Montadora irá gerar oportunidades de trabalho para produzir carro elétrico.

A montadora germânica Porsche irá aumentar a quantidade de vagas de empregos relacionadas ao projeto de produção do seu primeiro carro completamente elétrico. Se comparado com as ante metas anteriores, como fração de um esforço realizado pelo grupo Volkswagen para passar por cima daquele escândalo de fraude em teste de emissão de gases poluentes, em que a montadora se envolveu recentemente.

A montadora Porsche, que é a vice líder quando o tema é contribuição para o lucro do grupo Volkswagen, tem um plano de gerar pelo menos 1400 vagas de emprego para vender, construir e desenvolver o veículo modelo Mission E, que será um grande concorrente do Model S da montadora americana Tesla e que irá estar pronto na linha de montagem na Alemanha, na cidade de Zuffenhausen, em 2019.

Além dessas vagas de emprego, deverão ser contratados também outros 350 especialistas digitais para uma unidade da Porsche, a qual foi criada especificamente para que fossem descobertas novas áreas de negócios e desenvolvidos conceitos de mobilidade, segundo a empresa, o que reflete uma transformação que já se encontra em curso na montadora Audi, uma marca de luxo do mesmo grupo.

A companhia alemã já tinha estipulado anteriormente mais de mil novas vagas de empregos para o desenvolvimento do Mission E, na unidade da cidade de Zuffenhausen. A marca de veículos esportivos está dispondo de cerca de 1 bilhão de euros, o equivalente a 1,1 bilhão de dólares, no modelo elétrico.

O modelo elétrico Misson E traz uma grande mudança na Porsche, que tradicionalmente é conhecida por veículos esportivos de alto nível e movidos por propulsores a combustão, informou Uwe Hueck, o chefe de trabalho da Porsche, a alguns repórteres na última terça-feira. O executivo também disse que a empresa deve participar das mudanças digitais ou então sairá perdendo.

Hueck ainda falou sobre as metas, apesar de não ter apresentado muitos detalhes com relação à produção para o modelo Mission E, porém, afirmou que para a montadora obter lucro com este novo projeto será necessário comercializar no mínimo 10 mil unidades do veículo a cada ano.

FILIPE R SILVA


Novo veículo custará 9.850 euros e contará com novos acessórios.

Com a concorrência acirrada no mercado automotivo, a solução para as empresas do ramo para tentar ganhar dos seus principais concorrentes é lançar novos modelos no mercado ou reestilizar aqueles modelos que já estão no mercado e estão atendendo às expectativas das fabricantes. É nesse contexto que a Volkswagen, após apresentar o Up! No Salão de Genebra no mês de março deste ano, irá iniciar a venda do modelo esta semana no continente europeu. Algumas modificações foram feitas no veículo, haja vista que além das mudanças no design, o carro também ganhou novos acessórios, bem como melhorias na sua parte interna. Os preços iniciais de comercialização deste modelo na Alemanha iniciam a partir de 9.850 euros, valor este que feita a conversão em moeda nacional daria em torno de R$ 39.500.

No mercado europeu o UP! não é nenhuma novidade, pois por lá o modelo começou a ser comercializado no ano de 2011, ocasião em que o modelo chegou a proposta de veículo urbano. Com essa reestilização, a Volkswagen tem como principal objetivo maximizar o seu público, uma vez que nessa nova versão o veículo chega com uma cabine com detalhes ainda mais refinados. O principal atrativo desse novo Up! será a disponibilização do propulsor 1.0 TSI, o qual fez a sua estreia oficial no ano de 2015 no Up! brasileiro.

Na parte externa, as principais modificações trazidas pelo veículo estão localizadas nos faróis, que possuem a presença de LEDs diurnos, para-choque remodelados, repetidores de seta integrados nos retrovisores, bem como lanternas com novos desenhos.

Já na parte interna, o modelo oferta aos consumidores central multimídia Composition composta por um display de cinco polegadas com tecnologia de conectividade com smartphones e sistema de som premium Beats, bem como ar-condicionado automático. Outra grande novidade que muitos consumidores irão aplaudir foi a inserção do volante do Golf no modelo.

Com relação às motorizações que serão ofertadas por lá, elas serão idênticas às oferecidas no mercado brasileiro, todavia, propulsionados por gasolina e com potências menores. No caso do propulsor 1.0 MPI aspirado, há variantes com potência máxima de 60 cavalos ou 75 cavalos. Já a versão turbinada 1.0 TSI, de forma distinta da versão brasileira (que consegue produzir uma potência de 105 cavalos quando abastecido com etanol), na Europa ela entregará apenas 95 cavalos de potência. No mercado europeu, o Up! contará com câmbio manual de cinco velocidades.

Por Adriano Oliveira





CONTINUE NAVEGANDO: