Confira dicas para manter seu carro usado sempre valorizado no momento de uma venda.

Quando compramos um carro não pensamos de cara que um dia ele poderá ser vendido, porém, essa é uma opção bem comum entre os consumidores de carro. Uma hora desejamos ter um outro carro porque enjoamos do atual, ou simplesmente queremos um carro melhor e que supere nossas expectativas. E, obviamente, o consumidor vai vender o seu carro usado para comprar o outro modelo, e dependendo do estado do carro, é possível conseguir um valor bom e justo. Se você vai vender seu carro usado, fique de olho nas instruções que serão dadas aqui nesse texto. Veja as dicas de como manter a valorização do seu carro usado.

Mantenha sempre o carro limpo na parte interna

Se você está pensando em vender seu carro e mostra-lo para um possível comprador, saiba que ele não deve estar sujo na parte externa. Nada mais desanimador que olhar um carro com sujeira e mau cheiro, pois essa é a primeira impressão e, na maioria das vezes, é a que fica. A limpeza da parte interna do carro deve ser um hábito constante. Pois assim você mantém os bancos e as outras partes do carro bem apresentáveis. Pode parecer bobeira, mais um carro higienizado pode valorizar muito seu carro na hora da venda.

Evite customizar seu carro

Não são todas as pessoas que acham um carro customizado bonito e interessante, e sim, apenas uma pequena quantidade de usuários. Se você deseja vender seu carro mais rapidamente, retire todo tipo de customização dele. Pesquisas revelam que os carros customizados demoram bem mais a ser vendidos que os carros sem muitos detalhes.

Deixe seu carro sempre com peças originais

Os carros que possuem suas peças originais são bem mais valorizados no mercado. Inclusive o vendedor pode até mesmo subir um pouco o valor de venda se o carro possuir muitas ou todas as peças originais. Caso precise trocar alguma peça do seu carro, priorize comprar a original e não a genérica, essa escolha só vai te beneficiar no momento em que for vender seu carro.

Não pinte seu carro somente para vender

Um dos erros mais comuns cometidos por quem vai vender seu carro usado é fazer pinturas de reparos para mostrar um mais apresentável ao futuro comprador. Esses pequenos detalhes não vão atrapalhar sua venda e você ainda não vai gastar seu orçamento desnecessariamente.

Não jogue fora nenhum comprovante de manutenção feito no carro

Se seu carro passar por algum tipo de manutenção, o ideal é guardar todos os comprovantes. Pois na hora da venda essas informações precisam ser passadas para o futuro dono do carro, e se você puder comprovar tudo que fez, seu carro será mais valorizado. Se a manutenção foi feita para deixar o carro melhor, isso pode ser favorável para manter o preço do carro um pouco mais elevado.

Mantenha a chave reserva e manual do carro guardado em local seguro

É bem comum que a maioria das pessoas que tem carro, percam esses dois itens. E no caso de uma futura venda do carro, não ter esses objetos pode dar dor de cabeça. A chave reserva é um item que pode sair caro para quem vai comprar seu carro, e talvez seja será necessário diminuir o valor pedido na venda por esse detalhe, por isso esses itens precisam ser guardados m local bem seguro.

Tenha cuidado com seu carro de modo geral

A última dica é manter o seu carro sempre bem cuidado, evite colocar ele em locais que pode causar danos como: Arranhões, amassados entre outros. Sempre que puder deixe ele com uma capa protetora, para evitar a exposição ao sol, vento e chuva.

Siga essas dicas e seu carro será muito valorizado.

Por Cristiane Amaral

Carro usado


As quedas nas vendas de veículos estão fazendo as concessionárias tentarem as mais variadas estratégias, com ênfase nas facilidades de crédito – entrada parcelada em até 10 vezes, taxa zero para financiamentos que não ultrapassem 24 parcelas, parcelas sem juros no cartão de crédito, emplacamento e IPVA gratuitos.

No estado de Minas Gerais essas ações alavancaram as vendas de carros novos em 20% em agosto. Cenário diferente do que aponta o balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a qual mostra queda nacional de 7,38% em agosto na comparação com julho. Em comparação com 2013, o desempenho é ainda pior, a queda nas vendas é de 17,12%.

Os revendedores estão mais otimistas devido à concessão de crédito mais barato, fruto das recentes modificações nas regras do Banco Central, as quais possuem o intuito de proporcionar acesso facilitado ao financiamento de automóveis.

A partir do último final de semana, os bancos anunciaram taxas de juros abaixo de 1% ao mês. Porém, as taxas mais em conta correspondem a financiamentos de curto prazo, com no máximo dois anos.

O Banco do Brasil é o que possui taxas mais baixas, de 0,97% ao mês, destinadas a veículos novos com quitação em até 60 vezes.

A indústria automobilística permanece em situação crítica. Em agosto, a produção caiu novamente quando comparada ao mesmo período do ano passado. A queda foi de 22,4%, correspondendo a produção de 80 mil unidades a menos.

Alguns especialistas acreditam que a indústria se manterá em ritmo lento de atividade até o fim de 2014, pois não há previsão de mudança do atual cenário da economia brasileira, devido a pontos críticos que possuem relação com consumo em desaceleração, concorrência com automóveis importados e juros maiores.

Já a Associação Nacional dos Fabricantes acredita que as medidas postas em prática pelo governo para aumentar o crédito estão apenas no início, fazendo com o que o segundo semestre de 2014 encerre melhor que o primeiro. 

Por Rafaela Fusieger


O Brasileiro é um dos maiores compradores de carros sendo seminovos ou usados. Os preços e a facilidade acabam conquistando muitos adeptos dessa prática. Afinal, a bem da verdade, todo mundo quer ter seu carrinho. Porém, para não ser enganado, aqui vai algumas dicas na hora de comprar automóveis usados.

1 – Verifique a documentação: muitos carros estão alienados, ou seja, com as documentações erradas e atrasadas. Antes de comprar o carro, portanto, veja os documentos do veículo com cautela e atenção.

2 – Faça um teste: dirija o carro, faça um teste completo; olhe o motor, a estrutura e tudo o mais que seja um diferencial no produto.

3 -Compre em locais certos: É importante, na hora de comprar carros seminovos, que o consumidor procure concessionárias ou lojas autorizadas, pois assim os riscos de cair numa enrascada diminuem consideravelmente.

4 – Esteja informado: pesquise preços, vá atrás de descontos e veja o que de melhor o mercado pode te oferecer. Faça buscas em sites especializados no assunto e que sejam de total confiança.

5- Tenha cuidado: o carro pode ser roubado. Muita gente já caiu nesse golpe e acabou se prejudicando. Tente conhecer o dono e fique atento em todos os detalhes.

Seguindo essas dicas, e tendo em mente que automóvel é melhor para suas necessidades, você certamente conseguirá um excelente carro seminovo.

Por Madson Lima de Oliveira


Você que está procurando o melhor carro usado para comprar para seu uso, planejando ficar alguns anos com o veículo, deve ficar atento a alguns detalhes para que o seu novo bólido não apresente problemas e acabe por esvaziar seu bolso.

Em geral, se você não entende de carros, leve sempre seu mecânico junto. Convém analisar o estado dos pneus e o desgaste de itens de acabamento, como bancos, pedais e volantes. Desconfie se a quilometragem do carro for baixa e esses itens estiverem muito desgastados.

Também tome cuidado especial com a documentação. Não confie naquilo que um vendedor te diz, pegue o Renavam do carro e leve a um despachante para uma checagem. Fique atento a alienações fiduciárias, pois isso indica que o carro foi dado como garantia de empréstimo (em geral, leasing e financiamento).

Sempre ligue o motor e saia com o carro. Veja se ele anda reto e não pende para um dos lados, se o engate de marchas é preciso e se o motor alcança giro alto sem perda de potência e sem maiores ruídos. A dica, caso você note qualquer problema em um desses itens, é não levar o carro. Apesar de o vendedor ser obrigado a te dar 90 dias de garantia pelo Código de Defesa do Consumidor, o melhor é evitar a dor de cabeça e partir para uma compra mais segura.





CONTINUE NAVEGANDO: