O ranking foi feito pela Focus2move, sendo verificados 28 países da América Latina, onde o Chevrolet Onix ficou em 1º lugar, com 186.902 unidades vendidas.

Recentemente, o noticiário nos envolveu com boas notícias do setor automobilístico, não é para menos, após anos sofríveis em 2015 e 2016, o ano de 2017 se mostra em franca recuperação com uma indústria mais produtiva e principalmente mais exportadora.

Um recente relatório de consultoria internacional Focus2move (http://focus2move.com/) vem comprovar isto, sua lista enumera os 10 carros mais vendidos na América Latina, foram verificados 28 países, do México a gelada Terra do Fogo, apesar do mercado consumidor brasileiro ser líder e um ótimo termômetro de região, os méritos são visíveis para nossa recuperação, com exceção do último colocado na lista, a maioria dos veículos são produzidos ou importados para o solo brasileiro.

O relatório é com base nas vendas de Janeiro a Outubro deste ano e tem algumas peculiaridades bem interessantes, uma delas é o Chevrolet Onix, produzido na planta gaúcha da cidade de Gravataí, no estado do Rio Grande do Sul, o sucessor do Chevrolet Corsa e Celta soma mais unidades vendidas por aqui que no resto dos outros países, foram precisamente 152.538 veículos comercializados em território brasileiro, contra 186.902 em todo continente latino-americano, uma diferença expressiva de 35 mil unidades. Não é a toa que se firmou líder isolado no mercado nacional nos últimos meses, aliás, a Chevrolet não fez feio na lista, emplacando três carros, o hatch Onix, o sedan Prisma e o subcompacto Spark.

Outro dado interessante é o do Volkswagen Gol, com 61.575 de unidades comercializadas em território nacional, ele não passa da quarta colocação no volume total de vendas no mesmo período no mercado brasileiro, porém na lista da Focus2move, ele assume a segunda posição com expressivos 133.431 unidades, provando mais uma vez que o Volkswagen Gol foi e sempre será um dos carros mais exportados do Brasil, muito mais do que já foi vendido em nosso mercado. Mais um veículo com posição de destaque no ranking é o Nissan Versa, assumindo o quinto lugar com 102.691 unidades comercializadas, um número alto em comparação ao ranking nacional, aonde se coloca no 35º lugar apenas, a provável justificativa é sua produção combinada entre Brasil, na planta da Nissan na cidade de Resende, no estado do Rio de Janeiro, e no México, aonde as quantidades devem estar divididas. A Nissan ainda emplacou o Nissan March em penúltimo com 69.783 unidades.

A lista ainda tem velhos conhecidos nossos, como o Ford Ka, já em sua terceira geração, aonde são somadas as versões sedan e hatch nos números apresentados, o Hyundai HB20, vice líder do mercado de vendas, fabricado na planta da Hyundai no interior do estado de São Paulo e o Toyota Corolla como um sedan médio com mais que 88 mil unidades. Os franceses também não fizeram feio com o Renault Sandero na quarta posição geral e bons números de venda no mercado nacional também.

Por último vale ressaltar um ‘’intruso’’, o subcompacto Chevrolet Spark na décima colocação, seu porte é menor do que seus irmãos maiores (Onix e Prisma, porém suas unidades comercializadas não passam das 65 mil unidades, com 66.830 produtos).

Ranking Geral

O ranking geral divulgado segue abaixo:

1º posição para o Chevrolet Onix, com 186.902 unidades vendidas

2º posição para o Volkswagen Gol, com 133.431 unidades

3º posição para o Ford Ka, com 123.720 unidades

4º posição para o Renault Sandero, com 108.939 unidades

5º posição para o Nissan Versa, com 102.691 unidades

6º posição para o Hyundai HB20, com 88.945 unidades

7º posição para o Toyota Corolla, com 88.403 unidades

8º posição para o Chevrolet Prisma, com 82.128 unidades

9º posição para o Nissan March, com 69.783 unidades

10º posição para o Chevrolet Spark, com 66.830 unidades

Por C. B.

Onix 2018


Toyota Prius é o principal responsável pela marca obtida pela montadora.

A grande e renomada fabricante de veículos automotores Toyota continua fazendo bastante sucesso e a prova desse sucesso são marcas históricas que vem sendo atingidas pela empresa, sendo que a última delas foi atingida no último dia 30 de abril deste ano, ocasião em que a empresa conseguiu superar a marca de 9 milhões de veículos híbridos comercializados em todo o mundo. Um fator interessante é que a empresa atingiu essa surpreendente marca apenas nove meses depois de ela ter comemorado o registro de 8 milhões de veículos movidos por esta tecnologia. O grande destaque da marca nesse setor é o Toyota Prius, modelo este que, atualmente, já ultrapassou a incrível marca de 5,7 milhões de unidades comercializadas em todo o mundo. Para termos uma noção, esse quantitativo representa nada mais nada menos que 63% do total mencionado acima.

Além de serem uma nova tendência para o mercado automotivo mundial, os veículos híbridos vêm ganhado cada vez mais espaço nos mercados. Com essa marca de mais de 9 milhões de veículos híbridos comercializados, a Toyota estima que nada mais nada menos que 67 milhões de toneladas de dióxido de carbono deixaram de ser emitidas na atmosfera. Outra estimativa positiva da empresa é de que estes veículos economizaram aproximadamente 25 bilhões de litros de gasolina, quantitativo este feito por meio da mensuração da quantidade de gasolina consumida nos veículos convencionais.

Todo esse resultado que a Toyota vem obtendo em relação ao comércio de veículos híbridos no mundo é oriundo do programa de Desafio Ambiental da empresa, que foi anunciado oficialmente no mês de outubro do ano de 2014, o qual tem como objetivo primordial definir os desafios a serem desenvolvidos para minimizar os impactos causados pela utilização de automóveis na saúde do meio ambiente no mundo inteiro. Esse é um dos passos que a Toyota está utilizando para contribuir com o surgimento de uma sociedade cada vez mais sustentável.

O primeiro veículo híbrido a ser comercializado pela marca foi o Coaster Hybrid EV, o qual foi apresentado no mês de agosto de 1997, sendo que em dezembro deste mesmo ano o Prius foi lançado aqui no mercado nacional. Aqui no Brasil, a Toyota passou a vender o Prius no mês de janeiro de 2013, sendo que do lançamento até o presente momento 783 unidades foram vendidas no mercado nacional.

Por Adriano Oliveira


Restando pouco menos de um mês para o fechamento do ano de 2014, o Palio está conseguindo um marco histórico e está se tornando o carro com mais vendas, vencendo o Gol, que, liderava o mercado há 27 anos no nosso mercado. É preciso considerar que há o detalhe importante para ressaltar, que se trata do número de vendas no varejo, onde faz parte o consumidor final, e a pessoa que escolhe o carro desejado na concessionária.

A linha da Fiat atingiu o recorde de vendas no mês de novembro, como também na somatória do ano. Entretanto, tem grande importância ao fato do Palio Fire e o Novo Palio possuírem duas opções de carroceria, somado a distribuição entre as vendas direcionadas para empresas, como também as vendas para o consumidor final.

Os carros com mais preferência para o consumidor final são os modelos Onix, que teve 86% das vendas realizadas para pessoas físicas em relação ao número de vendas para pessoas jurídicas, e o HB20, que teve 94% das vendas para pessoas físicas sobre as vendas para pessoas jurídicas.

Pode-se também analisar que o Gol, que ocupa a vice-liderança nas vendas totais em décadas, realizou vendas somente de 51% para o consumidor final. Próximo dele está o Uno, que teve 52% das vendas efetuadas para pessoas físicas, e também o Sandero, com 67% das vendas para o consumidor final.

As linhas Palio, Fox e Up! aparecem entre 70% e 80% das vendas feitas para o consumidor final. O recente modelo Ka também ocupa a posição entre estes percentuais, mas como ele está apenas no segundo mês de vendas, ainda é um prazo pequeno para realizar considerações.

Ao considerar os dados absolutos, verifica-se que o Palio, Onix e HB20 são os carros mais vendidos para o consumidor final, onde estas linhas tiveram mais de 100 mil unidades vendidas ao longo de 2014, considerando-se até o mês de novembro.

Por Felipe Couto de Oliveira

Fiat Palio

Foto: Divulgação


No início desse ano, o emplacamento de novos veículos caiu cerca de 7,2% comparando dados de janeiro a maio de 2014, com os dados do mesmo período de 2013. Para não ocasionar numa grande quantidade de desemprego, o ministro da Fazenda anunciou a prorrogação do IPI reduzido, que também motiva o mercado, e a previsão é que permaneça até o fim do ano.

De fato, o ano de 2014 tornou-se pouco favorável para a compra de bens duráveis. Tivemos a Copa do Mundo, com gastos elevados e que não rentaram tanto quanto o esperado, eleições, problemas com racionamento de água, que obrigou medidas administrativas imediatas para “contornar” a situação, além da crise na Argentina. Os produtores de móveis também foram inclusos neste benefício.

Esta estratégia já é utilizada há algum tempo e as montadoras anseiam para que se estenda também no decorrer do próximo ano com taxas ainda menores. A prova de que essa alternativa é eficaz foi observada no decorrer do ano, em especial de julho a setembro, onde as vendas cresceram em torno de 3,7%, mantendo, assim, os empregos com um aumento de produção de 4,7%.

Na última reunião com o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda e representantes do Governo Federal, ocorrido em Brasília, foi relatado de que esse assunto não entrou em debate, porém, as indústrias não desanimam.

Enquanto o governo abre mão de aproximadamente 800 milhões com a redução destes impostos arrecadados, as indústrias fazem sua parte mantendo o mercado aquecido com preços atraentes e em busca de novas oportunidades.

Luiz Moan, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), tenta firmar contrato com a Colômbia enquanto já planeja uma renovação contratual com o México.

Estes fatos impulsionam, como consequência, um aumento no nosso PIB, uma vez que a produção de peças realizadas aqui, além de gerar emprego, arrecada impostos dentro do Pais.

Por Ricardo Laurentino da Silva

Foto: divulgação


As quedas nas vendas de veículos estão fazendo as concessionárias tentarem as mais variadas estratégias, com ênfase nas facilidades de crédito – entrada parcelada em até 10 vezes, taxa zero para financiamentos que não ultrapassem 24 parcelas, parcelas sem juros no cartão de crédito, emplacamento e IPVA gratuitos.

No estado de Minas Gerais essas ações alavancaram as vendas de carros novos em 20% em agosto. Cenário diferente do que aponta o balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a qual mostra queda nacional de 7,38% em agosto na comparação com julho. Em comparação com 2013, o desempenho é ainda pior, a queda nas vendas é de 17,12%.

Os revendedores estão mais otimistas devido à concessão de crédito mais barato, fruto das recentes modificações nas regras do Banco Central, as quais possuem o intuito de proporcionar acesso facilitado ao financiamento de automóveis.

A partir do último final de semana, os bancos anunciaram taxas de juros abaixo de 1% ao mês. Porém, as taxas mais em conta correspondem a financiamentos de curto prazo, com no máximo dois anos.

O Banco do Brasil é o que possui taxas mais baixas, de 0,97% ao mês, destinadas a veículos novos com quitação em até 60 vezes.

A indústria automobilística permanece em situação crítica. Em agosto, a produção caiu novamente quando comparada ao mesmo período do ano passado. A queda foi de 22,4%, correspondendo a produção de 80 mil unidades a menos.

Alguns especialistas acreditam que a indústria se manterá em ritmo lento de atividade até o fim de 2014, pois não há previsão de mudança do atual cenário da economia brasileira, devido a pontos críticos que possuem relação com consumo em desaceleração, concorrência com automóveis importados e juros maiores.

Já a Associação Nacional dos Fabricantes acredita que as medidas postas em prática pelo governo para aumentar o crédito estão apenas no início, fazendo com o que o segundo semestre de 2014 encerre melhor que o primeiro. 

Por Rafaela Fusieger


Comercializado no Brasil desde setembro de 2000, o novo Chevrolet Celta 2015 já consta no site oficial da montadora. Apesar de não ter sido apresentado oficialmente, o veterano hatchback da marca da "gravata" em sua linha 2015 é oferecido apenas na versão LT com carroceria quatro portas, com pouquíssimas novidades estéticas, com preço a partir dos R$ 32.490

Sem trazer nenhuma novidade no visual, a linha 2015 do Celta teve apenas alguns equipamentos adicionados em sua lista de itens de série, além da nova cor Cinza Mond. Entre os equipamentos que o hatchback conta estão os freios ABS e o airbag duplo, que atende a legislação vigente no Brasil, direção hidráulica, sistema de ar condicionado, vidros com acionamento elétrico com comando "One Touch", antiesmagamento e fechamento/abertura automático pela chave, alerta sonoro de faróis ligados, desembaçador, limpador e lavador elétrico do vidro traseiro, cintos de segurança dianteiro com pré-tensionadores e ajuste de altura, cinto de segurança dos bancos traseiros laterais de três pontos, barras de proteção nas portas, sistema de imobilização do motor, sistema central de travas elétricas, travamento automático das portas ao alcançar 15 km/h, "Keyless Entry System" (sistema de trava central das portas via rádiofrequência), alarme antifurto relógio digital, brake light, entre outros itens.

Mecanicamente não houve alterações, portanto, a linha 2015 do Celta mantém o já conhecido motor 1.0 8V VHC-E Flex, capaz de entregar 77 cv e torque de 9,5 kgfm com gasolina ou 78 cv e torque de 9,6 kgfm, quando abastecido com etanol. Trabalhando em conjunto com o bloco 1.0 está o mesmo câmbio manual de cinco marchas. 

A Chevrolet oferece o Celta 2015 em seis opções de cores, já contando a nova opção de cor Cinza Mond, podendo ser adquirido com a carroceria pintada nas cores Preto, Prata Switchblade, Azul Sky, Vermelho Pepper e Branco Summit. A marca norte-americana ainda comercializa no Brasil a série especial Advantage, mas apenas como linha 2014, com preço sugerido a partir de R$ 33.390. 

Por Caio Polo

Celta 2015

Foto: Divulgação


A Honda Motor sofreu nos últimos três meses uma queda na venda de carros na Tailândia, entretanto, para a felicidade da empresa, o fato não apenas foi ofuscado como também foi superado. De acordo com a montadora, os responsáveis pela mudança no cenário foram os Estados Unidos e o Japão, países onde a empresa obteve uma forte venda de seus carros.

O Fit remodelado, por exemplo, trouxe para a Honda uma demanda bem maior do que a esperada para o modelo, que teve suas vendas iniciadas na terra dos samurais no mês de setembro. Vele lembrar que esse carro é tratado pela empresa com uma certa dose de carinho, já que é fundamental nos planos da marca para aumentar as vendas em escala global em cerca de 1,5 para 6 milhões de veículos até o final de março de 2017.

Com a sorte nas vendas obtidas nos mercados do Japão e dos Estados Unidos, a Honda Motor teve de quebra um lucro líquido na cifra de 120,4 bilhões de ienes, o que em dólares seria algo em torno 1,2 bilhão. Mesmo com esse lucro, o valor não atingiu a estimativa levantada pela Thomson Reuters, ficando até mesmo abaixo da média prevista pelos analistas, que era de 134,9 bilhões de ienes.

No período situado entre os meses de julho e setembro deste ano, as vendas em terras japonesas obtiveram um aumento de 2,6% em relação à comparação anual, esse aumento foi de certa maneira impulsionado pelo início das vendas do novo Fit, em setembro. Já nos Estados Unidos o crescimento das vendas foi de 13,1 % também na comparação anual. Na América do Norte as vendas foram ajudadas pelos modelos Accord e Civic.

Por fim, a queda nas vendas (de julho a setembro) na Tailândia foi de 21,8%, tendo inclusive situações de consumidores cancelando suas encomendas.

Por Denisson Soares


A BMW voltou a ficar na primeira posição no que se refere às comercializações de veículos do segmento de luxo no mercado automotor em escala global. No mês de fevereiro, com a queda da Audi para o 2º lugar e a marca Mercedes-Benz assumindo a terceira posição, a BMW retomou sua soberania.

A marca alemã passou para a 1ª posição no setor de luxo por causa de uma demanda forte nas vendas de veículos como o X1 e o Série 3, que ajudaram a alavancar as comercializações da BMW, que cresceram 7% no mês de fevereiro, índice maior do que o aumento da Audi (3,2%). Nos 2 primeiros meses de 2013, a BMW emplacou 407 unidades a mais do que a Audi.

As comercializações da Mercedes-Benz tiveram queda de 5,8% no mês de fevereiro, o que fez a marca entregar 37.229 unidades a menos do que a BMW até o fim de fevereiro. A marca informou que irá apresentar novos veículos como o novo Classe S, o CLA e o Classe E (facelift) para retomar a primeira posição.

Por Marcelo Araújo


Mais um lançamento interessante chegou ao mundo dos automóveis e desta vez a novidade vem da Troller com o jipe T4 Praia.

Este novo modelo consiste em uma personalização do veículo original equipado com um motor 3.2 litros movido a diesel com capacidade de chegar a 165 cavalos de potência.

Fonte: Autossegredos.com

 

Além disso, este carro tem como principais características os bancos em neoprene, snorkel, ar-condicionado, direção hidráulica, suporte para prancha de surfe, sistema de GPS, proteção na parte inferior do automóvel e acionamento elétrico de vidros e travas.

O jipe T4 Praia já está à disposição para vendas em todas as concessionárias Troller por valores a partir de R$92.490,00.

Por Ana Camila Neves Morais


As alterações climáticas geram diversos problemas para o uso de veículos e nos países nórdicos – como Rússia e Suécia – o inverno rigoroso dificulta a mobilidade da população em carros normais.

Fonte: Autonet

Pensando nisso, a Volkswagen Sueca criou o modelo Snowareg. Este veículo teve como base para sua fabricação o SUV Touareg acrescentando uma suspensão diferente que suporta esteiras no lugar das rodas para andar em territórios cobertos por grossas camadas de neve.

O Snowareg já está sendo vendido na Suécia e região sob encomenda para os interessados.

Por Ana Camila Neves Morais


Mais um lançamento pode chegar em pouco tempo no mercado de automóveis vindo da Audi.

Isso porque segundo rumores que circulam pela internet vazaram algumas fotos do novo Audi RS1.

As especulações esperam um veículo com design parecido com o A1 Clubsport Quatro equipado com um motor de cinco cilindros com 2.5 litros e uma potência menor do que 340 cavalos.

Se estas informações estiverem corretas, o Audi RS1 deverá ser vendido em pequena quantidade e com valores bem elevados.

Basta aguardar!

Por Ana Camila Neves Morais


A consultoria JATO Dynamics divulgou nesta semana dados importantes sobre o mercado automotivo mundial.

Segundo a pesquisa feita no mês de outubro de 2012 o Brasil recuperou o posto de o4º maior mercado de automóveis do mundo com 356.267 unidades comercializadas durante o período analisado e um total acumulado no ano de 2.993.878 carros vendidos.

De acordo com os analistas este aumento no volume de vendas se deve principalmente a uma corrida dos consumidores para aproveitar a redução do IPI como data de finalização em dezembro de 2012.

O primeiro lugar neste ranking continua com a China com 13.068.342 veículos vendidos.

Por Ana Camila Neves Morais


O setor de caminhões começa a viver uma retomada no crescimento das vendas após uma queda no comércio de 20% em agosto.

Agora, o aumento nas vendas está gerando um problema nesta área, pois as concessionárias não estão conseguindo acompanhar a intensidade dos novos pedidos.

Com isso estão ocorrendo falta de peças, produtos e os prazos para entrega estão se tornando mais largos já que as fábricas reduziram as produções de caminhões e seus acessórios pela retração que ocorreu no primeiro semestre de 2012.

A diminuição de produção recebeu incentivos do governo federal como programa de compras públicas e juros negativos e com isso houve um boom de compras no setor.

Devido a esta situação, as concessionárias de caminhões já possuem vendas fechadas para o primeiro trimestre de 2013 com alguns modelos disponíveis apenas para o mês de abril.

Para sanar este problema e atender à demanda de vendas, diversas montadoras – como a Scania – estão recontratando funcionários e interrompendo as paradas de produção realizadas anteriormente além de oferecer horas extras e convocar os trabalhadores em férias coletivas.

Por Ana Camila Neves Morais

 


A marca Honda tem vários motivos para se alegrar e um deles é a excelente aceitação do Honda Civic, que em agosto de 2012 foi o sedã médio mais vendido no Brasil, com cerca de 6.000 unidades emplacadas. Os números garantiram o veículo no topo do ranking e permitiram que um tabu de 3 anos fosse quebrado, afinal, durante todo esse tempo, o Corolla esteve na primeira posição.

A notícia partiu do portal da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), responsável pela análise e divulgação das estatísticas. De acordo com o órgão, não foi apenas o Honda Civic que ultrapassou o Corolla, mas também o Chevrolet Cruze, que emplacou 4.800 carros, enquanto o modelo da Toyota vendeu 4.620 unidades no mesmo período.

Vale ressaltar, no entanto, que se forem consideradas as vendas nos 8 primeiros meses do ano, o Corolla ainda é o líder, mesmo que o Honda Civic esteja cada vez mais próximo no panorama geral. Segundo a Fenabrave, nas outras posições não foram apresentadas grandes novidades, sendo que o Volkswagen Jetta permanece na quarta colocação e Renault Fluence na quinta.

Por Larissa Mendes de Oliveira


A Associação Brasileira de Empresas Importadoras de Veículos Automotores (ABEIVA), em um balanço divulgado nesta segunda-feira (11/06), informou que as vendas de automóveis importados caíram 35,6% em maio deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano passado.

Em números, a quantidade de vendas de automóveis importados caiu em 6.889 unidades. A ABEIVA atribui a queda nas vendas graças às medidas protecionistas nacionais, ou seja, à redução de impostos para veículos produzidos no Brasil, medida anunciada pelo governo federal no início do mês passado.

Entretanto, o protecionismo não pode ser considerado o único culpado pela redução da importação. Graças à conturbação do mercado externo, a moeda norte-americana vem ganhando força, fazendo com que o Real sofra um processo de desvalorização, que já representa 11% desde o início do ano. O "encarecimento" do dólar é outro fator que reflete na diminuição do número de importados comercializados no país.

Flávio Padovan, presidente da ABEIVA e diretor da Jaguar Land Rover no Brasil, comentou estar aflito com a situação do setor, o que poderá ocasionar em demissões. Hoje, as concessionárias que trabalham com a comercialização de automóveis importados empregam cerca de 35.000 pessoas.

Em contrapartida, a indústria automobilística nacional não tem do que reclamar: utilizando o mesmo período de comparação, as vendas de automóveis produzidos no Brasil cresceram 12,1%.

Por Rodrigo Alves de Oliveira


A Fenabrave, Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, anunciou a lista dos carros mais vendidos no país no 1º trimestre de 2012. Houve algumas mudanças importantes em relação ao ranking de 2011.

O mais vendido no período foi o Fiat Uno, com 59.168 unidades vendidas. O valor de tabela do Uno 1.0 2p Evo Vivace é de R$ 26.880.

O segundo lugar ficou com o VW Gol, que era líder de vendas há 25 anos consecutivos. O valor da versão G4 total flex/Ecomotion 1.0 2p (eta/gas) é de R$ 26.960.

O terceiro lugar no ranking dos mais vendidos – subindo três posições em relação a 2011 – ficou com o Fiat Palio, cuja versão Fire Econ 2p 1.0 flex custa R$ 25.790.

A quarta posição ficou com o VW Fox/Cross Fox, com 32.701 unidades vendidas. O preço de tabela do CrossFox 4p 1.6 flex é de R$ 50.530.

O Celta assumiu a quinta posição. Foram vendidas 28.574 unidades do modelo da Chevrolet, cujo preço de tabela chega a R$ 26.008 – versão 2p 1.0 flex LS.

Em 2011, o  Fiesta ocupava a décima posição. Por causa das vendas da nova geração, fabricada no México, que se somaram às vendas do hatch produzido na Bahia, o modelo da Ford chegou ao sexto lugar no ranking de 2012. O valor de tabela do Ford Fiesta hatch 1.0 flex é de R$ 26.900.

Em sétimo e oitavo lugares estão, respectivamente, o Fiat Strada (R$ 31.990), versão mais básica, e o Chevrolet Classic/Corsa Sedan, cujo valor de tabela é de R$ 38.082.

Em nono lugar, aparece o Voyage, líder entre os sedãs compactos, superando até o Siena, que liderou o ranking de 2011 na categoria. A versão 1.0 flex está tabelada em R$ 33.200.

Por fim, em décimo lugar está o Agile, com 20.114 unidades vendidas e preço de R$ 37.426 (versão 1.4 flex LT).

Por Christiane Suplicy Curioni


Cada vez mais os carros importados estão ganhando força no cenário nacional brasileiro, entretanto, as marcas conveniadas à Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores – Abeiva,  tiveram um desempenho abaixo das expectativas no ano passado, tanto que comercializaram  40,6% automóveis a menos em dezembro de 2011, em relação ao mesmo período de 2010.

Os números seriam desanimadores se não tivesse havido uma melhora expressiva já em janeiro desse ano, mês em que houve um aumento de 16,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a Abeiva, os veículos emplacados em janeiro de 2012 atingiram a excelente marca de  11.367 e unidades ao redor do Brasil. A estimativa é que a partir de março, já que fevereiro conta com menos dias úteis, é que o mercado volte à normalidade e que sejam comercializados mais de 16.000 unidades de importados em nosso país.

Provavelmente o desempenho insatisfatório em dezembro foi reflexo da alta no IPI e demais taxas de importação. O fato é que os consumidores preferiram adiar a compra de fim de ano e quem sabe, esperar uma diminuição nos preços finais dos carros.

Por Larissa Mendes de Oliveira


Você sabe qual foi o carro mais vendido em todo o mundo durante o ano de 2011? De acordo com a prévia de um levantamento feito pela Revista Forbes, em conjunto com a consultoria IHS Global Insight, o campeão de vendas no ano passado foi o Toyota Corolla, que emplacou 1,02 milhão de unidades, contando os mais de 140 países onde é comercializado.

O resultado mostra que a Toyota se recuperou bem dos desastres naturais acontecidos no Japão no primeiro semestre de 2011, época em que a montadora foi ultrapassada pelas rivais Volkswagen e General Motors no ranking de vendas, mas conseguiu voltar ao topo da lista ao final do ano. Além disso, chama a atenção o alto número de fabricantes asiáticas nas primeiras colocações.

Na segunda posição, seguindo bem de perto o Corolla, ficou o Hyundai Elantra, que contabilizou 1,01 milhão de unidades comercializadas em todo o planeta, enquanto a van Wuling Sunshine, veículo mais vendido da China, o maior mercado automotivo do mundo, alcançou a terceira posição no ranking mundial, com a venda de 943.000 unidades. A Wuling é parceira da GM na China.

O quarto colocado é o Focus, carro global da Ford, somando 919.000 emplacamentos. A quinta posição ficou com o Kia Rio, que vendeu 815.000 unidades em 2011. Completam o ranking dos 10 carros mais vendidos no mundo em 2011 o Ford Fiesta (781.000), o Volkswagen Jetta (745.000), o Toyota Camry (726.000), o Chevrolet Cruze (691.000) e o Volkswagen Golf (648.000).

Por André Gonçalves


O Jeep Compass, versão atualizada do crossover de entrada da marca norte-americana, já começou a desembarcar no Brasil. Mas por enquanto, estará apenas em exposição nas concessionárias do Grupo Chrysler, já que as vendas estão previstas para começarem a partir do mês de fevereiro.

O modelo passou recentemente por algumas mudanças em seu visual, adotando uma nova dianteira, ficando bastante parecido ao Grand Cherokee, outro carro de sucesso da fabricante, além de volante com novo desenho, acabamento diferenciado e novos acessórios. Ele traz sob o capô o motor movido a gasolina, de quatro cilindros e 2.0 litros, capaz de entregar 156 cv de potência, gerenciado pela transmissão automática CVT. Por aqui, será comercializada apenas a versão com tração dianteira (4×2).

De série, o crossover vem com lanternas traseiras em LED; rodas com novo design; faróis de neblina; vidros escurecidos; sistema de manutenção da pressão dos pneus; retrovisores com aquecimento; freios ABS; airbags de cortina laterais; controle eletrônico de estabilidade; e piloto automático, entre outros itens.

O preço do Compass ainda não foi divulgado pela Chrysler, mas especula-se que ele vá custar abaixo dos R$ 100.000,00, uma estratégia da marca para concorrer diretamente com o Kia Sportage, Honda CR-V, Chevrolet Captiva, Mitsubishi ASX, Toyota RAV-4, Hyundai ix35 e Fiat Freemont, entre outros.

A Chrysler pretende incrementar as suas vendas no país em cerca de 50%, com a chegada do utilitário esportivo.

Algumas concessionárias da marca já estão aceitando encomendas do Compass. 

Por André Gonçalves


A Land Rover divulgou as informações oficiais sobre o seu novo utilitário esportivo de luxo que estreia no Brasil em novembro, o Range Rover Evoque.

Ele será oferecido em 3 versões de acabamento, todas com tração integral e equipadas com o motor Si4, de 2.0 litros, movido a gasolina, capaz de alcançar 240 cv de potência e 34,7 kgfm de torque. O propulsor vem acoplado ao câmbio automático sequencial de 6 marchas.

O modelo de entrada, Pure, traz rodas de liga leve aro 18; ar condicionado automático; bancos revestidos de couro e com regulagem elétrica; sistema de áudio com 11 alto-falantes, entrada para iPod, USB e Bluetooth; e faróis de neblina, entre outros itens. Os preços sugeridos partem de R$ 164.900, na versão de 5 portas, e R$ 167.900, no modelo cupê.

O intermediário, Prestige, custa R$ 182.900 e está disponível na versão de 5 portas, que acrescenta rodas aro 19; sistema Park Assist; sistema de navegação; faróis de xenônio; e teto panorâmico. Adicionando o pacote Tech, composto por duas telas de LCD para os passageiros, câmera de 360º, sistema multimídia premium com tela touchscreen de 8 polegadas e rodas aro 20, o preço vai para R$ 231.900.

Já o Range Rover Evoque Dynamic, top de linha, o mais esportivo da gama, tem preços iniciais de R$ 182.900 (5 portas) e R$ 187.900 (cupê). Incluindo o pacote Tech, com bancos aquecidos do tipo concha, entre outros acessórios, os valores chegam a R$ 231.900 (5 portas) e R$ 236.900 (cupê).

Por André Gonçalves

Fonte: Land Rover Brasil


O presidente da montadora britânica, Torsten Muller Ötvös, anunciou na segunda-feira, dia 24 de outubro, que o Rolls-Royce vai ser vendido diretamente no Brasil a partir de março de 2012.  E a primeira loja a recebê-lo, fica na região nobre de São Paulo, no Jardins.

Para ter um esplendoroso carro destes em sua garagem, o brasileiro terá que dispor de R$ 1,75 milhões a R$ 2,62 milhões dependendo do modelo.

A decisão de trazer o Rolls-Royce ao Brasil foi porque o país apresentou um grande crescimento econômico nos últimos anos, segundo o Sr. Torsten, estimulando o investimento aqui.

São esperadas as vendas de dez a quinze carros, uma quantidade modesta, mas significativa para o início do ano. O grupo Via Itália será o responsável por administrar a concessionária no país.

A presença da representação comercial em São Paulo, juntamente com outra a ser inaugurada no Chile, serão as primeiras representações da marca na América do Sul.

Modelos como Ghost e Phantom poderão ser encontrados em estoque, como também adquiridos por encomenda (cerca de 4 a 5 meses para a entrega), garante o executivo responsável pela Via Itália.

Por Dorcas Nunes


A Ford está programando para o início do mês de outubro a apresentação oficial do New Fiesta Hatch 2012 no mercado brasileiro. As vendas do modelo, que é produzido no México e tem sido flagrado com bastante frequência nos últimos meses sendo testado por aqui, começam logo em seguida. Os preços devem partir de R$ 47.000, segundo especulações.

A nova geração do New Fiesta Hatch terá sob o capô a mesma mecânica empregada no modelo sedã, ou seja, o motor Sigma de 16 válvulas e 1.6 litro, bicombustível, acoplado ao câmbio manual de 5 velocidades, capaz de gerar até 115 cv de potência. Ambos também têm em comum o mesmo estilo de rodas, de 15 polegadas, enquanto algumas das diferenças estão no tamanho (4,06m de comprimento do hatch contra 4,40m do sedã) e na capacidade do porta-malas (360 litros contra 400 litros).

A montadora norte-americana ainda não confirmou, mas o modelo deverá ser oferecido em três versões de configuração. A mais básica deve contar com trio elétrico, ar condicionado, rodas de alumínio, direção hidráulica, alarme e som com MP3 e CD. Na intermediária é esperado o acréscimo de airbags frontais, de cortina e laterais, e freios ABS, enquanto a top de linha estará equipada com bancos em couro e rodas aro 17, entre outros itens.

Por André Gonçalves


A pick-up Amarok é vendida no país em três versões: básica, Trendline e Highline; fazendo com que esteja disponível quatro modelos para o consumidor, com diferenciais em seu espaço interno e no da caçamba; além de um novo nível de segurança para o segmento.

A versão básica possui motor 2.0 TDI Turbo Diesel de 4 cilindros e 16 válvulas, sistema de injeção Common Rail, com um único turbo compressor que atinge potência máxima de 122cv. Ela chega com preço sugerido de R$88.900 para tração 4×2 e R$92.990 para tração 4×4. Ela aparece com ar condicionado, direção hidráulica, protetor de cárter, CD com entrada para MP3, SD-card, USB, BLUETOOTH, entre outros itens de série.

Já as versões superiores Trendline com preço sugerido de R$102.990 e Highline a R$119.490 são equipadas com motor diesel TDI de 2 litros, 4 cilindros e 16 válvulas, com potência de 163cv; além de sistema de injeção Common Rail de alta performance e alimentado por dois turbos compressores.

Ambas também possuem a tração 4×4 selecionável com reduzida e como itens de série airbags para motorista e passageiro, piloto automático, computador de bordo, travamento central com controle remoto, vidros com acionamento elétrico e demais itens.

Entre os novos padrões de segurança para o segmento, estão os itens: airbags do motorista e do passageiro dianteiro e cintos com pré-tensores nos bancos dianteiros; além do ABS off road, Sitema de Assistência à Frenagem, Sistema de Controle de Tração e Bloqueio Eletrônico do Diferencial.

Outras informações podem ser encontradas no site www.vw.com.br.

Por Danielle Vieira


Durante muitos anos, em meados da década de 70, o velho Passat, da Volkswagen, foi um dos modelos mais procurados pelos brasileiros. De porte pequeno, mas extremamente elegante, o exemplar antigo foi substituído pelo novo Passat, de design mais agressivo e altamente competitivo diante de um mercado tão vasto.

Nas próximas semanas, as concessionárias Volkswagen recebem o novo Passat, que chega aos motoristas em duas versões, a Variant e a Sedan. Em princípio, novidades internas e externas regadas a muita tecnologia, tais como o sistema Park Assist II (opcional), que realiza a baliza automaticamente sem que o condutor precise pisar no freio, no acelerador, girar o volante para a esquerda e para a direita.

O console do novo Passat foi redesenhado e passa a contar com relógio analógico em destaque, sistema de infotainment (touchscreen) e sistema de navegação integrado caso o motorista o queira. Botões de freio de estacionamento e de partida do motor fazem parte do modelo.

Em termos de motorização, o novo Passat apresenta melhorias. Com motor 2.0 TSI capaz de desenvolver 211 cavalos de potência, 11 a mais que a versão anterior, o carro pode chegar a 210 quilômetros horários e levar 7,6 segundos para percorrer de zero a 100 km/h.

A transmissão DSG, outro diferencial nas duas versões do veículo, é de seis marchas, ideal para quem deseja economizar e obter ótimo desempenho em cidades e estradas.

A Volkswagen informa que o preço dos modelos parte de R$ 106,7 mil.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Volkswagen (Assessoria de Imprensa)


Após a sua apresentação no Salão do Automóvel de São Paulo no ano passado, a montadora de veículos sul coreana enfim, apresentou no dia 29 de março a versão do Kia Soul, agora com motor flex. É o primeiro carro da montadora com motor flex no mercado brasileiro.

O Kia Soul Flex será oferecido ao mercado brasileiro em duas versões básicas, que podem ser equipadas com alguns pacotes de série, em especial, o câmbio automático de quatro marchas, com trocas sequenciais.

O novo Kia Sou será equipado com motor 1.6 flex com potência de 130 cv com etanol, e 126 cv com gasolina. O Soul mantém como opcional a câmera auxiliar traseira, que envia imagens quando acionada a marcha ré para o retrovisor interno do veículo.

Os preços divulgados pela empresa são: R$ 52.900 (Kia Sou Flex 1.6 manual), e R$ 63.900 (Kia Sou Flex 1.6 automático).

Por Henrique Pereira


A Toyota Motor Corporation está comemorando a marca de 3 milhões de unidades de veículos híbridos vendidos até o final de fevereiro de 2011 no mundo todo.

Em dezembro de 1997, a Toyota lançou o Prius, primeiro veículo híbrido do mundo. Mas apenas em 2000 foi que o Prius começou a ser vendido nas concessionárias da Europa e América do Norte.

No ano de 2003, a segunda geração do Prius chegou ao mercado, e em 2009, foi a vez da terceira geração ser lançada, fazendo com que a Toyota atingisse mais de 2 milhões de vendas do modelo híbrido.

Em 2011, a montadora ampliou a sua linha de híbridos e apresentou ao mercado o modelo Lexus "CT 200h". Ao todo são 16 modelos da linha de veículos sustentáveis da marca presentes em 80 países.

A Toyota pretende investir ainda mais no segmento de carros ecológicos e tem planos de lançar mais 10 modelos de veículos híbridos até o fim de 2012.

Essa iniciativa da montadora é muito importante para o meio ambiente, pois a emissão de poluentes no ar é consideravelmente menor.

Para ter acesso a mais detalhes sobre os veículos híbridos da montadora e entender o que é esse sistema, acesse o site da Toyota.

Por Andrea Gomes


Acaba de chegar ao Brasil um dos lançamentos mais esperados no mundo das motos em 2011, a Yamaha XTZ 1200Z Super Ténéré. A grande expectativa se deve ao fato de que o modelo tem características semelhantes a uma das motocicletas de maior sucesso da fabricante japonesa, aposentada em 1999, a XTZ 750 Super Ténéré, de uso misto.

A nova motocicleta, conhecida simplesmente como Super Ténéré, pelos mais íntimos, conta com um motor de dois cilindros e 1.199 cm³, com injeção eletrônica, que pode desenvolver 110 cv de potência a 7.250 rpm. O conjunto tem ainda freios ABS, controle de tração com o sistema YCC-T, que oferece ao piloto três opções de configuração e tanque de combustível com capacidade para 23 litros, o que dá uma boa autonomia para quem gosta de se aventurar sem preocupações.

A suspensão é do tipo telescópica de garfos invertidos ajustáveis na dianteira e mono-amortecida com link na traseira. As rodas em alumínio são de aro 19 na dianteira e aro 17 na traseira.

A nova Super Ténéré tem preço sugerido de R$ 59.800, e terá uma série de acessórios disponibilizados pela Yamaha, dentre os quais o farol de milha, baú para carga e manoplas aquecidas.

Por André Gonçalves


Acostumado a assumir o primeiro lugar no podium do carro mais vendido no Brasil, o Gol dessa vez perdeu e deu lugar ao Uno no ranking em fevereiro de 2011. Ao todo foram 21.470 unidades emplacadas do modelo da Fiat contra 20.989 do Gol da Volkswagen.

Mas essa marca só foi atingida mesmo em fevereiro pela Fiat, pois somando as vendas de janeiro e fevereiro, o Gol supera com folga o Uno: 44.048 unidades Gol contra 38.383 do modelo da Fiat.

Há 24 anos o Gol consegue a façanha de atrair os consumidores e se consagrar como o mais vendido no país.

Não foi a primeira vez que o Gol sai perdendo, em 2006 o carro da Volkswagen registrou um número menor de vendas, sendo derrotado novamente por um modelo da Fiat, que na época foi o Fiat Palio.

As informações foram anunciadas pela Federação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores (Fenabrave).

Por Andrea Gomes


O substituto do Peugeot 307 já está pronto para estrear no Brasil. Importado da Argentina, o Peugeot 408 estará disponível em três versões, que são Allure, Feline e Grife, todas equipadas com o motor Flex 2.0 de 16 válvulas e que chega a 151 cv de potência, além de câmbio automático de quatro marchas (à exceção da Allure, na qual o item é opcional).

As mudanças no visual são muitas, em relação ao antecessor, principalmente na dianteira agressiva, com grandes faróis. Com relação aos itens de série, o modelo Allure apresenta airbag duplo, freios ABS, rodas aro 16 e ar condicionado manual. A versão Grife tem GPS, teto solar, bancos de couro com ajuste elétrico, ar condicionado digital e sensores de estacionamento.

A versão básica (Allure) sai por R$ 59.900 e a top de linha (Grife) tem preço sugerido de R$ 79.900.

Veja as fotos no site da Peugeot Argentina.

Por André Gonçalves


Balanço realizado pela multinacional Kia Motors Corporation revela um cenário animador para um ano que está apenas começando. A empresa teve um crescimento expressivo nas chamadas "vendas globais" neste começo de 2011, alcançando um patamar 19,3% superior em relação tudo o que foi comercializado no começo do ano passado.

Em números mais exatos, significa que em janeiro deste ano um total de 179.409 unidades saíram dos pátios de suas concessionárias, entre veículos de passageiros, veículos de lazer e veículos comerciais. Segundo o vice-presidente da empresa, Thomas Oh, a meta global para o presente ano é vender 2.345.000 veículos, “o que representaria um aumento de 12% em relação a 2010”. Os campeões de mercado são os modelos Kia Cerato, Kia Sportage e o Kia Rio.

Como para este ano está prevista a chegada ao mercado das novas gerações do Kia Picanto e também do Kia Rio, a expectativa é de que as projeções da corporação façam mesmo sentido. 

Por Alberto Vicente


O mercado de veículos automotores está em franca expansão no Brasil, embora os números deste ano devam ser mais amenos em relação aos registrados em 2010. Segundo a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a comercialização de carros, no acumulado anual, cresceu 12,42% em comparação a 2009.

Leia mais: Fenabrave – Caminhões Usados, Motocicletas e Ônibus – Vendas em 2010

Dados reunidos pela Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) assinalaram que em janeiro as vendas decaíram 28,9% ante dezembro de 2010. No total, no mês passado 9.572 unidades foram emplacadas. Apesar desse arrefecimento, no confronto anual as vendas de carros saltaram 93,2%.

Por outro lado, enquanto a comercialização decresceu, a participação dos importados no mercado subiu de 3,73% para 4,16%. Para José Luiz Gandini, presidente da associação, as vendas em 2011 devem abraçar 165 mil unidades, ou seja, aproximadamente 13,7 mil emplacamentos mensais, embora entre janeiro e fevereiro o número não deva ser atingido.

Por Luiz Felipe T. Erdei

Fonte: Maxpress


Surge uma grande novidade para quem gosta da classe sobre quatro rodas em forma de carro bonito e potente: a partir de Maio deste ano a Mercedes-Benz estará comercializando no mercado nacional o novo esportivo CLS 63 AMG. Modelo cupê com quatro portas de visual elegante que transmite classe e esportividade em suas linhas.

De desenho mais retilíneo esta versão esportiva mantém o charme do design requintado que caracteriza o modelo da geração anterior. Sua frente imponente e a traseira discreta compõem um conjunto de grande apelo visual muito bem finalizado pela potência (que neste modelo é a maior da família). O CLS 63 AMG está montado com um propulsor biturbo V8 de 550 CV de potência que garante o arranque de 0 a 100 Km/h em somente 4,4 segundos, e atinge com velocidade máxima 300 Km/h, que é limitada de maneira eletrônica. Ou seja, esportividade e potência aliadas ao refinamento do design e a classe do estilo.

Para os apaixonados pela marca ou para aqueles que se encantaram pelo modelo, o CLS 63 AMG custará cerca de R$ 450.000.

Por Mauro Câmara

Fonte: Carros IG


O setor de veículos automotores no país contabilizou boas vendas em dois momentos neste ano, o primeiro em março, último mês de isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), e o segundo em novembro. Tanto carros produzidos pelas fábricas nacionais como por montadoras estrangeiras apresentaram alta nos últimos meses, um deles o Chevrolet Agile.

Produzido pela General Motors em Rosário, na Argentina, o hatchback conquistou a preferência de mais de 7,5 mil brasileiros somente em novembro, o maior volume comercializado desde seu lançamento, ocorrido em outubro do ano passado. Segundo o portal Car Sale UOL, o resultado foi impulsionado em grande parte pelos feirões realizados pela GM há poucas semanas.

No acumulado anual até o mês passado a fabricante constata volume comercializado de 58.861 unidades, ou média mensal de 5.351 unidades. De acordo com a GM do Brasil, o desempenho do modelo no grupo de hatches apresentados com motorização superior a 1.0 litro chega a 15,5%.

A GM assegura que entre os mais de 10 veículos da categoria hatche no Brasil, o Agile é o primeiro no gosto do consumidor brasileiro, à frente do Fox e do Gol, ambos da Volkswagen.

Por Luiz Felipe T. Erdei


A presença de carros importados cresce respeitosamente no país nos dias atuais. Há poucos anos, observar algum modelo estrangeiro nas ruas era infrequente, mas não raro. O crescimento da economia brasileira, mesmo com projeções menos promissoras para o Produto Interno Bruto (PIB) 2011, têm incitado montadoras a investir suas fichas no Brasil.

A Mitsubishi Motors dará início, nos próximos dias, à comercialização do ASX, crossover compacto que será produzido por aqui em 2012, na fábrica que a montadora está edificando em Catalão, Goiás. De acordo com o Car Sale UOL, a fabricante japonesa aposta no modelo para competir diretamente com o Kia Sportage, o Hyundai ix35, o Chevrolet Captiva e o Honda CR-V.

Com preço delimitado entre R$ 81.990 e R$ 96.990, o ASX contará com três versões de acabamentos, o top de linha com tração nas quatro rodas e os outros dois com tração dianteira tipo 4×2. A filial brasileira da Mitsubishi assinala que todas as revendas já disponibilização o crossover para testdrive e comercialização.

O utilitário-esportivo, ou simplesmente SUV (Sport Utility Vehicles), contempla 4,3 metros de comprimento e 1,78 metro de largura por 1,6 metro de altura. Os consumidores brasileiros podem contar com itens básicos oriundos da fabricação original, mas interessantes, entre os quais ar digital e sistema que desliga e religa o motor quando ocorrem curtas paradas.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Como todos sabem o sedã Mégane acabou de sair de linha e será substituído pelo novo Fluence com mais atrativos para sua faixa de atuação. Este novo sedã é a grande aposta da Renault para abocanhar uma fatia maior do mercado e ele estará no mercado brasileiro a partir de Fevereiro de 2011.

Mas a saída de cena do Mégane não será o fim total do modelo. Conforme matéria do site Carros IG, a Renault manterá ainda em fabricação a versão perua do Mégane, a Grand Tour. Perua de linhas sóbrias e cara de família, ela continuará a ser fabricada e não é só isso. Ainda terá uma redução no seu preço.

A versão que será mantida a venda, a Dynamique, sairá por R$48.490. Valor equivalente a de modelos de peruas compactas a venda no Brasil. Esta será uma versão 1.6 e virá somente com itens de série básicos como trio elétrico, ar condicionado e direção elétrica e terá câmbio manual.

Resta saber agora por quanto tempo ainda a Renault irá manter em linha a solitária irmã do falecido Mégane.

Por Mauro Câmara


Um dos maiores mercados de veículos automotores em todo o mundo, estudo divulgado pela Jato Dynamics do Brasil revelou que a nação brasileira sustentou a quarta colocação na comercialização global de automóveis entre janeiro e setembro, confirmando, portanto, informações antecedentes de ultrapassagem perante a Alemanha, que anteriormente ocupava essa posição.

A China, que aglomera a maior população em um só país, nutriu a liderança nas vendas de veículos automotores, sustentado, pois, por avanço de 39,2% nos dez primeiros meses de 2010 ante período análogo do ano passado. De acordo com a Folha UOL, a asiática aglomera 9,5 milhões de unidades.

A potência que muito tem contrariado o mundo devido à adoção de medidas por parte de seu Banco Central, os Estados Unidos sustentam a segunda posição devido ao progresso de 10,5% nas vendas em conformidade à mesma base comparativa anteriormente descrita.

Para Luiz Carlos Augusto, diretor-superintendente da Jato Dynamics, a China tem se consolidado no 1º lugar e o Brasil em 4º. Caso a Alemanha não adote uma alternativa, sua comercialização de veículos continuará arrefecendo.

Por Luiz Felipe T. Erdei


Quem pensa que BMW é carro de rico…bem, talvez esteja certo. Fato é que as vendas dos carros da BMW andam de vento em popa.

Só neste último trimestre do ano a empresa vendeu mais de 350 mil modelos, arrecadando para a BMW um montante de 874 milhões de euros. Isso significa um aumento de onze vezes o capital ganho no mesmo período do ano anterior.

Se isto significa algo é que o poder aquisitivo dos clientes estão aumentando e que com isso artigos até então considerados de luxo e criados para uma clientela muito exclusiva estão sendo expandidos. O grupo BMW que o diga.

Por Teresa Almeida


A indústria automobilística vêm obtendo ultimamente, cada vez mais resultados positivos. Uma prova disso é o recorde de vendas de veículos novos alcançado nos primeiros quatro meses deste ano, culminando com 1,066 milhão.

Só no mês de abril 277,9 mil veículos novos foram vendidos, onde as concessionárias ainda possuíam produtos com IPI reduzido em seu estoque. O melhor número registrado até então para o mês de abril foi no ano de 2008, com cerca de um pouco mais que 261 mil unidades.

Já no mês de março, onde o prazo para IPI reduzido encerrou, foi registrada uma venda de 353,7 mil unidades, considerado o melhor número em toda a história deste setor. Apenas os caminhões permanecem com isenção do tributo, com retorno ao valor de 5% a partir do mês de junho deste ano.

Fonte: Folha e Em Tempo Real

Por Elizabeth Preático





CONTINUE NAVEGANDO: