A CNH Digital já está disponível e sendo aceita em todo o território nacional.

Há pouco tempo foi divulgado o e-título (título de eleitor digital) para ser utilizado nas próximas eleições.

Agora é a vez da CNH Digital que desde meados de março já está disponível para os motoristas. O Contran (Conselho Nacional de Trânsito) estabeleceu um prazo para que todos os estados aderissem à nova carteira de habilitação até dia 1º de Julho.

No entanto, a CNH Digital já está disponível e sendo aceita em todo o território nacional. O estado do Rio de Janeiro era o único que faltava para aderir a esta nova fase de digitalização eletrônica de CNH.

Motoristas com CNH Digital

Os motoristas brasileiros, aos poucos, vão começando a se adaptar a essa nova tecnologia digital e a adesão segundo a Serpro está em uma crescente. Conforme foi anunciado, cerca de pouco mais de 110 mil motoristas já possuem esta nova versão digitalizada.

Os três estados que possuem o maior número de motoristas com a CNH Digital são Rio Grande do Sul, Goiás e São Paulo, respectivamente.

Como receber a Carteira Nacional de Habilitação Digital?

Se você é motorista habilitado com a CNH, independente da sua categoria e tem interesse em digitalizar seu documento e não ter mais preocupações com esquecimento ou perda, veja o que precisa fazer para aderir ao digital.

Primeiramente, verifique no verso de sua CNH se existe o código QR ou QR Code como é popularmente chamado. Este código já está sendo implantado desde maio de 2017, caso tenha renovado após este período é bem possível que sua habilitação já tenha este código.

Se possuir o código impresso, basta apenas cadastrar no site do Denatran do seu estado e confirmar o QR. Caso não tenha na sua CNH, você deverá verificar junto ao Detran e fazer a solicitação pessoalmente.

É obrigatório ou opcional?

Ainda não se tornou obrigatório o uso da CNH Digital, no entanto, é uma opção adicional para agilizar todo o processo. A vantagem em possuir a CNH digitalizada é que você pode consultar diretamente no celular, a economia de impressão para o estado e a agilidade para apresentar a documentação, além disso, será mais um passo para o uso da tecnologia e unificação dos documentos emitidos no Brasil em um só local.

O risco de perdas ou desgastes do material impresso é muito menor, além de não precisar mais emitir uma segunda via e ter que pagar taxas.

Não tenho a CNH Digital, vou ter que pagar alguma taxa?

Sim, porém esta taxa não é fixa, cada estado determina o valor a ser cobrado dos motoristas. Por este motivo, antes de solicitar a CNH, verifique junto ao Detran do seu estado os valores das taxas para a emissão do documento digital.

CNH digital será mais segura?

Sim, todos os documentos que são digitalizados possuem certificados de autenticidade e possuem todos os requisitos de segurança que seu documento impresso tem atualmente.

A CNH vai facilitar a vida dos motoristas?

Se não tomar mais multas por esquecimento, perda ou roubo do documento é uma vantagem?

Sim, vai facilitar a vida de muitos motoristas em todo o país. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em seu artigo 162 diz: que conduzir o veículo sem o documento da CNH é passível de multa, a infração é gravíssima, onde receberá 7 pontos em sua carteira e a multa a ser paga é de R$ 880,41.

A partir de agora com a CNH Digital estes riscos acabaram. Caso for surpreendido em uma blitz da polícia rodoviária basta apenas mostrar a CNH digital direto do seu aparelho celular.

A carteira é mais fácil de esquecer do que o celular, não é mesmo?

Achou interessante este artigo, conhece algum motorista esquecido? Compartilhe e mostre essa novidade para ele!

Por Marcio Ferraz

CNH Digital


No Capítulo III do CTB (Código de Trânsito Brasileiro) existem as normas de circulação e conduta que exigem respeito máximo por parte de condutores para não acontecerem problemas no trânsito.

Em termos práticos se pode dizer que as normas definem quais os comportamentos corretos exigidos aos usuários das vias terrestres. O conjunto de regras se direciona de forma principal aos motoristas de veículos motorizados. Nos dias de hoje, os erros de manobra são responsáveis por parte dos acidentes e o conhecimento de técnicas referentes às direções defensivas consiste em ponto indispensável à direção segura.

Qualquer tipo de infração que se comete no trânsito consiste em crime contra o sistema de trânsito passível de multas, medidas administrativas (como no caso da suspensão da CNH, por exemplo) ou outras penalidades, conforme indica o Artigo 161 do CTB.

A responsabilidade do condutor começa antes de conduzir o veículo na via, como no caso de ter CNH depois de aprovação em provas teóricas e práticas. Motoristas precisam evitar atos individuais que representam obstáculo ou perigo aos elementos que usufruem do trânsito, assim indica o Artigo 26 no CTB.

Portar documentos consiste em elemento básico para quem deseja dirigir na legalidade. Artigo 129 indica sobre a obrigatoriedade de portar CNH original compatível com o veículo dirigido. Tal documento precisa estar dentro da validade. O licenciamento também deve estar presente no veículo.

Quem tem CNH sem foto precisa portar cédula de identidade ou qualquer documentação válida que tenha fotografia, como no caso da Carteira de Trabalho, por exemplo. O Artigo 27 indica que veículos precisam estar em condições boas ao uso, seja na parte externa (estrutura da lataria) ou interna (dentro da estrutura do motor).

Trafegar com combustível em quantidade suficiente também consiste em obrigação aos condutores, assim como trafegar com itens obrigatórios em boas condições para trafegar na pista.

Por Renato Duarte Plantier


Graças à lataria do carro ou à falta de abrangência dos espelhos, os pontos cegos são uma realidade para todos os motoristas.

O ponto cego pode ser definido como uma área ao redor do veículo que não pode ser observada pelo motorista através dos espelhos retrovisores (tanto os laterais quanto o traseiro). Por não possibilitar que o motorista possua uma visão total do que acontece a sua volta, inúmeros acidentes são registrados diariamente em decorrência dessa "falta de visibilidade".

Entretanto, Andrew Hicks, pesquisador norte-americano da Drexel University, na Filadélfia, conseguiu patentear um espelho retrovisor que promete acabar com esse problema.

Garantindo uma visão de até 45°, o espelho curvo desenvolvido pelo pesquisador irá possibilitar um aumento de até três vezes no campo de visão dos motoristas. Atualmente, os espelhos retrovisores laterais possuem campos de visão que variam entre 15 e 17 graus.

A novidade consiste em um espelho composto por pequenos outros espelhos, que possuem angulações distintas. Desta forma, cada raio de luz incidirá com uma angulação diferente, permitindo, ao motorista, uma visão mais ampla (embora ligeiramente distorcida) sobre seu redor. Para ter uma ideia da inovação, basta pensar em uma daquelas bolas de discotecas.

De acordo com o inventor, algumas empresas especializadas na produção de espelhos retrovisores já demonstraram interesse no produto, entretanto, a novidade ainda irá demorar alguns anos para ser disponibilizada em automóveis comerciais.

Por Rodrigo Alves de Oliveira


A Volkswagen colocou seu espírito empreendedor para funcionar em prol da segurança dos motoristas. Além de conforto e praticidade, cada dia mais a fabricante mais famosa de carros da atualidade procura dar também modernidade para quem dirige seus automóveis.

Entre os itens de conveniência inventados pela montadora, o novo dispositivo que inclui sensores de chuva e crepuscular, dotado de sistemas ópticos modernos, destaca-se. Ele está disponível para os seguintes modelos: Polo, Golf e família Fox com sistema coming / leaving home, além da linha Jetta e todos os carros do segmento Premium (Passat, Passat Variant, Passat CC, Tiguan e Touareg).

Sua localização é bastante precisa, ficando na parte superior do para-brisa dianteiro, bem na base de fixação do retrovisor interno no vidro. Esse é o lugar ideal para os sensores já que eles catalisam a existência de muita ou pouca luz capaz de acionar o dispositivo crepuscular. No caso de chuvas, ele é o primeiro a ativar o sensor do limpador de para-brisa.

Todo esse mecanismo tem um só foco. Aumentar a visibilidade do usuário ao máximo, a fim de protegê-lo nas estradas escuras e chuvosas.

Por Jéssica Monteiro

Fonte: Brasil 247


Cada vez mais a segurança do motorista é priorizada quando se faz um projeto para um novo automóvel. Foi o caso do crossover compacto CX-5. A montadora Mazda resolveu apelar para a proteção de motoristas distraídos que acabam por colidir com o carro até mesmo em baixa velocidade.

O novo sistema foi batizado de “Smart City Brake Support” (SCBS) e promete focar em colisões frontais. Ele consiste em um dispositivo implantado no exterior do próprio veículo que opera a uma velocidade de 4 a 30 km/h, com um sensor a laser no para-brisa para detectar obstáculos na frente do modelo seja ele qual for. Seu funcionamento é automático e a tecnologia ainda ajuda na frenagem, mesmo se a pessoa que estiver dirigindo deixar os pés no freio, calculando a distância para o que vier a frente.

Mesmo tirando o pé do freio, o SCBS ativa o sistema de travamento do CX-5, reduzindo a rotação do motor. O mais importante ainda é que o dispositivo não permite a aceleração não intencional mesmo se o motorista pressionar o acelerador ao invés do pedal do freio. Esse mecanismo ficou conhecido por “controle de aceleração de transmissão automática”.

Por Jéssica Monteiro

Fonte: G1





CONTINUE NAVEGANDO: