e solidão mas que carrega consigo muito orgulho de seu passado com a Ford e do carro que dá nome ao filme, presente em sua garagem. É uma excelente pedida de filme.

2-  Besouro Verde

O filme é uma comédia de ação baseada em quadrinhos e, posteriormente, em uma série clássica dos anos 60 (interpretada pelo mestre das artes marciais Bruce Lee, na época). Conta a história de um ricaço e seu motorista que combatem o crime à noite.

O filme foi lançado em 2011 e não representou um sucesso de bilheterias. Vale a pena conferir o carro da dupla dinâmica: o Beleza Negra.

3-  Carros

Carros é uma belissima animação lançada em 2006, cujos protagonistas são realmente carros. Os modelos são paródias de modelos reais que vivem na cidade de Radiator Springs.

Alguns modelos são facilmente identificáveis, como Porsches e Cadillacs, inclusive o protagonista, Relâmpago MCQueen, que é um carro de corrida.

Além de apresentar grandes representantes do mundo do automobilismo moderno e passado, o filme é uma ótima pedida para assistir na companhia dos filhos, sobrinhos e priminhos mais novos.

Como não poderia deixar de ser, a animação chama atenção dos menores e até mesmo dos mais velhos.

Por Nosf

Foto: divulgação


A grande maioria dos proprietários de veículos automotores sabe que a adequada manutenção da calibragem dos pneus influencia muito consumo de combustível pelo veículo, no entanto, muitos desses motoristas não zelam.

Segundo especialistas, o carro com a correta calibragem dos pneus pode ter reduzido seu consumo de combustível em até 20%.

Isso ocorre porque os pneus foram desenvolvidos para terem atrito de uma área específica deles com o solo, que será definida pela correta calibragem, de acordo com o cada tipo de veiculo e respectiva carga.

Caso estejam murchos, os pneus irão precisar de mais força para se arrastar, resultando em um esforço muito maior para o motor, que, consequentemente, irá gastar muito mais combustível e também irá resultar no desgaste mais rápido dos pneus descalibrados.

Devido a todo esse processo, os pneus dos veículos automotores devem ser calibrados, no máximo, quinzenalmente. O ideal é fazer a conferência uma vez por semana.

Uma dica interessante é: todas as vezes que o proprietário do veículo comparecer ao posto de gasolina para completar o tanque, também realize a conferência da calibragem dos pneus. Este hábito ira resultar em uma economia significativa para o próximo abastecimento.

As informações relativas à quantidade de libras dos pneus estão inseridas no manual fornecido pelo fabricante, ou ainda, muitos veículos já possuem tais informações em uma fita adesiva colada na parte interna da tampa do tanque de gasolina. Note como a própria montadora quer associar o habito de  abastecimento de combustível ao hábito de calibrar os pneus.

É importante destacar outro detalhe fundamental relativo à calibragem dos pneus: a segurança. Conforme já mencionado, se os pneus estiverem com as libras abaixo do recomendado (murchos) irá consumir mais combustível, e se estiverem com as libras acima do recomendado (cheios demais), o carro  terá menos estabilidade, que pode resultar em diversos tipos de acidente.

Por Maicon Douglas Rodrigues Arthuso

Foto: divulgação


O mercado automotivo, um dos mais lucrativos do país, tem oferecido à população cada vez mais opções de modelos e formas de pagamento, facilitando a vida de quem quer se manter atualizado com um bom veículo, sem comprometer o orçamento.

A grande questão que os consumidores esbarram é a grande desvalorização que os veículos sofrem em um curto espaço de tempo, fato que causa um grande dilema: adquirir um carro zero quilômetro ou aproveitar o custo benefício de um seminovo?

Sabendo que o brasileiro é apaixonado por carros e que a aquisição de um veículo 0 km é o sonho de consumo de muitas pessoas, nós vamos elencar algumas dicas para uma boa aquisição.

A primeira dica que daremos é: consulte a concessionária no fim do mês, pois neste período os vendedores precisam bater algumas metas e estarão mais propensos e realizar um melhor negócio.

No caso de uma troca, faça uma avaliação completa de seu usado no mercado, para que o valor do seu veículo não seja avaliado por um valor muito abaixo nas concessionárias.

As concessionárias oferecem, via de regra, alguns benefícios e opções chamativas para conquistar e fidelizar seu cliente, sendo assim não tenha vergonha de pechinchar o valor na negociação ou de solicitar brindes para o seu veículo.

Não caia no velho papo de “taxa zero”, pois isso definitivamente não existe. Na compra de um veículo está inclusa várias taxas, exija, portanto, o CET – Custo Efetivo Total, pois nela estará inclusa todos os valores que estão sendo cobrados na transação.

Em continuação à dica anterior, atente para taxas que não podem ser incluídas na compra como: tarifa de abertura de crédito, tarifa de liquidação antecipada, taxa de retorno, tarifa de emissão de carnês, dentre outros. Por isso reforçamos a importância do CET antes de fechar negócio.

As formas de pagamento são muitas, portanto não aceite a primeira que aparecer. A pressa pode fazer com que a forma de pagamento contribua para uma maior taxa de juros e um número de parcelas que não torna vantajosa a transação, por isso tenha calma e avalie todas as formas possíveis de pagamento.

Por André César

Carro novo

Foto: Divulgação


O momento de comprar um carro novo envolve emoções, como a empolgação e a ansiedade de que o automóvel esteja o quanto antes nas suas mão. Porém, é preciso ter cuidados nessa compra que envolve tantos aspectos, entre eles, o fato de ser uma compra grande (valor financeiro), o custo-benefício, o que a pessoa busca e precisa num carro, o porte e até outros aspectos como o design, por exemplo. Até porque, depois de fazer negócio não tem mais volta.

Comprar carro à vista é bem melhor do que financiar, pois os juros no Brasil ainda são bastante altos e o consumidor perde muito dinheiro a cada parcelamento. E isso se torna ainda mais visível quando consideramos o ganho com o rendimento desse valor se fosse investido antes de adquirir o bem.

Portanto, o ideal seria guardar o valor de cada parcela mensalmente em uma poupança, até que se tenha o dinheiro suficiente para comprar o carro.

No fim das contas, se o consumidor esperar um pouco mais para comprar à vista, ele acaba comprando por um preço muito abaixo do financiamento e em menos tempo. Isso porque se leva mais tempo para quitar um parcelamento do que para juntar o valor do produto economizando na poupança.

Mas é evidente que essa é uma escolha difícil para se fazer, principalmente considerando as emoções que surgem no momento da possibilidade de compra e as tentações de antecipação dessa compra, como o financiamento.

Segundo psicólogos, muitos pacientes que apresentam distúrbios emocionais têm como a raíz de seus problemas psicológicos os problemas financeiros, normalmente gerados pelo mal uso do dinheiro em compras mal efetuadas.

Seja com o procedimento dessa compra (financiamentos, entre outros), seja com aquisições exorbitantes e desnecessárias, provenientes de tentações consumistas, onde a pessoa gasta o que não devia para comprar o que não precisava. O que parecia uma boa oferta, na verdade é uma armadilha. 

Até quem é mais disciplinado com isso precisa ficar atento, pois não faltam tentações e armadilhas direcionadas aos consumidores. E na hora de comprar um carro novo esse risco  não é diferente. 

Sempre existem diversas ofertas, de vários tipos e procedimentos, que querem convencer o consumidor de que determinada opção é a melhor para o cliente, mas que, na verdade, acaba sendo mais vantajoso para quem consegue vender.

Isso ainda gera prejuízos posteriores à aquisição do bem e muita dor de cabeça por um tempo muito maior do que o consumidor levou para decidir realizar sua compra.

Normalmente são ofertas fantásticas, mas que tem detalhes quase ocultos antes da compra, como o prazo da oferta, para deixar o cliente tendo pouco tempo para decidir e, consequentemente, para refletir sobre a decisão antes de fechar o negócio, além de taxas e prazo para entrega do veículo, por exemplo. E que vão surgir depois que o consumidor estiver convencido de que fez um grande negócio.

As duas principais dicas para esse momento tão especial na vida de qualquer pessoa, principalmente quem vai fazer sua primeira compra de um carro, são:

1- Defina o modelo de automóvel que você considera ideal para as suas necessidades

Vá até concessionárias de veículos e primeiro faça uma visita e escolha o tipo de carro que vai querer. Lembrando que nenhum automóvel terá tudo que você precisa, normalmente se abre mão de um aspecto ou recurso (economia, potência, espaço, etc.) para se adquirir outro.

E, quando decidir, procure esquecer do que abriu mão de ter, pois ficar pensando nisso pode atrapalhar na hora de fechar negócio.

2- Faça uma boa pesquisa de mercado

Vá em uma concessionária e pergunte qual melhor preço que podem fazer, anote tudo, inclusive as ofertas "fantásticas". Fale com outra concessionária e quando achar um preço menor veja se a outra concessionária pode cobrir.

Faça isso algumas vezes com lojas diferentes. Compare e pense com calma, sem pressa. Depois de alguns dias você vai ter analisado as opções e vai encontrar a melhor para a sua compra.

Por João Calvet

Foto: divulgação


Seja a trabalho ou de férias sempre que for pegar estrada o carro tem que estar com a revisão em dia. A revisão do veículo estando em dia garante que todos os itens estarão em perfeito funcionamento, dessa forma quando, e se, precisarmos dos itens de segurança eles estarão aptos a nos servirem conforme o uso correto de cada peça.

Bom, com a revisão em dia não precisamos fazer mais e só pegar estrada. Errado.

Sempre que pegar a estrada, mesmo com a revisão na oficina mecânica em dia alguns itens nós mesmos podemos, e devemos, dar uma olhada antes.

Verifique sempre o nível de água, abra o capô e apenas observe o reservatório de água. O nível deve estar entre as linhas de marcação, entre a linha mínima e a máxima.

O óleo também é de fácil verificação, é preciso garantir que o nível não esteja muito baixo. Para analisar, basta limpar a vareta para tirar os resíduos, e inseri-la novamente no compartimento do óleo, após isso observamos a mesma medida entre o mínimo e o máximo. Não se esqueça que o motor deve estar frio para uma medição correta.

Calibre os quatro pneus, e não esqueça do estepe. Ele deve estar sempre em boas condições, inclusive calibrado. Lembre se que se precisar dele será em uma situação adversa, por isso é muito importante estar com ele em dia.

O Extintor, nem sempre lembrado, deve estar dentro do prazo de validade e sempre no seu devido lugar.

As luzes do veículo devem ser conferidas. Os faróis alto e baixo, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira, todas as luzes devem estar funcionando para sua segurança, para você poder enxergar bem na estrada e também ser visto.

O freio de mão também pode ser conferido pelo próprio motorista, puxe-o, ele precisa estalar duas ou três vezes e isso já deve ser o suficiente para deixar o carro imóvel.

Por Vivian Schetini

Verificando o n?vel do ?leo

Foto: Divulgação


Já imaginou se você pegasse o seu carro novo para sair e de repente encontrasse problemas no freio, os quais o veículo não consegue parar no tempo exato? E se o motor fizesse um barulho estranho parecendo que está pifando? Imagino que você iria, na mesma da hora, à concessionária onde comprou o carro e pediria uma revisão ou até mesmo uma troca.

Existem chances de adquirir um veículo e passar por esse tipo de situação. Portanto, preste bem atenção, pois iremos dar 3 dicas a você que pretende comprar um carro novo e como fazer para não ter problemas:

– Como saber se o carro que comprei não veio com defeito?

– Quais os itens obrigatórios num veículo novo?

– Qual o resultado do nível de segurança do carro que comprei?

A primeira pergunta: Como saber se o carro que comprei não veio com defeito?

O melhor a fazer neste caso é adquirir um veículo com alguém que entenda de carros, pois assim você não corre o risco de sair com um carro problemático e que dará despesas com mecânicos posteriormente.

Em seguida, temos a segunda pergunta: Quais os itens obrigatórios num veículo novo?

Muita gente ao adquirir um veículo novo não sabe ao certo quais os itens obrigatórios que ele precisa ter. Diante disso, vamos enfatizar que um carro precisa de freio ABS e airbag, e o veículo precisa estar em perfeito estado. Ainda que seja um pequeno arranhão é possível pedir a troca.

Por fim, a última questão: Qual o resultado do nível de segurança do carro que comprei?

O resultado realizado nos últimos meses em carros populares tem sido alarmante, haja vista muitos serem reprovados ou obterem um conceito baixíssimo. Isso se dá principalmente quando avalia-se airbags frontais. No Brasil esse número deveria ser maior, pois somos o terceiro maior mercado consumidor de veículos e o quarto maior produtor de veículos, além de pagarmos impostos altíssimos. Por isso, verifique os mínimos detalhes ao adquirir um carro novo.

Por Luciana Viturino

Comprar carros

Fotos: Divulgação


Você é um bom comprador de veículos e consegue perceber se alguém está passando a perna em você no momento da compra? Sabe também como tem sido o comportamento da maioria dos brasileiros na hora de buscar melhores opções no quesito custo x benefício? Se não sabe, preste atenção neste artigo, pois vamos falar dos principais aspectos que você precisa conhecer na hora de adquirir um carro para não se arrepender futuramente.

A princípio, é importante que você tenha em mente que no Brasil os valores dos carros são considerados os mais caros do mundo devido à alta taxa de tributo que pagamos. E não para por aí, manter um carro hoje é muito caro. Mas você prefere ter um ou ficar andando por aí de ônibus, durante horas com ele lotado e se molhando nos dias de chuva? Imagino que você prefira ter seu próprio carro e andar no conforto quando precisar ir ao trabalho ou sair nos fins de semana. Sem contar que é horrível ter de voltar para casa mais cedo pelo fato de não haver mais ônibus depois de determinado horário, ou ainda, pedir carona.

Porém, foi pensando no seu bolso que trazemos essas informações, pois você precisa saber se um carro realmente vale o que você está pagando. A lei da oferta e da procura é a base do mercado e por isso, precisamos fazer o que realmente tem sido valorizado pelos consumidores.

Você certamente já tem em mente que existem várias opções de marcas, modelos, carrocerias, motorizações, etc. Um pré-planejamento antes de adquirir um veículo é primordial e pesquisar por todos esses detalhes fará toda a diferença. Tome cuidado para não agir por impulso, você poderá sair no prejuízo.

O design pode seduzir muita gente com equipamentos eletrônicos, porém, esses componentes não podem servir como fatores de compra de forma isolada.

Desta forma, fique atento a tudo aquilo que queira te deixar empolgado na hora da compra e faça uma pesquisa para se certificar do que realmente precisa.

Por Luciana Viturino

Comprar carros

Foto: Divulgação


A primeira Habilitação pode vir acompanhada de uma série de dúvidas ao encarar as estradas e seus principais riscos. A insegurança é hoje um dos principais fatores que levam a acidentes assim como as demais imprudências apresentadas. Não basta ter CNH em dia e um belo "possante", é preciso realmente muita responsabilidade ao conduzir qualquer tipo de veículo lembrando que esses cuidados podem principalmente preservar vidas.

Algumas dicas podem ser de suma importância na hora em que o instrutor deixa de fazer parte do banco do passageiro. Para pessoas de qualquer idade, é importante saber – e se lembrar – de alguns detalhes básicos como:

Visão: O bom condutor se encarrega dos cuidados com alto farol (que prejudica inclusive o veiculo que vem do lado oposto). Trafegue sempre com luz baixa ou no máximo média em estradas onde as condições são favoráveis. Mesmo a noite, o aconselhável é trafegar com a luz baixa pois pode oferecer menos risco de acidentes e ainda demostra a sua consideração pela segurança das outras pessoas, além de si próprio.

Clima: Em dias muito nublados nunca se esquça de que o pisca alerta é o seu maior aliado. Em um desconforto ou insegurança maior, pare o veículo em local apropriado e o acione até perceber que atingiu a visão necessária para continuar a condução dos veículo. Mesmo os motoristas mais experientes ( e conscientes) utilizam deste método para evitar pequenas colisões ou acidentes mais graves.

Estrada: Infelizmente as estradas brasileiras ainda deixam a desejar.  Fique atento em caso de vias sem sinalização, desvios ou pistas sem acostamento permitido. Em caso de viagens mais longas estude o trajeto com antecedência e se informe com pessoas que tem o maior conhecimento sobre elas.

Veículo: Os veículos devem estar aptos para fazer uma viagem e a única forma de garantir isso é efetuando a revisão do mesmo. Assim, você evita possíveis paradas e maiores transtornos a você e a outros ocupantes. Lembre se que  "o  seguro morreu de velho".

Condições físicas e psicológicas: Não está afim de dirigir? Se sente cansado ou sentiu que tomou uns goles a mais? Faça uma parada em local seguro, descanse, coma e se possível durma mesmo que precise desembolsar a diária de um hotel. O que vale mesmo, é estar sempre disposto e atento.

Dessa forma, além de evitar acidentes, você estará adquirindo uma experiência correta que vai repassar aos seus filhos e que levará por toda a vida.

Por Luciana Ávila

Foto: Divulgação 


O Brasileiro é um dos maiores compradores de carros sendo seminovos ou usados. Os preços e a facilidade acabam conquistando muitos adeptos dessa prática. Afinal, a bem da verdade, todo mundo quer ter seu carrinho. Porém, para não ser enganado, aqui vai algumas dicas na hora de comprar automóveis usados.

1 – Verifique a documentação: muitos carros estão alienados, ou seja, com as documentações erradas e atrasadas. Antes de comprar o carro, portanto, veja os documentos do veículo com cautela e atenção.

2 – Faça um teste: dirija o carro, faça um teste completo; olhe o motor, a estrutura e tudo o mais que seja um diferencial no produto.

3 -Compre em locais certos: É importante, na hora de comprar carros seminovos, que o consumidor procure concessionárias ou lojas autorizadas, pois assim os riscos de cair numa enrascada diminuem consideravelmente.

4 – Esteja informado: pesquise preços, vá atrás de descontos e veja o que de melhor o mercado pode te oferecer. Faça buscas em sites especializados no assunto e que sejam de total confiança.

5- Tenha cuidado: o carro pode ser roubado. Muita gente já caiu nesse golpe e acabou se prejudicando. Tente conhecer o dono e fique atento em todos os detalhes.

Seguindo essas dicas, e tendo em mente que automóvel é melhor para suas necessidades, você certamente conseguirá um excelente carro seminovo.

Por Madson Lima de Oliveira


Segundo reportagem do jornal O Estado de São Paulo do dia 8 de abril de 2012, quem estiver interessado em comprar um carro blindado deve prestar muita atenção a alguns detalhes fundamentais, sobretudo em relação ao estado de conservação e à manutenção desses veículos.

Se a ideia é comprar um carro usado, devem ser desprezados aqueles que tiverem bolhas nos vidros, pois isso significa que a blindagem não está em bom estado. Outro cuidado deve ser a checagem do estado da suspensão, pois são, em média, são duzentos quilos a mais devido à blindagem.

Se a intenção for comprar um zero quilômetro e mandar blindar, a primeira ideia a se ter em mente é o custo mais alto da manutenção. Algumas peças, como um jogo de molas reforçadas, pode sair por, aproximadamente, R$ 1.800. Um para-brisa pode chegar a R$ 6.500.

Além disso, o proprietário deve agendar revisões mais frequentes, pois a blindagem pode causar o desgaste prematuro de certos componentes. De preferência, a manutenção deve ser feita no máximo a cada 10 mil quilômetros.

Vale ressaltar, ainda, que a oficina responsável pela blindagem deve ser certificada pelo exército.

Por fim, é indicado que o interessado consulte o Procon antes de autorizar o serviço.

Por Christiane Suplicy Curioni


Muita gente tem fascínio por carros antigos e clássicos. Eu, por exemplo, sou fã da Chevy 57, a caminhonete do McGyver. Como não posso ter uma, me contento em colecionar as versões da Hot Wheels.

Aliás, cuidar de um carro antigo não é tarefa de criança. Em primeiro lugar está a manutenção, muito mais cara e mais difícil. Além da falta de peças, praticamente não há mecânicas especializadas, principalmente longe dos grandes centros.

E por falar em mecânica, aí está um detalhe muito importante. Para ter um clássico nas mãos é preciso conhecer o carro, entender seu funcionamento na prática e saber meter a mão na massa. Mesmo que encontre um mecânico que conheça o veículo, isso é importante para acabar vítima dos picaretas.

Por Maximiliano da Rosa


Antes de comprar uma cadeirinha ou bebê-conforto, o motorista deve estar atento para um detalhe: não há uma padronização para esse tipo de produto. Podem haver modelos diferentes, e antes de mais nada é preciso verificar se o veículo é compatível com a cadeirinha. A melhor maneira para saber isto, claro, é através do manual do veículo.

O principal problema de incompatibilidade tem haver com o cinto de segurança. Há veículos com cintos de dois ou três pontos. E a maioria das cadeirinhas utiliza o sistema com três pontos. Portanto, verifique qual o sistema de cintos de segurança do seu veículo.

Além disso, verifique o tamanho da cadeirinha, pois algumas podem não se encaixar corretamente no banco traseiro do veículo. Além da multa, os pais devem se preocupar com a segurança dos seus filhos.

Por Maximiliano da Rosa


Quando compramos um carro, e fazemos a transferência do veículo pelo Ciretran/Detran, temos que ficar atentos com relação ao processo de transferência, se está tudo correto. .

Entregamos o processo para o funcionário do órgão de trânsito, contudo ele não irá conferir na hora. O processo irá para a banca de verificação, e a partir dali, que a transferência será aprovada ou reprovada, se faltar algum documento ela será reprovada não poderá ser feito o documento e atrasará a data de entrega.

Depois que o interessado deixar o documento no órgão responsável, ele deve ir lá, para verificar se não houve nenhuma falha, para corrigir os erros, e conseguinte entregar o processo ao órgão de trânsito para uma segunda verificação.

O motorista tem que correr atrás dos seus direitos, par que ele não tenha nenhuma surpresa indesejada.

Por MS

Ciretran


Atualmente os consumidores tem uma opção de comprar seu automóvel em até 72 vezes, por alguns bancos e financeiras. Até pode parecer uma boa opção, afinal é possível comprar sem entrada e com parcelas de baixo valor, mas o longo prazo pode levar a grandes problemas, afinal será uma dívida de 6 anos.

Se as parcelas forem pagas até o final, quando o cliente pagar a última parcela (de valor de carro 0 km) o carro já terá 6 anos de uso, e já com o valor bem depreciado.

Outro ponto negativo de compra de tão longo prazo é a dificuldade de revenda, afinal é difícil encontrar alguém disposto a assumir tamanha dívida, que dependendo da taxa de juros pode até quadruplicar o valor.

Pesquise as condições e veja qual será a melhor que pode se adaptar ao seu bolso e paciência.

Por José Alberi Fortes Junior.


Não são raros os casos em que motoristas desavisados pagam o licenciamento eletrônico e não o recebem na sua casa. Esses motoristas não entendem como funciona o mecanismo de licenciamento, então vou explicar um pouco sobre isso.

Quando a pessoa paga o licenciamento eletrônico, ela paga a taxa de DPVAT, a taxa de LICENCIAMENTO, e a taxa de POSTAGEM. Pagando a taxa de postagem significa que o motorista receberá o documento em casa dentro de alguns dias. Porém os carteiros vão três vezes na casa da pessoa, se não encontrarem ninguém na residência, o documento vai para o órgão de trânsito DETRAN/CIRETRAN. E a pessoa deve procurar o documento.

Motorista fique atento ao o que você está pagando, e se informe sobre como você deve proceder para conseguir o documento.

Por Mateus Silveira

Fonte: www.detran.sp.gov.br


Todo o ano é a mesma coisa, temos que pagar o IPVA no começo do ano, depois tem que pagar o licenciamento para depois poder “dirigir o carro”. Mas como funciona esses pagamentos, e por que o licenciamento não fica pronto na hora?

O esquema de licenciamento funciona da seguinte forma: você paga o licenciamento no mês que for vencer, de acordo com o final da placa:

1 Abril

2 Maio

3 Junho

4 Julho

5 e 6 Agosto

7 Setembro

8 Outubro

9 Novembro

10 Dezembro

Geralmente os órgãos públicos demoram 5 ou 10 dias para fazer o documento, então perceba que não é na hora que o documento fica pronto. É conveniente que você leve para fazer o licenciamento alguns dias antes de acabar o mês, pois documento vencido resulta em multa.

Por Mateus Silveira

Fonte: www.detran.sp.gov.br


Todos sabem que dirigir é uma atividade que requer muitos cuidados, pois distração não combina com celular, e também não combina com Internet. Isso mesmo Internet!

Com a constante facilidade da vida moderna, nós temos a Internet no celular, e navegamos nela a qualquer hora, e esse a qualquer hora implica quando estamos dirigindo. Sei que a Internet é muito bom, particularmente passo horas e horas navegando pela web, contudo dirigindo não dá, pois nos distraímos e o acidente acontece.

Os celulares que trazem o recurso da internet devem ser desligados no momento da direção, pois você pode cair na tentação de “espiar” um pouco na web, e sofrer graves consequências. A direção é uma atividade que requer a nossa máxima atenção, então quando dirigimos devemos nos concentrar somente nisso.

Não deixe que a Internet adquira uma conotação negativa em sua vida. Internet e direção não combinam.

Por Mateus Silveira


Antes do recall, que tal uma campanha preventiva?

Em meio à onda de recalls, a Renault do Brasil resolveu partir para o ataque, lançando uma campanha preventiva de manutenção de correias, polias e tensores. Não se trata de defeito de fabricação, mas um cuidado com as peças que mais se desgastam. Ao mesmo tempo, num jogo de marketing, incentivo para o uso da rede de concessionárias, de acordo com a Assessoria de Imprensa da Renault.

A promoção, chamada de “Revisão e Pacote Preço Fechado – Correias”, que oferece preços reduzidos para peças e mão-de-obra, vai até 30 de abril. Estão incluídos na ação os modelos Clio Campus, Clio Sedan, Logan, Sandero, Symbol, Mégane Sedan e Mégane Grand Tour.


É bastante comum acompanharmos conversas onde se tenta descobrir qual o melhor carro. Compara-se preços, vantagens e desvantagens, possíveis problemas e aspectos positivos de cada carro, e não faltam argumentos apaixonados.

No entanto, a avaliação do melhor carro para se comprar ainda tem de levar em consideração o uso que se vai fazer dele, sempre. Pois pior que um carro que não seja considerado muito bom para o segmento, é ter um carro inadequado para o uso. Há inúmeros fatores para se levar em conta. A ordem mais apropriada seria:

  • preço: com toda a certeza, a faixa de preço é primeiro fator que limita os modelos que você deve escolher. É o primeiro critério a ser analisado, que vai definir modelos em uma determinada faixa de preço.
  • uso: logo após o preço, aí sim vem o uso. Você é vendedor, viaja muito? Neste caso, um carro maior e com motor mais potente deve ser mais adequado para a estrada; vai usá-lo mais na cidade? Um carro pequeno, com câmbio automático e automatizado, que seja fácil de guardar, pode ser mais adequado.
  • estilo: você vai usar o carro para trabalhos técnicos, lazer, vendas? Se forem trabalhos técnicos, um carro simples, de mecânica simples, e barato de se manter já serve; para lazer, um esportivo ou um carro grande, espaçoso e confortável para sua família são mais adequados; se for para vendas, economia conta, mas estilo é fundamental. Um modelo lançado mais recentemente terá maior impacto.
  • bairro onde vive: o bairro onde você vive também deve contar na escolha. Afinal, se você mora num bairro com um índice um tanto quanto alto de roubos de carros, o seguro tende a ser mais caro. Escolher modelos não tão visados pode fazer diferença no seu bolso.
  • tipo da garagem: não adianta você morar num prédio com vagas apertadas e comprar uma F-250. O carro deve ser compatível com o tamanho de sua garagem. Se espaço for um fator limitante, quanto menor o carro melhor para você.

Com base nos critérios vê-se que a escolha do melhor carro depende de vários fatores. O Mille não é um dos carros mais vendidos do Brasil à toa. Pequeno, mas com grande espaço inclusive para passageiros do banco de trás, o carro é excelente para trabalho. No entanto, seu estilo mais ultrapassado o faz perder pontos para o Punto, mais atual, porém mais caro e com menor espaço para passageiros. Um Hyundai Santa Fe pode ser excelente para quem tem família, garagem grande e orçamento para isso. Um Honda Civic ou Toyota Corolla vão muito bem para quem precisa pegar estrada. E assim por diante.


Comprar uma motocicleta, ou comprar um automóvel? Qual é a melhor opção?

A motocicleta é econômica não enfrenta muito o trânsito, e dá a  sensação de liberdade, por outro lado não é um meio de transporte muito seguro.

Já o automóvel não é muito econômico, enfrenta horas e horas de trânsito, mas em dias de chuva ele é ótimo, dá para levar a sua família, e pode ser considerado mais seguro que a moto. Então qual é a melhor opção?

Não sei, quem sabe é você.  Carro ou motocicleta depende das necessidades de cada um, dos seus conceitos e convicções. Se você pergunta para um pai que tem um filho jovem qual ele prefere provavelmente ele dirá que prefere um automóvel. Já se perguntar a um jovem ele dirá que quer uma moto, ou vice versa.

A questão é o que você acha, e não o que os outros acham. Boa escolha!!


Ainda há tempo de planejar a compra do seu carro flex…

Pesquisas apontam que o álcool de cana de açúcar elimina menos CO2 que a gasolina e um dos fatores para tal vantagem é que a cana absorve esse composto quando é cortada e anula a emissão de CO2 pelo automóvel.

Sendo assim, os carros com motor a álcool ou flex causam menor impacto ambiental. Dessa maneira segue uma das propostas do governo brasileiro e do mundo com relação ao futuro ambiental que é a de diminuir a emissão de carbono do nosso planeta.

E, para estimular essa responsabilidade ecológica, o setor automotivo foi mais uma vez beneficiado com a prorrogação do IPI reduzido para os carros com motor a álcool e flex até 31 de março de 2010. Então não perca tempo, aproveite esse incentivo, adquira seu carro flex e ainda coopere com o ambiente.


Quando o assunto é notícias, lançamento de carros e testes comparativos, você tem de saber que no Guia Quatro Rodas, poderá ter acesso a essas informações e muito mais.

Você terá um guia de compra de carros novos e usados, notícias de Formula 1, seguro de carro, classificados, tabela de preços, enfim, tudo o que você precisa saber para comprar seu carro, com informações objetivas e relevantes sobre o que voce quer saber.

Se quiser comprar seu automóvel, não precisa sair por aí, de concessionária em concessionária, vendo preços e marcas, para achar o que melhor lhe convém.

Agora você acha tudo, sentado em frente ao seu computador, acesse o site www.quatrorodas.abril.com.br e verifique todas as condições necessárias para comprar o seu veiculo. Vale a pena conferir!

Por Salete Dias


Devido ao elevado número de carros que sofreram avarias por causa das enchentes ou batidas por causa das pistas molhadas, o Sindicato dos Corretores de Seguros irá elevar o valor das apólices, principalmente nas regiões afetadas pelas chuvas.

A previsão é que ocorra um aumento de 10 a 20% em todos os seguros de automóveis, especialmente em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, regiões mais afetadas pelas enchentes.

Mas, será que o seu seguro cobre os danos causados pelas enchentes? Em época de temporais, onde alagamentos são frequentes, é bom você ficar atento no que os seguros cobrem para não ficar na mão.

Se o seguro do seu carro for total, para batida, incêndio e roubo, a seguradora irá cobrir os danos causados pela água da chuva. Se o seguro for parcial, para incêndio e roubo, não há cobertura em caso de enchentes.

Confira a reportagem do Bom dia Brasil sobre o assunto:


Você que está procurando o melhor carro usado para comprar para seu uso, planejando ficar alguns anos com o veículo, deve ficar atento a alguns detalhes para que o seu novo bólido não apresente problemas e acabe por esvaziar seu bolso.

Em geral, se você não entende de carros, leve sempre seu mecânico junto. Convém analisar o estado dos pneus e o desgaste de itens de acabamento, como bancos, pedais e volantes. Desconfie se a quilometragem do carro for baixa e esses itens estiverem muito desgastados.

Também tome cuidado especial com a documentação. Não confie naquilo que um vendedor te diz, pegue o Renavam do carro e leve a um despachante para uma checagem. Fique atento a alienações fiduciárias, pois isso indica que o carro foi dado como garantia de empréstimo (em geral, leasing e financiamento).

Sempre ligue o motor e saia com o carro. Veja se ele anda reto e não pende para um dos lados, se o engate de marchas é preciso e se o motor alcança giro alto sem perda de potência e sem maiores ruídos. A dica, caso você note qualquer problema em um desses itens, é não levar o carro. Apesar de o vendedor ser obrigado a te dar 90 dias de garantia pelo Código de Defesa do Consumidor, o melhor é evitar a dor de cabeça e partir para uma compra mais segura.





CONTINUE NAVEGANDO: