É estranha, porém justificável, essa paixão que o brasileiro mantem pelo Gol, da Volkswagen. Antigamente isso era até compreendido, isso porque as opções eram poucas e dentre as muitas carroças que tínhamos ele era realmente uma das melhores opções.

Hoje, essa paixão não é tão compreensível assim, isso porque existem outros veículos com design muito superior, com mais itens de série e conforto com preços inferiores. A pessoa paga mais caro pelo Gol exatamente devido à paixão.

A história do Gol começou em 1980. Naquela época o sucesso se justificava porque era um projeto totalmente nacional, lançando a linha de compactos com grande espaço interno. O primeiro modelo a circular tinha motor 1.3 a ar, seguido em pouco tempo por um motor 1.6 com uso de carburador. Depois de algum tempo, e algumas versões que mudaram pouca coisa, surgiu o primeiro Gol com injeção eletrônica, aliás, o primeiro carro nacional com injeção eletrônica. Esse foi o Gol modelo GTi, cobiçadíssimo na época. Todos desejam um. O interior era simplesmente fantástico e o painel com muitas opções, um diferencial na época. Equipado com motor 2.0 era o desejo de todos, na verdade de toda uma geração. Eu sempre quis um e não tive. O Gol GTi e GTs marcaram época. Depois dele uma nova revolução aconteceu em 1995, quando surgiu o popularmente conhecido Gol bola.

A extinção da utilização de modelos quadrados, pelos modelos arredondados, fez com que o Gol fosse disparadamente o campeão de vendas. A próxima inovação se deu com a chegada do ano 2000, com a terceira geração do Gol. O diferencial nesse modelo, além do motor turbo 16V, foi a utilização de um estilo mais europeu, dando aos traços arredondados uma certa estilização.

O Gol também inovou quando lançou o motor flex – hoje copiado em todos os veículos. A quarta geração do Gol preferiu dar nova cara ao antigo Gol bola. Ele não foi nada mais que uma nova estilização do carro de 1995. A grande mudança aconteceu com a quinta geração, em 2008. Motivada pela perda em vendas e por concorrentes apresentando sempre muitas novidades.

Por Luciana Viturino

Gol quadrado

Gol bola

Gol 2015

Fotos: Divulgação


Indiscutivelmente motivado a ocupar seu lugar cada vez mais alto e atingir reconhecimento supremo na qualidade de seus carros desenvolvidos, a Volkswagen vem realizando mudanças consideráveis nos motores de seus carros.

Primeiro realizou mudanças no lançamento do Fox Buemotion que recebeu motor EA211 1.0 e conquistou o gosto do público, e para repetir o bem-feito, a montadora alemã, agora lança o EA211 1.6 16V que será incluído no Gol Rallye e na Saveiro Cross.

O motor foi batizado como MSI para mencionar o sistema de injeção multiponto. Ele terá em seu desenvolvimento a construção em alumínio, bem como um circuito duplo de refrigeração. Em comparação o novo motor passa de 101 cv / 104 cv a 5.250 rpm e 15,4/15,6 kgfm a 2.500 rpm do EA111 para os novos resultados de 110 cv / 120 cv a 5.750 rpm e 15,8/16,8 kgfm de torque a 4 mil giros. É de impressionar de fato.

Na pista, em testes realizados, o carro surpreendeu com consumo de  8,3 km/l de etanol na cidade 10,5 km/l na estrada, o anterior realizava 7,8 e 10,2 km/l do 1.6 8V nas mesmas condições.

O carro ainda conta com ajustes realizados na direção, suspensão e câmbio com intuito de desenvolver um ar mais esportivo ao automóvel. O interior do carro  permanece ainda modesto, mas o quesito segurança ganhou olhar mais direcionado em seu desenvolvimento. O Gol agora possui controle eletrônico de estabilidade, o que vem sendo incluído em todos os novos modelos da Volks que tem mantido foco na segurança veicular.

O preço estimado para comercialização do novo modelo é de R$ 50.000,00.

O i-motion do carro também recebeu ajustes com intuito de amenizar os impactos que o carro dava em trancos, como característica dos carros automatizados.

Gostou das novidades? Agora, é esperar que novo modelo chegue e conquiste corações dos fãs de carros.

Por Jaime Pargan

Volks Saveiro Cross

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: