Montadora é acusada de fraudar experimentos de emissões de poluentes em seus motores diesel.

Uma das maiores e reconhecidas marcas de carro do mundo, a Mercedes-Benz, foi alvo de acusações na última quinta-feira, dia 18 de fevereiro de 2016. A empresa alemã foi acusada de fraudar experimentos de emissões de diesel. Esses testes estavam sendo realizados em 14 modelos de carros da marca com motores à óleo diesel.

Uma empresa americana de advocacia responsável pelo processo, relata que a acusação foi feita porque esses carros emitiram entre 19 e 65 a mais de óxido de nitrogênio do que o máximo permitido no momento em que a temperatura ambiente estava à menos de 10°C.

De acordo com a empresa de advocacia, que se chama Hagens Berman, a Mercedes-Benz teria divulgado a ideia falsa de que a tecnologia BlueTech diesel da marca é a mais limpa e eficiente contra a poluição do mundo.

A Mercedes não admite que tenha divulgado isso e que os consumidores possam ter entendido de forma errada. Segundo ela própria, o BlueTech dá mais prioridade a potência quando está na temperatura abaixo de 10°C do que para as pessoas, em relação à poluição.

Dentre os modelos que participaram dos testes estão o ML320, o 350, o Classe E e os crossovers da GLE. A empresa de advocacia disse que pretende abrir uma ação na justiça contra a montadora para que ela substitua os carros de pessoas afetadas e que arque com pagamento de danos, possivelmente.

A Mercedes continua a afirmar que a acusação não tem fundamento e que deverá avaliar primeiro a queixa para se defender. Vale lembrar também que a Volkswagen passou por um cenário parecido em setembro de 2015, onde foi acusada de fraudar testes de emissões em motores diesel equipando os veículos com dispositivos que eram capazes de diminuir a emissão de gazes poluentes dos motores apenas nos momentos de testes. Os resultados desses testes davam uma porcentagem muito inferior do que o esperado. Depois do caso da Volkswagen, outras montadoras também ficaram sob a mesma suspeita, tanto que até o CEO da Volkswagen renunciou o cargo misteriosamente. Muitos outros fatores também contribuíram para isso, resultando numa crise e até ações dessas empresas chegaram a cair na bolsa. Por fim, tempo depois, a ministra da França, Ségolène Royal, relatou para a mídia que os investigadores não encontraram nenhum erro nos carros da Volkswagen.

Por Daniela Almeida da Silva


Motor 5.2 V8 é o mais potente já produzido pela montadora.

Como em diversos outros segmentos do mercado, o setor automobilístico também realiza prêmios para selecionar aqueles mais se destacaram em seu nicho.

Esse segmento tem várias premiações diferentes desde os mais genéricos até alguns mais específicos, dentre estes está o prêmio “10 Best Engines”, o qual é promovido pela publicação deste segmento WardsAuto, e que tem como objetivo definir quais foram os 10 motores que mais tiveram destaque em um determinado ano.

A premiação é realizada há 22 anos e é bem tradicional nos Estados Unidos. Para que seja selecionado um vencedor, os editores passam 60 dias dirigindo e estudando os finalistas, porém, sem usar qualquer tipo de instrumentação para teste.

São avaliados fatores como: torque, potência, especificações, economia de combustível, uso das novas tecnologias e atenuação de ruído.

A companhia Ford tem muito a comemorar nesta edição do prêmio em questão, sem dúvida em um dos ícones do setor de automóveis nos últimos anos. A celebração se deu por causa do motor do Mustang Shelby GT350, o V8 de 5.2 litros, o qual conquistou o lugar mais alto do pódio como o melhor motor do ano.

É notável que ultimamente os propulsores passaram a ser cada vez menores e o recurso de turbo tem sido cada vez mais usado, porém, este motor V8 5.2 pode ser considerado um motor tradicional e aspirado de fábrica, este é o mais potente já produzido pela empresa americana.

Este motor do Shelby GT350 gera mais de 540 cavalos e possui o giro mais alto do que seus concorrentes, que totaliza 8250 rotações por minuto. O seu virabrequim de perfil plano também é um destaque a mais para ele, essa tecnologia é muito utilizada em carros superesportivos e também nos de corrida, porém, neste caso foi utilizado em um V8. Entretanto, essa exclusividade é acessível a poucas pessoas, já que foram fabricadas somente cem unidades deste motor para a nova geração do veículo.

FILIPE RIBEIRO DA SILVA


Novos motores V6 e V8 turbo e a gasolina serão fabricados para novos modelos do grupo Volkswagen.

Duas das mais famosas montadoras do mundo dos automóveis estão com uma parceria para produzir uma família de novos motores sobrealimentados destinados para os novos modelos do grupo Volkswagen. Audi e Porsche firmaram compromisso para desenvolver os novos modelos de motores V6 e V8 turbo e a gasolina.

De acordo com o afirmado no site de notícias automobilísticas Autocar, os dois motores levariam o nome de KoVoMo (código que significaria Konzen Vee Otto Motoren) e possivelmente usariam um turbocompressor de gás, mas eventualmente os dois motores poderiam ser substituídos pelos equipados com um turbocompressor movido a energia elétrica. Os turbocompressores elétricos garantirão uma resposta melhorada em baixas rotações e menor consumo, além de menor emissão de poluentes.

Pouco se sabe sobre o projeto, mas o que pode-se descobrir é que os modelos dos motores utilizarão arquitetura de 90 graus, onde cada cilindro terá aproximadamente 500cc de capacidade. Isso quer dizer que os motores V6 serão de capacidade 3.0 litros e os modelos V8 serão de capacidade de 4.0 litros. A arquitetura dará ainda tolerância de produções de motores maiores ou menores.

Alguns rumores dizem que o projeto poderia ainda sofrer uma alteração. Há boatos de que a montadora poderia introduzir, eventualmente, um motor V6 de nível de entrada que deslocaria 2.5 litros e usaria o processo de combustão de ciclo denominado Atkinson.

Se tudo correr bem, os dois modelos, V6 e V8, poderão ser usados em uma grande variedade de modelos, como os da Bentley, Audi, Porsche, Lamborghini e Volkswagen.

Com o desenvolvimento dos dois motores, a Porsche e a Audi se aperfeiçoam e se aproximam cada vez mais das novas tendências do mercado que preza alta performance, com a preocupação constante com a natureza. Os motores desenvolvidos dariam aos clientes essas duas opções, e têm grandes chances de serem o futuro modelo da maioria dos outros motores semelhantes.

Por Patrícia Generoso

Motor parceria entre Audi e Porsche

Foto: Divulgação


Indiscutivelmente motivado a ocupar seu lugar cada vez mais alto e atingir reconhecimento supremo na qualidade de seus carros desenvolvidos, a Volkswagen vem realizando mudanças consideráveis nos motores de seus carros.

Primeiro realizou mudanças no lançamento do Fox Buemotion que recebeu motor EA211 1.0 e conquistou o gosto do público, e para repetir o bem-feito, a montadora alemã, agora lança o EA211 1.6 16V que será incluído no Gol Rallye e na Saveiro Cross.

O motor foi batizado como MSI para mencionar o sistema de injeção multiponto. Ele terá em seu desenvolvimento a construção em alumínio, bem como um circuito duplo de refrigeração. Em comparação o novo motor passa de 101 cv / 104 cv a 5.250 rpm e 15,4/15,6 kgfm a 2.500 rpm do EA111 para os novos resultados de 110 cv / 120 cv a 5.750 rpm e 15,8/16,8 kgfm de torque a 4 mil giros. É de impressionar de fato.

Na pista, em testes realizados, o carro surpreendeu com consumo de  8,3 km/l de etanol na cidade 10,5 km/l na estrada, o anterior realizava 7,8 e 10,2 km/l do 1.6 8V nas mesmas condições.

O carro ainda conta com ajustes realizados na direção, suspensão e câmbio com intuito de desenvolver um ar mais esportivo ao automóvel. O interior do carro  permanece ainda modesto, mas o quesito segurança ganhou olhar mais direcionado em seu desenvolvimento. O Gol agora possui controle eletrônico de estabilidade, o que vem sendo incluído em todos os novos modelos da Volks que tem mantido foco na segurança veicular.

O preço estimado para comercialização do novo modelo é de R$ 50.000,00.

O i-motion do carro também recebeu ajustes com intuito de amenizar os impactos que o carro dava em trancos, como característica dos carros automatizados.

Gostou das novidades? Agora, é esperar que novo modelo chegue e conquiste corações dos fãs de carros.

Por Jaime Pargan

Volks Saveiro Cross

Foto: Divulgação


A empresa Fiat tem interesse em comprar a companhia VM Motori por completo. O novo alvo da empresa italiana, que adquiriu diversas empresas ultimamente, é uma fabricante que atua no segmento de propulsores diesel. Por ora, a Fiat tem somente uma metade referente às ações da VM, sendo que a outra parte é controlada pela General Motors, de acordo com veículos especializados no segmento automotivo.

Com a responsabilidade da fabricação dos motores diesel de modelos como o Jeep Grand Cherokee e o Jeep Wrangler, a empresa VM Motori tem uma unidade fabril em uma cidade do norte da Itália chamada Centro. O último bloco com a assinatura da empresa é o 3.0 V6 feito com base na tecnologia do tipo MultiJet2 (Fiat), apresentando 2 potências: 190 cv e 241 cv, utilizado nos veículos Ram 1500, Lancia Thema e Grand Cherokee.

A General Motoros ainda não decidiu se irá aceitar que a Fiat compre suas ações referentes à VM Motori. O preço sugerido pela marca italiana não teve a divulgação permitida. Porém, se a GM aceitar o negócio, a transação comercial ainda precisará ter autorização das autoridades para ser concretizada.

Por Marcelo Araújo


Em 2013 irá acontecer mais uma edição da Lancer Cup organizada pela Mitsubishi.

Este evento esportivo irá acontecer entre os meses de março e outubro de 2013 em um total de seis etapas que serão disputadas no autódromo Velo Città localizado na cidade de Mogi Guaçú no estado de São Paulo.

Em todas as fases da competição será utilizado o carro Lancer Evolution R que possui um motor turbo 2.0 com capacidade de fazer até 306 cavalos de potência além de rodas de 18 polegadas e pneus do tipo slick próprios para competições esportivas.

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um lançamento pode chegar em pouco tempo no mercado de automóveis vindo da Audi.

Isso porque segundo rumores que circulam pela internet vazaram algumas fotos do novo Audi RS1.

As especulações esperam um veículo com design parecido com o A1 Clubsport Quatro equipado com um motor de cinco cilindros com 2.5 litros e uma potência menor do que 340 cavalos.

Se estas informações estiverem corretas, o Audi RS1 deverá ser vendido em pequena quantidade e com valores bem elevados.

Basta aguardar!

Por Ana Camila Neves Morais


A Chevrolet lançou sem alardes uma nova opção na linha S10. A mudança ficou por conta do novo motor 2.8 turbodiesel, capaz de gerar 180 cavalos de potência com tração 4×2. Antes, o modelo LS era comercializado apenas na opção de propulsor movido a diesel com tração 4×4. As novas configurações passam, então, a compor o modelo de entrada.

Em termos de visual, o carro segue a mesma linha de seu antecessor. O modelo é resultado de um projeto global apresentado no ano passado, na Tailândia. Após 16 anos sem grandes reformulações, a S10 recebeu uma nova identidade visual, marcada pela barra na grade frontal ostentando o logotipo da Chevrollet, além de um design mais agressivo e robusto, sem deixar de ser refinado.

Dentre os itens de série do S10 LS estão a direção hidráulica, ar condicionado, airbag duplo frontal, computador de bordo e bloqueio do deslizamento do diferencial traseiro.

De acordo com a montadora, o preço de venda do modelo com cabine simples é de R$ 78.746,00, o modelo com carroceria de cabine dupla, por sua vez, é comercializado por R$ 89.823,00.

Por Larissa Mendes de Oliveira


A Nissan apresentou o novo Frontier 2013 para quem gosta de adrenalina. A maior novidade do modelo é justamente o potente  propulsor turbodiesel de 2,5 litros, nas versões com 163 e 190 cavalos. Com um motor tão robusto assim, todas as picapes com tração integral virão equipadas com ele, independendo de versão ou acabamento.

Foi uma forma eficaz de combinar motor e tração que culminou na melhor estratégia da marca.

Para combater de vez a concorrência, a Nissan apostou mesmo na potência da motorização.  O favorito da terceira geração do motor YDK 2.5 já é usado na Europa e é o que há de mais moderno no catálogo da montadora. Já que essa é uma nova geração, que façam carros que contribuam ainda mais para o avanço tecnológico.

O inédito propulsor ganhou novas peças para se tornar ainda mais eficaz. As atualizações feitas incluem novo sistema de injeção, cabeçote com características mais leves graças aos materiais novos, sistema de refrigeração adaptado e emprego de materiais para reduzir o atrito interno.

As únicas coisas que acabaram sendo mantidas foram os sistemas de transmissão manuais e automáticos, apenas sofrendo algumas adaptações ao tão falado motor.

Por Jéssica Monteiro 

Fonte: Quatro Rodas


Em resposta ao Proconve P7, a Mercedes terá seus motores de caminhões e ônibus produzidos no Brasil totalmente equipados com a tecnologia BlueTec 5 (semelhante ao padrão rigoroso EURO 5). Trata-se de um sistema redutor de poluentes e que ainda economiza combustível eficientemente.

A partir de 2012, de acordo com o Proconve P7, todos os caminhões e ônibus movidos a diesel fabricados no Brasil deverão sair de fábrica com a tecnologia SCR (Redução Seletiva Catalítica), que filtra os componentes químicos emitidos pelo motor catalisador do veículo. Esta nova norma exige a redução de 80% nas emissões de material particulado e de 60% nas emissões de Óxidos de Nitrogênio em relação à legislação passada.

No caso do BlueTec 5, é uma solução exclusiva da Mercedes, que foi testada exaustivamente em mais de 50 mil horas em bancos de prova. Foram 8 mil km rodados por ônibus e caminhões de vários tipos, que circularam em todo tipo de terreno, desde asfalto, estradas de terras e até em altas altitudes.

Os executivos da fábrica estão otimistas e garantem que os motores de seus veículos estão ainda mais robustos e duráveis com a nova tecnologia.

Fonte: Mercedes-Benz

Por Dorcas Rosicler


O Range Rover ganhou suspensões a ar que monitoram e calibram os amortecedores, além de um novo motor e um câmbio de 8 marchas automático controlado por um botão rotativo herdado da linha Jaguar. O formato esportivo confere maior estabilidade ao veículo.

Muito curioso é que além da potência gigantesca que tem, ele é movido a diesel, o que o torna muito econômico e representa uma verdadeira revolução no bolso do consumidor.

O motor foi especificamente preparado para ser mais potente, menos poluente e menos barulhento. Tem uma nova transmissão que faz com que o motor trabalhe a 1.200 rpm, com baixo ruído, o que muitas vezes o faz bem parecido com um motor a gasolina.

Um importante diferencial: o novo Range Rover se mostrou muito eficiente em estradas estreitas e com muitas curvas fechadas.

Fonte: Motor Show ago/2010

Edson Nascimento


Após a confirmação de que o novo modelo X1 xDrive 28i será montado com o novo propulsor desenvolvido pela BMW, a montadora confirmou que outros modelos de sua gama também passarão a ser equipados com o novo motor 2.0 biturbo, que substituirá o atual 3.0 composto por seis cilindros em linha aspirado, que vinha equipando seus principais modelos.

O novo motor foi desenvolvido para ser menor e mais potente/econômico do que os motores atualmente utilizados, para atender as exigências do mercado automobilístico que busca sempre maior desempenho com maior economia. Conforme dados da fabricante o novo propulsor pode chegar a ser até 16% mais econômico no consumo e nas emissões de gás carbônico, apresentando rendimento e potência melhores do que os atuais. No modelo X1 o novo motor pode render até 245 Cv de potência.

Os outros modelos da montadora que irão receber o 2.0 biturbo serão o elegante roadster BMW Z4, modelo de linhas joviais e esportividade requintada e toda a família do BMW serie 5. A troca dos motores começará agora no final deste ano e prosseguirá até o começo de 2012.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carros IG


Responsável por uma das mecânicas mais bem desenvolvidas do planeta, com motores que conjugam eficiência e potência, a BMW continua em busca de mais economia. Sem perder a tradicional eficiência, a montadora desenvolveu um novo propulsor 2.0 Litros de quatro cilindros e que, segundo ela, tem desempenho igual a de motores de maior capacidade de cilindrada. Este novo motor irá substituir o 3.0 três cilindros utilizado em alguns de seus modelos.

Repleto de inovações tecnológicas como injetores de alta precisão, carter de alumínio e dois turbos, o novo propulsor gera 254 CV de potência já equipará a nova versão do X1 xDrive 28i, modelo de design compacto e simpático que equipado com o novo propulsor, segundo a montadora, poderá atingir a velocidade máxima de 240 km/h. O arranque de 0 a 100 km/h se dá em apenas 6,1 segundos e o consumo médio é de 12,7 Km/l de combustível. Dados revelados pela fabricante que comprovam a economia e a eficiência do novo propulsor que deverá ser o coração de outros modelos da marca como o Série 3 e o Z4.

Por Mauro Câmara

Fonte: Revista Auto Esporte


O Doblò Cargo 2011 já é um sucesso de vendas. Ele alia renovação com espaço, conforto, capacidade de carga e excepcional custo x benefício num só carro. E agora vem com duas opções de motorização, de 1.4 litros e um 1.8 litros.

O modelo ganhou novas linhas e detalhes que deixam seu visual mais moderno e harmonioso. A versão 1.4 tem de série console central, Follow me Home, bancos reclináveis, apoios de cabeça com regulagem de altura, Fiat Code de segunda geração, protetor de cárter e muito mais.

Já a versão 1.8 tem tudo o que a versão 1.4 tem, mais direção hidráulica e um torque maior desde baixas rotações. O motor 1.4 tem 85 cavalos de potência a gasolina e 86 cavalos a álcool, a uma rotação de 5.750 rpm, com um torque máximo de 12,4 a 12,5 kgfm a 3.500 rpm.

Por Gerson de Morais


Disponível em três versões, a Strada Working 1.4 cabine simples, a Strada Working 1.4 cabine estendida e a Strada Working 1.4 cabine dupla. Os itens de série da Strada Working 2011 são apoios de cabeça com regulagem de altura, bancos com assento anti-submarining, alerta de limite de velocidade e de manutenção programada, calotas integrais, chave desmodrômica, capô retrátil com dobradiças de segurança e coluna de direção articulada com deformação programada.

A motorização, de 1.4 litros de cinco marchas em todas as três versões, tem motor de quatro cilindros em linha transversal com oito válvulas, que desenvolve uma potência de 85/86 cavalos a gasolina/álcool, com torque máximo de 12,4/12,5 a gasolina/álcool. O sistema de freios conta com freios a tambor nas rodas traseiras e freios a disco ventilado nas rodas dianteiras.

Por Gerson de Morais


A versão LX do Honda New Fit conta com um motor 1.4 litros SOHC i-VTEC de 16 válvulas Flex, com potênciade 100 cavalos, com câmbio manual de cinco velocidades, que gera até 13 Kgfm a 4.800 rpm.

Na suspensão, McPherson na dianteira e barra de torção na traseira, o New Fit tem pneus 175/65 com aro de 15 polegadas.  O carro, que tem 3,9 metros de comprimento, 1,535 metros de altura e 1,695 metros de largura, tem 1.080 kg, com um porta malas de 384 litros.  

No exterior, o carro conta com faróis de neblina e retrovisores elétricos na cor do veículo, e, para a segurança freios a disco nas quatro rodas com ABS e EBD. O preço, que varia de R$ 54.905,00 a R$ 58.905,00, combina bem com um carro de visual super moderno, marcado por belas linhas expressivas, além de tudo o que o carro é em desempenho, conforto e segurança.

Por Gerson de Morais


Marcado com linhas expressivas e design ousado, o Ford Focus Sedan conta com tecnologias de última geração, e oferece o que há de melhor na sua categoria em segurança e conforto, além de mais prazer em dirigir, tanto com a motorização Sigma 1.6L ou a Duratec 2.0, ambas bicombustível.

No tocante ao desempenho, o Ford Focus Sedan traz modernidade e inovação nas duas versões disponíveis, a Sigma 1.6L 16 válvulas Flex, com motorização de 116 CV de potência alimentado a álcool e 109 CV de potência alimentado a gasolina, e a versão Duratec 2.0L 16 válvulas também Flex, com motorização de 148 CV de potência alimentado a álcool e 143 CV alimentado a gasolina.

Na versão Duratec 2.0L 16 válvulas Flex, a transmissão automática sequencial combina a versatilidade de uma transmissão automática com o desempenho de uma transmissão manual, possibilitando mudanças de marchas mais rápidas com jeito esportivo, sem deixar para traz a suavidade.

Por Gerson de Morais


As empresas estão cada vez mais preocupadas com seu papel no mundo. Com o intuito de oferecer soluções mais limpas e de acordo com a consciência ecológica, as montadoras planejam  soluções eficazes para diminuir a poluição. É o caso da Fiat.

O nome da tecnologia mostrada por ela no Salão de Genebra chama-se Multiair. Desenvolvida pela equipe de engenharia da montadora italiana, o sistema deverá ser instalado em motores de pequeno porte, e tem como maior vantagem permitir a diminuição das emissões de gases poluentes. Por outro lado, é possível aumentar a potência do motor em cerca de 10%.

Embora tenha sido o destaque no stand da Fiat, o primeiro motor a ser equipado com o sistema Multiair será um Alfa Romeo de 16V, cuja apresentação deve ocorrer durante o Salão Mundial do Automóvel, em Paris, no final do ano.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: ClicRBS





CONTINUE NAVEGANDO: