Confira aqui mais detalhes sobre o Novo Recall do Toyota Corolla.

Nesta última terça-feira, dia 03 do mês de abril, a Toyota anunciou no Brasil mais um recall. Dessa vez é o modelo Corolla com ano de fabricação a partir de 2013 que está com um problema de fábrica que é considerado bastante sério.

Essa não é a primeira vez que o Corolla anuncia um recall. Aliás, esse desde o ano de 2013 já é o sétimo recall que envolve um problema bastante sério localizado no airbag do passageiro e já denominado como “airbags mortais”, que são fabricados pela empresa Takata.

O nome “airbags mortais”, que é bastante sugestivo, só comprova a gravidade do problema. A falha está localizada no insuflador do airbag, que em caso de alguma colisão, ao ser acionado para proteção do ocupante, pode romper e assim destroços podem ser lançados em direção aos ocupantes do veículos, causando graves danos físicos e ainda podendo causar a morte.

Veja abaixo os chassis e códigos alfanuméricos que estão sendo convocados para o recall:

– Chassis: D26020000 a E2642203 e código alfanumérico: 9BRBD48E**;

– Chassis: D4759577 a E4789205 e código alfanumérico: 9BRBL42E*;

De acordo com a Toyota, são 53.635 unidades a terem que passar pelo reparo, que é a substituição da bolsa do airbag. Esses modelos foram produzidos entre os meses de janeiro e dezembro do ano de 2013.

Desse modo, se você possui um Corolla com essas características, entre em contato o mais rápido possível com uma concessionária da marca e faça o agendamento do reparo. O recall deste problema será realizado a partir desta quarta-feira, dia 04 do mês de abril e só termina quando todos os veículos forem apresentados.

Já a segunda convocação do Corolla é da versão GLi 1.8 automático CVT, que se deu pelo motivo de existir uma falha no sistema de transmissão CVT. O mau funcionamento de uma válvula presente no sistema pode levar com que uma luz de advertência se acenda no painel de instrumentos e assim que o sistema detecta esse alerta automaticamente, a velocidade do veículo é limitada em até 60 km por hora. Estão sendo convocadas para este recall o total de 65.963 unidades cuja fabricação se deu entre o dia 7 do mês de outubro do ano de 2013 e o dia 11 de agosto do ano de 2017.

Veja abaixo os chassis convocados para o recall assim como os códigos alfanuméricos:

– Chassis: J0104446 a J0125110; Código alfanumérico: 9BRBL3HE*;

– Chassis: F0001003 a H0104445; Código alfanumérico: 9BRBLWHE*;

A Toyota tranquiliza os proprietários de veículos com este problema, que ele não coloca em risco a segurança, nem a vida de seus ocupantes. Por isso, o reparo começará a ser realizado no dia 16 do mês de abril em concessionárias da marca.

De toda forma, se seu Corolla GLi 1.8 está entre os convocados, não deixe de ligar para fazer o agendamento.

A Toyota disponibiliza uma central de atendimento para que as pessoas possam estar tirando suas dúvidas e fazendo os agendamentos. Para isso basta ligar para o SAC no telefone 0800 703 0206. Quem preferir pode acessar o site da Toyota e ficar por dentro de todas as informações.

O recall será realizado de forma gratuita. Por isso, se você é proprietário de um Corolla que está convocado, não deixe de fazer o seu agendamento com uma concessionária. Embora no Brasil nenhum acidente em decorrência dos “airbags fatais” tenha sido registrado, é um risco que se corre. No exterior já foram registrados um total de 22 mortes relacionadas ao defeito.

Todo recall tem sua importância e é um direito que os proprietários de veículos envolvidos possuem, afinal, quem compra um carro novo espera ficar um bom tempo sem problemas, principalmente no que se relaciona a segurança.

Sirlene Montes


A Toyota já deixou claro a intenção de usar o etanol nos seus modelos híbridos brasileiros.

De olho na tendência mundial que cada vez mais busca fontes alternativas para reduzir a emissão de gases poluentes para a atmosfera, a Toyota já partiu na frente e anunciou, mesmo que ainda não oficialmente, o lançamento de um modelo híbrido que poderá rodar nas ruas brasileiras usando o velho etanol.

O anúncio de intenções de se fabricar um modelo que use dois sistemas de fornecimento de combustível foi anunciado pelo próprio presidente da empresa na América Latina, Steve St. Angelo. A declaração feita no último dia 24 mostra a tendência da empresa em apostar cada vez mais neste tipo de veículo.

O sistema híbrido de fornecimento de combustível para os motores que trabalham através do sistema de combustão funcionam com o fornecimento elétrico para que o motor seja acionado.

Segundo a concepção desenvolvida atualmente para este tipo de motor, inclusive o que é adotado pela própria Toyota, ele pode trabalhar sozinho ou poderá também ser acionado e trabalhar em conjunto com o motor de combustão.

Com este sistema, além de contribuir para que a emissão de gases para a atmosfera seja menor, ele contribui também para se reduzir o consumo de combustível tradicional, o que no final das contas, também vai ajudar a reduzir a emissão de poluentes.

Para quem ainda não sabe, a montadora já fabrica atualmente um modelo híbrido e que pode ser visto rodando em algumas capitais brasileiras, é o Prius. O automóvel que já é comercializado nas concessionárias da marca no Brasil pode ir para a garagem de qualquer consumidor com um preço a partir de R$ 120.000,00.

Sem querer dar maiores detalhes, o presidente da Toyota já deixou bem claro que este não deverá ser o único modelo que usará este tipo de sistema de alimentação para o seu funcionamento.

A montadora faz grande mistério sobre o uso deste tipo de tecnologia e deixou no ar a impressão de que novos modelos poderão surgir com o sistema híbrido. Talvez os que já são bastante conhecidos do público brasileiro possam vir a usar este tipo de sistema. Mas, por enquanto, fica somente a dúvida.

A Toyota já deixou claro a intenção de usar o etanol nos seus híbridos brasileiros.

Aproveitando a tecnologia híbrida do Prius e levando em consideração o potencial de mercado para este tipo de carro, a empresa já iniciou os testes no país com utilização não somente da gasolina, mas também do etanol brasileiro.

Nesse sentido, já existe uma intensa movimentação entre os técnicos da empresa para que este tipo de combustível, considerado bem mais limpo, seja adotado pelos novos modelos que deverão ser fabricados no Brasil.

Apostando neste tipo de tecnologia, os fabricantes brasileiros do etanol já iniciaram uma espécie de parceria com a montadora.

O uso do etanol como o combustível principal para os novos modelos híbridos desponta atualmente como uma das mais rápidas soluções que a indústria automobilística vem descobrindo para que as suas metas reduzidas de emissão de poluentes sejam alcançadas.

Além do esforço crescente da Toyota para adotar uma tecnologia ecologicamente correta com o uso do etanol, outras montadoras já pegaram carona nesta tendência.

Neste sentido, a japonesa fabricante dos carros da marca Nissan já anunciou os testes de um protótipo de carro considerado ‘ mais limpo’ com o usado etanol.

O novo modelo utilizaria um sistema de ‘Células de Combustível’ que utilizariam Óxido sólido. Esta recente tecnologia que está sendo desenvolvida para o Brasil se baseia em usar o etanol brasileiro para que ele possa ser capaz de fornecer energia suficiente para que um conjunto de baterias sejam continuamente carregadas e possa fazer funcionar o sistema de combustão do veículo.

Por Liana Gifoni

Toyota Prius


Modelos apresentados contam com motorização flex.

No dia 03 de agosto de 2016, a Toyota apresentou as novas versões da Hilux e da SW4, ambas com motorização flex. É importante destacar que os dois automóveis já eram disponibilizados com opções de motor diesel, sendo que o utilitário esportivo também era acompanhado do V6 4.0 a gasolina. Confira outros detalhes na continuação desta matéria.

Um dos principais destaques fica por conta da Hilux flex, que será acompanhada de nada menos que três versões, todas com motor 2.7 e câmbio automático de seis marchas. A versão SR conta com tração 4×2 e possui preço sugerido de R$ 111,7 mil. Já a versão SRV ainda possui mais duas variações, uma com tração 4×2 no valor de R$ 120,8 mil e outra com tração 4×4 com preço sugerido de R$ 131,2 mil. Em relação à versão flex da geração anterior, podemos destacar um aumento médio no preço de R$ 6.650.

A Toyota SW4, por sua vez, também vem acompanhada do motor 2.7 que roda a gasolina ou etanol. A mesma só possui uma versão, a SR, que dispõe de três configurações diferentes. A configuração mais básica possui câmbio manual e tem como objetivo a venda direta. A mesma não sai por menos de R$ 146.550. Já para o público considerando comum, a opção é a configuração com câmbio automático, sendo ela de 5 lugares (R$ 159,6 mil) ou 7 lugares (R$ 164,9 mil).

Apesar da Hilux e da SW4 contarem com o mesmo motor flex da geração anterior, é importante destacar as melhorias encontradas na motorização desta nova geração. A grande novidade fica por conta do duplo comando de válvulas, capaz de funcionar tanto na admissão como no escape.

Segundo Roger Armellini, gerente de produto e marketing, o grande objetivo deste lançamento e das melhorias no motor foi a otimização do consumo de combustível. Além disso, ainda podemos destacar o novo sistema de partida a frio, bem como a redução no atrito de partes móveis. A fabricante afirma que o consumo ficou até 7% melhor.

Os itens de série comuns a todas as versões são: controle de velocidade de cruzeiro, ar-condicionado, vidros e travas elétricas, central multimídia com TV digital e GPS, direção hidráulica e airbag de joelho para motorista.

Por Bruno Henrique

Toyota Hilux flex 2017

Toyota SW4 flex

Fotos: Divulgação


Toyota Prius é o principal responsável pela marca obtida pela montadora.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Toyota continua fazendo bastante sucesso e a prova desse sucesso são marcas históricas que vem sendo atingidas pela empresa, sendo que a última delas foi atingida no último dia 30 de abril deste ano, ocasião em que a empresa conseguiu superar a marca de 9 milhões de veículos híbridos comercializados em todo o mundo. Um fator interessante é que a empresa atingiu essa surpreendente marca apenas nove meses depois de ela ter comemorado o registro de 8 milhões de veículos movidos por esta tecnologia. O grande destaque da marca nesse setor é o Toyota Prius, modelo este que, atualmente, já ultrapassou a incrível marca de 5,7 milhões de unidades comercializadas em todo o mundo. Para termos uma noção, esse quantitativo representa nada mais nada menos que 63% do total mencionado acima.

Além de serem uma nova tendência para o mercado automotivo mundial, os veículos híbridos vêm ganhado cada vez mais espaço nos mercados. Com essa marca de mais de 9 milhões de veículos híbridos comercializados, a Toyota estima que nada mais nada menos que 67 milhões de toneladas de dióxido de carbono deixaram de ser emitidas na atmosfera. Outra estimativa positiva da empresa é de que estes veículos economizaram aproximadamente 25 bilhões de litros de gasolina, quantitativo este feito por meio da mensuração da quantidade de gasolina consumida nos veículos convencionais.

Todo esse resultado que a Toyota vem obtendo em relação ao comércio de veículos híbridos no mundo é oriundo do programa de Desafio Ambiental da empresa, que foi anunciado oficialmente no mês de outubro do ano de 2014, o qual tem como objetivo primordial definir os desafios a serem desenvolvidos para minimizar os impactos causados pela utilização de automóveis na saúde do meio ambiente no mundo inteiro. Esse é um dos passos que a Toyota está utilizando para contribuir com o surgimento de uma sociedade cada vez mais sustentável.

O primeiro veículo híbrido a ser comercializado pela marca foi o Coaster Hybrid EV, o qual foi apresentado no mês de agosto de 1997, sendo que em dezembro deste mesmo ano o Prius foi lançado aqui no mercado nacional. Aqui no Brasil, a Toyota passou a vender o Prius no mês de janeiro de 2013, sendo que do lançamento até o presente momento 783 unidades foram vendidas no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


FCV Plus é o novo modelo conceito da Toyota. Ele terá a eletricidade gerada a partir de uma pilha de combustível localizada entre seus pneus dianteiros e um tanque de hidrogênio que está localizado atrás dos bancos traseiros.

A Toyota inovará mais uma vez no mercado automobilístico. A empresa levará para o Salão de Tóquio, que acontecerá no final do mês de outubro deste ano, um novo modelo movido a hidrogênio. O conceito será o FCV Plus, um modelo que lembrará muito aos expectadores os de filmes de ficção científica. Seu design, interior e exterior, vem com uma carga enorme de ar futurista. Nem ao menos o painel convencional na cabine existirá. Este dará lugar ao head-up display.

A eletricidade do modelo é gerada a partir de uma pilha de combustível localizada entre seus pneus dianteiros e um tanque de hidrogênio que está localizado atrás dos bancos traseiros do veículo.

Seu hardware vem com a opção de instalar motores individuais em cada uma das rodas, o que permitirá uma cabine ainda maior, mesmo que o modelo seja um compacto. A marca tem o objetivo de concentrar as partes funcionais do automóvel tanto na frente quanto na parte de trás do carro, fazendo assim com que o pacote de combustível faça com que o carro entre em equilíbrio e que tenha um peso ideal e um maior campo de visão para o motorista.

As medidas do FCV Plus são pequenas, como as de um bom compacto: 3,8 metros de comprimento, 1,54 metro de altura, 1,75 metro de largura e entre eixos medindo exatos 3 metros.

Ainda não há confirmação por parte da marca se existem planos para que o modelo seja feito em escala de produção, mas a Toyota chegará ao Salão de Tóquio demonstrando esforço para desenvolver o FCV, além de trazer um conceito de sustentabilidade para a futura sociedade: a marca espera que a energia, a base de hidrogênio, possa ser uma alternativa aos combustíveis fósseis utilizados atualmente nos veículos.

Embora seja somente um modelo conceitual, é altamente aplicável comercialmente. A ideia da Toyota, de fazer um compacto com maior espaço interno, utilizando para isso até mesmo as rodas do veículo, pode ser uma ideia que agrade o mercado. Além disso, com a crescente demanda pela sustentabilidade, o uso de combustíveis não poluentes pode ser uma saída para um futuro próximo. A Toyota pode estar caminhando na direção certa do futuro.

Por Rodrigo Silva

Toyota FCV Plus

Toyota FCV Plus

Toyota FCV Plus

Fotos: Divulgação


Novo modelo será fabricado, a princípio, no continente asiático e em breve em outros mercados.

O lançamento oficial da nova Toyota Hilux SW4 edição 2016 já está marcado para ocorrer nesta quinta-feira, dia 16 de julho de 2015. Este lançamento irá ocorrer na Tailândia, contudo por ser um veículo famoso em âmbito mundial, os apaixonados por este carro e especialistas não deixam de querer desvendar um ou outro detalhe antes do lançamento. Para matar um pouco da curiosidade de todos, a nova Toyota Hilux SW4 já foi encontrada rodando em testes sem nenhum tipo de disfarces.

A versão que pode ser visualizada em teste na Tailândia é a topo de linha, apesar de a carroceria dela estar pintada de branco, mesmo assim foi possível distinguir alguns detalhes pelo menos do visual.

Em princípio, essa nova SW4 2016 só será fabricada no continente asiático, porém, segundo as notícias de bastidores, em breve este modelo também será montado também em outros países, tais como, Egito, Venezuela e Argentina. A expectativa da montadora é que até em meados do ano de 2016 essa nova versão da SW4 já esteja sendo montada na Argentina.

Como o lançamento oficial está preste a ocorrer, a Toyota está tentando segurar o máximo de detalhes possíveis, todavia especialistas da área já ariscam em dizer que este veículo será produzido com freios ABS com sistema EBD, sete airbags, controle de tração, controle de estabilidade, sistema de frenagem de emergência, rodas de liga-leve no tamanho 18 polegadas, assistentes para partida em rampas, lanternas e faróis de neblina.

Uma novidade que irá agradar muitos consumidores por aqui é de que esta nova SW4 poderá ter um sistema exclusivo de partida e abertura das portas, sistema este que não necessitará do uso de chaves, porém a notícia triste é a que estas tecnologias só estarão disponíveis na versão topo de linha desse carrão.

Para aqueles quiserem acompanhar de perto todos os detalhes deste lançamento, o interior deste carro já foi revelado, sendo que as fotos já estão disponíveis nas redes sociais.

O certo é, que sem dúvida alguma, esta SUV premium derivada da picape Hilux não irá decepcionar os seus consumidores, pois foi totalmente reformulada por dentro e por fora.

Por Adriano Oliveira

Toyota Hilux SW4

Foto: Divulgação


A nova geração busca maior segurança, menos consumo de combustível, menor custo de fabricação e design mais atraente

A Toyota divulgou que irá disponibilizar ainda em 2015 um novo modelo médio que será o pioneiro a usar a nova geração de plataformas da empresa. A meta da companhia é ampliar a competitividade e segurança de seus veículos, somado a diminuir os gastos de fabricação. A nova geração de plataforma é integrante de um objetivo divulgado pela empresa há aproximadamente quatro anos.

Somado à nova plataforma, a empresa apenas anunciou que o veículo possuirá tração dianteira. Depois, a companhia terá o foco na produção da plataforma de um modelo compacto e um grande, possuindo também tração dianteira.

Ainda é objetivo produzir as bases para novos veículos com tração traseira, entretanto, a companhia não forneceu mais especificações a respeito destes projetos. Se os objetivos forem garantidos, metade dos veículos comercializados pela empresa em 2020 possuirá a nova geração de plataformas, que possui o nome de Toyota New Global Architecture (TNGA, que significa Nova Arquitetura Global da Toyota).

Os novos veículos possuirão centro de gravidade mais inferior. A empresa também tem o objetivo de que as novas estruturas irão possibilitar que os designers produzam veículos mais atrativos. Com as novas plataformas, a companhia possui a meta de ampliar a rigidez estrutural de seus veículos entre 30% e 65% em relação aos veículos comercializados recentemente. Para isto, irá usar uma nova tecnologia de solda a laser.

Os gastos de fabricação poderão diminuir em até 20% com a união de plataformas. Desta forma, não será preciso ter muito investimento em uma linha de fabricação para disponibilizar um novo veículo, como exemplo.

A renovação da base faz a inclusão também da produção de uma nova linha de motores. Mais sofisticados, eles possuirão características mais leves e compactos. De acordo com previsões oficiais, os novos propulsores terão a função de diminuir 25% no consumo de combustível, somado à ampliação de 15% da possibilidade de geração de potência.

Por Felipe Couto de Oliveira

Foto: divulgação


As grandes fabricantes de carro já planejam e desenvolvem carros movidos a hidrogênio há algum tempo, mas sempre ficou em bases de estudos e projetos de carros-conceito. Entre as montadoras está a Toyota, que apresentou durante o Salão de Tóquio o FCV, primeiro carro em série movido a hidrogênio, e que agora lança a versão final desse veículo.

Com 4,870m de comprimento, 1,535m de altura, 1,810m de largura e distância entre-eixos com 2,780m o Toyota FCV possui um visual moderno, mas com alguns detalhes que deixam o modelo com aspecto futurístico, como os detalhes da grade dianteira que se integra aos modernos faróis e o acabamento lateral do capô, a ampla entrada de ar do pára-choque dianteiro e as luzes compostas por LEDs em posição vertical.

Na lateral notam-se relevos nos para-lamas, linha de cintura alta, vincos que percorrem as portas, além da caída acentuada do teto, perto da tampa do porta-malas.

Na traseira, por sua vez, o destaque ficam por conta do para-choque diferenciado e das lanternas traseiras dividas em uma faixa que percorre a tampa do porta-malas e uma lanterna em formato triangular.

Desenvolvido por mais de duas décadas, o Toyota FCV é alimentado por células de combustível de hidrogênio que terá um desempenho semelhante a de um carro do mesmo porte movido a gasolina, com autonomia de aproximadamente 500 quilômetros.

A célula de combustível usada no modelo da Toyota utiliza da mesma tecnologia para os sistemas de acionamento de sinergia híbrida, no entanto, o motor a combustão é substituído por uma pilha de células de combustível.

Dentro da pilha de combustível, o hidrogênio se combina com oxigênio para produzir eletricidade para alimentar o veículo. Além de emitir apenas vapor de água, produzido pela reação entre o hidrogênio e o oxigênio, o Toyota FCV se destaca pelo rápido reabastecimento de apenas 3 minutos.

Segundo a marca japonesa, o modelo será vendido, inicialmente, em regiões que dispõe de infraestrutura para que ocorra o reabastecimento de hidrogênio. No mercado japonês, o primeiro carro a ser oferecido com células de combustível começará a ser comercializado em abril de 2015, por aproximadamente 7 milhões de Ienes (cerca de R$ 151 mil).

Os preços para o mercado estadunidense e europeu ainda não foram revelados pela fabricante nipônica. 

Por Caio Polo

Foto: divulgação


Na semana passada a Toyota lançou o novo Corolla com o visível objetivo de retomar a liderança do segmento de sedãs médios, que foi tomada pelo concorrente Honda Civic. A rivalidade entre os carros é disputada com muita igualdade, como mostra os números da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). No ano passado (2013), a Toyota emplacou 54.103 carros, enquanto que o sedã da Honda atingiu a marca de 60.970 emplacamentos.

Para conseguir recuperar mais mercado e alcançar os números da Honda, a Toyota fabricou o novo Corolla com um estilo menos conservador, além de investir em uma plataforma com elementos melhores de segurança e suspensão recalibrada. Os motores foram mantidos no 1.8 litro de 144 cv e no de 2.0 litros de 154 cv (com etanol). As maiores novidades, porém, foram a transmissão CVT (que supre a antiquada caixa automática de quatro marchas) e a disponibilidade de cinco airbags de série para todas as versões.

As duas versões de entrada da Toyota e da Honda foram comparadas para ajudar o consumidor na hora de escolher qual modelo levar. O Corolla e o Civic são equipados com motor 1.8 e câmbio automático. A Toyota ganhou uma identidade chamada de “Keen Look”, que deu uma aparência mais jovem e esportiva.  Já o Civic conta com um visual mais esportivo, porém com aparência um pouco mais velha se comparado ao Novo Corolla. Contudo, a impressão fica só na parte externa, por dentro o Civic tem um painel mais futurístico, dividido em dois andares, com o velocímetro digital posicionado acima do conta-giros analógico.

Os dois possuem motor 1.8 de 16V com comando variável, mas apenas o carro da Toyota tem sistema de partida a frio. No Corolla, o propulsor desenvolve 139 cv de potência e 17,7 kgfm de torque a 4.400 rpm quando abastecido com gasolina e 144 cv e 18,4 kgfm a 4.800 rpm com etanol. No Civic, o motor é de 139 cv e 17,5 kgfm a 4.600 rpm quando abastecido a gasolina e de 140 cv e 17,7 kgfm a 5 mil rpm quando abastecido com etanol.

Por Carolina Miranda


O novo Corolla da Toyota já tem pré-reserva. Esse carro, por sua vez, será incrível e totalmente diferente das versões anteriores. O fato é que esse possante começará, em todo o caso, a ser vendido a partir da data estipulada de 12 de março deste ano de 2014.

São muitas as surpresas e os mistérios que a marca estará promovendo, de modo que esse automóvel promete ser um sucesso de público e crítica.

O Toyota Corolla tem três versões de acabamento e duas opções de motorização.  Ele está ainda mais moderno e está também 10 cm maior em termos de comprimento.  O espaço interno e o conforto para até cinco pessoas serão ampliados. O visual da 11ª geração lembra o do Avalon, com lanternas alongadas e faróis que se juntam à grade dianteira.

As versões estão mais confortáveis e seguras e, diga-se de passagem, mais contemporâneas. O design parece mais arrojado e dinâmico, sem contar que a tecnologia do carro é, sem sombra de dúvida, de grande e alta tecnologia. Aliás, vale lembrar que os preços sugeridos da nova geração da Toyota ainda não foram definidos.

A versão de entrada deve chegar ao valor pensado de R$ 70 mil. Outras especificações desse grande veículo que são as apostas da Toyota para este ano são: direção elétrica, volante multifuncional e uma excelente conexão em Bluetooth.

Pois bem, com um câmbio manual de seis marchas e com recursos top de linha, o novo Corolla já tem uma miríade de imagens na internet que, por si só, já mostram as grandes e boas mudanças que esse carro está trazendo.  As cores do automóvel são branco, preto, prata, cinza, vermelho e azul, e pretos e brancos sólidos.

Por Juan Wihelm

Novo Toyota Corolla

Foto: Divulgação


Está previsto para Março desse ano o lançamento do novo Corolla. Voltando para disputar com o Honda Civic, o carro traz algumas mudanças desde o último lançamento. Se adequando aos novos padrões da Toyota, o carro está agora com uma dianteira formada por faróis espichados para as laterais e grade alinhada ao tal novo padrão já utilizado noRav4 e Auris, por exemplo.

O carro, que é produzido em Idaiatuba (interior de São Paulo), é fabricado em sua versão européia, sendo assim, mais requintada e elegante do que aquela criada para os Estados Unidos. As lanternas utilizadas no carro recordam as do Camry, já que invadem o porta-malas. A placa fica na própria tampa.

Uma das novidades mais latentes do novo modelo (que ainda está circulando em fase de testes com um certo tipo de camuflagem) é o câmbio CVT, com a opção de trocas virtuais e função “Sport” para o top de linha.

Os motores se mantém os mesmos da versão anterior de 1.8 litros (144 cavalos) e2.0 litros (153 cavalos), possuindo um comando duplo variável de válvulas. O novo Corolla irá possuir 153 cavalos sendo movido a álcool e 142 cavalos sendo movido a gasolina.

Possuindo um painel com o design mais elegante do que o anterior, o carro chega até a oferecer iluminação com tom azul (a mesma cor será usada nos comandos e teclas espalhados pela cabine). A chave, que não é daquele estilo canivete, é do modelo mais simples.

O porta-malas tem 470 litros e ótimos acabamentos, como de costume. O volante possui controle manual de som com as opções de mudar faixas, aumentar, abaixar e desligar. Também se encontra no volante outras opções como as de atender telefone e o display que se refere a mudanças no computador de bordo, onde se pode escolher a temperatura, ver o consumo instantâneo dentre outras coisas.

O carro promete agradar aos amantes da versão anterior do sedã, mostrando estar a par da disputa com seus concorrentes.

Carros.


Toyota resolveu dar uma irmã  para o Etios e lançou a versão Cross, com um visual que faz jus ao novo membro do portfólio. 

Na parte mecânica não houve qualquer alteração, sendo que o único diferencial fica por conta  do visual aventureiro e moderno.  

As rodas de liga leve ganharam desenho inédito e um design arrojado com uma grade dianteira que complementa o visual. Os faróis também estão mais longos. Nas laterais o Etios Cross apresenta proteções em material plástico nas portas e os para-lamas são unidos aos para-choques. 

O painel interno é o mesmo do novo Etios 2014 na cor preta com mostradores na cor azul. Os bancos receberam revestimento exclusivo com o logo "Etios Cross" em bordado. O sistema multimídia é um tanto básico, porém não deixa a desejar trazendo o  CD Player com a função MP3, entrada USB, 4 alto-falantes e antena. O  porta malas possui revestimento completo e o volante tem um singelo acabamento prata fosco além de ser revestido em couro. 

No quesito segurança, vem com alarme perimétrico antifurto, imobilizador eletrônico do motor, airbag duplo sendo motorista e passageiro, alarme de advertência sobre irregularidades nos cintos de segurança, entre outros.

As cores disponíveis para comercialização são preto, prata, branco e  cinza (básicos), azul, amarelo e vermelho para que dá um ar mais aventureiro para o veículo. A novidade que mais chama a atenção fica por conta do espaço interno que garante maior conforto a todos os seus ocupantes. Para o motorista outro ponto positivo em particular é que ele oferece uma condução com posição mais elevada, ideal para viagens mais longas e cansativas. A capacidade  total do porta-malas é de 270 litros que possui acesso facilitado com ampla abertura na parte traseira.

A parte da pintura ganhou uma qualidade especial onde é mais resistente a possíveis pedradas que podem atingir o veículo em algumas estradas.

O valor atual para aquisição desta versão é de R$ 45.690.  

Por Luciana Ávila

Toyota Etios Cross 2015

Foto: Divulgação


Durante o Salão do Automóvel de Genebra, a Toyota revelou um novo compacto de três rodas e dois lugares, o i-ROAD, que foi destaque durante o evento. O triciclo é elétrico e foi desenvolvido com o objetivo de competir no mercado com carros elétricos compactos e motocicletas.

O veículo ainda se encontra na fase de conceito e por enquanto a companhia não revelou nenhuma previsão de quando o modelo começará a ser vendido.

O grande destaque do i-ROAD é a tecnologia Active Lean, que permite que o carro faça curvas em grandes velocidades, pois o compacto é capaz de se inclinar automaticamente para poder compensar a força centrífuga, que é capaz de tirar o motorista da pista quando ele dirige muito rápido em uma curva com um automóvel normal.

O sistema opera através de um computador que controla a velocidade e a inclinação do veículo. Com essas informações, são enviados comandos aos sistemas montados na suspensão, que por sua vez são capazes de equilibrar o carro.

A Toyota acredita que só pela tecnologia Active Lean o apelo de vendas pelo modelo será bem grande, pois ela faz com que o compacto seja mais divertido de se dirigir, além de ser mais seguro e intuitivo.

Por Felipe Santos Bonfim


Mais uma vez um grande recall volta a assombrar a Toyota. A montadora japonesa informou sobre um chamado de revisão emergencial em todo o mundo para aproximadamente 1,1 milhão de veículos. A causa do recall são os airbags que podem ser acionados sem nenhum necessidade.

De todos os carros convocados para esta operação, 752 mil unidades estão presentes nos EUA, como por exemplo, os modelos Corolla Matrix e Corolla.

De acordo com a Toyota, um chip presente no sistema dos airbags acaba recebendo uma interferência elétrica em algumas partes do automóvel o que acaba acionando as bolsas de ar sem precisar.

Pensando em evitar  esta falha no equipamento de segurança, a companhia irá instalar um filtro de sinal elétrico no sistema dos airbags de todos os carros convocados para o recall.

Foram registrados, de acordo com a Toyota, 18 casos de incidentes com o airbag acionado sem necessidade, deixando os ocupantes do carro com alguns ferimentos leves.

A companhia também anunciou outro recall para a sua divisão luxuosa, a Lexus, que apresenta problemas com o limpador de parabrisa. A montadora revisará 385 mil modelos IS, de todas as séries, deste montante 270 mil estão nos Estados Unidos.

Até agora, a Toyota não informou nada sobre o recall do mesmo modelo aqui no Brasil.

Por Felipe Santos Bonfim


A Toyota apresentou, durante o Salão do Automóvel de Los Angeles, o lançamento da nova geração do RAV4.

O utilitário da Toyota vem com um design mais moderno com novos desenhos na lateral e traseira, retirada do estepe pendurado na parte de trás do veículo e novas lanternas horizontais.

Em seu aspecto mecânico o RAV4 não foram informados os tipos de motores, mas é esperado duas versões com alterações dos motores V6 e quatro cilindros; além desse motor, o automóvel conta com câmbio automático de seis marchas.

Fonte: Autoweek.com

 

A mais recente versão deste veículo vem com maior espaço interno, bancos revestidos em couro, diversos porta-objeto, painel de instrumentos em azul, sistema de entretenimento e outros.

O Toyota RAV4 estará disponível para venda nos Estados Unidos em 2013 e deve chegar no Brasil apenas no final do próximo ano ou início de 2014.

Por Ana Camila Neves Morais


Uma informação importante foi divulgada nos principais meios de comunicação brasileiros, pois a Toyota (empresa especializada no ramo de produção e comércio de automóveis) anunciou um recall em diversos carros feitos por ela.

O recall consiste em uma comunicação de peças e defeitos que devem ser corrigidos. Neste informativo da Toyota os modelos envolvidos são o RAV4, Corolla e Camry, produzidos no período compreendido entre 01 de setembro de 2006 a 19 de dezembro de 2008.

Os chassis das 38.049 unidades de automóveis envolvidas nesta correção são os seguintes:

– Corolla de outubro de 2007 a dezembro de 2008: 9BRBB48E** de 5000526 a 5054671/9BRBA42E** 5000530/9BRBC41E** 5000509/9BRBB42E** de 5000534 a 5054667/9BRBB42E** de 5000515 a 5054665/9BRBC42E** 5000502/9BRBB48E** de 5000505 a 5054670/9BRBC42E** de 5000501 a 5005950/ JTDBR40E** 9019112

– RAV4 de setembro de 2006 a julho de 2008: JTMBD31V** de 5056398 a 5215794

– Camry de setembro de 2006 a julho de 2008: 3013665 a 3042684.

O defeito encontrado nestes carros consiste em um problema no interruptor do vidro elétrico, localizado na porta dianteira esquerda e no caso de contato com graxa pode haver o derretimento das peças internas e o surgimento de fogo no automóvel.

Portanto, se você possui um veículo Toyota nas marcas e chassis informados, basta entrar em contato na concessionária Toyota mais próxima e agendar o atendimento para a correção do defeito.

Por Ana Camila Neves Morais


A montadora Toyota acaba de apresentar uma bela novidade para o mercado de autos. Trata-se do novo Auris Touring Sports,  modelo que surpreende pelo visual e pela funcionalidade.

Por enquanto, o carro foi produzido especificamente para a Europa e na versão para o velho continente, ele vem equipado com  os seguintes propulsores: 1.4 D-4D movido a diesel, 2.0 D-4D movido a diesel, 1.33 Dual VVT-i movido a gasolina e  1.6 Valvematic, movido também a gasolina. Vale acrescentar que o Toyota Auris Touring gera até 132 cavalos de potência e alcança a velocidade de 200 km/h.

Há ainda uma versão sustentável do carro, que conta com   a tecnologia Hybrid Synergy Drive – HSD, que alia motor elétrico com bateria de lítio e  motor movido a combustão. Essa combinação é ao mesmo tempo ecológica e econômica.

Na parte interna, este modelo conta com painel com tela touchscreen acoplada no volante, porta-objetos variados, moderno sistema multimídia de entretenimento,  ar condicionado, bancos revestidos e amplo porta-malas.

O do novo Auris Touring Sports começará a ser vendido a partir do primeiro trimestre de 2013 e seus preços de comercialização ainda não foram divulgados pela Toyota. Os apaixonados por carros não perdem por esperar.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Com o lançamento previsto para setembro de 2012, o Etios, da Toyota, será produzido em Sorocaba, na versão hatch 1.3 e sedã 1.5, e virá de fábrica com: airbags frontais, ABS com distribuidor de frenagem, MP3, ar condicionado e travas e vidros elétricos.

Sobre a versão hatch, o carro chegará às lojas com 3,77 m de comprimento e 2,46 m entre os eixos, suficientes para 4 pessoas sentarem-se sem bater a cabeça no teto ou os joelhos no banco da frente. Na versão sedã, as medidas sobem para 4,26 m e 2,55 m.

Sobre o porta-malas, a capacidade do hatch é de 263 litros, enquanto que a do sedã é de 595 litros.

Segundo o repórter da Quatro Rodas Fernando Valeika de Barros, os pontos negativos do Etios giram em torno da falta de refinamento do acabamento: tecidos simples nos bancos, forrações de porta e painel de plástico rígido e fragilidade da tampinha da porta USB.

Os pontos fortes são: o isolamento acústico, a precisão e maciez do câmbio manual de 5 marchas e a bem calibrada direção elétrica, fazendo com quem o Etios tenha um comportamento firme nas curvas.

Estrategicamente, a potência e os valores do veículo não foram divulgados pela empresa, para que os concorrentes no Brasil não façam alterações a fim de se aproximarem dos do Etios. Mas, entre os hatches, a Toyota pretende roubar mercado do Gol, do March e do Palio. Entre os sedãs, do Logan, do Grand Siena, do Voyage, do Versa e do Cobalt.

Por Christiane Suplicy Curioni


O Toyota Etios, novo “popular” da marca, chega ao Brasil no mês de outubro, com a produção na unidade da montadora em Sorocaba, São Paulo.

O compacto estreia no país com as versões hatch e sedã, com câmbio manual de cinco marchas, e os motores serão oferecidos com 1.3 e 1.5 flex, ambos com 16V.

Em relação ao design do Etios, lançado na Índia no ano de 2011, o que virá a ser produzido no Brasil não traz grandes mudanças. Sutis diferenças  como a grade do radiador, calotas e o tecido dos bancos.

O acabamento simples é explicado pelo Etios ser uma linha popular da montadora, que agora se arrisca em abocanhar uma fatia desse mercado emergente.

Como concorrentes declarados do modelo hatch, estão os compactos Gol (da VW), líder de vendas dos populares, e o Fiat Palio. Porém, já correm murmúrios sobre o futuro compacto e popular HB, da montadora Hyndai, com previsão de lançamento para novembro de 2012.

Já o sedã enfrentará concorrentes como o Logan, Fiat Siena e o Chevrolet Cobalt.

Segundo a montadora, os preços irão variar de R$ 33 mil a R$ 50 mil e a apresentação será realizada no Salão do automóvel de São Paulo, que acontecerá entre os dias 24 de outubro e 04 de novembro deste ano.

Por Helena Cortez


A Toyota é uma marca expoente na criação de carros híbridos de médio e grande porte, entretanto, no Salão de Genebra, na Suíça, a montadora inovou ao apresentar o protótipo de um mini carro elétrico, trata-se do FT-Bh. Moderno e arrojado, o modelo se destaca pela leveza. Além disso, o carro conta em sua composição, com matérias-primas recicladas.

As dimensões  do automóvel em questão são bem parecidas com as do Yaris, medindo apenas 1.695 mm de largura,  3.985 mm de comprimento,  1.400 mm de altura.  O peso do FT-Bh é de somente 786 kg. 

Em termos de propulsão, o lançamento da Toyota possui um satisfatório motor a gasolina 1.0 com dois cilindros, além de um potente motor elétrico, ainda mais leve que o propulsor que equipa o Yaris. O ponto forte do mini é a baixa emissão de poluentes e a grande economia de combustível. Segundo a montadora, o FT-Bh emite apenas  49 g/km de CO2e roda 47 km/l.

Por enquanto, a novidade é apenas um conceito, mas se o potencial mercadológico se confirmar em Genebra, o FT- Bh não deve demorar para chegar às ruas.

Por Larissa Mendes de Oliveira


A Toyota vai completar o catálogo da linha do seu sedã Corolla vendido no Brasil com o lançamento do Corolla XRS, uma versão esportiva desenvolvida para agradar ao público mais jovem e que gosta de detalhes mais robustos e agressivos em seus veículos.

O Corolla XRS deverá ter apenas mudanças no visual, com o acréscimo de itens esportivos, como saias laterais, aerofólio na traseira, rodas com design diferenciado, faróis com máscara negra, difusores de ar, além de mudanças no interior do sedã, para reforçar ainda mais o seu aspecto de carro esportivo.

Na parte mecânica, nada de contar com um motor turbinado e envenenado, como é normal nas versões esportivas. Ela é a mesma do Corolla “convencional”, que conta com o bloco DOHC Flex 16V, de 2.0 litros, capaz de entregar uma potência máxima de 153 cv e 20,7 kgfm de torque, gerenciado pelo câmbio automático de 4 marchas, com opção de trocas através de paddle shift.

A Toyota ainda não revelou todas as informações sobre o modelo (incluindo o preço), mas ele deve ser similar ao que é vendido no exterior.

O lançamento está programado para o dia 15 de março, juntamente com a nova geração do Camry.

A versão esportiva, que possivelmente vai chegar como modelo 2013, estará disponível nas revendedoras da marca a partir de abril.

Por André Gonçalves


Chegaram ao Brasil as versões bicombustível do utilitário esportivo SW4 e da picape Hilux, ambas criadas pela Toyota. Os carros usam um propulsor que fornece 163 cv de potência e 25mkgf de torque em 3.800 rpm quando o etanol é usado como combustível.

Para a Hilux, temos duas opções de acabamento: a SR cabine dupla e tração 4×2 tem direção hidráulica, ar condicionado, travas e vidros elétricos, freios ABS e airbag duplo. A SRV CD 4×4, por sua vez, vem com o acréscimo de uma tela LCD, bancos com ajustes elétricos e ar condicionado digital. Tanto a SR quanto a SRV vêm com transmissão automática de 4 níveis de velocidade.

O SW4 Flex Fuel está disponível apenas na versão SR 4×2 com lugares para cinco pessoas e possui o mesmo câmbio automático e equipamentos que a picape.

Para você que ficou curioso quanto ao design, a Hilux e o SW4 não têm entrada de ar no capô como no modelo a diesel. O SW4 vem com rodas de 17 polegadas e possui máscara negra nos faróis de neblina. Na Hilux, os retrovisores podem ser cromados ou pretos e as rodas são de 16 polegadas, sendo que no modelo SRV, a picape conta com estribos laterais.

Os preços dos modelos flex são:

  • Hilux SR 4×2: R$ 88.730;
  • Hilux SRV 4×4: R$ 103.420;
  • SW4 SR 4×2 5 lugares: R$ 114.150.

Por Tiago Batista


A equipe de designada Kansei (Toyota Europeia) em parceria com o Instituto de Design de Copenhague (CIID) criou um novo conceito para o interior de carros intitulado “janela para o mundo".

Trata-se de uma nova interface especialmente formulada para entreter os passageiros mirins de maneira que aprendam e usem a criatividade através das janelas do banco traseiro dos veículos. O novo conceito converte as janelas traseiras em telas transparentes, sensíveis ao toque proporcionando aos usuários jogos e ferramentas educacionais, bem como informações sobre distâncias e outros objetos visíveis do exterior.

A “janela para o mundo” é composta por cinco partes:

Desenho em movimento: a janela é usada como uma tela para os passageiros desenharem com os dedos;

Zoom: permite que os passageiros deem um zoom nos objetos visíveis através da janela;

Tradutor: os passageiros podem clicar em um objeto visível através da janela, ver e ouvir uma tradução da palavra em sua própria língua;

Distâncias aumentadas: ferramenta usada para calcular a distância entre o veículo e objeto visível do lado de fora;

Constelações virtuais: aqui o teto do carro se transforma em um planetário,  no qual são exibidas constelações estelares e informações sobre elas, usando o céu como pano de fundo real.

Assista o protótipo do conceito neste link.

Por Dorcas Rosicler

Fonte: Carro Online


A Toyota liberou novas informações sobre o SW4 2012, que passou, basicamente, pelas mesmas alterações apresentadas na nova linha da picape Hilux, mostrada recentemente.

Internamente, o modelo ganhou o sistema multimídia Toyota Touch, com tela LCD de 6,1 polegadas; novo acabamento; novo volante multifuncional; painel de instrumentos diferenciado, com iluminação na cor azul; e detalhes cromados que aparecem em alguns componentes da cabine.

O utilitário esportivo, também conhecido em alguns países como Fortuner, teve a parte dianteira remodelada, com novos desenhos no capô, para-choque, lanternas e faróis. Já na traseira, os destaques são as lentes transparentes e os novos formatos das lanternas, além das pequenas modificações no para-choque e na tampa do porta-malas. Ainda do lado de fora, há novas rodas de liga leve, indicadores de seta na capa dos retrovisores, entre outras novidades.

Com relação aos motores, o SW4 2012 manteve as opções anteriores, pelo menos para as versões vendidas na Ásia, que são os blocos 2.5 e 3.0 litros (movidos a diesel) e o propulsor 2.7 (a gasolina), que podem ser acoplados ao câmbio manual ou automático.

No Brasil, o modelo renovado tem previsão de estrear no primeiro semestre de 2012, vindo da Argentina, onde será fabricado.

Fonte: Toyota

Por André Gonçalves


Umas das fabricantes de automóveis de luxo do mundo, a britânica Aston Martin divulgou que também entrará no mercado dos automóveis elétricos. Essa é uma tendência para o futuro, e a marca inglesa parece disposta a investir na categoria. A previsão para o modelo chegar às ruas é por volta de 2013.

O projeto do carro elétrico da Aston Martin está sendo desenvolvido em parceria com a montadora japonesa Toyota, e será baseado no modelo Cygnet. A versão da Toyota deve começar a rodar um ano antes da versão da montadora inglesa. Por enquanto não há maiores detalhes sobre os veículos.

Mas, apesar da preocupação ecológica, e das exigências da União Europeia quanto às emissões de carbono, a Aston Martin não parece disposta a desenvolver toda uma linha de carros elétricos. Provavelmente o modelo será o primeiro e o único a ser lançado pela marca de luxo nos próximos anos.

Pelo jeito é muito pouco provável que vejamos o espião James Bond em loucas perseguições nas telas dos cinemas à bordo de um esportivo de luxo da Aston Martin com propulsão elétrica. Se bem que na ficção tudo é possível…

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Info


Os estragos que o terremoto e o tsunami causaram não são de exclusividade do Japão e estão longe de serem sanados. Nesta última semana de abril duas das grandes montadoras automotivas que apresentam fábricas no Brasil anunciaram uma paralisação em caráter temporário das atividades.  A primeira a revelar tal ação foi a Toyota. Devido à falta de disponibilidade de peças vindas do Japão, a planta de Indaiatuba, em São Paulo, não teve funcionamento no dia 25 de abril, segunda-feira. Estão agendadas ainda mais duas paralisações para os dias 06 e 20 do mês de maio, segundo o site Business Week. Nessa localidade o modelo produzido é o Corolla.

A fábrica de Zárate, situada em terras argentinas, que produz o SW4 e a picape Hilux, irá reduzir a produção de tais modelos pela metade nas datas de 13, 20 e também 27 de maio de 2011. Outra montadora que anunciou que paralisação foi a Honda, em sua planta de Sumaré, em São Paulo. No local são produzidos os modelos Fit, Civic e City. Os funcionários teriam suas férias no mês de junho, porém, elas foram antecipadas para o mês de maio, mais precisamente a partir do dia 23, segundo o site australiano My FEN. Com a unidade paralisada por 10 dias, há uma estimativa que 6 mil modelos deixem de ser fabricados no período.

Não há relatos de que possam ocorrer demissões devido a tais fatos. Somente no fim do mês de maio é que saberemos se irão acontecer novas paralisações. Tudo isso foi gerado pelo tsunami que ocasionou danos às usinas, provocando cortes de energia, que por sua vez obrigaram as fábricas a efetuarem as paralisações, assim ocorrendo a falta das peças. Uma das fábricas mais afetadas foi a de Sendai.

Por Oscar Ariel


O novo modelo do Corolla, da Toyota, começa a ser vendido no Brasil no dia 29 de março. A maior novidade é o motor 1.8 16V Dual VVTi, com taxa de compressão alta, com refrigeração dos pistões a óleo e com bloco de cárter de alumínio. Assim, o carro apresenta uma performance ainda melhor. Com motor flex, ele chega a 144 cv a 6.000 rpm e com torque de até 18,6 kgfm a 4.800 rpm. Sua velocidade vai de 0 a 100 km/h em 12,7 segundos. Quanto ao combustível, ele faz uma média de 7,46 km/l.

O desenho do novo Corolla está mais jovial, sua parte dianteira dá a sensação de que o carro está mais baixo, ou seja, esportivo. E para tirar o preconceito de carro de “tiozão”, a japonesa vai investir nos atores Wagner Moura e Selton Mello para fazerem o seu comercial, voltado ao público jovem. Com isso, a Toyota pretende vender 50 mil unidades no Brasil e continuar na liderança da categoria.

Os preços do Corolla tiveram leves reajustes, com a sua versão XLi 1.8 manual a R$63.570,00 e a automática a R$67.570,00. Já a versão GLi manual custa R$67.070 e a automática, R$70.570. A versão XEi 2.0 sai por R$76.770,00. O top de linha Altis foi o único que teve redução no preço: R$87.500,00.

Por Flávia Yoshitani


Um dos maiores sucessos da Toyota, o Corolla, em sua versão 2012, acaba de chegar ao Brasil. Com design esportivo, sofisticado e moderno, o modelo conta com novos equipamentos de série e acabamentos diferenciados. A montadora foca o público jovem com esta linha, mas sem deixar de escanteio os demais interessados.

A versão 2012 do sedã médio é oferecida em várias configurações: motor 1.8 litro 16V Flex, com câmbio manual e automático, e Altis e XEi, com motor 2.0 litros 16V Flex e transmissão automática. No exterior, além do já citado design remodelado, os três apresentam rodas de liga leve com novo desenho.

As principais melhorias no interior do veículo começam por um novo padrão de tecido em todas as versões. Para a Xli, GLi e XEi as partes de plástico cinza ganharam tonalidades mais claras, com a parte superior do painel mais escura. A versão Altis, por sua vez, apresenta acabamentos mais escuros no padrão madeira.

A versão Xli passa a contar com alarme como item de série. Com essa configuração, quando o veículo atinge 20 quilômetros horários as portas travam automaticamente. As versões XEi e Altis, por sua vez, contemplam conexão USB para aparelhos MP3 e MP4, iPod e Pen Drive, além de conectividade Bluetooth.

Os preços variam de R$ 63.570 para a versão de entrada (Xli) a até R$ 86.570  para a versão top de linha (Altis). Os carros passam a ser oferecidos nas cores Azul Cosmos, Bege Austral, Branco Polar, Cinza Galáctico, Prata Supernova, Preta Eclipse e Verde Urano. Há um acréscimo de R$ 930 caso o cliente prefira colorir o sedã com pintura personalizada ou metálica.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A Toyota apresenta nova variação do Prius e Yaris na sua linha ecológica. O Prius + é o primeiro modelo híbrido de sete lugares a ser comercializado na Europa. Ele possui interior amplo e tem o menor consumo de combustível entre os veículos europeus. Já o Yaris HSD também entra para este mercado com alta tecnologia para ajudar a implantar o conceito híbrido na Europa.

A montadora dedica-se ao desenvolvimento dos carros ecológicos e quer que esta seja a sua marca. Até o final de 2011, estima-se que seus híbridos emitirão 18 milhões de toneladas de CO2 a menos do que carros semelhantes movidos a gasolina.

Fundada em 1937, a empresa tem produção em 26 países. No Brasil, possui unidades em Indaiatuba (SP), São Bernardo do Campo (SP), São Paulo (SP) e Guaíba (RS). Outras informações sobre os híbridos podem ser obtidas no site www.hybridsynergydrive.com.

Por Danielle Vieira


A Toyota Motor Corporation está comemorando a marca de 3 milhões de unidades de veículos híbridos vendidos até o final de fevereiro de 2011 no mundo todo.

Em dezembro de 1997, a Toyota lançou o Prius, primeiro veículo híbrido do mundo. Mas apenas em 2000 foi que o Prius começou a ser vendido nas concessionárias da Europa e América do Norte.

No ano de 2003, a segunda geração do Prius chegou ao mercado, e em 2009, foi a vez da terceira geração ser lançada, fazendo com que a Toyota atingisse mais de 2 milhões de vendas do modelo híbrido.

Em 2011, a montadora ampliou a sua linha de híbridos e apresentou ao mercado o modelo Lexus "CT 200h". Ao todo são 16 modelos da linha de veículos sustentáveis da marca presentes em 80 países.

A Toyota pretende investir ainda mais no segmento de carros ecológicos e tem planos de lançar mais 10 modelos de veículos híbridos até o fim de 2012.

Essa iniciativa da montadora é muito importante para o meio ambiente, pois a emissão de poluentes no ar é consideravelmente menor.

Para ter acesso a mais detalhes sobre os veículos híbridos da montadora e entender o que é esse sistema, acesse o site da Toyota.

Por Andrea Gomes


O Brasil é considerado, oficialmente, o quarto maior mercado do mundo de veículos automotores, atrás apenas do chinês, norte-americano e japonês. As vendas de carros por aqui, em 2010, entraram para a história do país e acompanharam, deste modo, o crescimento da economia.

A Toyota é uma das montadoras que conseguiu, aos poucos, boa receptividade por parte do consumidor brasileiro. No mundo, a situação para a fabricante não é diferente, inclusive se delimitados os veículos híbridos. Ao final de fevereiro, mais de três milhões de unidades de carros com a motorização híbrida foram comercializados.

Um breve histórico da Toyota ilustra a boa aceitação dessa tendência amplamente debatida nos dias atuais. No início do segundo semestre de 1997, a tecnologia Coaster Hybrid EV foi desenvolvida e pouco depois o Prius, primeiro modelo desse segmento a ser confeccionado em ampla escala. Três anos depois, houve o início da comercialização do exemplar na Europa e na América do Norte. Mais três anos adiante e eis que surgiu a segunda geração do Prius.

História vai, história vem, e a Toyota projeta modelos sobre modelos. O Lexus CT200h é um exemplo recente. Até o final do ano que vem, prevê a montadora, dez modelos entre novos e reestilizados serão lançados.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Toyota


A montadora Toyota anunciou o resultado da campanha “Prius Goes Plural”. A votação na internet acontecia para escolher o plural do modelo Prius.

O automóvel híbrido da marca tem um grande mercado, sendo um sucesso de vendas em terras americanas.

O grande vencedor foi o “Prii”, com cerca de 25% dos votos. Porém, os números indicam que a escolha não foi fácil entre o público. Em segundo lugar ficou o mesmo nome “Prius”, com 24%. Eles ainda tiveram a concorrência de outros “participantes” como o Priuses, Prien e Prium.

Tal empreitada para a escolha do plural teve início no salão de Detroit no ano de 2010. No evento a Toyota lançou automóveis da linha.

Segundo informações, a intenção de lançar um plural já estava na mente da montadora a cerca de 10 anos. Com a apresentação dos novos modelos nos Estados Unidos (Pruis C, Prius Plug-In e Prius V), a ideia saiu do papel e a votação foi a opção selecionada para a posterior escolha do Prii. Em tempo: a pronúncia correta do nome é "Pri-eye".

Para maiores informações, acesse o site da Toyota

Por Oscar Ariel


Que o futuro dos automóveis reside nos híbridos e elétricos, e também porque não dizer, o futuro do próprio planeta, isto é um fato que vem se consolidando cada vez mais. Mas como toda nova tecnologia em desenvolvimento, ainda apresenta problemas, principalmente em termos de eficiência.

Como amplamente se debate, o “x” da questão está nas cargas das baterias atualmente utilizadas para manter a propulsão dos veículos. Baseadas em íons de lítio ou níquel, de acordo com especialistas, elas possuem pouca capacidade de carga, além de necessitarem de muito tempo para recarga. As atuais baterias não garantem ainda uma boa autonomia para os veículos e talvez não atendam a demanda que será necessária quando os veículos elétricos forem a maioria no trânsito.

Buscando resolver este problema as montadoras investem em pesquisas e é isso que a Toyota está fazendo em seu centro de tecnologia nos Estados Unidos, pesquisando novas alternativas para substituírem as atuais baterias. De acordo com sites especializados, estudam-se materiais como magnésio e enxofre para a substituição dos atualmente usados, pois os novos teriam uma maior capacidade de armazenamento de energia, o que aumentaria a eficiência dos novos veículos.

Com previsão de que até o ano de 2020 estas novas baterias se tornem realidade, as pesquisas de novas formas de geração de eletricidade para os veículos do futuro por si só representam uma maior conscientização sobre as atuais necessidades do planeta e principalmente o caminho certo a ser trilhado.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carro Online


A preocupação ambiental tem atingido amplamente o segmento de veículos automotores. A maior – e melhor – conscientização da população tem acarretado investimentos por parte das fabricantes, que anunciam, esporadicamente, novidades entre carros elétricos e híbridos.

A Toyota, uma dessas, estuda a criação de uma bateria com ao menos o dobro de capacidade energética das íon-lítio, utilizadas em híbridos. Trata-se de uma bateria de magnésio, atualmente em desenvolvimento em Michigan entre a montadora e laboratórios químicos japoneses.

Jeffrey Makarewicz, responsável pelo centro de estudos situado nos Estados Unidos, ressaltou recentemente que as baterias de íon-lítio não apresentam boa suficiência para póstumos automóveis híbridos e elétricos plug-in (carregáveis por meio de tomada comum residencial).

Apesar das perspectivas, a novidade só deve estar definitivamente pronta, segundo Makarewicz em matéria veiculada pelo Guia Quatro Rodas, em 2020.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Depois do sucesso e das novidades que circularam pelo Salão de Automóvel de São Paulo, é a vez de Los Angeles ter sua temporada de exibições. E foi lá, na terra luxuosa e maravilhosa, que a Toyota apresentou ao mundo seu novo modelo Corolla 2011.

O novo modelo passou por mudanças em seu design e ficou com a estética ainda mais sofisticada. Além da parte visual o Corolla teve pequenas alterações e alguns acréscimos de equipamentos. Entre pára-choques mais refinados, novo painel com novas cores,  novas lanternas, spoiler traseiro e dianteiro e novo porta-malas, o modelo terá três versões de venda.

É o modelo 2011 aindamais bonito e cobiçado.

Por Teresa Almeida

Fonte: G1


A Lexus, um dos braços da Toyota, revelou ao mundo o mais avançado simulador de automóveis do mundo. A primeira vista o gigantesco dispositivo até parece um simulador de aviões. A estrutura é até semelhante, já que se baseia numa cabine comandada por três braços mecânicos que simulam os ângulos de inclinação.

A cabine em questão tem 56 metros de diâmetro, e ergue-se 15 metros do solo. Locomovendo-se dentro de uma enorme galpão do tamanho de um campo de futebol, a engenhoca é capaz de reproduzir várias condições de pilotagem, dando ao motorista a perfeita sensação de estar guiando um carro de verdade.

Segundo a empresa, o simulador permite que o motorista tenha a perfeita sensação de guiar um veículo na velocidade de até 186 km/h. A intenção da montadora japonesa é fazer com que o sistema ajude a empresa a construir veículos mais seguros.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: Geeky Gadgets


Não é novidade os problemas enfrentados pela Toyota, que obrigaram a montadora japonesa a realizar inúmeros recalls de seus veículos. Um dos modelos afetados nos Estados Unidos foi o Prius 2010. Com defeitos no acelerador e nos freios, os proprietários foram convocados a levar seus veículos até a concessionária para corrigí-los.

E uma vez lá, tudo o que os mecânicos precisavam fazer era conectar o carro a um computador e fazer o download da nova versão do software responsável por controlar o sistema de freios. Ou seja, no futuro, além de problemas mecânicos os motoristas terão que lidar com falhas e bugs nos sistemas automotivos.

Com o intuito de oferecer mais segurança, as montadoras investem cada vez mais em tecnologia. Assim é possível prevenir freagens bruscas, corrigir trajetórias, e até estacionar sozinhos.

Não resta dúvida de que futuramente os carros serão tão inteligentes que dispensarão até o motorista.

Por Maximiliano da Rosa

Fonte: iG Economia


Este ano de 2010 não está nada bom para a montadora de automóveis japonesa Toyota. Depois de no inicio dele, a empresa ser obrigada a deixar de vender oito modelos de sua linha, agora recebe mais um golpe pesado por problemas em seus veículos.

Após reportagem da revista americana “Consumer Reports” recomendando que o modelo Lexus GX 460 não fosse comprado em função de problemas de estabilidade. Segundo a revista o carro corre o risco de rodar, a direção da empresa decidiu suspender temporariamente as vendas deste modelo. Desta forma o modelo fabricado em 2010 terá suas vendas suspensas até que a montadora encontre uma solução para este problema.

Os outros oito modelos que em Janeiro tiveram suas vendas suspensas apresentaram problemas no sistema de freio.

Por Mauro Câmara


A partir do momento que conquistou a liderança do mercado de sedãs médios, o Corolla não sofreu mudanças. Parece que isso vai mudar com a linha 2011.

A principal mudança é o novo motor de 16 válvulas, dual VVT-I 2.0 flex, que proporciona 153 cv com álcool e 142 cv se abastecido com gasolina. De acordo com informações da montadora, este motor atinge 100 km/h em 11,6 segundos com álcool, consumindo  1 litro a cada 6,17 km na cidade e 10,17 km/l na estrada. Na utilização de gasolina os dados são de 8,22 km/l na cidade e 12,84 km/l na estrada.

A transmissão automática também sofreu inovações, agora é possível trocar as marchas de forma seqüencial pela alavanca de cambio ou por borboletas posicionadas atrás do volante.

Além das inovações mostradas na motorização e transmissão, a linha 2011 do Corolla também sofre alterações na sua lista de modelos que apresenta as versões Xli e GLi com motor 1.8 16V, opções de cambio manual de cinco marchas e automático de quatro velocidades.

As versões XEi e Altis (antiga SE-G) serão vendidas com os novos motores 2.0 16V somente com opção de cambio automático de quatro de marchas.

A linha Corolla 2011 já está à venda com preços que variam entre 61.890 reais para o modelo de entrada Xli e 89.160 para o modelo top de linha Altis.

Por Amanda Luna


Para você que gosta de carros grandes, uma boa novidade que pode chegar em breve ao Brasil. A Toyota lançou no Japão a Toyota RAV4 Vanguard, que possui carroceria comprida, podendo carregar até 7 passageiros.

A frente é mais bonita, assim como suas rodas e outros detalhes cromados. O interior possui novas cores, e tem equipamentos internos mais avançados e completos. No mais, segue o padrão da linha RAV4.

Veja abaixo algumas fotos do novo modelo:





CONTINUE NAVEGANDO: