Edição Limitada celebra os 40 anos do modelo e chega com motor mais potente.

Nesta matéria, vamos falar sobre a nova e poderosa versão de um antigo hatch da VW, o Golf GTI TCR versão comemorativa dos 40 anos do modelo, tendo sido produzido em parceria com Seat e a divisão de competição da VW.

A VW, por sua vez, sempre foi símbolo de confiança, produzindo carros resistentes, com linhas charmosas e um motor possante escondido no capô. Só que dessa vez ela foi além, criou uma fera. A versão especial do Golf teve seu motor aprimorado, rendendo 330 cavalos e 41,7 kgfm de torque, tendo 110 cavalos a mais do que sua versão normal.

O carro também vem equipado com um câmbio de 6 marchas, com trocas feitas nas aletas, que fica atrás do volante do carro, possibilitando para o motorista uma troca de marcha rápida, suave e eficiente.

Fora essa edição especial do carro, temos outras duas também, a versão 2.0 normal com 220 cavalos e a versão 1.4 turbo com 140 cavalos. É interessante ressaltar que a versão 1.4 turbo flex 2016, fabricado no Brasil, ganhou uma suspensão traseira por eixo de torção no lugar da independente do modelo mexicano, além de um novo câmbio automático. Sendo assim, a versão de aniversário do carro é a mais potente, tendo um motor 2.0 TSI (2000 cilindradas), conseguindo chegar de 0-100 em apenas 5,4 segundos, enquanto a outra versão faz em 6,5 segundos, deixando evidente logo de cara o que esses 110 cavalos a mais resultaram. Porém, a versão mais potente, tem uma velocidade final menor do que a menos potente, chegando a "apenas" nos 230 km/h, enquanto que a outra ultrapassa os 240 km/h.

Um carro, além de ter um ótimo desempenho, precisa ter bons freios também. Sendo assim, a VW teve que atualizar o conjunto de freio do carro para uso em competição e acrescentou um santantonio na estrutura do mesmo. Além disso, um aerofólio feito de fibra de carbono foi acrescentado para melhorar a aerodinâmica e dar um visual mais agradável e agressivo ao carro.

Com isso, podemos concluir que os donos das 20 unidadesproduzidas desta versão e que já foram vendidas, gastarão bastante combustível e fritarão seus pneus até toda a borracha acabar!

Anderson Henrique Fidemann


O Salão do Automóvel ocorre a cada dois anos no país e é a vitrine de novidades automobilísticas mais visada pelos fanáticos de diversas partes do mundo. É comum que as montadoras apresentem novidades e lançamentos. Este ano não poderia ser diferente e entre as atrações do evento, a Volkswagen apresentou seu mais novo modelo de utilitário, o novo Golf SUV.  Com potência de 140 ou 220 cavalos, seis marchas e dupla embreagem e tração integral de 4 motion. Sua aparência é mais compacta e elaborada em cima da plataforma MQB.

A montadora alemã propôs uma meta de tornar-se líder mundial de vendas até o ano de 2018 e além do novo Golf, apresentou também a nova versão do Cross Fox, o Golf Variant e o Saveiro Surf. Atualmente é a segunda líder de vendas a nível global, para conquistar a meta, investir forte em novos modelos e conquistar novos territórios como, por exemplo, a China que fazem parte dos elementos de sua estratégia. O modelo SUV deve fazer parte de um mercado pouco explorado pela VW, podendo entrar em disputa no mercado com o Hyundai ix35, Honda CR-V e ocupar o espaço na liderança do top de linha Ford EcoSport .

Para quem já se encantou com o modelo do novo utilitário, por enquanto contente-se com sua exposição no Salão do Automóvel até sábado dia 8 de novembro, com entrada das 13h às 22h durante a semana e das 13h às 21h no sábado de encerramento. Conforme dito por representantes da marca na apresentação, o modelo só irá para as lojas no Brasil em 2016, sua fabricação será em São José dos Pinhais, no Paraná.

A exposição também disponibiliza alguns modelos para um “test drive”. O endereço é na Avenida Olavo Fontoura, 1.209 no bairro de Santana – São Paulo.

Por Ricardo Laurentino da Silva

Volkswagen Golf SUV

Volkswagen Golf SUV

Fotos: Divulgação


A busca por veículos mais eficientes no consumo de combustível cresce a cada ano, pelos menos no mercado europeu e por isso, uma das novidades que a Volkswagen irá apresentar no Salão de Genebra será o novo Golf GTE, versão plug-in híbrida que tem entre os principais destaques a autonomia.

Esteticamente, o Golf GTE tem grandes semelhanças com a versão GTI, já que, de acordo com a marca alemã, a sigla GTE está alinhada com as variantes esportivas GTI e GTD. As únicas diferenças, com relação ao GTI ficam por conta do desenho da grade frontal, a sigla GTE em azul, bem como o filete azul presente na grade, que invade os faróis. Na traseira, o nome Golf foi substituído pelo emblema da versão híbrida.

Além do visual parecido, o ajuste de suspensão e o acabamento na cabine também seguem o mesmo padrão do Golf GTi, contudo, ao invés dos detalhes em vermelho no interior a marca adotou a cor azul. A central multimídia, além de conter diversas funções, exibe informações do carro, incluindo o fluxo de energia enquanto o carro está em movimento e os dados de autonomia.

Mesmo sendo uma versão híbrida, errou quem achou que o desempenho do modelo foi comprometido. Para mover o Golf GTE a Volkswagen equipou o carro com um conjunto híbrido, dotado do bloco 1.4 TSI com 148 cv e de um propulsor elétrico de 101 cv (75kW). Os dois motores combinados são capazez de oferecer 201 cv e 35,5 kgfm de torque. Com isso, o hatchback híbrido acelera de 0 a 100 km/h em 7,6 segundos, com velocidade máxima de 217 km/h.

O veículo pode ser usado no modo totalmente elétrico, com autonomia de até 50 quilômetros, chegando à velocidade máxima de até 130 km/h. A autonomia sobe para 940 quilômetros com o trabalho em conjunto dos dois motores, com consumo médio de incríveis 55,2 km/l.

Por Caio Polo

Volkswagen Golf GTE

Foto: Divulgação





CONTINUE NAVEGANDO: