Algumas montadoras estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro.

Quem nunca sonhou em ter um carro clássico dos anos 50, mas já se pegou pensando na quantidade de dinheiro que irá gastar só em manutenção e para restaurar o veículo? Pois as montadoras tem uma boa notícia para os amantes deste tipo de veículo.

Isso porque algumas já divulgaram que estão restaurando e/ou reproduzindo carros clássicos repaginados e zero-quilômetro. Ou seja, aliando assim a beleza do passado com a tecnologia do presente, os veículos que fizeram história têm voltado com tudo.

É o caso, por exemplo, do Jaguar XKSS D-Type, um carro luxuoso de 1957, que terá produção de nove unidades de forma artesanal. É claro que a brincadeira não sairá barata e, já se especula que a comercialização destes, a partir de 2017, será em torno de 1 milhão de libras, o equivalente a R$ 5,2 milhões. Porém, a montadora reafirma que os carros, apesar de mais recentes, ainda terão as mesmas especificações mecânicas e o mesmo visual das demais produzidas há cinquenta anos atrás.

Talvez poucos saibam, mas o Jaguar XKSS D-Type foi um dos mais famosos carros de corrida de todos os tempos, nos anos de 1955, 1956 e 1957. Com um peso de 914 quilos, sua capacidade de aceleração era extremamente potente, chegando do 0 a 100 km/h em um tempo de até cinco segundos.

Além deste, em abril deste ano, a Land Rover divulgou a venda de 25 unidades do Série 1, que foi lançado em 1948. Esta contará com as peças e design original, bem como todas as demais características foram preservadas. Quem quiser adquirir um dos veículos, poderá personaliza-lo, inclusive com a pintura que preferir. O valor ficará entre 60 mil a 80 mil libras, o que equivale a R$ 312 mil a R$ 416 mil.

A própria Ford, em 2003, homenageou os cem anos da marca, fabricando unidades do T 1947 Touring. A fabricação foi artesanal e realizada por engenheiros, vendida exclusivamente para colecionadores fissurados.

A prática tem sido muito visada e, provavelmente, não terá seu final com estes modelos. A estratégia é que cada vez mais estes carros estejam novamente circulando nas ruas. Porém, sabe-se que, uma vez que a produção é muito mais artesanal e detalhada, não será realizada em grande escala ou em fabricação em série, como é realizada nos dias de hoje, refletindo inclusive no valor deste no mercado.

Por Kellen Kunz

Jaguar XKSS D-Type

Foto: Divulgação


Novo modelo terá motor 1.5 VTEC turbo movido a gasolina. Ele tem previsão de chegar ao Brasil em meados do 2º semestre de 2016.

Foi confirmada pela Honda, neste último dia 27 de outubro de 2015, a nova versão do Honda Civic. Esta é a 10ª geração do automóvel, que virá equipada com o motor 1.5 VTEC turbo, acompanhados de 174 cv. Porém, visto por alguns como um ponto negativo no carro é o fato de que esse novo motor, a princípio, será movido apenas a gasolina.

Apresentado para o público dos Estados Unidos no mês de setembro deste ano, o automóvel tem como previsão estimada de chegada ao Brasil apenas para meados do 2º semestre de 2016.

A potência declarada para o veículo nos Estados Unidos foi a mesma de 174 cavalos de potência, o que torna este modelo como a melhor opção em quesito de motor do que todas as outras versões anteriores de motor flex aspirado, que estão à venda nos Civic de hoje aqui no Brasil.

Para se ter uma ideia, a SUV HR-V possui um motor 1.8 e consegue desenvolver 139 cv a gasolina e 140 cv a álcool. Já a versão 2.0 do motor gera 155 cv a álcool e 150 cv com gasolina. O que mostra a potência do novo motor do Civic.

Para o Civic produzido na América do Norte, terá ainda a continuação do uso de um propulsor aspirado 2.0 de 4 cilindros, totalizando um rendimento de 158 cavalos de potência.

Essa linha de motores VTEC Turbo foi lançada há dois anos atrás, ou seja, em 2013 no Japão. Com base em estimativas é possível afirmar que comparado aos motores aspirados, esse novo motor consiga economizar entre 5% e 10% mais de combustível. Para os brasileiros esse fato se torna de fundamental importância, visto ao preço crescente do combustível nos últimos anos.

Uma outra grande mudança nessa 10ª geração do Civic se deve ao fato dele ter aumentado 5 cm em largura, e diminuído 2,5 cm em altura, o que o deixou com uma cara mais esportiva, e também aumentou o espaço interno e do porta-malas.

Por Igor Furraer

Honda Civic 10ª geração

Honda Civic 10ª geração

Fotos: Divulgação


Blade é o nome do novo carro que foi fabricado utilizando algumas peças impressa em impressora 3D.

As possibilidades que uma impressora 3D nos oferece estão maiores a cada dia. Além de pequenas peças com funcionalidade doméstica e empresarial, decoração, prototipagem e próteses, os designers avançaram mais uma vez. Dessa vez um carro foi fabricado utilizando peças impressas em 3D.

O projeto inovador é se uma Start-up da Califórnia, que espera que o seu novo modelo traga uma nova fabricação ao mundo automobilístico. O carro, batizado de Blade, teve parte de suas peças impressas, ao invés de fabricadas em uma linha de montagem, como a maioria dos veículos.

O carro, um supermodelo de 709 cv de potência é o primeiro, segundo a empresa, que utiliza esse método durante a sua fabricação. Além da inovação nas peças, o Blade pode ser abastecido tanto com gasolina quanto com gás natural, para fazer jus à fama de carro esportivo.

A ideia de fabricar peças individuais e impressas em 3D, veio da observação do fundador e diretor da Start-up fabricante do veículo (Divergent Microfactories). Segundo Kevin Czinger, a fabricação tradicional de automóveis está contribuindo para a destruição do planeta, e a utilização da tecnologia das impressoras 3D seria capaz de mudar isso radicalmente.

A ideia é diminuir as grandes fábricas montadoras de veículos, responsáveis por grandes emissões de carbono na atmosfera. Para a fabricação do supercarro, foram impressas peças de alumínio que foram usadas na conexão das fibras de carbono que formam o chassi do automóvel.

A fibra de carbono, aliás, é uma excelente opção para a diminuição de peso do veículo e para o aumento de sua velocidade. Pesando apenas 636 kg, o Blade alcança a potência de 706 cv e supera duas vezes o Bugatti Veyron na relação peso/potência. Embora a montadora não tenha divulgado ainda os dados de consumo do carro, sabe-se que a redução no peso total do veículo também ajuda a diminuir o consumo.

A empresa deseja, além de comercializar algumas unidades do Blade, fazer de tudo para que esse novo método de produção seja democratizado. Para isso eles pretendem popularizar o método até que este chegue a pequenos empreendedores de todo o mundo, para que outros carros com a mesma tecnologia sejam fabricados, ou mesmo outros produtos.

Será o futuro da fabricação dos carros? 

Por Patrícia Generoso

Carro Blade

Carro Blade

Carro Blade

Fotos: Divulgação


Novo modelo deverá ser menor que o Sportage e entrará no mercado para competir com os modelos HR-V, Jeep Renegade, Nissan Juke e Opel Mokka.

Um dos segmentos do mercado automobilístico que vem crescendo bastante e gerando muito lucro para as montadoras é a categoria dos SUVs. Esse seguimento vem ganhando cada vez mais destaque e atraindo muitos. Dessa forma, visa aproveitar o bom momento dessa categoria e também competir de igual para igual com as demais marcas, a Kia também planeja entrar forte neste segmento. Confira mais detalhes na continuação desta matéria.

Segundo informa a Automotive News, uma agência de notícia especializada no mundo automotivo, já existe uma colaboração direta da divisão da Kia nos Estados Unidos com a filial da empresa na Europa além da matriz na Coreia do Sul. Essa parceria tem como principal destaque a criação de um crossover que deve ser menor que o Sportage.

Apesar das notícias, é importante destacar que não existem muitos detalhes em relação ao projeto. Porém, recentemente foram flagrados alguns testes de durabilidade que apontam para um modelo com linhas totalmente inspiradas no conceito Niro que foi revelado em 2013.

Um dos principais objetivos de um lançamento de SUV da Kia será de fato a briga direta com outros modelos, dentre os quais: HR-V, Jeep Renegade, Nissan Juke e Opel Mokka. Além disso, é importante ressaltar que o modelo terá uma forte influência da plataforma do compacto Rio, pois o mesmo deve ser uma das bases do SUV da Kia.

Outro detalhe muito importante em relação a este projeto da Kia é quanto à parte mecânica do automóvel. A gama de motores do mesmo deve vir acompanhada de blocos de baixo consumo, com isso, deve ser valorizada a economia de combustível. Dentre os motores está o 1.6 turbo além de ume versão atualizada do já conhecido 1.0 de 3 cilindros.

É esperado que a própria montadora apresente mais novidades em relação a este projeto no decorrer dos próximos meses. Ainda não há informações quanto à chegada desse modelo ao mercado brasileiro, porém, as chances são boas, haja vista os SUVs serem bastante procurado aqui.

Por Bruno Henrique

Kia Niro

Foto: Divulgação


Novo modelo é considerado como o mais potente já fabricado na história da marca, possuindo um motor 6.6 V12 biturbo.

Na última segunda-feira (06), a Rolls-Royce, uma das empresas mais conhecidas no mundo todo, apresentou um modelo que, de acordo com a empresa, não é só mais uma série especial dos seus modelos, mas desta vez a montadora britânica estava apresentando ao mundo, de acordo com a própria Rolls-Royce, o seu mais potente modelo já fabricado na história da marca.

E para garantir toda esta potência, a Rolls-Royce investiu em um potente motor, porém, utilizou um modelo já existente, o tão conhecido 6.6 V12 biturbo que para os apaixonados pela marca, certamente não seria nenhuma novidade, a não ser pelo fato de que este motor passou por um avanço muito grande e com uma reconfiguração no bloco, que nem foi tão modificado assim, mas o suficiente para tornar este o mais potente de todos os modelos já lançados pela marca.

A "ligeira modificação" promovida pela Rolls-Royce garantiu que seu antigo motor, mas agora bem mais potente, conseguisse obter oito cavalos de potência a mais e assim, saltou dos 624 para os incríveis 632!
Para o torque máximo não houve nenhuma alteração, continuando com 81,6 mkgf.

E a Rolls-Royce tem ainda mais motivos para comemorar, pois o ganho de potência não foi sua única conquistando, depois de um simples procedimento realizado no motor 6.6 V12 biturbo, a empresa britânica ainda anunciou que o "Wraith St.James Edition", chega ao mercado com uma grade dianteira toda em alumínio cromado, garantindo um visual exclusivo ao modelo. A grade em alumínio é produzida com o mesmo material que é utilizado nas molduras dos vidros do veículo e também nas maçanetas.

E para completar o design diferenciado, as rodas terão vários detalhes em preto brilhante, combinando com o brilho da grade dianteira em alumínio cromado.

E o Wraith St. James Edition da Rolls-Royce traz muito mais que potência, claro que a empresa britânica não deixará de caprichar no visual, por isso que a primeira coisa que chama a atenção de quem vê o novo modelo é sua pintura vermelha brilhante que realmente chama muito a atenção e deixou o veículo ainda mais exuberante.

Todo em vermelho, com os detalhes nas molduras das janelas e maçanetas em cromo, o modelo mostra toda sua beleza, além de oferecer um motor com muito mais potência.

Por Russel

Rolls-Royce Wraith St. James Edition

Rolls-Royce Wraith St. James Edition

Fotos: Divulgação


Novo modelo terá apenas 60 unidades produzidas e será a versão de entrada dessa nova linha de veículos da montadora.

Um dos veículos mais elegantes e ao mesmo tempo mais populares da Land Rover acaba de ganhar uma versão exclusiva. O novo Discovery RAW terá somente 60 unidades produzidas, e servirá como uma versão de entrada dessa nova linha de veículos da montadora britânica.

Essa versão exclusiva aparentemente não traz muitas novidades em termos visuais, contando com uma pintura que aparece na cor branco Fuji, além de faróis de neblina, faróis xênon em LED, rodas de aro 19 polegadas e um pacote de acessórios que vem de série, com proteção lateral nas portas e rack curto de teto.

A parte mecânica é interessante: conta com um bloco TDV6 movido a diesel, que gera uma potência de 211 cavalos e tem torque de 53 kgfm. Essa configuração está ligada a uma caixa automática ZF com até oito velocidades diferentes, com borboletas no volante, deixando a direção ainda mais prática.

Essa configuração de motor, segundo a Land Rover, faz com que o veículo seja menos poluente, mais econômico e reduz o índice de ruídos e vibrações. Como exemplo, a marca cita que o Discovery RAW chega a 120 km/h com o motor trabalhando a menos de 2.000 rpm, um desempenho muito bom para veículos como esse.

Além desses itens mecânicos, o SUV ainda vem com um exclusivo sistema Terrain Response e com suspensão pneumática, deixando a direção muito mais macia. Internamente, como todo veículo da Land Rover, esse Discovery é elegante, contando com sistema de áudio da própria marca, bancos revestidos em couro e espelho retrovisor interno que possui a função de antiofuscamento.

E para quem curte prática de esportes radicais, o Discovery RAW ainda vem com um tapete de proteção do porta-malas feito em borracha, para não sujar o chão.

Quem quiser adquirir essa versão exclusiva da Land Rover deve desembolsar R$ 229 mil. A marca oferece 3 anos ou 100 mil quilômetros rodados de garantia total.

Por Felipe Villares

Land Rover Discovery Raw

Land Rover Discovery Raw

Fotos: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: