Foram fabricados 184 mil veículos em junho, registrando uma queda de 14,8% se comparado a junho de 2014.

A crise financeira vem afetando as mais diversas áreas da produção econômica brasileira e a área automobilística não iria ficar de fora. No dia 6 de julho a  Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) divulgou os dados de  toda a produção automobilística nacional do mês de junho. Os números divulgados pela entidade revelam que foram fabricados 184 mil veículos no mês, o que revela uma queda de 14,8% se o número for comparado com o mês de junho do ano de 2014 e uma queda de 12,5% se o número for comparado com maio do ano atual.

Se for levado em consideração o percentual acumulado do ano de 2015, a diminuição na produção chega a 18,5%.

Até o momento foram fabricados cerca de 1,277 milhão de veículos no país.  Se forem comparados setores isolados do mercado, a produção de automóveis e veículos leves caiu cerca de 18%, a de caminhões caiu  45,2% e a de máquinas agrícolas e rodoviárias 24,4%. As maiores quedas foram registradas nos veículos de serviços. O que nos faz perceber que o brasileiro mesmo em crise ainda continua comprando os veículos de passeio, mesmo com a economia em uma fase não tão satisfatória. Segundo o presidente da Anfavea, Luiz Moan esse panorama de queda na produção foi determinante para a diminuição da quantidade de funcionários da indústria automobilística.

Durante o primeiro semestre deste ano, foram perdidos cerca de 9,6% dos postos de trabalho, quando comparado com os números registrados no mesmo mês do ano passado.  

Só no mês de junho, a empresa automobilística do país cortou cerca de 1.271 postos de trabalho, como consequência dos ajustes na produção e pela baixa demanda de mercado, o que fez  com que o setor fechasse o sexto mês do ano com cerca de 136.929 empregados, número 0,9% menor do que o mês de maio.

Por Patrícia Generoso

Produção de veículos

Foto: Divulgação


Novo padrão das placas passará a ser exigido a partir de 1º de janeiro de 2017.

A obrigatoriedade das novas placas veiculares do Mercosul foi adiada pelo Contran e, agora, este novo padrão das placas só passará a valer a partir do dia 1º de janeiro de 2017. Anteriormente, a decisão é para que a validade fosse a partir de próximo ano, para que assim fosse possível criar um maior número de combinações, mas a obrigatoriedade foi prorrogada em 1 ano.

Os brasileiros terão o prazo prolongado por mais 1 ano para que comece a valer de fato as novas placas veiculares, que serão um padrão único para todos os países do Mercosul.

O CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito – tomou a decisão por achar que é preciso ter este prazo prolongado para uma melhor adaptação e a prorrogação foi publicada no Diário Oficial da União no último dia 30 de abril, quinta-feira.

Com a nova decisão, a obrigatoriedade das novas placas veiculares do Mercosul começa a partir do dia 1º de janeiro de 2017, começando a princípio para os veículos novos e também aqueles que forem transferidos de municípios ou que precisarem passar por uma troca de categoria.

Um dos motivos que levou ao adiamento foi para que as empresas pudessem ter um espaço maior de tempo para se adequar, e também para que seja feita uma reavaliação de todos os requisitos que são necessários e que foram estabelecidos para os países do Mercosul.

As novas placas veiculares para os países do Mercosul trazem um visual padronizado e permite que seja feito um número muito maior de combinações. Entre os países pertencentes ao bloco, o Uruguai foi o primeiro a adotar as novas placas que agora trazem um número maior de letras, sendo 4 no total e apenas 3 números e não mais 4 como era anteriormente. As letras e números aparecerão embaralhados, da mesma forma que já é feito na Europa.

As placas também trazem novas cores, sendo que o fundo será sempre branco e a cor da fonte é que vai mudar, respeitando a seguinte ordem:

– Cor preta para veículos passeio;

– Cor vermelha para carros comerciais;

– Cor azul para carros oficiais;

– Cor verde para carros em teste;

– Cor dourada para carros diplomáticos;

– Cor prateada para carros de colecionadores.

Por Russel

Novas placas do Mercosul

Foto: Divulgação


A montadora de veículos automotores Kia divulgou que irá apresentar oficialmente no Salão de Genebra uma de suas mais novas apostas que será o Sportspace Concept, esse veículo será lançado como uma espécie de prévia do que será o novo Kia Optima ou até mesmo do lançamento de uma possível perua do Optima.

Esse veículo foi desenvolvido com uma postura muito mais esportiva do que o atual Optima, o que, certamente, irá agradar muito os consumidores. Algumas fotografias desse veículo já foram reveladas e alguns detalhes já foram observados pelos críticos e amantes do automobilismo.

Na lateral do Sportspace a aposta foi na manutenção do atual estilo utilizado pela Kia, que é o estilo de que as laterais dos veículos tenham uma linha de cintura bem demarcada e alta, sendo que o destaque principal ficou a cargo da inserção de frisos cromados logo acima das janelas que acompanham o vidro traseiro desse veículo.

Como não poderia ser diferente no para-choque tem um estilo bem esportivo com a presença das famosas entradas de ar que mais parecem rasgos ao longo da carroceria, itens que segundo os críticos não agradaram muito e que possivelmente podem ser revistos ou até mesmo suavizados pela montadora.

Mas o grande atrativo do veículo e a parte que mais chama a atenção no veículo, sem sombra de dúvida, a sua traseira a qual foi desenvolvida através de linhas harmoniosas ao extremo, fator este que faz com que o veículo exale elegância e esportividade. O toque final da traseira é a presença do aerofólio traseiro que foi colocado junto às fendas o que dá a impressão de que o veículo possui entradas de ar em seu para-choque.

As lanternas traseiras também são um show a parte, pois com o seu estilo bastante agressor que já chama a atenção e como se isso já não bastasse a montadora ainda teve a brilhante ideia de colocar um falso extrator de ar, o qual possui duas saídas de escamento, o que fechou todo o conjunto com maestria inigualável.

Por Adriano Oliveira

Kia Sportspace Concept

Kia Sportspace Concept

Kia Sportspace Concept

Fotos: Divulgação


A Volkswagen divulgou recentemente que o compacto aventureiro Cross Up! teve a melhor nota de reparabilidade do Cesvi (Centro de Experimentação e Segurança Viária) entre todos os modelos já avaliados. É importante recordar que este índice, que verifica o tempo e o preço de reparo dos veículos, é utilizado por seguradoras e influencia no valor do seguro e no custo de revenda dos veículos.

O Cross Up! conseguiu nota 10, classificação única na escala de 10 a 60, onde 10 é a classificação mais qualificada possível. Este resultado é o melhor nas categorias completas no ranking geral deste ano. Ele ultrapassou o Up! convencional, que liderava até então como o modelo com custo inferior de reparabilidade com a nota 11.

Além do Up! alcançar a melhor nota comparando os hatches compactos e hatches compactos off-road, a Volkswagen afirmou também que a Saveiro foi a mais qualificada entre as picapes e o SpaceFox, o mais qualificado no ramo de station wagon compacta. A lista total do ranking deste ano ainda não foi disponibilizada pelo Cesvi.

Mostrado para a imprensa há pouco mais de um ano, o Up! está presente no mercado do Brasil em carroceria de duas ou quatro portas. É o automóvel pioneiro de entrada produzido no Brasil a conseguir cinco estrelas no Latin NCAP, organização que avalia a segurança dos veículos. O modelo conseguir a classificação de cinco estrelas na proteção para adultos e quatro estrelas na proteção para crianças, sendo o resultado mais qualificado da categoria.

A estrutura completa da carroceria foi produzida para absorver a energia do impacto, onde cada parte da carroceria precisa possuir determinado valor de resistência e rigidez. O Up! possui 75% de seu peso composto por aços especiais, que possuem distintos graus de resistência, de acordo com a necessidade. O modelo possui o motor 1.0 três cilindros de 75 cv com gasolina a 82 cv com etanol.

Por Felipe Couto de Oliveira

Volks Cross Up!

Volks Cross Up!

Fotos: Divulgação


A marca BMW está se expandindo a cada dia mais no mercado de automóveis. No dia 4 de fevereiro ela divulgou o seu novo modelo da Série 2 Active Tourer que foi apresentado no Salão do Automóvel e será comercializado no Brasil. O preço sugerido na venda do modelo é de R$ 178.950. Este lançamento tem como diferencial o fato de ser o primeiro carro da marca que oferecerá tração na parte dianteira. No momento ainda são poucos utilitários que estão disponíveis nas concessionárias.

O modelo apresenta um motor 2.0 turbo capaz de gerar 234 cavalos de potência e 35 kgfm de torque. A transmissão é automática de oito velocidades. A BMW informou que o carro é capaz de atingir 100 km/h em um curto espaço de tempo de 6,6 segundos. O limite máximo de velocidade que o veículo consegue alcançar é de 240 km/h. Com o intuito de agradar ainda mais os seus clientes, a BMW incluiu no modelo um dispositivo que tem a função de desligar o motor em breves paradas, sendo uma maneira de direção ecológica e de regeneração de energia nas circunstâncias em que o freio é acionado.

O veículo também oferece uma diversidade de equipamentos como ar condicionado digital, freio de estacionamento elétrico, opção de ajuste elétrico nos bancos da frente, teto panorâmico e porta-malas com fechamento automático e abertura elétrica. O carro também está voltado para o requisito de segurança e neste sentido oferece seis airbags que estão localizados na parte frontal, na lateral e na traseira, além de ter o controle de tração e estabilidade integrado no veículo.

Outro aspecto que se destaca no BMW 225i Active Tourer é o seu espaço interno que é grande e confortável para os passageiros e o amplo porta-malas de 468 litros. Existe também a opção de expandir ainda mais este espaço com os bancos rebatidos, proporcionado uma capacidade de 1.510 litros.

Por Felipe Couto de Oliveira

BMW 225i Active Tourer

BMW 225i Active Tourer

BMW 225i Active Tourer

Fotos: Divulgação


Restando pouco menos de um mês para o fechamento do ano de 2014, o Palio está conseguindo um marco histórico e está se tornando o carro com mais vendas, vencendo o Gol, que, liderava o mercado há 27 anos no nosso mercado. É preciso considerar que há o detalhe importante para ressaltar, que se trata do número de vendas no varejo, onde faz parte o consumidor final, e a pessoa que escolhe o carro desejado na concessionária.

A linha da Fiat atingiu o recorde de vendas no mês de novembro, como também na somatória do ano. Entretanto, tem grande importância ao fato do Palio Fire e o Novo Palio possuírem duas opções de carroceria, somado a distribuição entre as vendas direcionadas para empresas, como também as vendas para o consumidor final.

Os carros com mais preferência para o consumidor final são os modelos Onix, que teve 86% das vendas realizadas para pessoas físicas em relação ao número de vendas para pessoas jurídicas, e o HB20, que teve 94% das vendas para pessoas físicas sobre as vendas para pessoas jurídicas.

Pode-se também analisar que o Gol, que ocupa a vice-liderança nas vendas totais em décadas, realizou vendas somente de 51% para o consumidor final. Próximo dele está o Uno, que teve 52% das vendas efetuadas para pessoas físicas, e também o Sandero, com 67% das vendas para o consumidor final.

As linhas Palio, Fox e Up! aparecem entre 70% e 80% das vendas feitas para o consumidor final. O recente modelo Ka também ocupa a posição entre estes percentuais, mas como ele está apenas no segundo mês de vendas, ainda é um prazo pequeno para realizar considerações.

Ao considerar os dados absolutos, verifica-se que o Palio, Onix e HB20 são os carros mais vendidos para o consumidor final, onde estas linhas tiveram mais de 100 mil unidades vendidas ao longo de 2014, considerando-se até o mês de novembro.

Por Felipe Couto de Oliveira

Fiat Palio

Foto: Divulgação


Representantes dos países do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) anunciaram em setembro deste ano a unificação do sistema de placas para automóveis que circulam no território do bloco econômico. Na época em que a alteração foi anunciada não se sabia ao certo qual o modelo de emplacamento a ser adotado pelos países, porém seria adotado um design semelhante ao utilizado nas placas de veículos que circulam pela União Europeia.

Antes de qualquer coisa é necessário saber que não será necessário trocar as placas dos veículos já em trânsito, não importando a qual classe o veículo pertença (carros, motocicletas, caminhões, etc). Em território nacional, todos os caminhões e ônibus que forem registrados a partir do dia 1º de janeiro de 2016 já receberão a nova placa.  A lei será aplicada para carros e motos apenas a partir do ano de 2018. Ou seja: a regra só se aplicará para carros recém-saídos das concessionárias. Outra informação importante é que o valor do emplacamento será mantido, independente do modelo de placa a ser utilizado.

A proposta nasceu em 2010, impulsionada pelo Brasil, a fim de facilitar a identificação e fiscalização de veículos nos Estados Partes (do Mercosul) e contribuir para a circulação e a segurança no trânsito entre os países do bloco. A mudança ocorre primeiro em ônibus e caminhões pelo fato de estes já circularem com grande frequência, cruzando fronteiras dos países, em todo o território do Mercosul e por já terem que apresentar o Certificado de Inspeção Técnica Veicular (CITV) em toda a região.

O Denatran explicou que a placa terá fundo branco e sete caracteres alfanuméricos além de uma tarja azul que contará com o emblema do Mercosul, nome do país de origem e a bandeira. O tamanho será o mesmo das placas já utilizadas no Brasil. Os caracteres serão duas letras seguidos de três números, acompanhados novamente de mais duas letras.

Por Nosf

Nova placa para ve?culos do Mercosul

Foto: Divulgação


Seja a trabalho ou de férias sempre que for pegar estrada o carro tem que estar com a revisão em dia. A revisão do veículo estando em dia garante que todos os itens estarão em perfeito funcionamento, dessa forma quando, e se, precisarmos dos itens de segurança eles estarão aptos a nos servirem conforme o uso correto de cada peça.

Bom, com a revisão em dia não precisamos fazer mais e só pegar estrada. Errado.

Sempre que pegar a estrada, mesmo com a revisão na oficina mecânica em dia alguns itens nós mesmos podemos, e devemos, dar uma olhada antes.

Verifique sempre o nível de água, abra o capô e apenas observe o reservatório de água. O nível deve estar entre as linhas de marcação, entre a linha mínima e a máxima.

O óleo também é de fácil verificação, é preciso garantir que o nível não esteja muito baixo. Para analisar, basta limpar a vareta para tirar os resíduos, e inseri-la novamente no compartimento do óleo, após isso observamos a mesma medida entre o mínimo e o máximo. Não se esqueça que o motor deve estar frio para uma medição correta.

Calibre os quatro pneus, e não esqueça do estepe. Ele deve estar sempre em boas condições, inclusive calibrado. Lembre se que se precisar dele será em uma situação adversa, por isso é muito importante estar com ele em dia.

O Extintor, nem sempre lembrado, deve estar dentro do prazo de validade e sempre no seu devido lugar.

As luzes do veículo devem ser conferidas. Os faróis alto e baixo, a luz de freio, a ré, o alerta, a iluminação traseira, todas as luzes devem estar funcionando para sua segurança, para você poder enxergar bem na estrada e também ser visto.

O freio de mão também pode ser conferido pelo próprio motorista, puxe-o, ele precisa estalar duas ou três vezes e isso já deve ser o suficiente para deixar o carro imóvel.

Por Vivian Schetini

Verificando o n?vel do ?leo

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: