Modelo deverá chegar às concessionárias em outubro deste ano.

A FCA fez um grande anúncio recentemente: o conglomerado decidiu por adiantar a data de chegada ao mercado brasileiro de seu mais novo SUV nacional, o Jeep Compass. Dessa forma, o automóvel deve chegar às lojas antes do Salão do Automóvel de São Paulo, evento que ocorrerá entre os dias 10 e 20 de novembro. Com isso, é esperado que o Jeep Compass esteja nas concessionárias de todo o país ainda em outubro.

Vale ressaltar que esta não foi a primeira vez que o lançamento da FCA sofreu alteração em sua data de estreia. A previsão inicial, por exemplo, era de que o automóvel fosse apresentado oficialmente no Salão de Genebra, que ocorreu em março deste ano. No entanto, o CEO do grupo Fiat Chrysler, Sergio Marchionne, decidiu adiar a apresentação.

O novo SUV nacional da FCA é recheado de mistérios, sendo que nem o próprio nome do automóvel ainda está confirmado. O que se sabe é que o terceiro modelo, que deve sair da linha de produção de Goiana (em Pernambuco), deverá manter o nome Compass, que é o mesmo nome de um SUV montado sobre outra plataforma. Porém, não há confirmação por parte do fabricante. Um detalhe importante é que boatos circulam a respeito do nome Patriot ou até mesmo uma terceira opção, sendo está última inédita.

É importante destacar a grande expectativa em relação ao lançamento deste automóvel. O mesmo faz parte da estratégia do grupo FCA de trazer para o mercado de automóveis modelos SUVs urbanos, com isso, tendo grande inspiração no sucesso de venda que é o Renegade.

O que já se sabe sobre este automóvel é que o motor das versões de entrada será o 2.0 16V Tigershark Flex, que possui 159 cv de potência a 6.200 rpm com gasolina e 164cv a 6.000 rpm quando abastecido com etanol.

As versões top de linha, por sua vez, devem contar com motor 2.0 turbodiesel, com 170 cv e 35,7 kgfm de torque, mesma motorização do Jeep Renegade. A expectativa é que o câmbio seja automático de nove velocidades, sendo que a tração de configurações mais completas será integral adaptativa.

Apesar da inspiração, é importante destacar que o Compass deverá ter um grande diferencial em relação ao Renegade: sua suspensão terá o multilink na parte traseira no lugar do já conhecido McPherson.

Por Bruno Henrique


No Brasil o Jeep Renegade ganhou uma versão mais básica e mais barata, podendo custar até R$ 1 mil a menos, sem perder muito para a versão Sport.

Sucesso de vendas, o Jeep Renegade Sport é a grande aposta da Jeep. Dividindo mercado com o HR-V, o modelo SUV já conquistou o mercado automobilístico e agora promete se consolidar em outros países.

A 'família Renegade' oferece três opções de câmbio e duas de motor. 1.8 flex 132 CV ou 2.0 turbodiesel de 170 CV, podendo ter câmbio automático de nove marchas ou transmissão manual de cinco, dependendo da versão. É bom pesquisar, pois alguns itens de série a menos podem render um bom desconto na hora da compra.

Contando com um motor 1.8 16V, o modelo Sport tem pegada Off Road e promete aguentar o tranco. Mais robusto que os demais carros da categoria, possui câmbio automático com 6 marchas, o que o coloca em igualdade com modelos parecidos mas as versões Longitude e Trailwalk possuem praticamente as mesmas proporções com poucas mudanças internas e na capacidade. A tração pode ser 4×2 ou 4×4 dependendo do modelo.

No Brasil, ele ganhou uma versão mais básica, porém atende as expectativas. Ar condicionado, controle de estabilidade e rádio Bluetooth/USB são itens de série que atraem no mercado nacional. A versão Sport tem mais potência, mas a básica apresenta grande competitividade com outras marcas, contando com cinco marchas. O que mais chama a atenção é a queda do preço que pode chegar a mil reais, sem perder muito para o Sport.

A grande diferença entre o básico e o Sport está nos faróis de neblina, rodas de liga leve e alarmes de comando no volante. Itens de série que não possuem tanto destaque quando colocados em comparação em potência e proporções.

A expectativa do Renegade básico no Brasil é alavancar as vendas do SUV esquentando a competição entre os modelos preferidos do brasileiro. Por ser produzido no País sem perder as características de um Jeep, a facilidade de compra e de troca de peças pode ajudar na hora de decidir. Redução do custo de manutenção também é um ponto que conta bastante no cenário atual do mercado automobilístico nacional. A palavra de ordem é reduzir sem abrir mão da qualidade que a marca pode oferecer.

Por Bruna Fernandes

Jeep Renegade Sport

Jeep Renegade básico no Brasil

Fotos: Divulgação


Novo modelo terá versões de 2 e 4 portas

O ano de 2015 poderá trazer um novo modelo de picape nos grandes salões de automóveis. Em recente entrevista ao site australiano CarAdvice, o executivo-chefe da Jeep, Mike Manley, deu uma declaração de que a marca poderá lançar uma picape em breve, fato inédito, já que o último modelo, o Comanche, foi lançado em 1992. Segundo Manley, a picape ainda está em fase de estudos pela empresa e, que poderia ser moldada de acordo com a plataforma do Wrangler, ou seja, com variantes de duas e quatro rodas.

"Em primeiro lugar estamos agora bem dentro do programa para a renovação do Wrangler. É um programa de ciclo mais longo por causa do que o veículo é. Você sabe que eu sou um grande defensor de um Wrangler pick-up, [mas] como parte disso, a decisão vai ou não vai ser feita a respeito de uma pick-up [variante]. Da minha perspectiva, ele se encaixa no portfólio exatamente", explica o diretor executivo.

Conhecida pelos modelos off-road, ou seja, carros destinados ao uso em estradas, o fato de querer lançar uma picape é novidade no mundo automobilístico, visto que, a Jeep não tem tradição na produção deste tipo de carro. Agora, resta esperar que o protótipo se apresente economicamente viável, além de, é claro, lucrativo.

A Jeep deve anunciar se produzirá a picape em breve.

História:

Liberdade, capacidade e aventura. Impossível não lembrar da famosa marca de "jipes" ao associar estas três palavras.

Há 74 anos nasceu a marca Jeep com o intuito de ajudar os aliados durante a Segunda Guerra Mundial. Assim, com fins totalmente militares, o Exército dos Estados Unidos lançou, em meados dos anos 1940, um apelo às fabricantes de veículos do país para criarem um automóvel ágil, com capacidade de transportar pesadas cargas, que tivesse tração integral e, o principal, que se locomovesse em qualquer terreno. Então, no final da guerra, a Willys registrou o nome Jeep. Foi dessa forma que os Jeeps passaram a integrar o mercado automobilístico e, ficaram cada vez mais famosos em todo o globo por associar aventura com capacidade, uma combinação perfeita para os amantes da liberdade.

Por Andréa Corneli Ortis

Jeep Wrangler Ute

Foto: Divulgação


A fabricante do Chrokee lançou um novo modelo do automóvel na Europa. A Grand Cherokee S-Limited foi destinada somente ao mercado europeu pela Jeep, já que o veículo teve poucas unidades fabricadas.

O veículo é de luxo e tem mais equipamentos de série, além de um design diferenciado, contendo detalhes na cor preta brilhante, rodas de liga leve de 20 polegadas, para-choques esportivos, aerofólio e detalhes em fibra de carbono. No interior, a Grand Cherokee S-Limited conta com bancos revestidos em couro, câmera de ré, sistema de áudio com 19 alto-falantes, controle de velocidade adaptativo e volante aquecido.

O motor do carro é um CRD 3.0 turbodiesel com seis válvulas e 241 cavalos de potência. O câmbio é automático com cinco velocidades e o automóvel também tem tração integral.

Apesar de estar sendo lançado esta semana, o veículo só começará a ser vendido em setembro em alguns países da Europa, como Reino Unido, Alemanha, França, Holanda, entre outros.

Esta versão da Cherokee faz parte dos planos da Jeep de oferecer mais modelos na Europa. Além da Grand Cherokee S-Limited, a empresa também lançará na Europa a Wrangler Mountain e a Compass Black Edition.

Por Matheus Camargo

Fonte: Jeep





CONTINUE NAVEGANDO: