Ousadia, inovação e criatividade fazem parte do jeito francês de conceber carros

Quem conhece ao menos um pouco da mecânica dos automóveis franceses sabe que eles são fabricados de maneira única e exótica. Tanto que, é comum afirmar que os engenheiros franceses não têm medo de ousar na produção de seus veículos.

É exatamente essa característica que instiga a busca por novos design e tecnologias, desvencilhando-se do comum e dos padrões já estabelecidos.

O Citroën 2CV é um bom exemplo disso. Fabricado entre 1948 e 1990, o modelo foi um sucesso de vendas, alcançando a incrível meta de 5 milhões de unidades vendidas. O diferencial do modelo? Todo o chassi e carroceria estavam unidos em um único bloco, enquanto a suspensão era independente.

Hoje a solução utilizada no modelo pode parecer banal, pois foi muito explorada nos últimos anos. No entanto, durante a época houve certa agitação entre a mídia e as demais fabricantes que utilizavam um sistema onde a lataria e chassi eram independentes, enquanto a suspensão era ligada por um eixo rígido.

O 2CV dividiu opiniões, mas acabou surpreendendo por se tratar de um veículo bastante estável em altas velocidades, o que lhe rendeu o título de “impossível de capotar”. Isso se deve graças à suspensão, que mantinha o veículo sempre em contato com o solo, independente do movimento realizado pela lataria. O modelo contava com um propulsor de dois cilindros e refrigerado a ar, com 345cc e 9 cv de potência, que atingia incríveis 115 km/h.

Outro veículo da montadora que chamou a atenção foi o Traction Avant, o qual foi o comercializado durante 1934 a 1957. Vale lembrar, que o automóvel foi o primeiro a contar com a suspensão monobloco e tração nas rodas dianteiras.

Os modelos franceses contam com soluções inovadoras em seu design, como o Peugeot 402, onde as portas abrem no sentindo contrário e a capota dobradiça em aço pode ser acionada eletricamente. O primeiro modelo a utilizar essa tecnologia foi o Peugeot 401, lançado em 1934.

É impossível falar em veículos sem citar a Renault, que revolucionou o mercado ao lançar o modelo R-16, em 1965. O veículo contava com design moderno e inovador, tendo como diferencial o seu imenso porta-malas.

Outros modelos franceses também auxiliaram no desenvolvimento de novas tecnologias, como: Citroen DS e o Alpine A110. Não há dúvidas que as fabricantes francesas são responsáveis por importantes tecnologias utilizadas em veículos atuais e revolucionaram o mercado automobilístico.

Por Wendel George Peripato


Você sabe qual é o carro mais caro de todos os tempos? Uma dica é que trata-se de um automóvel histórico e que fez parte dos anos gloriosos da Fórmula 1. É que a Mercedes do ano de 1954, então guiada pelo mito da F1 Juan Manuel Fangio foi leiloada pelo valor  de 23 milhões de euros.

A venda ocorreu no Festival  de velocidade de Goodwood, na Inglaterra. Esse carro, ou melhor essa relíquia do automobilismo mundial, foi o veículo que consagrou o piloto de nacionalidade argentina como bicampeão mundial da Fórmula 1.

Em entrevista dada para a Eurosport, o Historiador Doug Nye afirmou que o preço do carro não parece absurdo, pois ele tem muita história e mexe com o imaginário e com o desejo de todos aqueles que amam o automobilismo, os carros e os esportes de velocidade de forma geral.

Um ponto curioso e interessante dessa informação é que o modelo do carro é o mesmo de 1954, ou seja, não houve uma repaginação ou um novo tipo de desenho para renovar o ''possante''. Assim, pois, fica preservada a biografia e o estilo dessa peça que marcou época nas pistas de todo o mundo pelas antigas disputas da F1.

O mercedez W196 não se tornou apenas o carro mais caro da história, mas também um símbolo de paixão para os amantes de carros em cada canto do planeta.

Por Madson Lima de Oliveira


O Brasileiro é um dos maiores compradores de carros sendo seminovos ou usados. Os preços e a facilidade acabam conquistando muitos adeptos dessa prática. Afinal, a bem da verdade, todo mundo quer ter seu carrinho. Porém, para não ser enganado, aqui vai algumas dicas na hora de comprar automóveis usados.

1 – Verifique a documentação: muitos carros estão alienados, ou seja, com as documentações erradas e atrasadas. Antes de comprar o carro, portanto, veja os documentos do veículo com cautela e atenção.

2 – Faça um teste: dirija o carro, faça um teste completo; olhe o motor, a estrutura e tudo o mais que seja um diferencial no produto.

3 -Compre em locais certos: É importante, na hora de comprar carros seminovos, que o consumidor procure concessionárias ou lojas autorizadas, pois assim os riscos de cair numa enrascada diminuem consideravelmente.

4 – Esteja informado: pesquise preços, vá atrás de descontos e veja o que de melhor o mercado pode te oferecer. Faça buscas em sites especializados no assunto e que sejam de total confiança.

5- Tenha cuidado: o carro pode ser roubado. Muita gente já caiu nesse golpe e acabou se prejudicando. Tente conhecer o dono e fique atento em todos os detalhes.

Seguindo essas dicas, e tendo em mente que automóvel é melhor para suas necessidades, você certamente conseguirá um excelente carro seminovo.

Por Madson Lima de Oliveira


A Chevrolet comemora, no dia 3 de novembro, 100 anos de existência. Para celebrar o centenário, a montadora norte-americana tem realizado uma série de ações de marketing desde o início de 2011, como o lançamento de versões especiais de alguns veículos e também a realização de eventos em vários lugares.

Outra ação praticada pela fabricante é o lançamento do site www.chevrolet.com/100-years/, através do qual os internautas podem votar e eleger o melhor carro de todos os tempos produzido pela Chevrolet. Entre as opções, 16 no total, estão modelos raros e históricos, como o Classic Six 1912 (um dos primeiros automóveis desenvolvidos pela marca) e o Suburban 1936 (utilitário esportivo com capacidade para carregar até 8 pessoas).

Outros veículos que fazem parte da lista são os esportivos Corvette 1953 (conversível que teve apenas 300 unidades produzidas); Corvette Sting Ray 1964 (versão equipada com uma série de itens de luxo para a época); e o Camaro 1969 (integrante da primeira geração do cultuado muscle-car, lançado em 1967).

Também podem ser votados: o Deluxe Sport Roadster 1932; Pickup 1948; Bel Air 1957; Impala 1962; Malibu 1964; K Blazer 1969; Chevelle SS 1970; Silverado 1989; Corvette ZR1 2009; Camaro 2010; e o Volt 2011.

Por André Gonçalves


Muita gente tem fascínio por carros antigos e clássicos. Eu, por exemplo, sou fã da Chevy 57, a caminhonete do McGyver. Como não posso ter uma, me contento em colecionar as versões da Hot Wheels.

Aliás, cuidar de um carro antigo não é tarefa de criança. Em primeiro lugar está a manutenção, muito mais cara e mais difícil. Além da falta de peças, praticamente não há mecânicas especializadas, principalmente longe dos grandes centros.

E por falar em mecânica, aí está um detalhe muito importante. Para ter um clássico nas mãos é preciso conhecer o carro, entender seu funcionamento na prática e saber meter a mão na massa. Mesmo que encontre um mecânico que conheça o veículo, isso é importante para acabar vítima dos picaretas.

Por Maximiliano da Rosa





CONTINUE NAVEGANDO: