IPI reduzido: é hora de comprar o seu novo carro?


O primeiro bimestre de 2022 se mostrou como um dos piores momentos para o mercado de vendas de veículos leves. Também merece ser destacado que janeiro foi o pior dos últimos 14 anos neste sentido. Já fevereiro foi o pior dos últimos 16 anos. Os números comprovam está situação atual das vendas de automóveis: foram emplacados somente 237,2 mil somando os dois meses. Um número bem abaixo do esperado e do que era mostrado em outros anos.


A queda é bastante expressiva, cerca de 26% em comparação com o mesmo período do ano de 2021 e um menor volume desde o ano de 2005. Os dado para está comparação forma mostrados pela ANFAVEA, a associação dos fabricantes. Portando, os números são bastante preocupantes para o setor que tem passado por certas dificuldades em relação a venda de veículos no país.


Mas diante deste cenário a entidade destacada que é esperado que daqui para frente os resultados que serão obtidos devem ser bem melhores do que foi mostrado até o presente momento de janeiro a fevereiro deste ano. As expectativas são altas para que os próximos meses contem com uma mudança significativa. Esta espera vem do fato de que houve uma redução quanto ao IPI em 18,5% medida essa que foi definida pelo governo logo ao final do mês de fevereiro e que pode favorecer e muito o setor agora para que este passe por um aquecimento.


Esta média de 120 mil veículos que foi vendido em cada mês do ano ficou bom bem abaixo das expectativas do órgão. A projeção é de que este número fosse bem maior do que o resultado que foi obtido de fato. A Anfavea projetou que seriam vendidos pelo menos 150 mil veículos a cada mês, o que foi registrado no último trimestre de 2021.


Este volume projeto era o que a indústria teria condições de arcar, portando seria o esperado para este ano novamente. Ainda mais pelo fato de que há uma limitação devido a redução de componentes na produção, em especial os semicondutores que fazem parte dos sistemas eletrônicos dos veículos em questão.

Já em fevereiro a indústria consegui produzir cerca de 152 mil automóveis como era projetado que conseguiria de fato. Entretanto, a produção abaixo da demanda demonstrada no mercado atual não explica claramente a respeito da retração que tem acontecido nestes últimos meses.

E por outro lado, os juros altos acabam deixando os consumidores retraídos. De acordo com o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes muitos consumidores não contam com condições de pagar a vista, e tambem não consegue financiar e nem comprar.

Diante deste cenário, a redução do IPI dos veículos tem se mostrado um alento para o mercado de modo geral. Entretanto, mesmo diante disso o impacto real é ainda bastante limitado.

Ainda estão em andamento novas negociações para que sejam feitas novas reduções dos valores em questão com a finalidade de novamente reaquecer o mercado. De acordo com Moraes, os esforços da entidade agora são para que outros tributos também contem com uma redução. Entre eles, o ICMS, que está previsto para retornar ao seu valor anterior.

Outro imposto que está em andamento neste momento para obter uma redução é o IOF. Desta forma, as próximas novidades devem ser relativas a diminuição destes impostos, algo que pode modificar bastante o cenário atual. Além destas questões também outro ponto que deve ser mudado e avaliado nos próximos meses é relativa a falta dos semicondutores que tem atrasado e paralisado as produções.

Portando, em breve novidades devem ser divulgadas a respeito das mudanças relativas aos impostos. O cenário pode se modificar muito ainda nos próximos meses.



Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.